Posts Tagged ‘Transporte Público’

Rodoviários afirmam que não receberam salário de novembro e parte do 13°. GDF afirma que fez repasse à cooperativas; sindicato diz não ser suficiente.

Do G1 DF – Rodoviários das cooperativas de ônibus Cootarde, Alternativa, Coopatag e Coopertran não estão circulando nesta quarta-feira (10) em seis regiões do Distrito Federal. Segundo o Sindicato dos Rodoviários, eles afirmam  que não receberam os salários de novembro e a primeira parcela do 13°.

Nesta terça, o DFTrans informou que fez os repasses à Cootarde e mais duas cooperativas, mas o sindicato afirmou que a quantia não foi suficiente para quitar as dívidas.

Na madrugada desta quarta, cem ônibus da Coopertran, que atendem as regiões de Planaltina, Samambaia e Ceilândia, aderiram à paralisação. Nesta terça, ônibus convencionais da Cootarde, que atendem 5 mil pessoas nas regiões de Gama, Santa Maria e Samambaia, também deixaram de circular.

A Coopatag, que atende Santa Maria e Gama em 50 ônibus, também não está rodando. A Alternativa, de Brazlândia, em greve desde sexta-feira passada, continua sem atender 70 mil passageiros diários.

A cooperativa MCS, que circula em Riacho Fundo I e II, Recanto das Emas, Guará e Estrutural encerrou a paralisação nesta madrugada após receber o pagamento do DFTrans.

Joe Valle

Joe Valle

Distrital cobra que DFTrans crie mais linhas de ônibus no Distrito Federal

O deputado distrital Joe Valle (PDT) ocupou a tribuna da Câmara Legislativa na tarde desta quarta-feira (29) para cobrar melhorias para o sistema de transporte coletivo do DF, o mais rápido possível. “A situação é de calamidade. Os moradores do DF não podem continuar sofrendo, sem ônibus, como acontece há bastante tempo”, reclamou o parlamentar, ao enfatizar que o DFTrans precisa criar mais linhas de ônibus.

“Para isso estou encaminhando um requerimento formal”, anunciou. Valle também defendeu a necessidade de o novo governo do DF, que tomará posse em 1º de janeiro de 2015, enfrentar a situação como prioridade, executando uma política de transporte dentro de um planejamento eficaz. (Zildenor Ferreira Dourado – Coordenador de Comunicação Social)

arruda

Arruda avisa que prioridade no transporte coletivo é aumentar tamanho da frota, reduzida pela atual gestão

O candidato ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, afirmou, durante caminhada na Rodoviária do Plano Piloto, na tarde desta segunda-feira, 18, que a primeira providência na área de transporte coletivo será aumentar o número de ônibus rondando nas cidades.

“Hoje, tem aproximadamente 900 ônibus a menos. É claro que o tamanho reduzido da frota não consegue atender a demanda, é preciso corrigir isso. Mas vai levar um tempo para consertar os muitos erros cometidos pela atual gestão”, disse.

Para Arruda, quando realizou a licitação dos ônibus, o GDF dissimulou a redução da frota, feita deliberadamente para tornar as linhas mais lucrativas — as empresas mantêm menos ônibus nas ruas e eles andam mais cheios. “Só que o povo percebe, o povo não é bobo. Aqui na rodoviária o que mais tem é gente reclamando que os ônibus demoram a passar, que só andam cheios”, contou, em conversa com uma usuária do sistema que o abordou para reclamar.

Em seu plano de governo, Arruda informa que o ônibus terá preferência sobre o automóvel. Daí a necessidade de implantar um sistema de transporte público de qualidade, em que os coletivos cumpram a grade horária estabelecida pelo poder público com “absoluta precisão”.

A diretriz de transporte coletivo sobre o individual prevê a extensão da linha do metrô até a Asa Norte, a construção das linhas 1 (Aeroporto ao fim da Asa Norte) e 2 (antiga Rodoferroviária à Esplanada dos Ministérios) do VLT e sua integração com o novo metrô, que ligará Sol Nascente, Ceilândia Norte, Taguatinga Norte, Vicente Pires, Estrutural, área do Jóquei, Cidade do Automóvel à Rodoferroviária.

Além disso, serão construídos quatro novos eixos de metrobus — ônibus especiais operando em sistema de metrô. Eles ligarão 1) Ceilândia à Rodoviária; 2) Planaltina e Sobradinho à Rodoviária; 3) Samambaia Sul, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Núcleo Bandeirante, chegando à EPIA e dali até à Rodoviária; 4) São Sebastião, Mangueiral, Jardim Botânico, Paranoá e Itapoã à Rodoviária.

O eixo entre Santa Maria/Gama e Rodoviária, projetado no primeiro governo Arruda, foi construído com erros pela atual gestão e vem causando muitos transtornos à população daquelas cidades.

 celina

A presidente da Comissão de Assuntos Sociais da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão (PDT) protocolou uma representação no Ministério Público do Trabalho contra a Viação Pioneira, uma das ganhadoras da licitação para operar o Transporte Público no Distrito Federal. A empresa demitiu 3,5 mil rodoviários e não pagou as rescisões contratuais destes trabalhadores. “Os direitos trabalhistas destes servidores precisam ser garantidos”, observa Celina.

A Viação Pioneira alega que não possui condições financeiras para cumprir com suas obrigações trabalhistas. No entanto, a empresa ao apresentar sua proposta no certame licitatório, demonstrou possuir capacidade financeira para assumir a bacia pleiteada, tanto que foi vencedora. Agora, atuando no Transporte Público do DF obtém lucros altíssimos. “É inaceitável que a empresa use este subterfúgio, de não ter dinheiro, para fugir de suas responsabilidades, quem tem dinheiro para contratar, tem que ter dinheiro para demitir”, argumenta a deputada.

Celina Leão pede ao Ministério Público do Trabalho que dentro de suas competências constitucionais, busque mecanismos legais para garantir que os ex-funcionários da empresa Viação Pioneira recebam suas rescisões contratuais por medida judicial.

 onibus

Segundo secretária da Mulher, parte do aumento se deve à campanha contra esse tipo de abuso lançada pela pasta em parceria com as secretarias de Transportes e de Segurança Pública

De janeiro a abril deste ano foram registradas 20 denúncias de assédio sexual no interior dos ônibus. O número equivale à praticamente metade dos casos ocorridos em todo o ano passado (42). Em relação ao primeiro quadrimestre de 2013, houve aumento de 33%.

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública, com base em levantamento feito em todas as delegacias de polícia do DF, e mostram que as mulheres estão mais dispostas a reagir a esse tipo de abuso.

Segundo o levantamento, 80% dos casos são enquadrados como “importunação ofensiva ao pudor”. As práticas mais comuns são passar a mão ou se esfregar no corpo mulher, o famoso “encoxar”. Os outros 20% são ofensas e “cantadas, simulação de masturbação e exibição de objetos ou desenhos retratando órgãos sexuais”.

A Secretaria da Mulher lançou em março deste ano, em parceria com as secretarias de Transportes e de Segurança Pública, a campanha contra o assédio sexual no transporte público. Com o slogan “Assédio sexual no ônibus é crime. Denuncie. Ligue 190″, a iniciativa orienta as mulheres a acionarem a polícia sempre que se sentirem alvo desse tipo de abuso.

“Não tenho dúvidas de que muito disso se deve à campanha contra o assédio sexual nos ônibus que lançamos este ano. A campanha mostra para a mulher que ela não está sozinha nessa luta e que pode contar com o nosso apoio, com o apoio da Secretaria, da polícia, enfim, do GDF, do Estado”, afirmou a secretária da Mulher, Valesca Leão.

APOIO – A secretária Valesca Leão disse que o crescimento das denúncias mostra também que a sociedade brasiliense está mais consciente desse problema. “Queremos o apoio da população para que possamos fazer mais parcerias e também o apoio dos meios de comunicação para fortalecer nossa luta. A população tem aceitado bem a campanha e tem usado as ferramentas que o Estado disponibiliza”, acrescentou ela.

Para a estudante Larissa dos Santos, 17 anos, moradora de Brazlândia, o assédio sexual no ônibus humilha a vítima e causa indignação. “As pessoas não têm o respeito que deveriam ter com as mulheres. Muitas vezes, as mulheres não denunciam porque sentem vergonha, medo ou por não saberem o que fazer. Então, essa campanha tem uma importância muito grande e enfatiza o conhecimento de que temos algo a fazer contra isso e não dá para fingir que não acontece”, defendeu ela.

A campanha da Secretaria da Mulher desenvolve, ainda, atividades de conscientização para motoristas e cobradores, que podem ser parceiros importantes para as mulheres quando surgirem casos de assédio sexual no interior dos veículos em que trabalham.

Arnaldo dos Santos, 36, é motorista e trabalha na linha Rodoviária-Águas Lindas. Ele destacou que, além da campanha, o cidadão deve ser consciente do seu papel e agir. “Eu já presenciei uma cena de assédio sexual quando fazia a linha de Brazlândia e fiquei revoltado. Levei o sujeito para a delegacia e só abri a porta do coletivo no local. Fizemos uma ocorrência. Tem que ser assim”, explicou ele.

AGRESSORES – O estudo também traçou o perfil dos agressores. Eles preferem ficar sentados no fundo dos ônibus e utilizam mochilas ou pastas para esconder o ato de abuso. Costumam também usar blusas compridas para dificultar que testemunhas vejam a cena.

Para o pesquisador e psiquiatra forense Guido Palamba é fundamental a adoção de iniciativas que possam inibir a ação dos agressores. “Hoje, vemos mais uma proliferação que uma inibição dessas atitudes. Por isso, é de suma importância que haja vigilância, punição e, principalmente, campanhas que desestimulem essas pessoas a agir”, recomendou ele.

Confira os cartazes nos ônibus e as cartilhas com informações sobre o que configura assédio, como o crime é legalmente tipificado, maneiras de a mulher se defender e dos demais passageiros ajudarem a vítima, ficando ao lado dela e servindo de testemunha caso o agressor seja levado à delegacia.

Foto: Dênio Simões / GDF

Foto: Dênio Simões / GDF

Extensão da Rodoviária do Plano Piloto, localizada no antigo Touring, começa a funcionar no domingo (8) e deve receber 200 mil pessoas por dia

Os usuários do transporte público do Distrito Federal contam agora com novas instalações para embarque e desembarque. Além da reforma da Rodoviária do Plano Piloto, foi inaugurado, nesta quarta-feira (4), um novo terminal no antigo Touring. O espaço, que foi completamente readaptado, receberá ônibus que atendem a Região Metropolitana de Brasília, e a previsão é que comece a funcionar neste domingo (8).

“Obras como essa traduzem o respeito profundo do governo com a nossa população. Temos consciência de que não tem jeito de fazer uma melhoria sem gerar alguns transtornos. Porém, hoje posso dizer que ver uma obra dessa qualidade pronta em menos de três meses é ter certeza de que o governo tem competência de fazer. Isso é qualidade de vida para o usuário”, afirmou o governador Agnelo Queiroz.

Ao todo foram investidos R$ 11,6 milhões para a construção de 20 boxes com adequação viária para coletivos e outros três, mais amplos, destinados a ônibus articulados. Além disso, o Terminal Rodoviário Touring conta agora com banheiros, sala de administração, obras de acessibilidade e novos acessos para a entrada e saída dos ônibus.

A Novacap é a empresa executora da obra, que teve início em março deste ano e atende as modificações previstas no conjunto de obras do Expresso DF Sul. Cerca de 200 mil pessoas devem passar diariamente pelo local. As tendas que foram utilizadas provisoriamente para receber esses ônibus serão retiradas da plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto.

“Esse governo fez grandes transformações no transporte público. Sabemos que foi um susto para a população ver tendas improvisadas, mas a cada dia demos um passo para melhorar essa condição e hoje comemoramos essas instalações que poucas cidades têm”, afirmou o vice-governador, Tadeu Filippelli. Já o secretário de Transportes, José Walter Vazquez, ressaltou “a dignidade que obra traz para a população”.

MAIS MELHORIAS – Além das acomodações para os ônibus do Entorno e toda parte administrativa, também está em reforma o andar superior, onde haverá unidades da Secretaria de Segurança. Atualmente, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) funciona no local com uma unidade do CAPSAd, além de atendimento contra a discriminação sexual, religiosa e racial. (Kelly Ikuma, da Agência Brasília)

1

A deputada Celina Leão (PDT) se reuniu, na manhã desta quarta-feira (2), com o diretor geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, Jorge Bastos e com o deputado federal Wilmar Rocha (PSD-GO), para tratar do transporte público no Entorno do DF. “O GDF precisa se posicionar com rapidez, já que o problema no transporte é enfrentado por cerca de 500 mil pessoas que viajam diariamente para o DF e que fazem parte da nossa força de trabalho”, pontua Celina.

Já existe uma minuta de consórcio entre a União e os governos do Distrito Federal e de Goiás, incluindo as prefeituras das cidades goianas, que fazem parte do Entorno e prevê a gestão integrada dos serviços semiurbanos de transporte, com a participação também dos municípios. Tanto a ANTT, quanto o governo de Goiás já estão afinados para a assinatura do convênio, que esbarra apenas em um impasse criado pelo GDF, quanto à abrangência do convênio. “A lei do consórcio é complexa, por isso o escopo se limita ao transporte semiurbano, é preciso começar a dar uma resposta para a população e não a polemizar a minuta”, avalia a deputada.

Para Celina é necessário adotar ações urgentes no sentido de viabilizar o consórcio, que se desenha como o melhor caminho, para solucionar os problemas enfrentados pela população do Entorno. No entanto, o GDF agendou uma nova reunião com a ANTT só para 28 de abril. “É um prazo muito longo para tratar de um assunto que demanda urgência, o diretor da ANTT se comprometeu em se reunir antes com os governadores Marconi e Agnelo e eu espero que o nosso governador se sensibilize e sele o acordo para efetivação do consorcio”, afirmou Celina.

Durante a reunião o diretor da ANTT, Jorge Bastos defendeu a necessidade de faixas de trânsito exclusivas para os ônibus que atendem os municípios do Entorno do DF nos horários de pico, no intuito de diminuir o tempo de viagem dos passageiros, o que deve ser negociado com o GDF.

O Departamento de Fiscalização do Crea-DF fará uma ação dirigida a partir desta terça-feira (25/03) para verificar a regularidade de responsabilidade técnica pela manutenção dos ônibus que circulam no Distrito Federal. Uma equipe de fiscais irá percorrer todas as garagens das empresas de ônibus para averiguar a existência de responsável técnico pela manutenção mecânica dos veículos do transporte coletivo que operam no Distrito Federal. Serão fiscalizadas, também, as empresas que operam a partir de Brasília com destino a outras unidades da federação. A ação vai acontecer até a próxima sexta-feira (28/03).

As fiscalizações dirigidas visam a efetividade no rastreamento de irregularidades em segmentos econômicos que se utilizam ou executam atividades de Engenharia e ou Agronomia. Nesta ação, os fiscais analisam a existência de seção de manutenção dos veículos, verificam se há profissional habilitado que seja responsável pelas atividades, pesquisam se o profissional está registrado no Crea-DF e também se possui o registro da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de cargo ou função técnica.

Participantes destacaram problemas no transporte entre DF e Entorno

Por Zínia Araripe – Já existe uma minuta de consórcio entre os governos do Distrito Federal e de Goiás, incluindo as prefeituras das cidades goianas que fazem parte do Entorno, para tentar resolver os problemas relacionados com o transporte público na região. O anúncio foi feito pelo secretário da Região Metropolitana do DF, Eurípedes Júnior, durante audiência pública realizada na tarde desta segunda-feira (24) no plenário da Câmara Legislativa, por iniciativa da deputada Celina Leão (PDT), para debater o transporte público urbano entre o DF e o Entorno.

Vereadores e moradores de várias cidades, além do vice-prefeito de Planaltina de Goiás, Silveira Bento de Goiás, participaram da audiência. Celina Leão destacou a necessidade de o governo do DF se empenhar na solução dos problemas. “São quase 500 mil pessoas que viajam diariamente para o DF e que fazem parte da nossa força de trabalho”, declarou a parlamentar.

A diretora da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Ana Patrizia Lira não compareceu, mas mandou uma carta dizendo ter apresentado proposta de consórcio público para os dois governos (DF e GO), para a gestão integrada dos serviços semiurbanos de transporte, com a participação também dos municípios.

A carta afirma, ainda, que a ANTT – diante da criticada decisão do GDF de alterar o terminal de embarque de passageiros na rodoviária do Plano Piloto – indicou a necessidade de ajustes na obra, como a construção de um terminal exclusivo para atender o serviço de transporte do Entorno do DF, “com espaço necessário e suficiente para o conforto dos usuários e operação das empresas”.

A Agência, cuja ausência no debate de hoje foi bastante criticada, também informou em carta ter defendido ao GDF a necessidade de disponibilizar faixas de trânsito exclusivas para os ônibus que atendem os municípios do Entorno do DF nos horários de pico, no intuito de diminuir o tempo de viagem dos passageiros.

Reclamações – Preços altos, empresas que param “deixando os passageiros na mão”, número insuficiente de ônibus e transporte sendo feito apenas de rodoviária para rodoviária, sem passar pelos bairros, foram os problemas mais destacados na audiência pública.

Em Planaltina de Goiás, a cidade mais representada no debate, uma empresa que já operou com 120 ônibus estava há pouco tempo com apenas oito. Com o sistema à beira do colapso, a ANTT fez um chamamento de 180 dias por meio do qual uma empresa passou a atender a cidade. “Esse período já está terminando e não se ouve falar de licitação”, reclamou o vice-presidente da Câmara Municipal de Planaltina de Goiás, Deusimar Alves.

Consórcio – Pelo consórcio proposto pelo GDF – cujo texto tem de passar pela CLDF, Assembleia de Goiás, câmaras municipais e Câmara dos Deputados –, os órgãos de fiscalização, como o DFTrans e as prefeituras, teriam poder de multar. “Não adianta só fazer licitação e colocar ônibus novos para operar. Tem que fiscalizar os horários e outros compromissos das empresas”, opinou Eurípedes Júnior.

Outra proposta é que os passageiros comprariam apenas um bilhete diário, com o qual fariam todas as viagens do dia. Resta avaliar a diferença de preços, uma vez que apenas no DF as empresas recebem subsídio do governo para manter as passagens em R$ 3,00, enquanto em Planaltina elas custam R$ 4,65 – que é o valor mais alto.

Também participaram da audiência pública o presidente da Câmara Municipal de Planaltina de Goiás, Almirando Antonio de Oliveira, e um representante do Ministério das Cidades, o analista de infraestrutura Higor de Oliveira. (Coordenadoria de Comunicação Social )

Licitação renovará a frota de ônibus para os municípios goianos, e de forma emergencial, mais 220 coletivos rodarão a partir de abril na região sul. Foto: Mariana Raphael

Licitação renovará a frota de ônibus para os municípios goianos, e de forma emergencial, mais 220 coletivos rodarão a partir de abril na região sul. Foto: Mariana Raphael

Por Leandro Cipriano – Um conjunto de iniciativas para melhorar o transporte público entre o Distrito Federal e Entorno foi anunciado nesta segunda-feira (17) pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Entre elas, a publicação, em abril, do edital que vai licitar o novo sistema de ônibus para a região, previsto para começar a operar no início de 2015.

Enquanto isso, de forma emergencial e com auxílio do GDF, será publicado, terça-feira (18), pela ANTT, um chamamento público para que mais uma empresa de transporte opere na parte sul do Entorno. Com isso, serão cerca de 220 ônibus a mais para atender cidades como Valparaíso, Cidade Ocidental e Luziânia.

“Será selecionada uma empresa para circular naquela região juntamente com as que já operam administrativamente e judicialmente. Esperamos que ela comece a rodar já no início de abril, assim que declararmos a vencedora e que os documentos sejam apresentados”, informou a diretora da ANTT, Ana Patrizia Lira.

Assim que o chamamento for publicado, as empresas interessadas terão até 10 dias para confirmar participação. Depois de escolhida, deverá começar a rodar na região em até cinco dias. “Elas vão operar por conta e risco, de forma emergencial, com a tarifa pré-definida pela ANTT”, ressaltou Lira.

Segundo o secretário de Desenvolvimento da Região Metropolitana do DF, Eurípedes Júnior, a mesma solução emergencial adotada para a parte sul do Entorno também foi implantada em Planaltina de Goiás, onde uma nova empresa começou a operar com mais 60 ônibus, 24 deles zero quilômetro.

“Conseguimos resolver o problema de Planaltina. Também fizemos na Cidade Ocidental, onde já se comprometeram a colocar outra empresa para operar. A próxima atendida será Valparaíso”, afirmou Eurípedes Júnior.

As empresas de transporte que atendem a região sul do Entorno atuam com autorização especial concedida pela ANTT, pois os contratos não são renovados desde 2008.

LICITAÇÃO – Com a licitação dos Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual Semiurbano de Passageiros, 11 municípios goianos serão interligados às diferentes regiões do Distrito Federal. As operadoras que possuírem os coletivos mais novos, e preencherem todos os requisitos estabelecidos, terão preferência no processo.

De acordo com a diretora da Agência Nacional de Transportes Terrestres, com o edital lançado em abril deste ano, no início de 2015 será iniciada a transição entre as atuais operadoras e as que venceram a licitação, tudo realizado em aproximadamente quatro meses.

“A ANTT tem a segurança que isso resolverá todo o problema de transporte no Entorno, porque as empresas estarão baseadas em contrato, com sistema automatizado, avaliação de desempenho, que permitirá absoluto controle da operação, e com instrumentos de punição caso não cumpram sua função”, informou Ana Patrizia Lira.

Atualmente, o processo licitatório está em fase final de conclusão, e será publicado após a aprovação definitiva pelo Ministério dos Transportes. (Agência Brasília)

Entrega de 200 coletivos, nesta sexta-feira (7), aumentou para 1,8 mil a quantidade de veículos disponibilizados à população. Foto: Dênio Simões/GDF

Entrega de 200 coletivos, nesta sexta-feira (7), aumentou para 1,8 mil a quantidade de veículos disponibilizados à população. Foto: Dênio Simões/GDF

O Distrito Federal ultrapassou a marca de 1,8 mil coletivos 0km disponibilizados à população com a entrega de 200 novos ônibus, hoje (7), no Eixão Sul. Esse quantitativo, segundo levantamento do GDF, representa 70% de renovação do transporte público local que, neste momento, caminha rumo à finalização.

“Esse é um número razoável e é, sobretudo, um reforço muito grande para o transporte da nossa cidade. Vamos continuar entregando mais ônibus novos e até o final deste mês e início do outro vamos completar essa renovação”, garantiu o governador Agnelo Queiroz.

Enfileirados ao longo de 3km do Eixão Sul, os veículos, que começarão a rodar no domingo, foram apresentados aos moradores de todo o DF que trafegavam pela via na manhã de hoje.

Em operação, 114 coletivos da empresa Urbi atenderão aos moradores de Samambaia, e outros 37, da Auto Viação Marechal, farão linhas para o Guará. Já a comunidade do Setor O, em Ceilândia, será beneficiada com a entrega de 17 miniônibus da Expresso São José.

De acordo com o governador, a entrega desses novos ônibus representa “o início de uma transformação total do nosso sistema de transporte público” que inclui, por exemplo, obras de infraestrutura para melhorar a mobilidade urbana, como o “Expresso DF”.

Esse corredor que ligará Santa Maria e Gama ao Plano Piloto permitirá que os moradores dessas regiões administrativas demorem menos tempo durante os deslocamentos utilizando o transporte público coletivo. Para isso, ônibus articulados e não-articulados operarão essas linhas especiais.

Como a primeira etapa das obras do “Expresso DF” está em fase final, um ônibus articulado realizou, na tarde de ontem, uma viagem teste para que sejam feitos ajustes que possibilitem a eficiência do sistema quando entrar em operação.

Ao todo, serão 100 veículos circulando pelos corredores exclusivos, sendo que 62 são articulados e 38 não-articulados. O Expresso DF começará a operar, experimentalmente, na segunda quinzena de março e, nesse período, os usuários não pagarão passagem. (Fábio Magalhães, da Agência Brasilia)

Manifestação reuniu cerca de 50 pessoas na Rodoviária do Plano Piloto. Polícia foi chamada para evitar o bloqueio do trânsito por passageiros.

Ricardo Moreira, Do G1 DF – Cerca de 50 passageiros fizeram uma manifestação nesta segunda-feira (3) na Rodoviária do Plano Piloto, localizada na região central de Brasília.

O grupo protestou contra a demora dos ônibus da Viação Anapolina e a infraestrutura precária de veículos da empresa que circulam entre o centro de Brasília e regiões do Entorno do Distrito Federal.

O G1 tentou ouvir motoristas da empresa que estavam na rodoviária, mas nenhum quis comentar a manifestação dos passageiros. Na Viação Anapolina, ninguém foi localizado para comentar o assunto.

Quem segue de ônibus para cidades de Goiás precisa aguardar na plataforma inferior da Rodoviária do Plano Piloto. E foi lá que o tumulto começou. Durante quase meia hora, vários passageiros dificultaram a saída dos ônibus, bloqueando parte da pista.

Com isso, alguns motoristas tiveram que estacionar os veículos em pontos improvisados, em torno da rodoviária. Funcionários foram vaiados quando iam chamar os passageiros para pegar os ônibus mais adiante.

Passageiros afirmam que os ônibus da Viação Anapolina demoram muito para chegar ao terminal, tanto no período da manhã quanto no fim do dia. Muitos dizem que é comum ter que esperar até duas horas até poder embarcar.

A situação começou a ser controlada com a chegada de 15 policiais militares. O comandante do efetivo disse ao G1 que não houve confronto entre passageiros e PMs. Aos poucos, os motoristas foram deixando o terminal.

 

O presidente da Sociedade Transportes Coletivos de Brasília Ltda (TCB), Carlos Alberto Koch, disse nesta terça-feira (26/2) que as licitações para operar as linhas do Grupo Amaral podem estar concluídas até março.

“O GDF ficará operando na região até que as empresas que ganharem a licitação tenham condições de assumir. Acho factível imaginar que até o final de março a licitação esteja concluída”, disse Koch. Após esse período, segundo ele, as empresas vencedoras da licitação terão seis meses para apresentar a nova frota. Com isso, a TCB seguirá administrando as empresas do Grupo Amaral até setembro.

O presidente da TCB garantiu que a população começará a sentir, a partir da próxima semana, os efeitos da intervenção do GDF nas linhas de ônibus do Grupo Amaral. “Semana que vem é um prazo bastante razoável para que o cidadão comece a perceber a atuação do governo nas linhas da Viva Brasília, Rápido Veneza e Rápido Brasília”, disse.

Segundo ele, a prioridade é recuperar os ônibus para aumentar o número de veículos circulando. “No primeiro momento, estamos cuidando dos reparos menores. Já estamos providenciando o suprimento de peças e manutenção de veículos para devolvê-los às ruas”. Em seguida, a empresa deverá cuidar dos reparos maiores, como retífica dos motores avariados.

Apesar das mudanças, a população do Distrito Federal ainda reclama da condição do transporte público da capital.

Larissa Lopes, moradora da cidade de Planaltina, disse que prefere esperar para saber que o serviço de transporte vai melhorar com as medidas adotadas pelo governo. “Sinceramente, acho que não vai resolver nada. A gente só escuta promessa e nada. Mas vamos ver, esperar”. Larissa, que utiliza os ônibus da Viva Brasília, disse que a superlotação durante as viagens e os ônibus velhos são os principais problemas. “Pego ônibus lotado, isso quando não quebra no meio do caminho”.

Luciana Oliveira, passageira da Rápido Brasília, criticou o estado de conservação dos veículos. “Geralmente, quando a gente sai, em torno de 7h da manhã, vimos três, quatro ônibus quebrados pelo caminho”, declarou. Luciana prevê muito trabalho do GDF pela frente. “Tem que haver uma reorganização, respeito aos horários e mais ônibus na rua. Todos saem lotados da rodoviária. Há uma verdadeira disputa pra entrar neles”, completou. (Agência Brasil)