Posts Tagged ‘Toninho do PSol’

 Toninho Psol Wany

O Diretório Regional do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL-DF) entregou, no final da tarde desta segunda-feira (1), ao presidente da Câmara Legislativa, deputado Wasny de Roure (PT), requerimento solicitando a retirada de tramitação do projeto de lei complementar nº 108/14, do Executivo, que remaneja recursos do Fundo de Apoio À Cultura (FAC) e do projeto de lei nº 2.049/14, também do governo local, que cria o Fundo Especial da Dívida Ativa (Fedat). Ambos os projetos são apontados pelo GDF como saída para sanar dívidas do governo. O partido propôs ainda a criação de uma auditoria da dívida pública do DF e outra para apurar gastos com a construção do Estádio Nacional Mané Garrincha.

O candidato ao governo do DF nas últimas eleições, Toninho do PSOL, foi um dos líderes que entregou pessoalmente o documento do partido ao presidente Wasny. No texto, o PSOL sua preocupação com a situação das finanças púbicas do Distrito Federal, “que se encontram numa situação quase falimentar, devendo chegar ao final deste ano com um déficit público superior a R$ 2 bilhões, podendo chegar a R$ 3,1 bilhões”.

Os membros do PSOL reivindicam ainda que a Câmara Legislativa “exerça plenamente suas funções de fiscalizadora do Poder Público, desempenhando todas as suas funções, inclusive abrindo Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para identificar e responsabilizar aqueles que levaram o Distrito Federal a esta calamitosa situação”.

 psol

O PSOL faz um enorme agradecimento a todas as pessoas que compartilharam do nosso projeto de mudança e que depositaram em nós sua esperança de ver um Distrito Federal melhor para se viver.

Toninho do PSOL, de forma coerente e combativa, verbalizou as nossas propostas para mudar as condições de vida de nossa população. Saúde para todos com o programa “saúde em casa”, tarifa zero nos transportes públicos, segurança para todos com uma polícia humanizada e defensora dos direitos humanos e uma educação pública de qualidade com escolas em tempo integral, além de creches em todas as cidades do DF, foram algumas delas.

Essas bandeiras são permanentes para nós. Independente de resultados eleitorais, continuaremos a defender os direitos de todos!

Optamos por fazer uma campanha modesta, ética e transparente, sem financiamento de empresas e sem sujar as ruas. Uma campanha coerente com aquilo que defendemos para o poder público. Contamos com a contribuição generosa de militantes e apoiadores que acreditam que é possível fazer política de um jeito diferente.

O primeiro turno das eleições no DF foi marcado, num primeiro momento, pelo embate contra o candidato ficha suja que felizmente, por iniciativa do PSOL, foi cassado pela Justiça. Após esse momento, abriu-se uma nova eleição e a disputa ficou tomada pelos candidatos financiados pela especulação imobiliária, bancos e grandes empresas privadas. Esses candidatos formaram coligações espúrias com interesses que não são os interesses do povo do Distrito Federal.

De imediato, expressamos ser incompatível qualquer diálogo com a candidatura de Frejat, candidato do grupo político de Roriz e Arruda, responsáveis pela implantação de diversas políticas nefastas e corruptas, de um projeto de DF desigual e em confronto com os direitos humanos. Frejat está associado a um dos maiores ficha-sujas da história recente do país, que utiliza da boa fé do povo para continuar com seus desmandos. Essa é a candidatura das velhas oligarquias e do coronelismo, representando o que há de mais atrasado na política do DF. Dizemos não ao voto e apoio a este candidato!

A candidatura de Rollemberg, contudo, deu sinais de que seguirá o mesmo caminho da velha política. O PSB e Rollemberg foram base dos governos Arruda e Agnelo, e tudo indica que comporão um governo mediante indicações fisiológicas dos parlamentares eleitos pelos grupos conservadores da cidade, que controlam a política local em oposição a uma gestão republicana e participativa, e a uma cidade democrática em que se garanta a igualdade social e o respeito à diversidade humana. A campanha de Rollemberg refletiu essa política em suas coligações com partidos conservadores, crias do rorizismo e arrudismo, e nos investimentos que recebeu de grandes empresas.

Assim, seguindo a coerência e os princípios que norteiam sua caminhada desde sua fundação, o PSOL opta por não apoiar nem a dupla ficha suja Frejat-Arruda, nem a falsa nova política de Rollemberg no segundo turno do DF. Nosso caminho está com as ruas. Seja quem for eleito, continuaremos lutando ao lado da juventude e dos trabalhadores pela construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Agradecemos, mais uma vez, a toda a população do DF, nossos eleitores e apoiadores pela confiança recebida nessas eleições.

7h30 Panfletagem nos Ministérios (saída da Tenda do Servidor)

9h Panfletagem no Hospital Anchieta e HRT – Setor C Norte

14h Gravação do programa eleitoral

18h30 Panfletagem Unieuro – Setor de Embaixadas Sul

8hs às 17hs – Agenda Interna

17:45hs – Debate SBT

9h Panfletagem em Águas Claras (Centro Comercial Onix, Av. Castanheiras, entre as ruas 8 Norte e 7 Norte)

15h Panfletagem no Pistão Sul (Ag. Banco do Brasil, próximo a Churrascaria Fogo de Galpão)

19h Cocktail Literário – Lançamento do livro de poesias do candidato a deputado distrital Warisman (Restaurante Amarelinha Área Especial 2 – Setor Leste – Gama)

21h Festa do Advogado (Setor de Clubes Sul)