Posts Tagged ‘Transportes’

Brasília enfrenta a 18º greve de ônibus do ano

Brasília enfrenta a 18º greve de ônibus do ano

Transferência de recursos federais ocorreu apenas no início da noite de ontem. Pagamento de 80 mil servidores está atrasado desde a semana passada.

Do G1 DF – O governo do Distrito Federal descumpriu o prazo dado por ele mesmo para repassar os salários dos servidores das áreas de Saúde e Educação, atrasados desde a semana passada. Diferentemente do esperado, o dinheiro não caiu na conta dos cerca de 80 mil funcionários públicos na noite desta segunda-feira (8). A expectativa é que esse repasse seja efetivado no final desta noite e esteja disponível na manhã de quarta.

De acordo com o secretário de Administração, Wilmar Lacerda, o problema aconteceu porque a efetivação da transferência dos recursos federais ocorreu mais tarde do que o esperado. “Essa situação só foi resolvida no início da noite de ontem e, portanto, não teve condição de fazer [o pagamento]”, disse. “Infelizmente não foi possível.”

O gestor afirmou que as folhas de pagamentos com os servidores ativos das duas pastas somam R$ 700 milhões. Os salários deveriam ter caído na conta dos profissionais na quinta (4) e na sexta (5) da semana passada, respectivamente.

Entre os motivos apontados por Lacerda para as dificuldades estão a baixa arrecadação. “O DF, como todos os estados brasileiros, em função do baixo crescimento da economia, teve um problema de receita, de arrecadação e frustração da arrecadação. Nós estamos vivendo o que 15 estados brasileiros estão vivendo, dificuldade de pagamento”, afirmou Lacerda. “Isso é normal no final do ano, mas nós vamos acertar todas essas contas.”

A Secretaria de Educação tem aproximadamente 50 mil servidores. De acordo com o Sindicato dos Professores, atrasos no pagamento não ocorriam há pelo menos dez anos.

A professora Maria Miranda também reclamou. “Todo mundo está com as contas atrasadas, está com pagamento de comida, de água, de escola, de filho.”

Já a Secretaria de Saúde tem 35 mil servidores, que enfrentam também outras dificuldades. Eles continuam com a alimentação suspensa desde que a Sanoli, que oferece refeição para os 16 hospitais públicos e as cinco UPAs, voltou a paralisar o serviço alegando que o governo lhe deve R$ 23 milhões.

Lacerda havia afirmado que o pagamento estava “garantido”. “O depósito é feito à noite, no banco, e amanhã estarão disponíveis os salários dos servidores.”

DIFICULDADES FINANCEIRAS

O governo do Distrito Federal alega que teve uma arrecadação menor do que a esperada e que isso se refletiu no pagamento de servidores e manutenção de serviços. O Executivo afirma que vai fechar as contas e entregar o governo sem dívidas ao próximo gestor, Rodrigo Rollemberg. No primeiro discurso após a eleição, ele havia dito que o rombo era de R$ 2,1 bilhões.

Na saúde, o governo decidiu remanejar R$ 84 milhões de convênios com o governo federal – incluindo o fomento a programas de combate e prevenção a doenças como dengue e Aids, que apresentaram indicadores ruins neste ano – para pagar dívidas com fornecedores e reabastecer a rede pública da capital do país com medicamentos e materiais hospitalares. Um levantamento feito por técnicos estima que o rombo da pasta seja de R$ 150 milhões.

Por causa da falta de pagamento, a Sanoli, empresa responsável pelo fornecimento de alimentação para 1,7 mil funcionários dos 16 hospitais da rede pública e de cinco UPAs, decidiu suspender a entrega de refeições a acompanhantes e servidores.

A crise também afetou os serviços de manutenção de gramados, plantio e limpeza de canteiros ornamentais, além da poda de árvores, que foram suspensos por falta de verba. Quatro empresas – Coopercam, EBF, Tria e FCB – eram responsáveis pela atividade, com aproximadamente 500 trabalhadores. Elas também eram responsáveis por fornecer equipamentos e transporte dos funcionários.

A Novacap já havia anunciado a suspensão da segunda fase do “Asfalto Novo”, programa de recapeamento em vias urbanas do Distrito Federal. O motivo apontado também foi falta de dinheiro. A companhia afirmou na ocasião que ainda restavam 2 mil quilômetros de pistas a receberem obras.

Na educação, creches conveniadas com o governo completaram oito dias com as atividades paralisadas. De acordo com o conselho que as representa, 22 unidades estão de portas fechadas por falta de dinheiro. As instituições afirmam que não recebem os repasses do DF há três meses e que estão arcando com os custos para manter as creches em funcionamento com recursos próprios.

O governo diz que que o atraso ocorre por motivos pontuais e que está “adequando o fluxo de caixa para arcar com os compromissos assumidos”. A previsão era de que o pagamento fosse feito até sexta, o que não ocorreu. Não há informações sobre o número de crianças afetadas.

O problema também afetou o transporte público. Motoristas e cobradores de quatro das cinco empresas de ônibus cruzaram os braços entre sexta e segunda por não receberem o 13º salário e outros benefícios. O DFTrans repassou R$ 35 milhões para as viações, para garantir a retomada dos serviços. No período, 700 mil pessoas foram prejudicadas.

Linhas serão ajustadas e coletivos terão novidades importantes depois de concluída a renovação, que atingiu a marca de 2.151 veículos, do total de 2.580

Por Beatriz Ferrari – A frota de ônibus do Distrito Federal entrou em sua fase final de renovação total. Mais 65 novos veículos foram entregues em Samambaia e Recanto das Emas, nesta sexta-feira (21), chegando à marca de 2.151 coletivos, de um total de 2.580.

“Numa segunda fase, quando concluirmos toda a renovação, vamos ajustar as linhas e fazer controle rigoroso do horário. A renovação é só um passo preliminar, mas indispensável. Depois teremos novidades importantes, como colocar internet no ônibus”, disse o governador Agnelo Queiroz, que participou da entrega dos novos coletivos.

Os novos ônibus, da empresa Urbi, começam a circular neste domingo (23). Samambaia receberá 17 coletivos articulados e 27 micro-ônibus. No Recanto das Emas, serão 21 veículos convencionais. Ao todo, a empresa disponibilizará 483 ônibus para rodar no Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas e Riacho Fundo I e II.

A próxima cidade a renovar a frota será o Gama. Já receberam veículos novos: Brazlândia, Candangolândia, Cidade Estrutural, Cruzeiro, Fercal, Guará, Itapoã, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Plano Piloto, Riacho Fundo I e II, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho I e II e Varjão.

Os novos ônibus emitem 180 vezes menos partículas poluentes do que os atuais; têm monitoramento via GPS; aviso sonoro ao motorista sobre ocorrências, como porta aberta e velocidade acima do permitido; monitores de TV, ar condicionado e câmbio automático; aviso luminoso traseiro da velocidade do veículo; piso baixo ou piso normal equipado com elevador ou plataforma de embarque e desembarque para pessoas com deficiência; piso interno antiderrapante; portas mais largas; bancos e encostos de cabeça estofados; e lixeira.

MOTORISTAS – Agnelo afirmou que o GDF assumiu o compromisso de absorver todos os motoristas que trabalhavam nas empresas de transporte público que atuavam anteriormente no DF. “Faltam 700 motoristas para garantir o processo com grande êxito. Estamos conseguindo manter o emprego de 12 mil trabalhadores”, completou.

Questionado sobre as manifestações no Entorno em razão do transporte público da região, o governador afirmou que se colocou à disposição da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e do governo de Goiás para ajudar no que for possível. “Estamos à disposição, dentro do nosso limite, para atender, tanto tecnicamente como com recursos humanos”, disse. (Agência Brasília)

A alteração do local da plataforma que recebe os passageiros do Entorno na Rodoviária do Plano Piloto, bem como outras questões relacionadas com o transporte entre as cidades do Entorno e o Distrito Federal, foram destacadas na sessão ordinária da Câmara Legislativa desta quarta-feira (12).

Chico Vigilante (PT) foi o primeiro a falar sobre o assunto. Ele informou que o GDF está adequando o espaço do Touring Club do Brasil para que possa receber os ônibus que chegam a Brasília provenientes do Entorno. O parlamentar fez várias críticas à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) – que, segundo ele, não fiscaliza o cumprimento dos horários de chegadas e partidas, bem como a permanência, em operação, de carros velhos e sem condições de uso.

Celina Leão (PDT) defendeu que o GDF coloque sua estrutura de fiscalização à disposição, também, do transporte do Entorno e lembrou que está em tramitação, na Câmara Legislativa, projeto de lei de sua autoria que trata do assunto.

O presidente da CLDF, deputado Wasny de Roure (PT), considerou que a Casa deve debater o assunto com mais profundidade e sugeriu que Celina assuma a realização de um seminário ou audiência pública com essa finalidade.

Táxis – Chico Vigilante informou que participará de reunião amanhã, às 10h, com a Infraero e outros órgãos, para discutir a criação de um ponto de apoio “moderno e com toda a infraestrutura necessária” para os táxis que operam no aeroporto. Os taxistas do local foram removidos pela Justiça do espaço onde antes aguardavam os passageiros.

Asfalto – O deputado Agaciel Maia (PTC) pediu ao GDF que mantenha a operação “tapa-buraco” enquanto executa o projeto “Asfalto Novo”. Ele destacou que o projeto ainda está em sua primeira etapa, atingindo apenas as vias principais. Conforme informou, os buracos se proliferam em cidades como Gama e São Sebastião, visitadas nesta manhã pelo parlamentar. (Zínia Araripe – Coordenadoria de Comunicação Social)

Foto: Dênio Simões / GDF

Foto: Dênio Simões / GDF

A rodovia, que será duplicada, facilitará o escoamento da produção do Centro Oeste

Por Fábio Magalhães – Foi assinado nesta terça-feira (12), no Palácio do Planalto, o contrato de concessão de um trecho de 936 km da BR-040. A rodovia, uma das principais do Centro-Oeste brasileiro, liga o Distrito Federal a Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, e será administrada, durante 30 anos, por uma empresa privada.

O acordo, formalizado pela presidente Dilma Rousseff, na presença do governador Agnelo Queiroz, determina que a empresa Investimentos e Participações em Infraestrutura (Invepar), vencedora de concorrência pública, duplique 557 km de Luziânia (GO) a Paraoapeba (MG); do entroncamento com a BR-365 (trevo Ouro Preto) até Barbacena MG), e de Oliveira Fortes (MG) até Juiz de Fora (MG).

“A duplicação significa maior segurança, mais rapidez e, portanto, menor custo no transporte, sobretudo nas regiões de fronteira de produção, como é o caso de todo o Centro Oeste brasileiro. Fico muito feliz de dar, aqui, início a uma duplicação que desde o início do Programa de Aceleração do Crescimento, em 2007, nós procuramos efetivar”, destacou a presidente Dilma Rousseff.

De acordo com o Ministério dos Transportes, a concessão da BR-040 terá, em todo o período de exploração, R$ 7,92 bilhões em investimentos por parte da Invepar, que venceu a concorrência oferecendo uma tarifa de R$ 3,22, que equivale a uma economia de 61,13% em relação aos R$ 8,29 estabelecidos como tarifa pelo edital.

OUTRAS RODOVIAS – Além da BR-040, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) assinou a concessão de outras duas rodovias: a BR-163, no Mato Grosso do Sul, que será explorada pelo Grupo CCR, por 30 anos, e terá investimentos de R$ 5,69 bilhões; e a BR 163, no Mato Grosso, que será gerida por igual período pela Odebrecht e terá investimento de R$ 4,6 bilhões.

“Hoje nós damos mais um passo importante no programa de concessão rodoviárias, onde o primeiro objetivo é fazer com que o País tenha uma infraestrutura, logística moderna e compatível com as suas necessidades econômicas e de desenvolvimento” frisou o Ministro dos Transportes, César Borges. (Agência Brasília)

Coletivos operarão 19 linhas para atender, diariamente, quase 12 mil pessoas. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

Coletivos operarão 19 linhas para atender, diariamente, quase 12 mil pessoas. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

A frota de ônibus que atende a região administrativa de Brazlândia foi completamente renovada, nesta sexta-feira (29), com a entrega de 45 novos coletivos que operarão em 19 linhas e atenderão, diariamente, cerca de 12 mil pessoas. Os veículos serão rastreados por um GPS e começarão a fazer o transporte de passageiros no próximo domingo (1).

“Bazlandia sofreu por muitos anos com a precariedade da frota. Tínhamos ônibus com 12, 14 anos, e isso causava um sofrimento grande para a nossa população. Agora, temos ônibus novos, estofados, preparados com acessibilidade, e posso dizer, seguramente, que estamos entrando numa nova era do transporte público do Distrito Federal”, frisou o governador Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli.

Com essa entrega, o DF passa a contar com 585 novos ônibus em circulação nas mais diversas regiões administrativas. Todos esses veículos possibilitam a integração e proporcionam à população maior comodidade e economia com gastos de passagens, já que é possível fazer mais de uma viagem no mesmo sentido, em até 2h, e pagar apenas uma tarifa.

Moradora de Brazlandia há 42 anos, a dona de casa Neoclecia Maria Marques, 60 anos, compareceu à solenidade de entrega dos ônibus no terminal rodoviário da cidade. Pioneira, ela afirma nunca ter visto investimentos como esse na região.

“Esses ônibus são maravilhosos e vão ajudar muito a nossa comunidade. É uma melhoria sem igual, coisa que nunca aconteceu em Brazlândia, e só temos que parabenizar o governo pela iniciativa”, destacou Neoclecia.

MELHORIA - Os veículos que circularão em Brazlandia pertencem à empresa São José e entram no sistema de transporte público para substituir os ônibus da Viplan e da Viação Pioneira. Inicialmente, segundo o DFTrans, não haverá mudança nos itinerários.

Além da substituição dos veículos, os passageiros terão mais segurança ao serem transportados, uma vez que entrou em atividade um Centro de Supervisão Operacional (CSO) instalado no DFTrans, em caráter experimental, onde estão instalados monitores de TV que permitirão à autarquia supervisionar todo o transporte público do DF. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

Linhas que serão operadas pela São José, a partir deste domingo (1º):

Linhas Pioneira

0.411 Brazlândia/W3 Norte (Alexandre Gusmão – Estrutural);

411.1 Brazlândia/W3 Norte (Alexandre Gusmão – EPTG – EPIA);

411.2 Brazlândia/W3 Norte (A. Gusmão – INCRA 8 – DF 240 – Estrutural);

0.412 W3 Norte/Brazlândia (EPTG-Alexandre Gusmão);

0.413 Brazlândia/W3 Sul (EPTG – SIG);

413.1 Brazlândia/W3 Sul (EPTG – Qd. 716 sul);

413.2 Brazlândia/W3 Sul (DF 240 – INCRA 08 – EPTG);

413.4 Brazlândia/W3 Sul – Norte (DF 240 – EPCL)

0.421 Brazlândia (Expansão)/W3 Norte (DF-430)

0.423 Brazlândia (expansão)/W3 Sul (DF 430-EPCL);

Linhas Viplan

0.401 Brazlândia/Taguatinga Sul (DF-240)

0.402 Brazlândia(Expansão)/ Ceilândia/Coml. Norte/Tag. Centro (DF-180 Hélio Prates)

0.407 Brazlândia (INCRA 8)/Guará I-II (EPCL)

401.1 Brazlândia/Taguatinga Sul (DF-240-FICB)

401.6 Taguatinga Sul (Católica)/Brazlândia (DF-240)

402.1 Brazlândia (Exp.-HRB-DF180)/Ceilândia(Estádio)/Tag. Centro (Com. Norte)

402.5 Brazlândia(Expansão)/Ceilândia/Comercial Norte-Sul (Católica)

402.7 Circular Brazlândia ( INCRA 07) /Ceilândia (Via Leste) /Taguatinga Sul (Católica)

A Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara Legislativa aprovou na reunião ordinária desta terça-feira (12) três projetos de lei. Os distritais Rôney Nemer (PMDB), Arlete Sampaio (PT) e Dr. Michel (PP) votaram, por unanimidade, duas proposições do Executivo que abrem créditos suplementares ao orçamento deste ano para obras e serviços do governo, totalizando cerca de R$ 56 milhões. O PL nº 1694/2013 modificou a aplicação de R$ 53,8 milhões e o PL nº 1680/2013 alterou a destinação de R$ 2,25 milhões.

De iniciativa do deputado Dr. Michel (PP), a Comissão aprovou o Projeto de Lei nº 821/2012 que dispõe sobre a restrição de veiculação de propaganda em ônibus integrante do sistema de transporte coletivo do DF. O relator da matéria foi o deputado Rôney Nemer. O projeto segue agora para discussão e votação em plenário. (Zildenor Ferreira Dourado – Coordenadoria de Comunicação Social)

onibus

Cidades receberão 40 veículos, distribuídos em 14 linhas; GDF já entregou 540 coletivos

Mais 40 ônibus zero quilômetro da Viação Piracicabana começam a circular amanhã (9), em 14 linhas que atendem o Varjão e o Plano Piloto. Com essa entrega, chegam a 540 os veículos da nova frota do Distrito Federal, que deve ser completamente renovada até o final deste ano.

Nesse primeiro momento, haverá somente a substituição de veículos nessas 14 linhas, que, anteriormente, eram operadas pelas empresas Pioneira e Planeta. “Não haverá, por enquanto, alteração de horário ou itinerário. As mudanças ocorrerão somente quando os coletivos novos chegarem a todas as bacias”, adiantou o diretor-geral do DFTrans, Marco Antonio Campanella.

A Piracicabana, que serve as regiões da Bacia 1, já havia disponibilizado 87 coletivos em Planaltina. A empresa colocará mais 330 ônibus em circulação para atender também os moradores de Sobradinho 1 e 2, Cruzeiro, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal .

Nos novos coletivos, os passageiros podem realizar – em um período de até duas horas no mesmo sentido – três viagens (com dois transbordos), pagando uma única passagem. Os veículos fazem integração com os ônibus da TCB, com os novos carros das demais bacias, além do Metrô.

Os carros da Piracicabana têm a cor vermelha e são equipados com bancos estofados, motores menos poluentes, visores eletrônicos de itinerários, vidros fumê (para diminuir a incidência de luz solar), entre outros itens de segurança e conforto.

Os veículos também têm rampas e elevadores para facilitar o acesso de usuários cadeirantes ou com dificuldades de locomoção, que disporão de lugares especiais em assentos e espaços adaptados às suas necessidades.

RENOVAÇÃO – A previsão é de que, até dezembro, outras duas empresas passem a operar no Distrito Federal: HP-ITA e Marechal, nas bacias 3 e 4, respectivamente. As bacias 2 (Pioneira) e 5 (São José) também começaram a receber os primeiros veículos novos.

“Com a integração total do sistema, faremos os ajustes necessários para oferecer aos usuários um transporte de qualidade, com conforto, segurança e confiabilidade”, assegurou o diretor técnico do DFTrans, Lúcio Lima.

As regiões do Paranoá, Itapoã e Cidade Estrutural já contam com a frota totalmente renovada – são 163 carros nas três cidades, além de mais 90 em São Sebastião e 66 que interligam as regiões de Ceilândia, Recanto das Emas, Riacho Fundo II, Taguatinga e Vicente Pires.

Relação das Linhas:

 

136.6 VARJÃO / W3 NORTE – SUL (ESTAÇÃO ASA SUL)
136.7 VARJÃO / L2 NORTE – SUL
136.8 VARJÃO / LAGO NORTE
136.9 VARJÃO /  EIXO NORTE – SUL (ROD. PLANO PILOTO)

 

0.107 ROD. PLANO PILOTO / W3 – L2 SUL (ESPLANADA)
107.1 ROD. PLANO PILOTO / W3 – L2 SUL
0.114 ROD. PLANO PILOTO /  L2 -W3 SUL
0.136 ROD. PLANO PILOTO / CLUBE DO CONGRESSO
136.0 ROD. PLANO PILOTO / CLUBE DO CONGRESSO (REDE SARAH)
136.1 ROD. PLANO PILOTO / LAGO NORTE (L2 NORTE)
136.2 LAGO NORTE / 716 SUL (W3 SUL)
136.3 EXPRESSO LAGO NORTE
136.4 CLUBE DO CONGRESSO/ ROD. PLANO PILOTO (L2 NORTE – UNB)
136.5 ROD. PLANO PILOTO / L2 NORTE / CLUBE DO CONGRESSO (REDE SARAH)

Duas regiões administrativas recebem 181 coletivos que entrarão em operação hoje (20) e segunda-feira (21). Foto:Dênio Simões/GDF

Duas regiões administrativas recebem 181 coletivos que entrarão em operação hoje (20) e segunda-feira (21). Foto:Dênio Simões/GDF

O Distrito Federal atingiu a marca de renovação de 500 ônibus do transporte público, com a entrega de 87 veículos em Planaltina, que operarão em 25 linhas a partir de hoje (20) nas regiões do Vale do Amanhecer e Arapoanga.

Este quantitativo, aproximadamente 20% da frota do DF, é composto também por 94 coletivos que serão entregues ainda hoje em Santa Maria.

“Todos sabem como foi difícil enfrentar essa luta para colocar novos ônibus e tirar de circulação esses que quebram frequentemente e fazem a nossa população sofrer e ser humilhada. Hoje estamos interrompendo, definitivamente, a operação da antiga empresa, e queremos, até dezembro, substituir o último ônibus velho que estiver rodando no DF”, frisou o governador Agnelo Queiroz.

Os novos veículos disponibilizados hoje à população de Planaltina fazem parte da Bacia 1, operada pela Viação Piracicabana, empresa que atuará para substituir a frota do Grupo Amaral.

Os ônibus que passarão a operar nessa região administrativa são da cor vermelha e, até o final do ano conforme planejamento do GDF, deverão somar uma frota de 467 coletivos que beneficiará, além dos planaltinenses, os moradores de Sobradinho I, Sobradinho II, Fercal, Varjão, Lago Norte, Cruzeiro, Sudoeste/Octogonal.

Com a chegada dos novos ônibus, as linhas, horários e itinerários não sofrerão alterações e os passageiros poderão utilizar a integração, serviço que permite, com o pagamento de apenas uma passagem, a realização de três viagens em até duas horas nos novos veículos, metrô e carros da TCB.

Para o vice governador do DF, Tadeu Filippelli, a entrega dos novos veículos representa “mais um passo rumo ao respeito dos cidadãos do Distrito Federal”. Ele destacou que esse procedimento é apenas umas das várias etapas para a melhoria, em definitivo, do transporte público local.

“A substituição desses 87 ônibus é o primeiro passo para as melhorias que queremos fazer no DF. Estamos começando uma verdadeira revolução, e não é possível fazer as mudanças do sistema sem a troca de ônibus”, acrescentou Filippelli.

MELHORIA – Durante a solenidade de entrega dos novos veículos, o governador anunciou o início das obras da segunda etapa do programa “Asfalto Novo”, que pavimentará 130km das principais avenidas de Planaltina.

Ao todo, serão investidos R$ 19 milhões, e as obras começam imediatamente, por determinação do chefe do Executivo local.

Conforme planejamento do GDF, uma terceira etapa do programa, a ser iniciada em 2014, contemplará as demais vias da cidade. A intenção do governo é fazer um novo asfaltamento em 50% da malha viária da capital do país até o final do próximo ano. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

Veículos começam a operar nesta segunda-feira

O governo do Distrito Federal entregou no sábado em Santa Maria 94 ônibus novos, que começam a rodar nesta segunda-feira (21). Os veículos serão operados pela Viação Pioneira, empresa que atuará na Bacia 2.

“Segunda-feira já começamos a rodar 94 ônibus novos, que têm piso antiderrapante, estofado acolchoado, sistema digital que permite controle rodoviário, ruído menor e polui 180 vezes menos que o anterior”, explicou o governador Agnelo Queiroz.

A Bacia 2 terá, até dezembro, 640 ônibus de cor amarela. A frota também atenderá usuários do Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Park Way (em parte), Jardim Botânico e Itapoã.

Os passageiros poderão realizar, em até duas horas, três viagens pagando apenas uma passagem. Os veículos fazem integração com os ônibus da empresa Transporte Coletivo de Brasília (TCB), metrô e novos carros das demais bacias.

“Atualmente há aqui 214 ônibus, mas não estão todos rodando, porque todo dia de manhã na saída da garagem cinco, dez, quinze carros quebram, sem exagero. As pessoas rodam sem segurança, os motoristas estão cansados. Mas na segunda-feira 94 ônibus novos estarão rodando. Até 4 de dezembro, todos os ônibus serão rigorosamente novos”, enfatizou o vice-governador, Tadeu Filippelli.

Com a entrega dos coletivos em Santa Maria, o GDF chega à marca de, aproximadamente, 20% da frota renovada – cerca de 500 veículos. Até dezembro, todo o DF será atendido pelos novos veículos.

Ainda no sábado, o governo entregou mais 87 veículos em Planaltina, que operarão em 25 linhas a partir de amanhã (20) nas regiões do Vale do Amanhecer e Arapoanga.

“Isso tudo com ônibus novo sem aumentar tarifa e diminuindo ainda despesa dos trabalhadores com a integração”, enfatizou Agnelo Queiroz.

Meta é que aparelhos estejam em funcionamento antes da Copa do Mundo; eles terão desde tradução remota até GPS e Wi-Fi, entre outros recursos. Foto: Brito

Meta é que aparelhos estejam em funcionamento antes da Copa do Mundo; eles terão desde tradução remota até GPS e Wi-Fi, entre outros recursos. Foto: Brito

 

Usuários de táxi no DF terão a disposição tablets nos transportes, que oferecerão desde tradução remota até GPS e Wi-Fi, devido ao projeto “Táxi Conectado”, lançado ontem no Palácio do Buriti. A meta é ter, até novembro, 200 veículos com o aparelho instalado, e um total de mil em 2014.

“O objetivo é trazer esse conceito de interatividade no táxi, tornando-o um ambiente conectado para os usuários. É uma tecnologia em prol da população, que vai valorizar a oferta do serviço”, destacou João Passos, idealizador do projeto e diretor da empresa Comtecno.

Os tablets contam com diversos outros aplicativos, como jogos, canal de notícias em tempo real, serviço de informações turísticas, e serve como um roteador. Além de navegar à vontade, o passageiro também poderá conferir as rotas no mapa e escolher o melhor caminho.

“Essa iniciativa é muito bem-vinda, principalmente para o táxi, que é um transporte que cada vez se torna mais importante para a mobilidade na cidade. Vejo esse novo modelo como algo que só tende a crescer”, elogiou o secretário de Transporte, José Walter Vazquez.

De acordo com o secretário-adjunto de Turismo, Geraldo Bentes, aproximadamente 13 mil pessoas que vêm a Brasília ficam mais de um dia na cidade, e utilizam os táxis como uma das principais formas de locomoção.

“Brasília, como a capital do país, precisa sempre estar na frente, e ações como essa refletem isso. Sem dúvida os turistas terão uma impressão bem melhor com essa tecnologia, ainda mais porque o taxista é o primeiro contato deles com a cidade”, comentou Bentes.

PARCERIA – Os aparelhos chegaram a Brasília devido a parceria entre as empresas Comtecno, Táxi Mídia e Brasília Táxi Door, que instalarão os primeiros equipamentos nos veículos das rádio táxis Shalom e Alvorada.

“Somente nessas duas empresas (Shalom e Alvorada) são cerca de 15 mil passageiros levados por dia. Com eles sendo beneficiados, o projeto colocará Brasília no patamar tecnológico que merece”, apontou o diretor das radio táxis, Lincoln Galvão.

Segundo o diretor do Táxi Mídia, Dennis Lima, a meta é colocar os tablets em mil veículos antes da Copa do Mundo: “Isso ajudará os taxistas na tradução, quando receberem os turistas, pois muitos não tiveram tempo para estudar outras línguas”.

“O governo fica feliz por ter empresários que pensam à frente. Essa é uma iniciativa brilhante, que traz a tecnologia que beneficia a população”, ressaltou a secretária-adjunta de Publicidade Institucional, Elaine Leão. (Leandro Cipriano, da Agência Brasília)

Se sancionada, a lei deve ser regulamentada em 30 dias. Foto: Fábio Rivas/CLDF

Se sancionada, a lei deve ser regulamentada em 30 dias. Foto: Fábio Rivas/CLDF

A Câmara Legislativa aprovou quatro projetos de lei de autoria de deputados distritais na sessão ordinária desta terça-feira (15). Os projetos tiveram sua tramitação concluída e seguem agora para sanção do governador Agnelo Queiroz. Um dos projetos aprovados, o PL nº 112/2011, do deputado Chico Leite (PT), obriga a afixação de informações sobre os itinerários dos ônibus do transporte público coletivo do Distrito Federal nos pontos de embarque e desembarque de passageiros.

Pela proposta, deverão ser disponibilizadas informações sobre as linhas que servem o local, o itinerário de cada linha, o valor da passagem e os horários de circulação. Assim que for sancionada, a nova lei tem um prazo de 30 dias para ser regulamentada pelo GDF.

Nota legal - Outra proposta aprovada, o PL nº 492/2011, também do deputado Chico Leite, garante 50% do valor da multa arrecadada aos cidadãos que denunciarem irregularidades cometidas por empresários no programa Nota Legal. De acordo com o distrital, a proposição estimula as pessoas prejudicadas pela omissão ou má fé dos comerciantes a procurarem o órgão fiscalizador e denunciarem as condutas.

Comunitárias - Também foi aprovado o projeto de lei nº 1.152/2012, do deputado Cristiano Araújo (PTB), que concede tratamento favorecido e diferenciado às mídias comunitárias nos editais para contratação de serviços publicitários. Segundo o PL, pelo menos 15% dos recursos deverão ser investidos nesses veículos.

Células-tronco - Os deputados aprovaram, ainda, o projeto de lei nº 1.196/2012, da deputada Celina Leão (PDT), que estabelece regras para a doação de sangue do cordão umbilical para a formação de um banco público de células-tronco, para tratamento de leucemia, linfoma e outras doenças. O projeto prevê que a coleta de sangue dos cordões umbilicais nos partos realizados em hospitais públicos e privados do DF seja feita pela Fundação Hemocentro de Brasíla.

Créditos - A Câmara Legislativa aprovou, também, três projetos de lei do Executivo que abrem crédito suplementar ao Orçamento do DF no valor total de R$ 115,1 milhões. Parte dos recursos, R$ 55 milhões, será destinada a gastos com publicidade do governo do DF. O restante será repassado para diversos órgãos públicos para custeio de atividades e pagamento de folha de pessoal. (Luís Cláudio Alves – Coordenadoria de Comunicação Social)

Entrega de 50 veículos hoje para o Paranoá/Itapoã completou 286 substituições na antiga frota

Mais 50 ônibus foram entregues na manhã de hoje (13) para operar 13 linhas do Paranoá/Itapoã, e, com isso, o GDF alcançou a troca de 10% da frota de veículos que opera no Distrito Federal.

“O governo continua empenhado em renovar o sistema de transporte público. Essa é a segunda entrega que estamos realizando nessas cidades, que terão agora 90 veículos novos circulando”, afirmou o governador Agnelo Queiroz.

De acordo com o DFTrans, os automóveis entregues hoje começam a operar segunda-feira (16), e a frota Itapoã/Paranoá deve ser completamente substituída nos próximos 30 dias, quando mais 21 ônibus chegarão às ruas.

“Os moradores dessas regiões administrativas também terão um grande ganho, porque os novos ônibus permitem a integração com o metrô, linhas da TCB, e outros veículos substituídos em outras regiões. Isso será possível pagando apenas uma passagem”, destacou o vice-governador Tadeu Filippelli, que acompanhou o governador em uma viagem nos novos veículos.

Para fazer a integração, é necessário adquirir o cartão emitido pelos postos de atendimento do Sistema de Bilhetagem Automática (SBA/DFTrans). O passageiro pode fazer, em um período de duas horas, até três viagens ao custo de um bilhete.

Os novos carros, operados pela Viação Pioneira, responsável pela Bacia 2, são amarelos, com vidros fumê para reduzir a incidência solar, piso tátil antiderrapante, portas com sistema antiesmagamento para evitar que pessoas sejam machucadas no embarque e desembarque, e motores que fazem menos barulho.

Outra característica dos novos ônibus é que eles emitem 180 vezes menos partículas poluentes do que os atuais. Além disso, possuem monitoramento por GPS, ligado ao Centro de Controle de Operações, que receberá imagens das câmeras de segurança instaladas futuramente nos veículos.

O governador informou que até outubro os ônibus do Grupo Amaral serão totalmente desativados. Até lá, os 80 ônibus da empresa que estão circulando, em Planaltina, serão substituídos.

O GDF já entregou 50 ônibus na Estrutural, 66 no Recanto das Emas, 80 em São Sebastião, além dos 90 no Paranoá/Itapoã. As próximas cidades a serem contempladas são Brazlândia e Planaltina. (Ailane Silva, da Agência Brasília)

Passageiros do Recanto das Emas passam a contar, a partir de sábado (13), com os novos veículos do transporte público; Estrutural recebeu 50 veículos no fim do mês passado. Foto Hmenon Oliveira

Passageiros do Recanto das Emas passam a contar, a partir de sábado (13), com os novos veículos do transporte público; Estrutural recebeu 50 veículos no fim do mês passado. Foto Hmenon Oliveira

A Expresso São José colocará mais 66 novos ônibus nas ruas este sábado (13), o que beneficiará moradores de cinco cidades do Distrito Federal.

Os novos carros rodarão em 25 linhas, que interligam as regiões de Ceilândia, Recanto das Emas, Riacho Fundo II, Taguatinga e Vicente Pires, – todas elas eram operacionalizadas pela própria empresa, que passará a participar da integração com o metrô e com os novos coletivos.

“É muito importante perceber que essa nova incorporação de veículos comprova nosso compromisso em trazer uma nova era para o transporte público do DF, e em cumprir rigorosamente o cronograma previsto”, destacou o governador Agnelo Queiroz.

Apesar de o Recanto das Emas pertencer à Bacia 3 – onde a empresa HP-ITA irá operar –, a população da cidade será beneficiada com os novos veículos, pois as linhas são “compartilhadas” em mais de uma bacia, conforme está previsto no edital que determinou as regras para a renovação da frota.

A Expresso São José ganhou a licitação para assumir a Bacia 5 – onde estão Ceilândia (ao norte da avenida Hélio Prates), Estrutural, Taguatinga (ao norte da QNG 11), Vicente Pires e SIA, além da Brazlândia.

Recentemente, a empresa colocou 50 novos carros na Cidade Estrutural, que substituíram os veículos da Viplan e Planeta, que operavam em 12 linhas.

CONFORTO Os veículos da São José circulam na cor dourada, semelhante à tonalidade que o grupo usa hoje, e são equipados com bancos estofados, motores menos poluentes, câmeras de segurança e telas planas.

Os carros também possuem rampas e elevadores para facilitar o acesso de pessoas em cadeiras de rodas ou com dificuldades de locomoção, que terão lugares especiais em assentos e espaços adaptados às suas necessidades.

“Sempre foi nossa preocupação irmos além nessa licitação, tanto que para isso exigimos que os ônibus da nova frota trouxessem inovações à altura do povo do DF”, ressaltou o vice-governador Tadeu Filippelli.

Outras inovações são sistema de som, GPS, além de computador de bordo que auxilia o condutor a dirigir de forma mais segura e confortável para os passageiros.

RENOVAÇÃO – A Expresso São José, que é a primeira das empresas a entregar os veículos para renovação da frota, colocará nas ruas 576 ônibus.

Ainda este mês chegarão às ruas os ônibus da bacia 2, de cor amarela, da Viação Pioneira, que colocará 640 novos veículos em circulação no Gama, Santa Maria, Itapoã, Paranoá, Jardim Botânico, Lago Sul, Candangolândia, Park Way e São Sebastião.

Até outubro, outras duas empresas passarão a operar: HP-ITA e Marechal, nas bacias 3 e 4, respectivamente.

A Piracicabana (que vai atuar na Bacia 1) colocará, até dezembro, os novos ônibus em circulação, o que representará uma renovação quase total da frota.

Veja as linhas que ganharão novos ônibus neste sábado (13):

0.038 Riacho Fundo I/Taguacenter

0.381 Riacho Fundo I/Taguacenter

0.812 P Sul/P Norte

812.1 P Norte (Via Leste)

812.2 Riacho Fundo II/P Norte (Via Leste)

0.805 Recanto das Emas / Taguacenter (Buritinga – Feira dos Goianos)

805.1 Recanto das Emas / Taguacenter ( Pistão Sul-Comercial)

805.2 Circular Recanto das Emas / Taguatinga Centro

805.3 Recanto das Emas / Taguacenter (Comercial / SAMDU Sul – Norte)

805.4 Circular Recanto das Emas / Taguacenter (Pistão Sul)

805.8 Recanto das Emas / Taguatinga Centro (Via Boca das Mata)

805.9 Taguacenter/Boca da Mata

0.872 Recanto das Emas (Q 800) – Riacho Fundo II / Taguacenter (Feira dos Goianos)

872.1 Riacho Fundo II (QS 18) / Taguacenter (Feira dos Goianos)

872.2 Recanto das Emas (Q 800) – Riacho Fundo II (QS 18)/ Taguatinga Centro

872.3 Recanto das Emas (Q 800) – Riacho Fundo II / Taguacenter

872.4 Riacho Fundo II (QS 18) / Taguatinga (Pistão Sul)

872.5 Taguacenter/300/500

872.8 Recanto das Emas (QD. 800) / Taguatinga Centro (Via Boca da Mata)

872.9 Recanto das Emas (QD. 800) / Taguacenter (Via Boca da Mata)

0.953 Vicente Pires/ W3 Sul-Norte

0.962 Vicente Pires/SIG (Rodoviária – Esplanada – EPTG)

0.946 Recanto das Emas (Riacho Fundo II)/P Norte (Via Leste-QNR 05)

953.2 Rodoviária do Plano Piloto/Vicente Pires

0.960 Recanto das Emas/Vicente Pires (Pistão Norte-Sul)

Em 10 dias, coletivos novos garantiram economia e agilidade no transporte a 18 mil pessoas

Os novos ônibus na Cidade Estrutural transportaram mais de 18 mil passageiros nos primeiros 10 dias de funcionamento, e, por dia, foram feitas 800 integrações com os veículos da empresa Transporte Coletivo de Brasília (TCB) e também com o metrô.

“A entrega dos novos ônibus trouxe ao usuário a garantia de ter um serviço de qualidade. Além disso, a população começou a contar com a integração, serviço que garante economia e agilidade ao passageiro”, enfatizou hoje o diretor-geral do DFTrans, Marco Antonio Campanella.

Os 50 veículos entregues no primeiro dia de operações do novo sistema de transporte público do DF, dia 28 de julho, são acessíveis para cadeirantes, e trazem mais segurança e conforto aos usuários.

Com apenas uma passagem e em um intervalo máximo de duas horas, os passageiros fazem a viagem em um ônibus novo e depois utilizam o metrô ou um dos veículos da TCB para chegar ao destino desejado.

A Expresso São José, responsável pela primeira entrega, colocará 576 carros nas ruas até outubro e irá operar também no Setor de Indústrias e Abastecimento, Vicente Pires, Ceilândia (ao norte da Avenida Hélio Prates), Taguatinga (ao norte da QNG 11) e Brazlândia.

A diarista Alaide Santos, moradora da Estrutural, pega, diariamente, as linhas que saem do terminal da cidade para Águas Claras, Cruzeiro e Sudoeste: “Estou gostando muito. Os ônibus são muito modernos e limpos”, relatou.

Opinião compartilhada por Narla Bianca, que mora no Gama e trabalha na Estrutural: “Gostei das melhorias. Espero que venham mais benefícios para os usuários”.

Neste primeiro momento, a integração vale para novo ônibus-metrô e novo ônibus-TCB.

PARADAS- Os moradores e rodoviários da Cidade Estrutural também serão beneficiados com a recuperação do ponto de apoio de ônibus, na entrada da cidade, obra em andamento e com previsão de entrega para o próximo mês ao custo de R$146,7 mil.

O local contará com uma sala especial para os rodoviários, banheiros – inclusive para os portadores de necessidades especiais –, e terá o telhado e o piso recuperados.

O projeto prevê que todas as áreas da edificação sejam adaptadas para pessoas com deficiência, e que seja construído um estacionamento para quatro ônibus.

Linhas São José

Linha 0.158 – Cidade Estrutural – Rodoviária Plano Piloto

Linha 158.1 – Rodoviária Plano Piloto / W3 Sul/ Cidade Estrutural

Linha 158.2 Cidade Estrutural/ W3 Norte (Eixo Monumental)

Linha 158.3 Cidade Estrutural/ Eixo Sul e Norte

Linha 158.4 Cidade Estrutural/ L2 Sul-Norte (Esplanada)

Linha 158.5 – Cidade Estrutural/ Rodoviária Plano Piloto (Eixo Monumental)

Linha 158.6 – Rodoviária Plano Piloto/ Cidade Estrutural (Eixo Monumental) /EPIA/ Feira dos Importados/ SIA

Linha 158.7 Cidade Estrutural/ W3 Norte (SIA/ SIG)

Linha 158.8 Cidade Estrutural/ Park Shopping (EPIA)

Linha 0.159 Cidade Estrutural/ Setor “P” Sul (EPTG P1-P2-P3-P4)

Linha 154.5 – Vila Estrutural/ Setor “O” (EPTG)

Linha 154.7 – Estrutural/ Areal/ Águas Claras/ Cidade do Automóvel

Linhas da TCB

Linha 0.108 – Rodoviária do Plano Piloto/Três Poderes

Linha 108.3 – Rodoviária do Plano Piloto/STJ – TST (Pier 21) /CJF

Linha 108.4 – Rodoviária do Plano Piloto/Buriti/SIG

Linha 108.5 – ROD. PLANO PILOTO / SHOPPING POPULAR (RODOFERROVIARIA-ESPLANDA).

Linha 108.6 – ROD. PLANO PILOTO / SHOPPING POPULAR (RODOFERROVIARIA).

Linha 108.7 – Rodoviária do Plano Piloto/QGEx/SMU

Linha 108.8 – Rod. Plano Piloto/Rodoviária Interestadual (Via W3 Sul).

onibus

Viação Piracicabana se comprometeu a colocar até dezembro mais de 400 ônibus que atenderão a bacia 1 pelos próximos 10 anos

A Viação Piracicabana assumiu o transporte de passageiros em nove cidades do DF, entre elas Brasília, após assinar nesta terça-feira o último dos contratos da licitação que selecionou as empresas que prestarão serviços do gênero na região pelos próximos 10 anos.

“Com a licitação encerrada, entramos agora numa nova fase de entrega. Toda a frota estará renovada até o fim deste ano e, enfim, depois de mais de 50 anos, nosso povo terá direito a um transporte digno”, destacou o governador Agnelo Queiroz.

O documento firmado entre a Piracicabana e a Secretaria de Transportes permitirá que a companhia explore a bacia 1, área que, além do Plano Piloto, inclui Sobradinho, Sobradinho II, Planaltina, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Cruzeiro, Varjão e Fercal.

A companhia se comprometeu em disponibilizar 417 veículos 0Km, que entrarão em circulação, no mais tardar, até dezembro de 2013.

Os contratos para a operação nas outras quatro bacias foram assinados em dezembro de 2012 e abril de 2013.

Os primeiros ônibus novos deverão chegar no início de julho e são das empresas São José e Pioneira, vencedoras das bacias 5 e 2, respectivamente.

As bacias 3 e 4 tiveram contratos assinados em abril, e os veículos assumirão suas linhas em outubro. O Consórcio HP-ITA atuará na bacia 3 e a Auto Viação Marechal na 4.

Para o vice-governador Tadeu Filippelli, que supervisionou o processo licitatório, essa seleção é uma conquista de toda a comunidade brasiliense, “que merece ser tratada com respeito e dignidade por seus governantes, e é o que estamos fazendo”, enfatizou.

Por sua vez, o chefe do Legislativo brasiliense destacou a determinação do Palácio do Buriti em levar a licitação adiante de forma determinada e transparente, além de ter sido acompanhada o tempo todo pela atuação firme da Justiça.

Relação das bacias, por ordem de assinatura dos contratos:

BACIA 2

Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Park Way (parte), Jardim Botânico e Itapoã.

Frota: 640

BACIA 5

Taguatinga (parte), Brazlândia, Ceilândia, SIA, SCIA e Vicente Pires.

Frota: 576

BACIA 3

Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II.

Frota: 483

BACIA 4

Taguatinga (parte), Ceilândia, Guará, Águas Claras e Park Way (parte).

Frota: 464

BACIA 1

Brasília, Sobradinho, Planaltina, Cruzeiro, Sobradinho II, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal.

Frota: 417

Repasse da Caixa Econômica Federal será investido nas obras que ligarão Gama e Santa Maria ao Plano Piloto

As obras do Expresso DF – Eixo Sul sistema de transporte coletivo de passageiros que ligará Gama e Santa Maria ao Plano Piloto – receberam reforço de R$ 28 milhões da Caixa Econômica Federal.

“Fizemos a gestão junto à Caixa e ao governo federal para cumprir as exigências feitas para liberação do financiamento. Enquanto isso, asseguramos o andamento das obras com recursos do GDF”, destacou hoje o secretário-chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, coordenador do Programa de Aceleração do Crescimento no DF.

Os recursos para a conclusão do empreendimento que beneficiará 200 mil brasilienses são provenientes do PAC e essa foi a primeira parcela liberada.

As obras foram iniciadas em dezembro de 2011 e até abril de 2013 o governo local investiu R$ 160 milhões no transporte, cujo investimento total chegará a R$ 785 milhões.

O corredor exclusivo de ônibus reduzirá o tempo de viagem em 50 minutos e haverá terminais em Santa Maria e no Gama, 15 estações, 15 passarelas, além de anexos de terminais nas rodoviárias do Plano Piloto e do Gama.

Empresas interessadas em concorrer às bacias 3, 4 e 1 terão prazo de 30 dias para apresentar a documentação exigida no edital, já disponível no site da Secretaria de Transporte. Foto: Brito

 

O edital de licitação do Novo Sistema de Transporte Público Coletivo (STPC) foi reaberto e está disponível no site da Secretaria de Transporte desde 14h de hoje. O objetivo é garantir a concorrência pelas bacias 3, 4 e 1, já que não houve empresas habilitadas para assumir a operação dos lotes. A abertura das propostas está prevista para 4 de fevereiro, às 10h, no auditório do Departamento de Estradas de Rodagem do DF.

O edital também poderá ser retirado no 5º andar do Anexo do Palácio do Buriti, sala 1501. Os candidatos têm prazo de 30 dias para apresentar toda a documentação exigida. Em seguida, a Comissão de Licitação avaliará as propostas. “Os novos ônibus deverão atender vários critérios e exigências, principalmente no que se refere à segurança, acessibilidade e conforto. No edital está claro que a nova frota terá de ser acessível para as pessoas com deficiência ou problema de mobilidade”, destacou o governador Agnelo Queiroz.

Os contratos das bacias 2 e 5 foram assinados na sexta-feira (30), com a Viação Pioneira e a Expresso São José, respectivamente. A partir daí, os ônibus têm até seis meses para começar a circular. As duas empresas foram as únicas habilitadas na fase de apresentação de documentos e propostas financeiras. “Fechamos o ano de 2012 assinando os dois primeiros contratos de duas bacias, que representam 40% de todo o transporte público do DF”, afirmou o governador em exercício, Tadeu Filippelli.

Bacias contratadas – A Viação Pioneira foi a escolhida para operar a Bacia 2, que atenderá, com 640 ônibus, as regiões do Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Jardim Botânico, Itapoã e parte do Park Way. A Expresso São José também já foi habilitada pela licitação. Ela venceu a concorrência pela Bacia 5 e terá que disponibilizar uma frota de 576 veículos para as regiões de Brazlândia, Ceilândia, SIA, SCIA, Vicente Pires e parte de Taguatinga.

A abertura dos próximos envelopes seguirá a seguinte ordem:

BACIA 3: Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II – Frota: 483

BACIA 4: Taguatinga (parte), Ceilândia, Guará, Águas Claras e Park Way (parte) – Frota: 464

BACIA 1: Brasília, Sobradinho, Planaltina, Cruzeiro, Sobradinho II, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal – Frota: 417

Os investimentos desta gestão para renovar o Sistema de Transporte Público do Distrito Federal foi o tema principal do programa de rádio Conversa com o Governador desta semana. Confira a íntegra do programa aqui.

Saiba mais:

Concorrência: edital de licitação do Novo Sistema de Transporte Público Coletivo (STPC)

Objetos: bacias 3, 4 e 1

Disponível a partir das 14h em: site www.st.df.gov.br e 5º andar do Anexo do Palácio do Buriti, sala 1501.

Podem participar: empresas ou consórcios sem débitos com a Receita Federal; com certidões e documentos em dia; atestado técnico homologado; e em conformidade com as exigências do processo licitatório.

Prazo para envio das propostas: 30 dias.

Previsão para abertura dos envelopes: 4 de fevereiro, às 10h, no auditório do Departamento de Estradas de Rodagem do DF.

 

Foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda (17), a Decisão 6513/2012, que mantém suspensa a Licitação Pública Internacional (LPI) Nº 03/11 para a construção de Terminais de Ônibus Urbanos no DF.

Na decisão anterior (Nº 6059/2012), o Tribunal de Contas do DF havia determinado à Secretaria de Estado de Transportes que, entre outras coisas, atualizasse as planilhas estimativas de preços e excluísse a duplicidade de impostos nas composições apresentadas.

O TCDF também tinha determinado que a ST/DF só aprovasse o início das obras de construção, depois de:

· * complementar os projetos básicos com os elementos técnicos referentes às sondagens, aos levantamentos topográficos, aos projetos de terraplanagem e de fundações;

* especificar a adoção pavimento rígido de concreto com bloqueios de proteção aos meios fios para as baias de estocagem de ônibus;

· * estabelecer salvaguardas ao impacto da drenagem pluvial deficiente para as áreas dos Terminais Rodoviários que já sofrem aporte indevido de águas, de lama e de outros detritos quando da ocorrência de chuvas;

· * compatibilizar os projetos do sistema de esgoto e de drenagem pluvial com as redes coletoras da região, prevenindo os entupimentos e a descarga de esgoto ou águas pluviais nas vias;

· * revisar os projetos de acessibilidade e de sinalização destinados aos portadores de necessidades especiais visuais ou físicas, adequando-os às normas vigentes;

· * e condicionar os projetos de drenagem e de impermeabilização da cobertura às exigências do regime de chuvas local.

Mas, em vez de cumprir as determinações, a Secretaria de Transporte do Distrito Federal decidiu recorrer da decisão. Por isso, o TCDF manterá a licitação suspensa até analisar o mérito do recurso.

Reportagem defende a concorrência pública aberta pelo governador Agnelo Queiroz para renovar as frotas do transporte público no Distrito Federal, processo que enfrenta a resistência de empresários como Wagner Canhedo Filho

 

Nas próximas semanas serão conhecidos os vencedores de uma licitação capaz de pôr fim a um esquema que há mais de meio século se apropriou do transporte coletivo de Brasília. O objetivo é renovar toda a frota de ônibus da capital e elaborar contratos que obriguem as empresas a se submeter ao controle do governo. Trata-se, segundo promotores do Ministério Público do Distrito Federal, dos lances finais de uma “guerra contra mafiosos”, que, “em conluio com alguns governantes”, simplesmente ignoram o Estado, não se submetem a nenhum tipo de fiscalização e oferecem aos 2,5 milhões de habitantes da capital brasileira um transporte de péssima qualidade. A frota de quase quatro mil ônibus de Brasília está completamente sucateada.

Os veículos, muitos deles clandestinos, têm mais de dez anos de uso, boa parte não possui os mínimos equipamentos de segurança, quebram com frequência diária, usam placas frias e não raramente sequer seguem as rotas preestabelecidas. “É inaceitável que em 50 anos não tenhamos conseguido fazer uma única concorrência para o transporte coletivo de Brasília”, afirma o governador Agnelo Queiroz. “Desde o final dos anos 1990 brigamos para que os contratos com essas empresas deixem de ser simplesmente prorrogados, atendendo exclusivamente aos interesses de empresários que não têm o menor comprometimento com a qualidade dos serviços e preocupam-se apenas em transferir os recursos públicos para seus interesses privados”, disse à ISTOÉ na última semana um dos promotores que acompanham a licitação em curso desde o início de março.

Um dos líderes do grupo que resiste à concorrência pública para o serviço de transporte é o empresário Wagner Canhedo Filho, dono de 850 ônibus – quase um terço da frota da capital –, representante de uma das famílias que exploram os ônibus de Brasília desde a sua fundação.

Era ele também um dos principais envolvidos na chamada Operação Dakkar, da Polícia Civil, que encontrou cerca de mil ônibus irregulares na cidade e desmantelou uma quadrilha responsável por desviar recursos do passe escolar e do idoso por intermédio da empresa Fácil Brasília Transporte Integrado. “A empresa, comandada pelos mesmos empresários que exploram o transporte, é que dizia o valor que deveria ser repassado pelo governo. E não havia nenhum controle sobre o número de passageiros transportados”, afirma o governador Queiroz. O negócio é milionário.

As investigações constataram que em 2009 a Fácil recebeu R$ 10,2 milhões do governo. Em 2010, apenas até 18 de maio, os pagamentos chegaram a R$ 32 milhões. “Hoje, com o fechamento da empresa e uma fiscalização eficiente gastamos menos de 10% do que nos cobravam para atender a uma demanda crescente”, diz o governador.

A guerra contra a máfia dos transportes em Brasília se trava oficialmente no campo jurídico. Desde março, foram oito ações movidas pelos empresários do setor visando a barrar ou retardar a concorrência.

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal, no entanto, vem conseguindo uma sucessão de vitórias e no momento o GDF avalia os recursos impetrados pelas empresas inicialmente desclassificadas, entre elas a Viplan, da família Canhedo. O problema é que, fora do campo jurídico, o jogo é pesado.

De acordo com relatos obtidos por promotores e mantidos sob sigilo, empresários de Brasília, depois de esgotarem os recursos jurídicos visando a impedir a licitação, chegaram a ameaçar empresas de outros Estados, caso entrassem na disputa. “Disseram que também iriam disputar apresentando valores irrisórios nas licitações de cidades onde essas outras empresas têm a concessão”, disse um promotor.

Segundo ele, é possível que muitos interessados em entrar no mercado de Brasília tenham desistido da concorrência. E mesmo no campo oficial os métodos utilizados pelos grupos que há 50 anos dominam o setor em Brasília nem sempre atentam às regras do jogo.

Para tentar se manter à frente de um negócio que deverá movimentar cerca de R$ 16 bilhões, o empresário Wagner Canhedo, conforme investigações feitas por membros que acompanham a licitação, entrou na disputa com a Viplan e outras duas empresas que seriam “testa de ferro”: A Santos e Pradela Negócios e Transporte Ltda. e a Planalto Rio Preto Transporte Coletivo Ltda. A Planalto Rio Preto conseguiu entrar na disputa apresentando capacitação técnica que lhe foi repassada por outras duas empresas de Canhedo.

Em março, quando o governo lançou um contrato emergencial, para cobrir linhas de uma empresa que não tinha mais condições de operar, a Rio Preto se inscreveu apresentando 80 ônibus registrados em nome da Viplan. Os sócios da Rio Preto e da Santos e Pradela são parentes próximos e ambas as empresas funcionam em um mesmo endereço, no Setor de Transportes de Cargas, trecho 1, conjunto B, lote 8. A Rio Preto no segundo andar e a Santos e Pradela no primeiro. No mesmo endereço também está sediada a Transportadora Wadel Ltda., que pertence ao grupo Canhedo. Todas essas coincidências têm sido alvo de investigações. “Tudo é rigorosamente checado e só irão adiante as empresas que seguirem todos os critérios legais”, afirma José Walter Vazquez, secretário de Transportes do DF.

Tanto o MP do DF como as autoridades do Palácio do Buriti apostam que a licitação é o único meio para alterar uma situação que já tem repercussão internacional. Um estudo recente divulgado pela Economist Intelligence Unit a respeito das 17 maiores cidades latino-americanas faz um importante diagnóstico sobre Brasília.

A capital brasileira com suas largas e extensas avenidas é apontada como uma das mais eficientes em infraestrutura viária. Por outro lado, conclui a pesquisa, é a pior entre todas as cidades avaliadas no que diz respeito à qualidade do transporte público oferecido a seus habitantes. Para uma cidade que há 50 anos não consegue fazer uma licitação pública para a concessão dos serviços de ônibus, o resultado do estudo não traduz nenhuma surpresa.

Nos próximos três meses, especialistas da Universidade de Brasília e população poderão avaliar a eficiência do veículo

Foto Roberto Barroso

A viagem do governador Agnelo Queiroz à China, em julho deste ano, já mostra resultados concretos. Nesta quinta-feira, foi apresentado o ônibus elétrico, veículo de última geração que utiliza energia limpa e reduz a poluição sonora. Ele circulará na cidade para testes durante três meses, prorrogáveis pelo mesmo período, com o objetivo de avaliar a viabilidade de sua utilização no transporte público do Distrito Federal.

Participaram da viagem inaugural do ônibus o governador Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, e do vice-governador, Tadeu Filippelli, além dos secretários de Estado de Transporte, José Walter Vazquez; de Ciência e Tecnologia, Glauco Rojas; de Comunicação Social, Samanta Sallum; de Governo, Gustavo Ponce; de Publicidade, Abimael Nunes de Carvalho; e do chefe da Casa Militar, coronel Rogério Leão. Também estiveram presentes empresários chineses e brasileiros ligados ao projeto.

Fabricado na China, onde circulam cerca de 1,8 mil ônibus elétricos, o modelo testado no DF atende os padrões europeus de segurança e de qualidade. O veículo funciona com um conjunto de baterias de 538V, que proporcionam autonomia média de 150km. Cada bateria leva de uma a três horas para ser recarregada e tem vida útil de pelo menos cinco anos. O ônibus possui ar-condicionado e capacidade para transportar 60 pessoas – 28 sentadas, 31 em pé e um espaço para cadeirante.

“A partir desta experiência com o ônibus elétrico, testaremos a utilização de energia limpa no transporte coletivo”, afirmou o governador Agnelo Queiroz. “A intenção é trazer para Brasília a fábrica que produz o veículo ecológico, para melhorar todo o sistema de transporte urbano”, completou.

Compromisso – A introdução de veículos elétricos e híbridos no transporte coletivo também faz parte do acordo celebrado entre o GDF e a Federação Internacional de Futebol (FIFA) para a Copa do Mundo de 2014. A meta é que essa frota transporte torcedores e turistas do aeroporto ao Setor Hoteleiro e ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Nos próximos três meses, o ônibus também poderá ser avaliado gratuitamente pela população. As rotas e datas ainda serão agendadas pelo GDF.

Acordo formal – A Sociedade de Transporte Coletivo (TCB) assinou em 14 de outubro deste ano o primeiro acordo formal com as empresas Rui Hua e Alfa Bus, fabricantes do ônibus elétrico representadas no Brasil pela S4 Clean Energy.

A expectativa do presidente da TCB, Carlos Koch, é começar a produzir os veículos elétricos até 2014. “Estamos próximos de renovar toda a frota de Brasília. Mas o grande objetivo é desenvolver o negócio no país. Inicialmente, seria uma fábrica modular, com peças que viriam do exterior”, explicou Koch.

No prazo de cinco dias úteis, a Comissão de Licitação se manifestará sobre as contestações apresentadas pelas empresas inabilitadas a continuar na concorrência do novo Sistema de Transporte Público Coletivo

 

Por Cinara Lima, da Agência Brasília – A Comissão de Licitação do novo modelo do Sistema de Transporte Público Coletivo (STPC) tem cinco dias úteis para avaliar os recursos apresentados pelas empresas que não foram habilitadas na concorrência. O prazo começou a ser contado ontem (6), quando os recursos foram publicados no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). As empresas inabilitadas apresentaram 10 recursos que, em geral, contestaram os critérios que as retiraram da disputa.

Após o período já definido, a Comissão publicará no DODF a conclusão sobre as contestações. A partir daí, as empresas que tiverem seus recursos negados terão cinco dias úteis para apresentar as contra-argumentações ao secretário de Transportes, José Walter Vazquez.

Passada esta etapa, serão abertos os envelopes com as propostas. “Vamos ter uma posição nas próximas semanas e, então, abriremos os envelopes financeiros. Acredito que teremos os três primeiros contratos no início de dezembro, o que significa ônibus novos rodando até maio de 2013”, disse José Walter Vazquez.

Exigências – Em 25 de outubro, o Governo do Distrito Federal divulgou os nomes das três empresas que continuam no processo licitatório. Cidade Brasília, Pioneira e São José seguem na concorrência por terem sido as únicas a apresentar a documentação exigida e não terem restrição judicial ou administrativa.

Consórcio Brasília, Viplan, Consórcio DF, Santos&Pradela, Rio Preto e Vera Cruz foram inabilitadas para seguir na licitação por: ter a certidão de débitos cancelada pela Receita Federal; não apresentar todas as certidões exigidas; estar com o balanço em desacordo com o edital; não ter o atestado técnico homologado (Santos&Pradela e Rio Preto); e estar fora das exigências do processo licitatório.

Bacias – As empresas habilitadas a continuar na licitação concorrem à sequência de bacias já definidas em edital. A primeira será a Bacia 2, que abrange as cidades do Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, parte do Park Way, Jardim Botânico e Itapoã. Depois serão as Bacias 5 e 3. O edital divide o DF em cinco bacias e estabelece que cada concorrente controlará uma delas.

“Cada empresa ficará com uma bacia, e nós vamos fazer uma segunda chamada para as bacias 4 e 1”, explicou José Walter Vazquez. “Mas o processo pode mudar se, com os recursos, outras empresas forem habilitadas ou desabilitadas. Por isso, temos que esperar o final do julgamento para fazer uma nova chamada, se for necessário”, completou o secretário de Transportes.

Caso reste alguma bacia a ser atendida, será dado mais um prazo de 30 dias para que os concorrentes apresentem suas propostas.

De acordo com o secretário, toda a concessão para prestação do serviço de transporte coletivo custará cerca de R$ 16 bilhões. No início da operação, 2.580 veículos novos vão compor a frota de todas as bacias.

Prazos:

1) Com a publicação do resultado dos recursos, o cronograma a ser seguido é o seguinte:

- Contra-argumentação: 5 (cinco) dias úteis

- Publicação dos resultados dos recursos

- Prazo de 5 (cinco) dias úteis para apelar ao secretário de Transportes

- Publicação da decisão do secretário de Transportes

- Abertura das propostas financeiras

2) Se não houver concorrente vencedor para alguma(s) das bacias, será aberto novo prazo de 30 dias para apresentação de nova(s) proposta(s) à(s) bacia(s) vaga(s).

3) A abertura das propostas econômicas seguirá a seguinte ordem:

BACIA 2: Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Park Way (parte), Jardim Botânico e Itapoã. / Frota: 640

BACIA 5: Taguatinga (parte), Brazlândia, Ceilândia, SIA, SCIA e Vicente Pires./ Frota: 576

BACIA 3: Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II. / Frota: 483

BACIA 4: Taguatinga (parte), Ceilândia, Guará, Águas Claras e Park Way (parte). /Frota: 464

BACIA 1: Brasília, Sobradinho, Planaltina, Cruzeiro, Sobradinho II, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal./ Frota: 417

Três das nove empresas concorrentes foram habilitadas a operar no novo Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal

Foto Brito

 

Uma importante etapa do processo licitatório para o novo modelo do Sistema de Transporte Pblico Coletivo (STPC) foi divulgada nesta quinta-feira (25) pelo Governo do Distrito Federal. Três das nove empresas concorrentes foram habilitadas a operar no futuro sistema. Até a próxima segunda-feira (29), o resultado da fase de habilitação deverá ser publicado no Diário Oficial do DF (DODF). A expectativa é de que, até maio de 2013, o novo transporte público seja utilizado pela população. Não haverá reajuste nas tarifas.

Esperamos, com o novo modelo, uma maior fluidez dos ônibus, pontualidade e total integração das linhas, com menor custo para população. Desde 2009 há uma ordem judicial para fazer essa licitação e renovar o sistema, e nenhum outro governo teve a coragem de fazer isso, até agora”, declarou o secretário de Transportes, José Walter Vazquez.

O governador Agnelo Queiroz destacou o rigor do processo. “Até o meio do próximo ano, estaremos com ônibus novos”, disse.

A previsão do GDF é que, até dezembro deste ano, pelo menos três contratos estejam finalizados, para que três bacias sejam licitadas no novo sistema. A primeira será a Bacia 2, que abrange as cidades do Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, parte do Park Way, Jardim Botânico e Itapoã. A frota prevista é de 640 ônibus. O edital divide o DF em cinco bacias e estabelece que cada concorrente deve controlar apenas uma delas.

A partir da publicação no DODF, as empresas concorrentes terão até cinco dias úteis para apresentarem recursos ou questionamentos à Comissão de Licitação, com mais cinco dias úteis para levarem suas contra-argumentações. Depois da publicação do resultado dos recursos, outros cinco dias são previstos para as empresas apelarem diretamente ao secretário de Transportes.

Caso não haja novos concorrentes vencedores para alguma das duas bacias restantes, será aberto um novo prazo de 30 dias para apresentação de propostas, não sendo necessário reiniciar todo o processo. “É a maior licitação da história. Vai gerar, considerando a renovação por mais 10 anos dos contratos, R$ 16 bilhões”, afirmou o secretário.

Habilitadas – As empresas Cidade Brasília, Pioneira e São José foram as concorrentes habilitadas para continuar no processo, por serem as únicas a apresentarem todas as documentações exigidas e não terem qualquer restrição judicial ou administrativa. As três concorrem por todas as cinco bacias.

O Consórcio Brasília, Viplan, Consórcio DF, Santos&Pradela, Rio Preto e Vera Cruz foram inabilitadas do processo respectivamente por: ter a certidão de débitos cancelada pela Receita Federal; não apresentar todas as certidões exigidas; estar com o balanço em desacordo com edital; não ter o atestado técnico homologado (Santos&Pradela e Rio Preto); e estar fora das exigências do processo licitatório.

DFTrans – Durante a divulgação da recente etapa do processo licitatório, o diretor-geral do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Marco Antônio Campanella, afirmou que foi aberta uma sindicância para identificar a responsabilidade pelos vários ônibus que, há dois meses, não circulam de maneira adequada no DF.

“Não descartamos tomar medidas administrativas e judiciais para apurar os fatos, informou Campanella. A sindicância tem previsão de durar até 30 dias.

Projeto do Executivo foi aprovado nas comissões de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) e de Constituição e Justiça da Câmara Legislativa

O governador Agnelo Queiroz encaminhou à Câmara Legislativa do DF o Projeto de Lei nº 1.186/2012, que autoriza a contratação de empréstimo pelo Distrito Federal junto à Caixa Econômica Federal, em linha especial de Mobilidade em Grandes Cidades do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC. O valor do empréstimo é de R$ 1,08 bilhão, o que representa mais da metade dos R$ 2 bilhões previstos para investimentos no Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU), aprovado pela Câmara Legislativa em 2011.

Desse montante, R$ 561 milhões serão utilizados nas obras do Expresso DF, sistema de ônibus articulados do tipo BRT (Bus Rapid Transit) que interligará o Gama, Santa Maria, Park Way e o Plano Piloto. O empreendimento, que já conta com mais de 10% das obras concluídas, deve ficar pronto até o final de 2013 e atenderá aproximadamente 272 mil pessoas por dia.

Outros R$ 517 milhões serão aplicados nas obras do Projeto Eixo Oeste, em intervenções nas avenidas Hélio Prates, Comercial e Samdu e no túnel central, em Taguatinga, e no condomínio Sol Nascente, em Ceilândia. O Projeto prevê ainda obras nas estradas parques Indústrias Gráficas (Epig) e Setor Policial Militar (ESPM), que contemplam uma região de grande concentração populacional e geram aproximadamente 50% da demanda por transporte público no DF.

Na Câmara Legislativa, o projeto de lei que autoriza o empréstimo foi aprovado, na manhã desta terça-feira (16), nas comissões de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) e de Constituição e Justiça e segue agora para Plenário.

Segundo o coordenador de Assuntos Legislativos da Secretaria de Governo do DF, José Willemann, o projeto de lei conta com amplo apoio e mobilização dos parlamentares em função de seus grandes benefícios para o Distrito Federal e deve ser aprovado em breve.

 

Em assembleia realizada na manhã deste domingo, os rodoviários decidiram não paralisar as atividades. Eles obtiveram a garantia do cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho firmada com os empresários em 2011.

O Governo do Distrito Federal participou de forma decisiva das negociações entre empresários e trabalhadores. Em documento assinado entre representantes do GDF e dos operadores do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF STPC ficou estabelecido que o reajuste previsto na Convenção Coletiva de Trabalho, de 7,88% retroativo a 1º de maio de 2012, será pago no próximo dia 13 de julho, sexta-feira.

Em assembleia, os trabalhadores decidiram também que irão aguardar por 30 dias por uma definição sobre o desconto do dia parado – paralisação de 24 horas que ocorreu na última quinta-feira, dia 5 de julho. Se houver o desconto, eles podem parar novamente.

Durante as negociações, o Governo do Distrito Federal foi firme em demonstrar aos operadores que o repasse integral das tarifas do Passe Livre Estudantil e dos Portadores de Necessidades Especiais era suficiente para cobrir os reajustes salariais dos rodoviários, relativos a 2011 e 2012.

Em defesa dos cerca de um milhão de usuários diários do STPC, o GDF também manteve a determinação de não conceder reajuste no valor da tarifa. Intermediando o diálogo entre patrões e empregados, o GDF intercedeu de maneira clara e transparente, garantindo a continuidade do serviço, sem aumento de tarifas.

Assessor do bicheiro diz que bilhetagem eletrônica dos ônibus ‘está ganha’. Vasquez nega ter favorecido o grupo, acusado de explorar jogos de azar

Do G1 DF, com informações do DFTV – Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que o titular da pasta de Transportes do Distrito Federal, José Walter Vasquez, foi citado em pelo menos duas conversas entre Carlinhos Cachoeira e assessores dele. O secretário nega ter favorecido o grupo do bicheiro, preso desde o fim de fevereiro suspeito de explorar jogos de azar.

Em uma das conversas, gravadas com a autorização da Justiça, Gleyb Ferreira da Cruz diz a Cachoeira que o secretário teria afirmado que a bilhetagem eletrônica dos ônibus ficaria com o grupo, por meio da empresa Delta. O recado teria sido dado ao ex-assessor da Secretaria de Planejamento Valdir dos Reis, que está preso.

Gleyb: “Lembra a pergunta que você fez pra ele ontem? Ele conversou ontem à tarde com o secretário. E o secretário falou para ele: se for isso então, essa apresentação for isso que o você tá falando, eu falo pra ele que é de vocês a bilhetagem”.

Cachoeira: “O que que eu dou a ele?”

Gleyb: “To aguardando. Ele foi lá em cima e tá voltando aqui. Eu to aguardando”.

Em outra conversa, Gleyb Ferreira da Cruz comemora dizendo que a bilhetagem eletrônica dos ônibus está ganha e volta a citar o secretário de Transportes.

Cachoeira: “Qual que é a novidade, Gleyb?”

Gleyb: Tenho… Boas. A gente precisa dar uma conversada porque o trem lá táganho, ganhinho, ganhinho, ganhinho… “tá” marcado com o secretário amanhã três e meia da tarde.

Cachoeira: “Excelente. Então vamos fechar logo”.

Vasquez admite que recebeu representantes da Delta Construções apresentados por Reis, mas afirma não ter envolvimento com o grupo do bicheiro. “Está tão ganho que eles não ganharam nada. Em nenhum momento eu poderia – mesmo que eu quisesse – dizer a alguém que está ganho alguma coisa que, primeiro não é licitado pela secretaria, e sim pelo DFTrans. E segundo tem que passar para o processo licitatório.”

Percentual de veículos 0km nas vias do DF vai subir de 15% para mais de 90% a partir do começo de 2013. Decisão ambientalmente responsável reduzirá emissão de poluentes na atmosfera e não aumentará valor das passagens

Secretário de Transportes, José Walter. (Foto: Mary Leal)

O Governo do Distrito Federal vai prorrogar por 40 dias a abertura do processo licitatório que irá mudar todo o sistema de transporte público no DF. A prorrogação foi necessária para que o GDF pudesse adaptar a proposta, que recebeu 23 questionamentos de entidades distintas e uma recomendação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). A principal alteração é o considerável aumento na quantidade de ônibus novos que começarão a circular no início de 2013.

No dia 2 de março, o GDF anunciou que, no primeiro momento, aproximadamente 15% da frota antiga seria substituída por novos veículos, enquanto os demais 85% seriam trocados gradativamente. “Agora, vamos estudar uma forma de substituir imediatamente entre 90% e 100% da frota, tomando o cuidado de garantir que não ocorra aumento no valor das passagens”, destacou o secretário de Transportes do DF, José Walter Vazquez, acrescentando que esse novo modelo ficará pronto nos próximos dias.

Para Vazquez, ouvir as entidades de classe e órgãos públicos que se pronunciaram sobre a licitação foi fundamental para aumentar a sintonia do governo com as necessidades da população. “Seria pretencioso demais pensar que uma situação que se perpetua por 50 anos poderia ser resolvida sem ouvir esses agentes externos, avaliou.

A licitação, prevista inicialmente para começar na próxima quarta-feira (18), será lançada no dia 28 de maio. A previsão é de que os novos ônibus estejam em circulação em fevereiro de 2013.

Adaptações - O principal aspecto levado em consideração foi a redução da quantidade de poluentes emitidos na atmosfera. Isso será resolvido com a retirada em massa de ônibus velhos das ruas e a adoção do padrão Euro 5, que prevê o uso de veículos movidos a energia elétrica, biodiesel ou outras formas de combustível limpo, de acordo com a tecnologia disponível quando ocorrer a licitação.

Para garantir que não haja aumento no valor das tarifas, somente os ônibus articulados (os chamados BRTs, que vão circular pelos corredores exclusivos) deverão vir, obrigatoriamente, equipados com ar condicionado. Nos demais, o aparelho será opcional.

Já o sistema de posicionamento por satélite (GPS), será instalado em todos os veículos e vai possibilitar que a frota seja controlada por um centro de controle operacional. Essa medida evitará atrasos e possibilitará que os passageiros consultem os horários dos coletivos, por meio de torpedos de celular, na internet e em painéis disponíveis em 80% das paradas de ônibus.

Planaltina – Uma outra licitação, em caráter emergencial, irá contratar 80 novos ônibus para operar as linhas da cooperativa que foi à falência em Planaltina. “Eles vão começar a circular na segunda quinzena de maio e ficarão nas ruas até o fim do ano”, explicou o secretário de Transportes, José Walter Vazquez. Essa outra concorrência será aberta amanhã (17 de abril) e publicada na edição de quarta-feira (18) do Diário Oficial do DF.

Moradores de Santa Maria, Gama, Park Way e Entorno Sul poderão reduzir, a partir de junho de 2013, o tempo de viagem ao Plano Piloto em menos da metade do que levam hoje. Estimativa é que cerca de 220 mil pessoas usem o novo transporte diariamente

 

Foto: Roberto Barroso

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, visitou ontem as obras do Expresso DF, que ligará Gama, Santa Maria, Park Way e o Entorno Sul ao Plano Piloto. A execução do projeto está em andamento no Viaduto do Balão do Periquito, na entrada do Gama. No próximo mês, terão início outras nove fases da obra. A previsão é entregar o novo transporte até o fim do primeiro semestre de 2013, a tempo da Copa das Confederações. A abertura do campeonato está marcada para 15 de junho do próximo ano.

“Vamos reduzir o tempo que os moradores da região gastam com transporte. Hoje, os passageiros levam até uma hora e meia no deslocamento até o Plano Piloto. Com o Expresso DF, o trajeto será feito em 40 minutos, e as pessoas terão mais tempo para a família e para as atividades de lazer”, destacou o governador.

O Expresso DF é um modelo de transporte coletivo constituído de ônibus modernos, confortáveis e eficientes que trafegam em corredores específicos. Os veículos são divididos em duas categorias: articulados, com capacidade de transportar 160 passageiros, e biarticulados, que transportam até 200 pessoas. A estimativa é que cerca de 220 mil pessoas usem o novo transporte diariamente.

Novo modelo de transporte público – O governador ressaltou que as obras fazem parte de um projeto maior, de transformação da realidade do transporte público no DF. “Nosso principal objetivo é tornar o transporte público mais eficiente que o particular. Além da nova licitação que renovará a frota de ônibus e da implantação de vias exclusivas para coletivos, nossa proposta para assegurar um trânsito mais rápido é investir nas três grandes artérias do DF: Planaltina e Sobradinho; Ceilândia e Taguatinga; e Gama e Santa Maria”, explicou o governador.

Um das principais medidas para melhorar a mobilidade urbana no DF é a licitação para renovar a frota e as linhas de ônibus da capital, anunciada em fevereiro deste ano pelo governador Agnelo Queiroz. Além de trocar veículos velhos por novos, a licitação permitirá que o serviço seja mais eficiente, com planejamento e racionalização das linhas oferecidas. A mudança trará mais segurança, conforto, acessibilidade e pontualidade para o usuário, a um preço justo. Para organizar o sistema, o Distrito Federal foi dividido em cinco regiões ou bacias. Cada região será licitada para uma empresa ou um consórcio de empresas diferente, que vai operar as linhas.

Outra novidade é que o GDF está desenvolvendo um projeto, semelhante ao Expresso DF Sul, para a saída norte da cidade. Trata-se do Expresso DF Norte, que ligará Planaltina e Sobradinho ao Plano Piloto.

Durante a visita, o governador também destacou outras ações em andamento para melhorar a mobilidade urbana. “Vamos terminar as obras da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) para melhorar o transporte da população de Ceilândia, Taguatinga e regiões. E tudo isso será integrado com o metrô, que será ampliado. Assim colocaremos em prática o projeto que aprovamos na Câmara Legislativa no ano passado, do Plano Diretor do Transporte Urbano”, afirmou o governador. “Com integração e oferecendo um transporte de qualidade, com conforto e segurança, vamos assegurar trânsito exclusivo e livre nas principais vias e garantir o deslocamento da maioria da população”, completou.

As obras do Expresso DF estão orçadas em R$ 530 milhões. O sistema terá 35 km de vias exclusivas. Serão construídos terminais novos no Gama e em Santa Maria. O embarque e desembarque serão feitos em 15 estações. O projeto prevê ainda 15 novas passarelas para travessia de pedestres. “A conclusão dessa obra antes da Copa das Confederações será um êxito fantástico. Por isso, vamos trabalhar duro, com determinação, para alcançar esse objetivo. Este é o grande legado para a população do DF”, ressaltou Agnelo Queiroz.

Sustentabilidade – Assim como a construção do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, as obras do Expresso DF também seguem normas de sustentabilidade, respeitando o meio ambiente. “Desde o canteiro de obras, que utiliza telhas recicladas, passando pelo reaproveitamento da energia, da água, entre outros tanto aspectos, o Expresso DF ajuda a imprimir a marca da sustentabilidade que está cada vez mais forte nas construções realizadas pelo GDF”, afirmou Agnelo Queiroz. (Isabel Freitas, da Agência Brasília)

GDF anuncia plano que irá reformar o sistema dos coletivos em Brasília. Expectativa é de ônibus novos e melhoria no trânsito

Agnelo Queiroz anunciou a abertura da licitação e as novas medidas e garantiu que algumas delas poderão ser vistas em 2013. Foto: Roberto Barroso

AMANDDA SOUZA

O Governo do Distrito Federal abriu, na sexta-feira (2), licitação para renovar 100% da frota de ônibus da capital e permitir que novas empresas operem no sistema. O objetivo é melhorar a qualidade e a acessibilidade do transporte. As linhas também serão reorganizadas. No Salão Nobre do Palácio do Buriti, o governador Agnelo Queiroz assinou o decreto que põe fim as condições precárias do transporte de Brasília. Também estiveram presentes o vice-governador Tadeu Filippelli, o secretário de Transportes, José Walter Vasquez Filho, o diretor-geral do DFTrans, Marco Antônio Campanella, o secretário de governo, Paulo Tadeu, além de diretores e presidentes de empresas.

“A população pode esperar 2013 com ônibus novos no Distrito Federal. E mais: um segundo trimestre com racionalização de linhas, com informação, ônibus limpo e seguro”, afirmou José Walter Vasquez Filho, na coletiva de imprensa. Agnelo Queiroz destacou que a modernização do sistema público é um dos maiores desafios que o governo enfrentará. “Vamos devolver ao cidadão um direito básico que lhe foi tirado, o de ter um transporte de qualidade”, disse o governador.

O secretário de Transportes contou que o sistema precisava de uma reforma, de um plano diretor, e por isso, houve uma revisão e alguns pontos foram considerados prioridade. “Transformamos o Plano Diretor do Transporte Urbano (PDTU) de Brasília em uma Bíblia. Como mandamentos, temos: o coletivo tem que ser prioridade sobre o transporte individual, pois se não fizermos nada, em 2020 a cidade irá parar, será um caos. Além disso, precisamos de frota, vias e uma boa gestão”, destacou.

Cem por cento da frota será licitada. As propostas serão abertas no dia 10 de abril e o resultado final será apresentado em 10 de julho. As empresas vencedoras terão o prazo de seis meses para adquirir os veículos, capacitar mão de obra e iniciar a operação.

A respeito das vias, o secretário explicou que o plano diretor terá quatro eixos: linha amarela, saída norte, linha verde da EPTG, e ampliação no metrô com R$ 80 milhões investidos em tecnologia de informação, além da ampliação das estações já existentes.

Na gestão, parte mais complexa da “reforma” no sistema de transportes, o secretário revelou que o programa terá um edital para contratar novos operadores, que serão destinados a trabalhar em cinco bacias, ou regiões.

“Brasília era uma das poucas cidades que licitava ônibus por frotas. Queremos um programa de racionalização, total integração. É preciso entender que dono de ônibus tem empresa para ganhar dinheiro. Operador é atividade econômica, tem que ser tratada com racionalidade, e tem o papel do governo, de fazer políticas públicas”, conta.

A ideia é remunerar os operadores por passageiros transportados. Haverá isenção da concessão. Este projeto não vai aumentar o preço da passagem, os ônibus vão rodar menos, com mais passageiros. Além disso, a tarifa não será única, mas sim, integrada.

 

 Além de renovar a frota, a licitação irá melhorar a qualidade do transporte, com mais eficiência ao serviço e permitirá o planejamento e a racionalização das linhas. Além disso, haverá integração total entre todos os veículos de transporte público da capital federal, como ônibus e metrô. Empresas de todo o país poderão participar da licitação.

“Desta maneira, cada bacia é licitada para uma empresa ou grupo de empresas, que vai operar linhas superavitárias e deficitárias que se compensam entre si. Este sistema é usado em várias cidades e países até, como a Colômbia, considerado modelo de transporte público no mundo”, afirmou o secretário.

Perguntado se o governo teme em sofrer represália dos empresários, o secretário foi enfático ao dizer que é preciso criar consciência da melhoria do serviço para todos os motoristas e usuários do transporte público e garante poderão ser feitos contratos emergenciais.

“As necessidades da sociedade valem mais que meia dúzia de empresários. Eles acharam que ninguém iria mudar isso (concentração do poder dos donos de empresas de transporte no DF).

Existe um ação judicial que determina a licitação. Um fator importante foi o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento. “Isso é um processo. Há momentos históricos que te dão condição a uma tomada de decisão. Temos capacidade técnica e jurídica para batalhar. Uma batalha que não está ganha. Buscamos fazer um edital simples, para não ter margens a erros”, concluiu.

Além da licitação da nova frota de ônibus, a atual gestão tem adotado uma série de medidas para melhorar o transporte público no Distrito Federal. Após 36 anos sem planejamento para o setor, foi aprovado, em maio de 2011, o PDTU. Essa ação marcou o início da reorganização do sistema pelo poder público e permitiu que o GDF se credenciasse a receber recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade, do governo federal, que gira em torno de R$ 4,2 bilhões.

 

Os ônibus novos que passarão a integrar o Sistema de Transporte Público Coletivo do DF terão que atender novas exigências nos quesitos segurança, conforto, acessibilidade e mobilidade a condutores e usuários.

Os itens mais importantes exigidos para os novos ônibus são os seguintes:

Acessibilidade

Todos os veículos deverão ser acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, através de piso baixo ou piso normal equipado de plataforma elevatória veicular ou, ainda, piso normal com plataforma de embarque/desembarque.

Sistema de direção

Deve possuir assistência hidráulica, elétrica ou outro dispositivo de redução de esforço.

Sistema de transmissão

Os veículos que circulam no corredor exclusivo de ônibus deverão ter câmbio automático.

Climatização

Todos os veículos serão dotados de sistema de ar-condicionado.

Largura das portas

Os ônibus que circulam no corredor terão portas com largura mínima de 1,10m e os ônibus das linhas alimentadoras terão portas com largura mínima de 0,95m (hoje, todos têm portas com largura de 0,80m).

Bancos dos passageiros

Os bancos e os encostos de cabeça devem ser estofados (antes eram de fibra de vidro). A parte traseira dos bancos deve ser totalmente fechada, evitando rebites ou outras formas de fixação salientes.

Piso interno

O piso deve ser recoberto com manta de borracha antiderrapante e não pode apresentar tiras metálicas, exceto para acabamento (hoje são de alumínio).

Revestimento interno

Deve proporcionar isolamento térmico e acústico, sendo os materiais empregados com características de retardamento de propagação de fogo.

Cestos de lixo

Deverá ter um cesto de lixo ao lado de cada porta dos ônibus.

Comunicação externa ao usuário

O destino e número da linha deverão ser indicados por letreiros na parte frontal superior do veículo e (agora também) na lateral do veículo, ao lado da porta principal de acesso.

Acessórios da carroceria

Os novos veículos a integrar o STPC/DF devem prever a instalação de Sistema de Rastreamento de Veículos (GPS), Sistema de Comunicação ao Usuário (transmissão de informações audiovisuais) e Sistema de Monitoramento Interno.

Os itens que estão sendo exigidos vão ao encontro da qualidade que o Governo do Distrito Federal está determinando para o transporte público. Tais exigências foram aprovadas pelo Conselho de Transporte e estão contempladas no Manual dos Padrões Técnicos dos Veículos do STPC/DF.