Posts Tagged ‘Mané Garrincha’

Foto: André Borges / ComCopa

Foto: André Borges / ComCopa

Ato contra racismo abriu primeira rodada da Copa do Brasil na capital

A mobilização contra o preconceito e a disputa emocionante de cada lance deram o tom da partida entre Brasília e Sport nesta quinta-feira (1º), no Estádio Nacional Mané Garrincha. Nas arquibancadas, o clima foi de tranquilidade e alegria entre os torcedores, que compareceram e ocuparam praticamente todo o anel inferior.

De acordo com estimativa da Polícia Militar, cerca de 18 mil pessoas compareceram à estreia do Mané na Copa do Brasil. No placar, deu Sport, que venceu por 3×1.

“Esse é mais um capítulo de sucesso do estádio. O público superou as expectativas para essa quinta-feira, em um jogo que ocorreu em horário avançado e em um feriado. Isso mostra a força do nosso futebol, com um time que fez uma boa partida contra um clube da série A”, ressaltou o secretário Extraordinário da Copa 2014, Claudio Monteiro. “E com a partida de hoje, comemoramos o feito de ter atraído, em menos de um ano, times de todas as regiões do país para jogar em Brasília”, acrescentou.

Não ao racismo – O time da capital entrou em campo protestando contra o racismo. Os jogadores do Brasília carregaram uma faixa com a mensagem “Em vez da cor, amor” – uma resposta direta à agressão sofrida pelo jogador da Seleção Brasileira Daniel Alves, durante partida onde defendia o Barcelona, no Campeonato Espanhol.

A ação é uma forma de convocar os times do Distrito Federal e a sociedade para combater o preconceito racial dentro e fora dos gramados. “Não há local melhor para representarmos essa causa. O Mané Garrincha é democrático e já recebeu jogadores de várias etnias e nacionalidades, o que prova que o esporte é ferramenta para combater o racismo”, afirmou uma das estrelas do clube candango, o jogador Kaká.

Pé quente – Em sua estreia no gramado da arena brasiliense, o Sport venceu a equipe colorada por 3 x 1. Para o técnico do time pernambucano, o Mané deu sorte ao clube. “Jogamos em um estádio maravilhoso, que nos propiciou essa vitória. É sempre bom contar com uma estrutura como essa, com um ótimo gramado e excelentes vestiários”, elogiou Eduardo Baptista, ao revelar que seria uma honra voltar a jogar em Brasília: “Aqui temos uma torcida grande e bonita, que sempre nos acompanha”.

Comemoração – Com a vitória, o Sport avança na Copa do Brasil 2014. Quem ficou feliz com o resultado foi o funcionário público Fábio Brito, 45 anos. Nascido em Recife, ele vive em Brasília há 14 anos e vibrou com a possibilidade de ver o time do coração tão perto de casa. “Agora temos um estádio moderno, bem localizado e espaçoso. Vim andando para cá e ainda tive a alegria de ver meu time ganhar”, comemorou o morador da Asa Norte.

Outros torcedores vieram de longe para ver o espetáculo. Para o advogado Paulo Chaves, 48 anos, valeu a pena percorrer os mais de 2 mil quilômetros entre Recife e Brasília para assistir à vitória do Sport. “O que me trouxe aqui foi a paixão pelo futebol e pelo meu time. E fiquei satisfeito com a estrutura do Mané Garrincha. É um excelente estádio com uma proximidade incrível dos jogadores”, comemorou Paulo, que aproveitou a viagem para conhecer a capital do País. “Muito linda”, resumiu.

Pela segunda vez no Estádio Mané Garrincha, o professor Gilson Luís da Silva, 50, levou os quatro filhos para a partida desta quinta-feira. Torcedor do Brasília, ele garante que o placar não estragou a festa da família: “Me sinto muito seguro em vir com meus filhos. É muito bom ter um estádio grande como esse tão perto de nós. Valoriza a cidade”.

mane

Brasília x Sport, nesta quinta-feira (1º/05), realizam o primeiro jogo da Copa do Brasil no Estádio Nacional. Será a 27ª partida de futebol na arena brasiliense, que no próximo dia 18 completa um ano de funcionamento e já recebeu público de 737 mil pessoas

Quinta-feira (1/º05) é dia de estreia no Mané Garrincha. O estádio recebe pela primeira vez uma partida da Copa do Brasil – torneio que reúne todos os 26 estados e o DF. O vencedor da competição garante uma vaga para a tão sonhada Taça Libertadores da América. O jogo está marcado para as 21h50, e os ingressos já estão à venda.

Os torcedores ficarão na arquibancada inferior, de onde vão poder ver cada jogada de pertinho. Projetado para dar a sensação de um “caldeirão”, o Mané Garrincha tem apenas 7,5 metros de distância entre as cadeiras e a beira do campo. Os portões serão abertos às 18h30.

Será a 27ª partida de futebol na arena brasiliense, que no próximo dia 18 completa um ano de funcionamento e já recebeu público de 737 mil pessoas.

O time da capital chega à Copa do Brasil embalado por uma conquista importante no Mané. Na semana passada, o Brasília FC foi campeão da Copa Verde, torneio com times das regiões Norte, Centro-Oeste e do Espírito Santo.

Boa fase - Cerca de 51 mil torcedores estiveram no estádio para a disputa emocionante entre Brasília e Paysandu, decidida nos pênaltis no dia do aniversário de 54 anos da cidade. O título deu ao Colorado candango vaga inédita para a Copa Sul-Americana, e fôlego para disputar as semifinais do Candangão 2014.

A equipe do Recife não fica atrás. O Leão do Norte conquistou a Copa do Nordeste e o Campeonato Pernambucano deste ano, e também está classificado para a Sul-Americana. O Sport está na série A do Brasileirão 2014, e vem de uma vitória em casa contra o Chapecoense, no domingo (27).

Brasília x Sport no Mané Garrincha

1ª rodada da Copa do Brasil 2014

Data: Quinta-feira, 1º de maio

Hora: 21h50

Preços: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Pontos de venda:

- Sede do Brasília Futebol Clube (Setor Comercial Norte, Quadra 1, Bloco F, Sala 1017 – Edifício America Office Tower)

- Pirma Artigos Esportivos (SRS 513, Bloco C, Loja 62 – Asa Sul)

- Loja do Correspondente Bancário do BRB na Rodoviária do Plano Piloto (só nos dias 16 e 17)

- Bilheteria móvel no estacionamento leste do Estádio Mané Garrincha (voltado para o Brasília Shopping). Atendimento das 10h às 17h.

Sucesso de público e renda, Estádio Nacional de Brasília alcança a marca de 737 mil espectadores, mais que o dobro do antigo Mané. Em menos de um ano de funcionamento, a arena já recebeu 37 eventos, uma média de três por mês

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha segue quebrando recordes. Desde a inauguração, em maio do ano passado, até agora, foram recebidos 737 mil espectadores. Um novo recorde para a arena, já que o número é mais que o dobro do público registrado pelo antigo Mané em 36 anos: 340 mil pessoas.

O grande sucesso do estádio brasiliense em tão pouco tempo de história se confirma na agenda movimentada. Em apenas 11 meses de funcionamento, foram 37 eventos, entre eles 26 partidas de futebol, quatro shows e sete institucionais. O resultado representa uma média de três eventos por mês.

Pé-quente - Palco do início da campanha vitoriosa que levou a Seleção Brasileira ao tetracampeonato da Copa das Confederações da FIFA, em 2013, o Mané Garrincha foi o principal vetor da competição, que gerou 39.242 oportunidades de emprego, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Ainda segundo o estudo, o megaevento movimentou R$ 2,8 bilhões na economia brasiliense, o equivalente a duas vezes o investimento feito pelo GDF na construção do estádio, que também tem feito história no futebol nacional. Somente no ano passado, recebeu 10 jogos do Campeonato Brasileiro.

Destaque para a partida entre Santos e Flamengo, marcada não apenas pela despedida do craque Neymar, mas principalmente por registrar o maior público (63.501 torcedores) e a maior renda (R$ 6,9 milhões) do torneio no ano de 2013.

Agenda - No dia do aniversário de 54 anos da cidade, foi a vez de o futebol local brilhar na arena multiuso. Em uma partida histórica, o Brasília Futebol Clube venceu o Paysandu nos pênaltis e levantou o troféu da Copa Verde. A conquista garante ao time da capital federal uma vaga na Copa Sul-Americana de 2015, feito inédito que trará uma competição internacional à cidade.

Para o secretário Extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro, a conquista é a realização de um sonho dos brasilienses. “Nossa cidade começa a tomar nova proporção no futebol nacional. Ver esse estádio lotado com o público da cidade mostra que fizemos a opção certa ao defender e construir uma arena no coração de Brasília”, declarou Cláudio, minutos antes de entregar a taça ao clube campeão.

Em junho, os brasilienses viverão a emoção de receber uma Copa do Mundo da FIFA(TM) em casa. Brasília sediará sete partidas do Mundial, número máximo para uma cidade-sede, entre elas Brasil x Camarões, em 23 de junho. No dia 12 de julho, véspera da grande final, é no Mané Garrincha que será decidido o terceiro lugar da competição.

Campeão carioca agitou arena brasiliense. Partida selou nova marca histórica do Estádio Nacional, que receberá sete jogos da Copa do Mundo da FIFA(TM)

É indiscutível. A torcida flamenguista do Distrito Federal provou mais uma vez porque a capital ganhou o título de “segunda casa dos rubro-negros”. Mais de 19 mil torcedores, a grande maioria flamenguista, estiveram no Mané Garrincha. A maior torcida do DF vibrou e empurrou o time carioca que, no entanto, ficou no empate em 0 x 0 com o Goiás.

O jogo marcou um novo recorde para o Estádio Nacional de Brasília. Desde a inauguração, há 11 meses, cerca de 686 mil pessoas estiveram na arena.

O número ultrapassou o dobro do público total do antigo Mané Garrincha, que recebeu cerca de 340 mil pessoas em 36 anos de funcionamento. Antes mesmo dos sete jogos que Brasília sediará na Copa do Mundo da FIFA(TM), os dados comprovam o sucesso da arena.

O supervisor Gilmar Silva, 35 anos, compareceu à arena neste domingo pela oitava vez. “Só perdi um jogo até agora. Dessa vez, a emoção é especial porque vim bem acompanhado”, comenta. Gilmar foi um dos ganhadores da promoção “Brasileirão 2014 no Mané”, e trouxe o filho Gustavo Pedro, 17 anos. “Fiquei sabendo da promoção pelo Facebook do Copa DF”, conta o universitário.

Lar, doce lar – A escolha de Brasília para ser a segunda casa do Mengão tem um motivo claro. Dados de uma pesquisa da Companhia de Desenvolvimento do Planalto (Codeplan) revelam que 52,14% dos moradores do Distrito Federal são flamenguistas.

“Mais uma vez, os torcedores do Flamengo no DF deram um show nas arquibancadas. Ficamos felizes em receber o público, e em registrar mais uma marca história para o Mané Garrincha”, declarou o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

Nos nove jogos realizados no Mané com a presença do Flamengo, foram mais de 340 mil torcedores. Ou seja: mais da metade do público que já compareceu ao Estádio Nacional de Brasília até o momento.

Abrace - A roraimense Daiane Silva, 33 anos, nunca tinha entrado em um estádio de futebol. Ela veio ao Mané com o filho Caíque, 8 anos, que faz tratamento contra um câncer em Brasília desde outubro. “Sou flamenguista e fã do Everton. Estou muito alegre em ver um jogo assim, de pertinho”, conta Caíque.

O garoto fez parte de um grupo de 13 crianças da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace), entidade que presta assistência a crianças em tratamento de câncer no Distrito Federal, numa parceria com a Secretaria Extraordinária da Copa, do Governo do Distrito Federal.

Amor dividido - Fernando Peixoto, 39 anos, levou o outro par de ingressos da promoção, realizada pelo Portal Brasília na Copa. Torcedor do Goiás, o contador trouxe a esposa Cleomara, 40, flamenguista roxa. “Fiz a frase porque queria trazê-la. Estamos torcendo para times diferentes, mas acho que não vai dar problema em casa”, divertiu-se.

O esmeraldino Luiz Gomes Moura, 66 anos, veio pela primeira vez ao Mané Garrincha. “Já estou na melhor idade, e não esperava viver tanta coisa boa a essa altura. Estar num estádio tão lindo, ver a Copa no meu país, é uma emoção histórica”, declarou.

Tranquilidade - As forças de segurança dentro e nos arredores do estádio Mané Garrincha não registraram incidentes graves, desde o acesso até a saída dos torcedores. 11 pessoas tentaram pular as catracas de acesso à arena, mas foram contidas e encaminhadas para a 5ª Delegacia de Polícia.

Durante o jogo, um torcedor atirou uma garrafa plástica no campo. O objeto não acertou nenhum jogador, e foi recolhido pelo juiz. Pessoas que estavam na torcida do Flamengo condenaram o ato e indicaram aos policiais o autor da agressão, que foi encaminhado à mesma delegacia.

Agenda cheia - E vem mais emoção por aí. Nesta segunda-feira (21), o Mané Garrincha será palco da final da Copa Verde. O Brasília Futebol Clube precisa de uma vitória para levar o título sobre o Paysandu e garantir uma classificação inédita para a Copa Sul-Americana de 2015.

E daqui a menos de dois meses, o maior espetáculo da Terra chega ao Brasil. O Estádio Nacional de Brasília receberá sete partidas da Copa do Mundo da FIFA(TM) – o máximo para uma cidade-sede -, incluindo o jogo da Seleção Brasileira contra Camarões, no dia 23 de junho, e a disputa de terceiro lugar, no dia 12 de julho.

Torcedores, jogadores e equipes técnicas se comoveram ao lembrar de um dos maiores locutores esportivos do país, que faleceu nesse fim de semana

Os mais de 19 mil torcedores presentes à partida entre Flamengo e Goiás no Mané Garrincha fizeram uma homenagem no domingo (20/04) ao locutor Luciano do Valle, que morreu no sábado (19) aos 66 anos. O público aplaudiu de pé um dos maiores nomes do jornalismo esportivo do país. O momento de emoção envolveu a todos os presentes na arena brasiliense.

m dezembro passado, Luciano do Valle narrou as partidas do Torneio Internacional de Futebol Feminino realizado na arena brasiliense. O narrador levou à torcida, que assistia em casa pela TV, a energia dos jogos que garantiram à Seleção Brasileira a conquista do tetracampeonato.

Na ocasião, o locutor elogiou a arena. “Tudo é muito bonito aqui. Esse estádio tem uma imponência de tirar o folego. É confortável, o gramado é bom e o espaço tem um ótimo acesso. Está no centro da capital do país”, disse Luciano.

Durante a coletiva concedida ao fim do jogo de domingo (20/04), o técnico do Flamengo, Jayme de Almeida, se emocionou ao lembrar do companheiro de longa jornada. “Luciano do Valle foi um dos grandes ícones que contribuiu para o desenvolvimento do esporte brasileiro, seja narrando vôlei, natação ou futebol. O país deve muito a esse cara”, reconheceu Jayme, com a voz embargada.

O deputado Roberto Policarpo (PT-DF) considera que Brasília está sendo atacada porque será sede de grande número de jogos da Copa do Mundo, mesmo sem ter tradição de futebol. “Estão sendo veiculadas notícias de que o custo do Estádio Nacional Mané Garrincha chegaria a R$ 2 bilhões, mas neste valor estão sendo computados recursos para paisagismo e urbanismo de revitalização da área central de Brasília, que inclui a urbanização do Setor Hoteleiro”.

O pacote de ações de revitalização da área central da cidade chega a cerca de R$ 300 milhões e compreende dez projetos, entre eles obras viárias. “E isso também não pode ser computado como custo do estádio”.

Policarpo ressalta que o investimento total no estádio é de 1,4 milhão, que ainda poderá ser reduzido para R$ 1,2 bilhão, em virtude do abatimento de créditos do Regime Especial de Tributação para Construção, Ampliação, Reforma e Modernização de Estádios de Futebol (Recopa).

“O valor do estádio não dobrou, como alguns querem fazer crer. Esse é outro cálculo equivocado. É preciso destacar que a obra foi contratada a partir de licitações distintas. A primeira delas, no valor de 696 milhões de reais, foi assinada, em 2010, entre o Governo do Distrito Federal e o Consórcio Brasília 2014, responsável pela obra civil, ou seja, apenas pelo esqueleto do estádio.

Esse contrato não incluiu itens como cobertura, gramado, placares eletrônicos, assentos, sem os quais teríamos apenas uma carcaça, não um estádio de futebol, e que foram licitados ao longo do processo de construção da nova arena”, acentua o deputado.

Policarpo ainda frisa que o Mané Garrincha não pode ser considerado o mais caro do mundial. Diferentemente de outros, como o Maracanã, que passou apenas por uma reforma, o estádio de Brasília foi totalmente reconstruído, e com capacidade para 72 mil pessoas.

Outra notícia veiculada na imprensa também é repudiada pelo deputado. “Não foram realizados 47 novos aditivos ao contrato. O que tem sido noticiado como tal são, na verdade, notas de previsão de pagamento de atualização monetária de contrato da obra estabelecida pela legislação que rege contratos de forma geral. Beira a irresponsabilidade e a má-fé tentar fazer crer que tais correções monetárias seriam novos gastos, aditivos, reformas ou ampliações do Estádio, como tem sido insistentemente dito”.

O deputado também refuta outras acusações: “É importante destacar que temos em Brasília um estádio de primeira linha, cuja excelência tem sido comparada às grandes arenas europeias. Então, aos que torcem para que a arena apresente algum problema, devo esclarecer que o estádio vai muito bem, obrigado, e que qualquer eventual manutenção está prevista em contrato, sem custo adicional algum no reparo para o Governo do Distrito Federal e para a sociedade brasiliense, já que tem garantia de 5 anos.”

Outra polêmica que Policarpo prova não ter fundamento é sobre auditoria do Tribunal de Contas do Distrito Federal que apontaria superfaturamento na obra. “O Governo do Distrito Federal e o consórcio responsável pela construção, como é de praxe, apresentarão os esclarecimentos solicitados pelo Tribunal, reiterando que inexistem irregularidades ou superfaturamento na obra.

Esse é um relatório preliminar usual nos procedimentos do Tribunal, que lista itens pontuais para esclarecimentos. O Tribunal de Contas do Distrito Federal faz auditoria permanente e chegou até a contar com uma sala no canteiro de obras do estádio na fase de construção, o que comprova comprometimento e transparência do Governo com o órgão fiscalizador. Além disso, técnicos do TCDF realizavam visitas mensais, acompanhando o dia a dia da obra”.

O Governo do Distrito Federal alcançou o maior índice de transparência entre as 12 cidades-sede, de acordo com levantamento do Instituto Ethos. E o GDF recebeu nota máxima em participação popular na aplicação desses recursos, segundo o levantamento do Instituto. “Vale ressaltar que, antes da liberação, na semana passada, de quase 1,6 bilhão de reais do PAC de Mobilidade Urbana para o Distrito Federal, de cada 1 real investido no estádio, o Governo do Distrito Federal já havia assegurado outros 3 reais para infraestrutura, mobilidade urbana e segurança, o que ficará como legado dos grandes eventos para a cidade, um grande indutor do desenvolvimento econômico, com geração de emprego e renda”.

RESULTADOS ALCANÇADOS – Desde a inauguração do Estádio Nacional de Brasília, entre maio de 2013 até agora, em 30 eventos realizados, a arena recebeu pblico superior a 655 mil pessoas. Em apenas 10 meses de operação, o novo Mané Garrincha reuniu quase o dobro de público que o antigo estádio em 36 anos. Foram 315 mil pessoas a mais do que as 340 mil do velho Mané.

O estádio também teve papel decisivo na escolha de Brasília para receber grandes eventos esportivos além da Copa. A cidade será subsede das Olimpíadas de 2016 — sediará o esporte masculino e feminino — e receberá, em 2019, a Universíade, as Olimpíadas Universitárias, a segunda maior competição poliesportiva mundial, que reúne cerca de 12 mil atletas de 166 países. Esses eventos movimentarão ainda mais a economia do Distrito Federal, contribuindo para a geração de emprego e renda. Cada evento que o Estádio recebe é capaz de injetar na economia local até 12,3 milhões de reais e de gerar em torno de 2 mil empregos diretos e indiretos, como aconteceu nos 30 eventos realizados até agora.

Comitê Olímpico Internacional (COI) confirma Brasília como sede do futebol nos Jogos Olímpicos de 2016. É a prova de que a arena brasiliense colocou a cidade na rota dos grandes eventos esportivos do mundo

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha recebeu nesta quarta-feira (19/03) mais uma confirmação de que é um estádio que traz grandes eventos esportivos para a capital e movimenta a economia da cidade, com geração de emprego e renda. O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou, durante apresentação à imprensa, que a arena brasiliense será um dos palcos de futebol dos Jogos Olímpicos no Rio, em 2016.

“É a confirmação de que o estádio é um vetor de desenvolvimento social e econômico para a nossa capital, com atração de grandes eventos, geração de empregos e a vinda de turistas. A Copa do Mundo ainda nem começou e já estamos comemorando a conquista de partidas de futebol dos Jogos Olímpicos de 2016”, afirma Claudio Monteiro, secretário Extraordinário da Copa (Secopa).

Multiuso – O Mané Garrincha se concretiza não só como um local para jogos de futebol e shows. Além de ser um monumento turístico, a arena multiuso é um grande gerador de desenvolvimento econômico e social. De acordo com a Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), cada evento no estádio movimenta, em média, R$ 12 milhões e abre dois mil postos de trabalho diretos e indiretos.

Desde a inauguração, em maio de 2013, mais de 655 mil pessoas já foram à nova arena. Isso significa 315 mil a mais do que o antigo Mané Garrincha que, em 36 anos, recebeu 340 mil visitantes. O novo monumento de Brasília vai sediar sete partidas da Copa do Mundo da FIFA™, o máximo estabelecido para uma cidade-sede.

Sedes – Além do Rio de Janeiro (Maracanã) e de Brasília, também vão sediar jogos de futebol das Olimpíadas 2016 Salvador (Fonte Nova), Belo Horizonte (Mineirão) e São Paulo (local ainda a ser decidido, mas provavelmente será no Itaquerão). As sedes foram reconfirmadas durante o primeiro dia da sexta visita oficial da Comissão de Coordenação do COI, no Rio.

A cerimônia de abertura das Olimpíadas de 2016, no Rio, está marcada para 5 de agosto, enquanto o encerramento será no dia 21. Dono de cinco títulos da Copa do Mundo da FIFA™, a Seleção Brasileira masculina vai tentar um feito inédito: conquistar a primeira medalha de ouro em Jogos Olímpicos.

 Foto: Andre Borges/ComCopa

Foto: Andre Borges/ComCopa

Equipes das polícias Civil e Militar treinaram situações de risco extremo no Mané Garrincha, com resgate de autoridades e contenção de criminosos armados. Treinamento para o Mundial faz parte de intercâmbio com a Alemanha

Em situações extremas de risco em grandes eventos, cada instante é valioso e poucos segundos podem definir o sucesso ou o fracasso das ações de segurança. Nesta quarta-feira (19/03), policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar e agentes da Divisão de Operações Especiais (DOE) da Polícia Civil mostraram que estão prontos para atuar na Copa do Mundo da FIFA™.

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha foi escolhido especialmente para ser o palco dessa demonstração, por ser uma arena que já está em plena operação e receberá sete jogos – o número máximo de partidas para uma cidade-sede – do Mundial a partir de junho.

Agilidade, precisão e técnica marcaram cada passo das ações, que juntas duraram 15 minutos. A primeira, protagonizada pelo Bope, simulou uma tentativa de sequestro a um jornalista que trabalhava à beira do campo durante uma partida. Três alvos, que representavam criminosos com armas de fogo, foram atingidos por atiradores de elite do batalhão. Na sequência, um quarto “suspeito” com uma faca foi imobilizado por homens da tropa.

Rapel – A “vítima” foi retirada em segurança pelas saídas do campo. O Bope também treinou a descida de policiais do helicóptero do batalhão, por meio de técnicas de rapel. Em uma manobra complexa e bem executada, a aeronave adentrou o estádio através do anel central da cobertura.

A operação seguinte envolveu o resgate de uma autoridade internacional convidada a dar o pontapé inicial de uma partida de futebol. Após outro tiro perfeito de um sniper (atirador de elite) da Polícia Civil, 12 agentes do DOE entraram rapidamente em ação para garantir a segurança do perímetro ao redor do helicóptero, que pairou a apenas um metro do chão para a retirada da autoridade.

Troca de experiências – O treinamento é parte do intercâmbio realizado entre as forças policiais Brasil e da Alemanha, e foi acompanhando por jornalistas e representantes do governo alemão e da Embaixada da Alemanha no Brasil. A troca de experiências começou em outubro, com um curso de treinamento para 10 policiais civis e militantes do Distrito Federal em Hanôver, no estado da Baixa Saxônia (Alemanha). O governador do estado e presidente da Câmara Federal alemã, Stephan Weil, veio a Brasília e aproveitou para chutar algumas bolas rumo ao gol do Estádio Mané Garrincha.

“A Alemanha é o berço das operações especiais, que começaram justamente após os atentados em Munique, na Olimpíada de 1972”, explica o tenente do Bope Rogério Nogueira, que comandou a demonstração. “Além disso, o país recebeu a Copa em 2006 e desenvolveu ações específicas para os estádios. São procedimentos que já realizávamos aqui, mas é importante trocar informações sobre a prática das corporações dos dois países”, afirma.

As equipes de Operações Especiais só atuarão em situações de extremo perigo dentro do estádio. Durante o Mundial, a primeira resposta em segurança será dada pelosstewards (seguranças privados), seguida da atuação do Batalhão de Choque da PM em casos mais graves. Bope e DOE são requisitados em “último caso”, para ocorrências de gravidade extrema.

Parceria – “Essa parceria traz frutos para os dois lados. Mesmo a legislação alemã tem uma série de diferenças e particularidades em comparação à nossa”, explica o agente Dantas, do Departamento de Operações Especiais (DOE) da Polícia Civil. “O curso não é voltado apenas para a Copa do Mundo, esse aprendizado se reflete em todas as ações articuladas pelas equipes de operações especiais”, garante.

Para o tenente coronel Agrício, comandante do Bope, as técnicas são fundamentais para a atuação no Mundial, mas representam, principalmente, um legado para a segurança pública do DF. “O treinamento serve para qualquer situação de resgate de reféns e para solucionar conflitos graves em locais com grande aglomeração de pessoas”, destaca o comandante.

Treinados para atingir alvos a 150 metros de distância, os snipers atiraram a 132 metros no Mané. “Essa questão de segurança em estádio é muito nova, ela veio com a Copa do Mundo. Então, tivemos a oportunidade de conhecer as posições de tiro e como eles atuam no estádio. Isso nos deu muitos elementos para poder aplicar aqui”, afirma o agente da Polícia Civil Honney, atirador de elite da corporação há sete anos.

Índice

Em relação à reportagem “Custo do estádio dobrou em quatro anos”, publicada por este veículo, a Coordenadoria de Comunicação para a Copa (ComCopa) do Governo do Distrito Federal (GDF) esclarece:

VALOR NÃO DOBROU

Não é correto afirmar que o custo do estádio dobrou em quatro anos. O cálculo está equivocado. E preciso destacar que obra foi contratada a partir de licitações distintas. A primeira delas, no valor de R$ 696 milhões, foi assinada em 2010 entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e o consórcio Brasília 2014, responsável pela obra civil, ou seja, apenas o esqueleto do estádio.

Esse contrato não incluiu itens como cobertura, gramado, placares eletrônicos, assentos, entre outros. Esses itens foram licitados ao longo do processo de construção da nova arena.

ESTÁDIO TOTALMENTE RECONSTRUÍDO

Também não é verdade que o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha é o mais caro do Mundial. Diferentemente da maioria dos estádios que sediarão jogos da Copa do Mundo, como o Maracanã, que passou por uma reforma, o estádio da capital federal foi totalmente reconstruído. Qualquer comparação do investimento realizado no Mané Garrincha em relação aos demais estádios não pode ser feita apenas baseada em valores absolutos da obra.

Ou seja, não se pode comparar arenas diferenciadas, que possuem características próprias. Muito menos se comparar gastos com reformas com investimento em uma arena totalmente nova, com capacidade para 72 mil pessoas.

INVESTIMENTO NO ESTÁDIO

NÃO É VERDADE que o valor do investimento no estádio tenha aumentado para R$ 1,9 bilhão.

O investimento total no estádio é de R$ 1,4 bilhão, valor que ainda poderá ser reduzido para R$ 1,2 bilhão em virtude da previsão de abatimento de créditos do Regime Especial de Tributação para Construção, Ampliação, Reforma ou Modernização dos Estádios de Futebol (Recopa).

Como custo do estádio são computados EQUIVOCADAMENTE, entre outros, recursos para “paisagismo e urbanização” referentes ao projeto de REVITALIZAÇÃO DA ÁREA CENTRAL de Brasília.

ENTREGA ANTECIPADA

Vale ressaltar ainda que não houve atraso na entrega da obra da arena. Na concepção do projeto, Brasília receberia apenas jogos da Copa do Mundo de 2014, o que mudou com a escolha da cidade para ser sede da abertura da Copa das Confederações, em 15 de junho de 2013.

A inauguração da arena em 18 de maio de 2013, com a partida final do Campeonato Candango, representou a antecipação do cronograma.

AUDITORIA DO TCDF

Conforme nota de esclarecimento anterior enviada a esta Redação, o Governo do Distrito Federal reitera que INEXISTEM irregularidades ou superfaturamento na obra do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

O relatório do Tribunal de Contas do DF citado na reportagem é preliminar, usual nos procedimentos do tribunal, que lista itens pontuais para esclarecimentos.

TRANSPARÊNCIA

O Governo do Distrito Federal alcançou o maior índice de transparência entre as 12 cidades-sede da Copa do Mundo 2014, de acordo com levantamento do Instituto Ethos, organização não governamental que atua na área de gestão socialmente responsável. E recebeu nota máxima em participação popular na aplicação desses recursos.

O TCDF faz auditoria permanente e chegou até a contar com uma sala no canteiro de obras do estádio na fase de construção, o que comprova comprometimento e transparência do governo com o órgão fiscalizador.

Além disso, técnicos do TCDF realizavam visitas mensais, acompanhando o dia-a-dia da obra.

abrace

Festa terá dinheiro revertido para tratamento de crianças com câncer

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha será palco de um baile que resgatará a magia dos carnavais tradicionais, com direito a confete, serpentina e as famosas marchinhas. A festa “Abrace com Confete e Serpentina” será no dia 22 de fevereiro e é uma parceria entre a Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace) e a Secretaria Extraordinária da Copa do GDF. O encontro na arena abre a programação do carnaval 2014 na cidade.

A banda Terminal Zero animará os foliões na Área VIP do estádio. No repertório, marchinhas de sucesso como Allah-la Ô, de Haroldo Lobo e Nássara, A Pipa do Vovô, de Manoel Ferreira e Ruth Amaral, e tantas outras. Toda a arrecadação será destinada para a expansão do tratamento de crianças com câncer.

O baile começa às 22h, e a alimentação e bebidas estão incluídas no preço da entrada, que varia de R$ 200 (individual) a R$ 2.500 (mesa para 10 pessoas). As fantasias mais criativas serão premiadas no evento.

UNIDADES DE APOIO – Como a Secretaria de Saúde do DF pretende realizar transplantes de medula óssea no Hospital da Criança José Alencar, a presidente da Abrace, Ilda Peliz, explicou que, após a cirurgia, os pacientes precisam ficar isolados por cerca de seis meses. A associação mantém uma Casa de Apoio no Guará e, com os recursos arrecadados com o baile, construirá quatro unidades de isolamento para receber os transplantados e duas unidades de pacientes terminais e cuidados paliativos.

Serão 14 leitos novos. “O baile no Mané abre o carnaval do DF e inaugura, também, nosso calendário para 2014. Vamos mostrar o potencial do estádio para ajudar a sociedade além do futebol. É uma área nobre, que precisa ser conhecida e ocupada pela sociedade de Brasília”, disse Ilda.

Referência no tratamento a crianças com câncer, o Hospital da Criança foi inaugurado pelo GDF em parceria com a Abrace, em 2011. Em dois anos de funcionamento, a unidade já realizou mais de 750 mil atendimentos. O governo local investe, por mês, R$ 4,8 milhões no hospital, e já está construindo o segundo bloco, com previsão de entrega ainda para este ano, que aumentará em 10 vezes a sua capacidade de receber pacientes.

Para o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro, o baile em prol da Abrace é mais uma oportunidade para destacar a função social do Mané Garrincha. Ele lembrou que no ano passado a arena brasiliense recebeu um evento do Sesi contra a exploração sexual infantil, com a participação de mais de 3 mil adolescentes de todo o Brasil.

“Temos uma grande arena multiuso que é um espaço que vai muito além da diversão, do entretenimento. A parceria com a Abrace, para ajudar no tratamento das crianças com câncer, é mais uma prova de que o investimento na construção do estádio ainda vai render bons frutos para toda a sociedade brasiliense”, concluiu Monteiro. (Informações da ComCopa)

SERVIÇO:

Festa de pré-carnaval “Abrace com Confete e Serpentina”

Onde: Área VIP (N2) do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha

Quando: sábado, dia 22 de fevereiro, às 22h.

Preços: R$ 200 (convite individual) e R$ 2.500 (mesa para 10 pessoas)

Local de venda: Abrace (QE 25, Área Especial I, CAVE, Guará II)

Mais informações: 3209-8800

Usina produzirá anualmente 3 mil MWh, o suficientes para abastecer 60 mil casas durante um ano

O Estádio Nacional de Brasília, modelo de sustentabilidade entre as arenas nacionais, passará a gerar energia solar no final do primeiro semestre deste ano. Em operação, a usina solar fotovoltaica, que será implantada na cobertura da edificação, terá capacidade para gerar 3 mil MWh/ano, suficientes para o abastecimento de 60 mil casas do DF durante 365 dias.

“Com essa usina, todo o Distrito Federal tem a ganhar, porque é uma tecnologia nova que será incorporada ao nosso sistema. É uma energia limpa e renovável e, embora mais cara, compensará pelo fator ambiental”, explicou o gerente de Normatização da CEB, Celso Nogueira.

Conforme publicação do Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (8), até o final deste mês ou início de fevereiro, a CEB Geração lançará o edital de licitação, com ampla concorrência, que selecionará a empresa que implantará a usina pelo projeto “CEB Geração Solar 2014″.

Ao todo, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha dispõe de 20 mil m² de área útil, mas somente 15 mil m², que representam 75% da cobertura, deverão ser utilizados para abrigar os painéis fabricados com silício cristalino.

De acordo com Nogueira, a geração de energia solar atende às exigências da FIFA, que quer uma Copa sustentável, e também do GDF, que busca formas alternativas para o desenvolvimento da capital. Ele explicou que o sistema pertencerá à Terracap, dona do estádio, e a manutenção será feita pela CEB, a princípio, nos dois primeiros anos.

A implantação da usina será feita em regime turn key, em que a empresa vencedora se responsabilizará integralmente pela entrega do circuito montado e conectado à rede. Caberá à instituição contratada, ainda, a realização do projeto executivo e aquisição dos equipamentos (módulos fotovoltaicos, inversores, transformadores e sistema de medição e controle).

A mesma empresa será responsável por proteger e impermeabilizar as superfícies que receberão os módulos, montar dos módulos nos strings, fazer a conexão à rede e o comissionamento. O prazo para a execução dos serviços, segundo o DODF, não poderá ultrapassar a data de 15 de julho.

As exigências serão feitas pela CEB no edital que está em fase de elaboração. No entanto, a empresa adianta que os interessados em participar da licitação devem comprovar experiência em integração de empreendimentos que utilizam Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede (SFCR).

As empresas que quiserem concorrer podem, inclusive, fazer um pré-cadastro no Portal de Compras da CEB e conseguir a chave de acesso à área restrita onde será possível obter mais informações sobre esse processo.

Comentarista do Torneio de Futebol Feminino, ex-jogador disse que ver a bola rolando no Estádio Nacional de Brasília deu a ele vontade de voltar a jogar

Não foram apenas as jogadoras da Seleção Brasileira de futebol feminino que se encantaram com o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. O pentacampeão Denílson, atualmente comentarista de esportes da TV Bandeirantes, disse que a arena brasiliense é maravilhosa. Tanto, que deu a ele até vontade de voltar a jogar.

Quando a gente olha um campo desse, uma estrutura dessa, uma torcida com essa alegria, dá vontade de voltar a jogar de novo, destacou ao ser entrevistado com exclusividade pelo Portal Brasília na Copa neste domingo (22/12), logo após o jogo Brasil e Chile, onde a Seleção Brasileira tornou-se tetracampeã do Torneio Internacional de Futebol Feminino.

Denílson, jogador lançado no time principal do São Paulo, em 1994, participou das Copas do Mundo de 1998 e 2002, ocasião em que conquistou o título do Penta da Seleção Brasileira, e jogou em times europeus da Espanha e da França. “Conheço muitos estádios mundo afora e o de Brasília é de primeiro mundo”, ressaltou o comentarista.

Ele aproveitou a entrevista para mandar um recado aos torcedores: “O Brasil está ganhando estádios modernos, com estruturas invejáveis. Agora, os torcedores precisam entender que se trata de um patrimônio nosso. Então, quando for ao estádio, não pode brigar, quebrar. A violência não leva a nada.”

Imponência - Quem também elogiou a arena brasiliense foi o locutor esportivo Luciano do Valle. “Tudo é muito bonito aqui. Esse estádio tem uma imponência de tirar o fôlego. É confortável, o gramado é bom, tem um ótimo acesso, está no centro da capital do país”, destacou o profissional da TV Bandeirantes, que transmitiu a partida ao vivo.

Luciano ficou impressionado, também, com a disposição da torcida brasiliense, que mesmo debaixo de forte chuva compareceu ao Estádio Mané Garrincha para assistir a vitória do Brasil sobre o Chile, por 5 x 0. “Tomara que aqui se torne a casa do futebol feminino e a minha expectativa é voltar aqui no ano que vem para a sexta edição do torneio”, complementou o apresentador, que ressaltou, ainda, a qualidade do sistema de drenagem do gramado, que garantiu boas condições de jogo mesmo sob forte chuva.

Palavras que foram reforçadas pelo secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro, que trabalha para uma agenda cheia no Mané Garrincha para o segundo semestre do ano que vem, depois da Copa do Mundo de 2014. O estádio de Brasília vai receber sete jogos do mundial. Espero que no ano que vem possamos receber novamente esse torneio aqui. Porque o público de Brasília mais uma vez mostrou que sabe torcer e queremos que a Seleção Brasileira de futebol feminino encontre aqui a sua casa, destacou.

Desabafo -Ex-jogadora da Seleção Brasileira e atual coordenadora de Futebol Feminino do Ministério do Esporte, Michael Jackson fez um desabafo após o jogo “Nós, jogadoras, já ouvimos muito ‘não’ quando tentamos jogar em grandes estádios. Diziam que a gente ia estragar tudo, danificar a grama. Fizemos oito jogos aqui, e olha esse gramado. Continua lindo, elogiou.

Para ela, a proximidade entre as arquibancadas e o campo foi responsável por empurrar o time e manter o gás das jogadoras. “A torcida deu um show, abraçou o futebol feminino e transformou isso aqui num caldeirão. O Mané Garrincha é um dos maiores palcos, se não o maior, que nós já tivemos aqui no país”, destacou.

Ate as equipes de Canadá e Escócia, acostumadas às grandes arenas, elogiaram o Estádio Nacional de Brasília. “Impecável”, definiu a técnica da seleção escocesa Anna Signeul. “Temos estádios parecidos na Europa, mas que dificilmente recebem eventos assim. É uma honra vir à capital do Brasil, espero que possamos retornar em breve, disse.

Valorização - “Espero que a conquista em um estádio do porte do Mané Garrincha incentive ainda mais as jogadoras de futebol feminino por todo o país. Acredito que em breve, os times brasileiros poderão ser recebidos em um espaço de gala, e não só a Seleção Brasileira, torce a camisa 11, Cristiane.

Para a atacante do Santos Érika Cristiano, que não jogou o Torneio Internacional de Futebol Feminino por causa de uma contusão, a competição deu visibilidade às mulheres que atuam no esporte. “Todo mundo sonha em jogar num estádio como o Mané Garrincha, de primeiro mundo. Quando virmos jogos da Copa do Mundo masculina, em 2014, saberemos que nossas colegas estiveram aqui, exaltou.

Subestação atende estádio e alivia sobrecarga de outras subestações. Foto: Dênio Simões / GDF

Subestação atende estádio e alivia sobrecarga de outras subestações. Foto: Dênio Simões / GDF

O Governo do Distrito Federal entregou hoje três obras importantes para a Copa do Mundo de 2014: a Subestação (SE) Estádio Nacional e as linhas de Distribuição de Alta Tensão Sudoeste/Estádio Nacional e a Brasília Centro/Autarquias Norte/Estádio Nacional.

O investimento é de aproximadamente R$ 35,5 milhões. A subestação custou R$ 23.422 milhões e as linhas de distribuição, R$ 12.102 milhões.

“Estamos cumprindo seis meses antes da Copa as condições para ter absoluta segurança de energia para a realização dos jogos em Brasília”, disse o governador Agnelo Queiroz.

A subestação Estádio Nacional foi construída com tecnologia adquirida na Coreia do Sul. Os equipamentos são compactos e ocupam apenas 50 metros quadrados – um quarto do utilizado por uma subestação convencional.

Além do estádio, a subestação atenderá a maior parte do Plano Piloto e reduzirá as cargas das subestações Sudoeste e Brasília Norte. “Essa subestação é muito importante para Brasília porque vai não só dar a segurança da energia para o estádio, como também vai atender toda área central. Um total de 94% do Plano Piloto será coberto por essa subestação”, completou o governador.

A SE é abrigada, ou seja, imune a descargas atmosféricas. A unidade é dotada de sistema GIS (isolamento a gás), com custo de manutenção bem menor do que o convencional, protegido a óleo.

As linhas de distribuição entregues hoje permitirão que o suprimento de energia para a Subestação Estádio Nacional e para a região central de Brasília chegue por dois caminhos e a partir de todas as geradoras de energia disponíveis para o DF: Sistema Interligado Nacional (SIN-Furnas) e pelas Usinas de Corumbá III e IV.

“O sistema é todo interligado. Quando se inaugura uma subestação nova, alivia outras. Não é novidade que nossas linhas estão sobrecarregadas. Cada obra como essa repercute em todo o sistema. Foram R$ 400 milhões em investimento desde o começo da gestão Agnelo. É a maior reforma do sistema elétrico de Brasília”, disse o presidente da Companhia de Eletricidade de Brasília (CEB), Rubem Fonseca.

Fonseca antecipou que, em janeiro, a subestação Hípica deve ser entregue, o que permitirá a duplicação do aeroporto de Brasília. (Beatriz Ferrari, da Agência Brasília)

Seleções que disputarão o Torneio Internacional de Futebol Feminino fizeram o reconhecimento do campo. Técnico brasileiro considerou gramado “um espetáculo”

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha recebeu na tarde de ontem (10/12), pela primeira vez, os times que disputarão o Torneio Internacional de Futebol Feminino a partir desta quinta (12). As seleções de Brasil, Canadá, Chile e Escócia fizeram o reconhecimento do campo e aproveitaram para tietar o monumento, tirando fotos e conhecendo a arena.

Enquanto as jogadoras aproveitavam o clima descontraído, as comissões técnicas verificavam os detalhes. Para o treinador da Seleção Brasileira, Márcio Oliveira, as condições do gramado estão ótimas. “Está um espetáculo. Totalmente igualado, verdinho. Para jogar futebol aqui é só colocar a bola no chão e fazê-la rolar”, resumiu.

A atacante Darlene concordou e foi além. “O gramado está perfeito. E estamos ansiosas porque vamos jogar onde estarão as seleções da Copa do Mundo, no ano que vem. Não é para qualquer um, não”, comemorou a centroavante, deixando escapar o clima de expectativa para o torneio.

Preparação – Sobre as primeiras impressões do estádio, a goleira e capitã da seleção escocesa, Gemma Fay, resumiu numa única palavra: “Uau”. Em seguida, apreciou as arquibancadas e completou: “É incrível ser recebida em um espaço dessa qualidade. Mal posso esperar para ver as arquibancadas cheias.

A opinião é compartilhada pela capitã canadense Christine Sinclair, seis vezes indicada para o prêmio da FIFA de Melhor Jogadora do Mundo. “Parece o estádio em que jogamos na estreia da Copa do Mundo de 2011”, disse, referindo-se ao Estádio Olímpico de Berlim, na Alemanha.

A atacante já pensa na próxima edição do Mundial, em 2015, quando jogará em casa. “Temos poucos torneios femininos no calendário. Este que vamos jogar agora é importantíssimo porque já começamos a nos preparar para a Copa do Mundo no Canadá, daqui a dois anos”, comenta.

Privilégio – Para a delegação da Escócia, que nunca tinha visitado a América do Sul, o primeiro passeio depois da chegada a Brasília foi animador. “O clima está ótimo e esse estádio é um verdadeiro caldeirão”, elogiou a técnica escocesa, Anna Signeul, falando das arquibancadas próximas do campo.

“É um privilégio disputar esse torneio e poder conhecer o futebol das jogadoras sul-americanas. Sinto que o esporte feminino está apenas no começo de um desenvolvimento e ainda há muito a mostrar aqui, na Europa e em todo o mundo, analisa Anna.

A goleira do Chile, Christiane Endler, disse que está ansiosa para jogar contra o Brasil, no primeiro dia de torneio. “Dá um frio na barriga, mas estou preparada”. Tiane, como é chamada pelas colegas, começou na seleção chilena sub-17. “Uso essa camisa há cinco anos, mas hoje estou com uma sensação diferente. Jogando em um estádio como esse, com essa estrutura, o peso é maior”, confessou.

Empolgação – Impressionadas, algumas das jogadores brasileiras disseram nunca ter visto um estádio tão bonito. A lateral esquerda Barrinha afirmou que a arena superou as expectativas. “Não esperava que fosse tão lindo assim. Já estive em outros estádios, mas nenhum se compara a esse. Gostei bastante da cobertura. É muito legal”, disse.

“Desde a apresentação, já bate aquela vontade para o início dos jogos. Agora, vendo as adversárias aqui tão perto, dá até vontade de pegar uma bola e começar a jogar”, brincou a volante Formiga, uma das jogadoras mais experientes da equipe brasileira.

Tudo pronto – O técnico Márcio Oliveira já tem em mente a formação do time brasileiro que entrará em campo na estreia contra o Chile, na quinta-feira (12). Segundo Márcio, a principal característica da equipe é o conjunto.

“O time é bem ofensivo, mas não depende mais só de duas ou três jogadoras. Estamos mudando a cara do futebol feminino no Brasil. Hoje, o grupo inteiro tem que jogar para ter um bom produto final. Se todas se ajudarem, quem ganha é o futebol brasileiro”, ressaltou Márcio.

Estádio receberá, pela primeira vez, atletas com idades entre 13 e 15 anos, que disputam a final da Copa Coca-Cola. Evento será gratuito e contará com shows de Gaby Amarantos e Monobloco

Neste sábado (14/12), jovens atletas terão a oportunidade de mostrar seu talento no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. A arena, que já recebeu a Seleção Brasileira e artistas como Beyoncé e Aerosmith, será palco das finais do maior campeonato adolescente do planeta: a Copa Copa-Cola 2013

A disputa começa às 14h, e os portões serão abertos uma hora antes. A entrada é gratuita. Além do show de bola no gramado do Mané Garrincha, a festa de encerramento da competição contará com apresentação exclusiva da cantora paraense Gaby Amarantos e do Grupo Monobloco. A jogadora Marta, madrinha da competição, também estará presente.

No anúncio oficial do evento, em coletiva nesta terça-feira (10/12), a atacante se emocionou. “Estou comovida, porque nos anos anteriores jogamos em estádios pequenininhos, utilizados para treinamento de equipes profissionais. E agora, eles vão jogar num estádio maravilhoso como esse”, elogiou Marta, com a voz embargada.

“É algo que poderíamos ter mais aqui no Brasil, empresas de grande porte fazendo mais pelas crianças. A emoção dessas crianças é a minha emoção”, completou a jogadora, eleita a Melhor do Mundo por cinco vezes, e indicada novamente para a eleição de 2013.

Infraestrutura - O evento ocorre em Brasília pela primeira vez. A cidade foi escolhida por oferecer um espaço como o Mané Garrincha, com segurança, facilidade de acesso e infraestrutura para um evento desse porte.

“O estádio é multicultural e cumpre o papel de oferecer um espaço de alto nível para iniciativas como esta, que estimulam a prática do esporte e o acesso à cultura”, destaca Claudio Monteiro, secretário Extraordinário da Copa. “Por ser gratuito, será também uma grande oportunidade para aqueles que ainda não conheceram a nova arena”, completa.

Também presente à coletiva imprensa, o secretário de Esporte do DF, Júlio Ribeiro, exaltou a sequência de eventos esportivos na capital. “Brasília vem se destacando por trazer grandes competições, como a Gymnasiade e, agora, a Copa Coca-Cola. Além disso, é uma oportunidade de trazer o cidadão para dentro do estádio”, reforçou.

Jogos - Esta é a terceira edição do evento, que, no Brasil, contou com a participação de nove mil atletas de 30 cidades brasileiras, em 18 unidades da federação. Ao todo, 496 times participaram do torneio, que começou no dia 7 de setembro.

A primeira partida deste sábado, às 14h vai decidir o time campeão feminino, entre o Aliança Futebol Clube, de Goiânia (GO), que vai disputar o bicampeonato, e o Glorioso Verdão, de Curitiba (PR). A final masculina, prevista para às 15h30, será entre o time Sociedade Esportiva Novo Horizonte, de Santa Maria (RS) , e o AERT, equipe de Vitória(ES).

Gratuito - O evento é de graça e os portões para as arquibancadas inferiores serão abertos ao público a partir das 13h. A previsão é encerrar a festa até às 18h, já prevendo o interesse dos pais em levarem suas crianças.

Realizado no Rio de Janeiro nos últimos dois anos, a Copa Cola-Cola é voltada para adolescentes com idades entre 13 a 15 anos, com times masculinos e femininos. Promovida em mais de 60 países, a competição traz um convite para que os jovens pratiquem esportes e se movimentem mais, aproveitando os benefícios de uma vida ativa.

Além dessas equipes, Estádio Nacional de Brasília também receberá Brasil, Colômbia, Camarões, Costa do Marfim, Gana e Portugal na primeira fase do mundial de futebol

Brasil, Colômbia, Suíça, Camarões, Costa do Marfim, Equador, Gana e Portugal. Essas são as seleções que vão jogar a primeira fase da Copa do Mundo de 2014 no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. A partida de estreia para os torcedores brasilienses será no dia 15 de junho, entre as equipes de Suíça e Equador.

A definição das seleções em cada um dos oito grupos ocorreu em sorteio realizado nesta sexta-feira (6), na Costa do Sauípe, na Bahia, em evento para mais de 1,5 mil convidados, entre eles a presidenta Dilma Rousseff, o governador Agnelo Queiroz e o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

A segunda partida no Mané Garrincha será no dia 19 de junho, entre as seleções de Colômbia e Costa do Marfim. Mas o grande momento para os torcedores será no dia 23 de junho, quando a Seleção Brasileira enfrenta a equipe de Camarões. Encerrando os jogos da primeira fase em Brasília, Portugal e Gana se enfrentam no dia 26 de junho.

Logo após o sorteio, o governador Agnelo Queiroz deu boas-vindas às seleções que vão jogar em Brasília, e disse que a cidade está preparada para receber não apenas as equipes, mas também todos os seus torcedores: “O Estádio Mané Garrincha é um dos mais modernos do mundo, já recebeu mais de 600 mil pessoas em apenas seis meses de inauguração e vai contribuir para que cada partida seja uma grande festa”.

Para o secretário Claudio Monteiro, o sorteio foi bom para Brasília, já que grandes seleções estarão no Mané Garrincha na primeira fase da competição. “Temos um excelente estádio, bons jogos e a promessa de casa cheia”, ressaltou.

tabela jogos brasília

OITAVAS DE FINAL – Terminada a primeira fase da Copa, a bola volta a rolar no gramado do Mané Garrincha no dia 30 de junho, pelas oitavas de final. Na ocasião se enfrentarão o primeiro colocado do Grupo E (que pode ser Suíça, Equador, França e Honduras) e o segundo colocado do grupo F (Argentina, Bósnia, Irã e Nigéria).

No dia 5 de julho, Brasília recebe um jogo pelas quartas de final, e no dia 12 de julho a disputa do terceiro lugar.

O secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, foi o encarregado de dirigir o sorteio e contou com a ajuda de assistentes de luxo: o ídolo uruguaio Alcides Ghiggia, o inglês Geoff Hurst, o brasileiro Cafu, o italiano Fabio Cannavaro, o argentino Mario Kempes, o espanhol Fernando Hierro, o francês Zinedine Zidane e o alemão Lothar Matthäus.

MANDELA - Antes do início do sorteio, foi feita uma homenagem ao grande líder africano na luta contra o apartheid, Nelson Mandela, que morreu na noite dessa quinta-feira (6). Mandela foi um dos responsáveis pela realização da Copa do Mundo na África do Sul, em 2010.

Na abertura da solenidade, a presidenta Dilma Rousseff destacou que está muito otimista com o desempenho da Seleção Brasileira e que o Brasil fará “a Copa das Copas, para ninguém esquecer”. Dilma disse, ainda, que será a chance de o Brasil mostrar que “é uma terra de oportunidades”.

Em entrevista a jornalistas de todo mundo, secretário-executivo da pasta ressalta sucesso do estádio em 2013

O sucesso de público do estádio Mané Garrincha desde sua inauguração, em maio de 2013, foi ressaltado pelo secretário-executivo do Ministério dos Esportes, Luis Fernandes, em entrevista coletiva na Costa do Sauípe (BA). Ao lado do presidente da FIFA, Joseph Blatter, Fernandes destacou a centenas de jornalistas brasileiros e estrangeiros o ótimo desempenho do estádio nos últimos meses, período no qual atraiu mais de 600 mil pessoas.

“Em poucos meses de operação, o público do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha foi muito superior ao das quatro décadas de existência do antigo estádio”, ressaltou Fernandes, ao tratar de obras de infraestrutura e da viabilidade de obras da Copa. Muito se questionou sobre a sustentabilidade do estádio e os fatos mostraram o contrário”, completou.

O antigo Mané Garrincha recebeu, em 36 anos de história, um público total de 340 mil pessoas, 260 mil a menos do que o nova arena em seus primeiros meses de operação.

No gramado, a bola rolou em 13 partidas, sendo duas da Seleção Brasileira, 10 do Campeonato Brasileiro e uma do Candangão. Shows musicais também aqueceram a agenda cultural da cidade, a começar pelo tributo ao cantor Renato Russo, em junho de 2013.

Renda recorde Entres os jogos de futebol realizados na arena, destaque para a despedida do atacante Neymar, que deu adeus ao Santos em partida contra o Flamengo, em 26 de maio, antes de se transferir ao Barcelona, da Espanha.

A data marcou não apenas a trajetória do craque, mas também a da arena: se dentro de campo deu empate (0×0), no placar de público e renda a vitória foi brasiliense: 63.501 torcedores e uma renda de R$ 6.948.710 os maiores resultados do Campeonato Brasileiro de 2013.

Acordo de Cooperação Técnica com instituto alemão vai melhorar conservação de obras públicas no Distrito Federal, entre eles o Estádio Mané Garrincha

Engenheiros alemães estão em Brasília para uma parceria com técnicos da Novacap. É o 2º Workshop do Programa de Inovação e Gerenciamento da Conservação de Obras Públicas, que será realizado no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, desta segunda-feira a quinta-feira (02 a 05/12).

“Mais uma vez, o estádio Mané Garrincha está abrindo as portas do mundo para Brasília. Parcerias como essa só são possíveis porque a arena atrai interesse internacional”, afirmou a diretora de Obras Especiais da Novacap, Maruska Lima.

Os visitantes são Instituto Federal de Pesquisas Rodoviárias (BAST), órgão vinculado ao Ministério de Transportes do governo alemão. Maruska ressalta que o objetivo principal do encontro é trabalhar a conservação de obras públicas que exigem cuidados especiais.

Entre elas estão o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, Teatro Nacional, Palácio da Alvorada, Torre de TV, Torre de TV Digital, Congresso Nacional, Memorial JK, pontes (JK, Costa e Silva, e das Garças) e viadutos.

“Com a parceria, os alemães vão nos passar toda uma organização de monitoração, conservação e manutenção desse tipo de obra. Eles já têm um programa avançado e larga experiência no assunto”, explica a diretora de Obras Especiais da Novacap.

Benefício – Com o Acordo de Cooperação Técnica, entre a Novacap e a BAST, o GDF poderá implantar ações preventivas para a conservação das obras e, consequentemente, beneficiar a população com o emprego adequado dos recursos públicos.

“O governo minimiza ações de riscos e de grande valor econômico, como é o caso do reparo de danos já instalados nas estruturas. Essas ações dão mais segurança aos usuários, estabilidade às estruturas e garantem maior vida útil às construções”, comenta Maruska.

A parceria está prevista para os próximos dois anos e permitirá intercâmbio de conhecimento dos profissionais de engenharia das instituições do GDF. A diretora de Obras Especiais da Novacap reforça que a implantação de um programa com essas características valoriza e preserva ainda mais a qualidade das construções de Brasília.

O primeiro workshop foi em novembro, em Colônia, na norte da Alemanha, e contou com técnicos do GDF e do governador Agnelo Queiroz. A Novacap prevê que até o fim de 2014 várias ações desse intercâmbio já estejam implantadas.

Comunidade de Sobradinho, Sobradinho II e Fercal marcam presença no Estádio Nacional de Brasília durante a segunda edição do "GDF Junto de Você". Visitas guiadas tiraram o fôlego de crianças e adultos, que sonhavam em conhecer a arena. Foto: André Borges

Comunidade de Sobradinho, Sobradinho II e Fercal marcam presença no Estádio Nacional de Brasília durante a segunda edição do “GDF Junto de Você”. Visitas guiadas tiraram o fôlego de crianças e adultos, que sonhavam em conhecer a arena. Foto: André Borges

“Dá um sorriso legal, que essa foto vai pro Instagram”, incentivou a vendedora Joice Amaral, 31 anos, ao filho Victor Matheus, 14. Cadeirante, o são-paulino Victor se disse encantado com o Estádio Mané Garrincha. “Nunca tinha chegado tão perto de um campo profissional, e não pensava que teria uma oportunidade dessas”, explicou.

Antes, Joice e Victor só conheciam o Morumbi, onde fizeram uma visita mais resumida. “O Mané Garrincha é bem mais bonito, e completamente acessível para quem tem alguma dificuldade de locomoção. Passou no teste!”, elogiou Joice. Mãe e filho tiveram a oportunidade de conhecer a nova arena brasiliense no segundo fim de semana de visitas guiadas ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, dentro do projeto “GDF Junto de Você”.

Neste fim de semana, depois de São Sebastião, foi a vez dos moradores de Sobradinho, Sobradinho II e Fercal conhecerem a arena, com direito a tirar fotos na beira do gramado e nos vestiários utilizados por craques como Neymar e Fred. Os visitantes conheceram, ainda, a Tribuna de Honra. A visita garante uma experiência única, já que aqueles que vão ao estádio em jogos e shows não têm a chance de conhecer esses lugares.

Lembranças - “Já tinha achado o estádio fantástico pela televisão, mas é muito legal conhecer o lado inverso, o trajeto feito pelos jogadores”, elogiou o oficial da Aeronáutica Márcio Portilho, 58 anos. Acompanhado pelo genro e por três netos, Márcio aproveitou para contar aos pequenos algumas lembranças ligadas ao futebol.

“Assisti a um jogo do Flamengo aqui no antigo Mané, nos anos 1990, e nunca me esqueci dos lances. Mas a estrutura era precária, nada comparado ao estádio atual”, comparou. “Já fui a outros estádios no Rio e em São Paulo, e este aqui está no mesmo nível ou ainda melhor”. A neta Lorena, de 10 anos, confirmou a boa impressão. “Não imaginava que fosse grandão assim, pela TV parece bem menor”, divertiu-se.

Dia de craque – Entre sexta-feira (22) e domingo (24), 230 pessoas visitaram o estádio. Famílias inteiras se inscreveram no estande da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) montado para o programa “GDF Junto de Você”.

Os visitantes pegaram um ônibus especial e entraram no Mané Garrincha em grande estilo, pelo mesmo túnel utilizado pela Seleção Brasileira nos dois jogos disputados no DF em 2013.

Em seguida, as turmas passaram pelos vestiários e seguiram para a beira do gramado, de onde puderam admirar a grandiosidade da arena multiuso.

De pertinho – Entre os visitantes havia histórias curiosas, como a do peruano Tommy Tim, 37 anos. No Brasil há oito meses, ele chegou a trabalhar na Copa das Confederações da FIFA 2013™ – mas do lado de fora do estádio.

“Trabalhei na transmissão de todos os jogos do campeonato, que é controlada aqui em Brasília. Estava ao lado do Mané Garrincha, mas não tive tempo de conhecer o estádio por dentro”, relembrou. Acompanhado da esposa, a psicóloga brasileira Eliane Aguiar, 46, Tommy tirou dezenas de fotos. “É para recuperar o tempo perdido”, brincou.

GDF Junto de Você – Desde o início do programa GDF Junto de Você, na semana passada, mais de 500 pessoas já conheceram o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha através dessa iniciativa. Até o fim de 2013, esse número deve se multiplicar. O projeto leva toda a estrutura de serviços do governo para as cidades escolhidas.

“Como o estádio não pode ser levado para essas cidades, nós estamos trazendo a população dessas cidades para conhecer o Mané Garrincha. Afinal, o estádio é de todos os brasilienses”, destacou o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

Na próxima semana, o programa segue para Ceilândia, e as visitas ao estádio continuam! Os interessados em conhecer a arena podem se inscrever no estande da Secretaria Extraordinária da Copa que será montado no evento. Serão cinco visitas guiadas de sexta-feira (29) a domingo (1). O passeio e o transporte de ida e volta são gratuitos, com direito a lanchinho no final. (Mateus Rodrigues, da ComCopa)

Brasília será palco de grandes emoções na Copa do Mundo da FIFA™. Além de importante jogo da Seleção Brasileira, a capital vai receber dois cabeças de chave, partidas das oitavas e quartas de final, além da decisão do terceiro lugar

Definidas as 32 seleções da Copa do Mundo da FIFA™, os torcedores já podem ter uma ideia de quem vai jogar nas cidades-sede, antes mesmo do sorteio dos grupos do Mundial, marcado para 6 de dezembro, na Costa do Sauípe, na Bahia. Os brasilienses já podem saber, por exemplo, que a partida decisiva do Brasil na Primeira Fase será no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no dia 23 de junho de 2014.

Além disso, a nova arena de Brasília vai sediar um confronto das oitavas de final (30 de junho) e um das quartas de final (5 de julho). A partida que decidirá o terceiro e o quarto lugares também vai ser disputada no novo cartão-postal da capital federal, no dia 12 de julho.

Cabeças – Os torcedores que estiverem em Brasília vão acompanhar, além da Seleção Brasileira, na primeira fase, outras duas seleções cabeças de chave. Em 15 de junho, pisa no gramado do Mané Garrincha a principal equipe do Grupo E. E, no dia 19 de junho, o confronto terá a seleção mais forte do Grupo C. Brasília terá também um jogo do Grupo G, em 26 de junho.

No dia 6 de dezembro, na Bahia, o mundo vai saber quem pega quem na disputa pelo título e onde as seleções vão jogar. O Brasil é o único, dos oito cabeças de chave, que já tem uma identificação na tabela oficial da FIFA: é o A1. Por sorteio, as demais sete equipes que fazem parte do seleto grupo vão ganhar uma identificação, que são B1, C1, D1, E1, F1, G1 e H1.

Os cabeças de chave já foram definidos e o critério usado foi a posição dos selecionados no ranking da FIFA do mês de outubro. Além do Brasil, país sede, os sete melhores colocados na lista são Espanha (1º), Alemanha (2º), Argentina (3º), Colômbia (4º), Bélgica (5º), Uruguai (6º) e Suíça (7º). Todos já estão garantidos no Pote 1 do sorteio.

Campeões - Com a classificação do Uruguai (vencedor em 1930 e 1950), todos os campeões mundiais confirmaram presença na Copa do Mundo da FIFA™. Além do Brasil (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002), virão a Itália (1934, 1938, 1982 e 2006), Alemanha (1954, 1974 e 1990), Argentina (1978 e 1986), Inglaterra (1966), França (1998) e Espanha (2010).

Os brasileiros também poderão ver, além das principais seleções, os melhores jogadores da atualidade. O argentino Lionel Messi (Barcelona) e o português Cristiano Ronaldo (Real Madri) são exemplos de craques que jogarão nos gramados nacionais. Os dois são rivais na Espanha e brigam pela Bola de Ouro, troféu que premia o melhor jogador do mundo no ano.

A vinda de Cristiano Ronaldo, no entanto, deixou outra grande estrela do futebol mundial de fora do torneio. O atacante sueco Ibrahimovic não estará em campo no Brasil porque a Suécia foi eliminada por Portugal numa das repescagens europeias. Em compensação, os craques do futebol espanhol, Xavi e Iniesta, e os ingleses Rooney e Lampard estarão aqui.

Outra estrela que pode brilhar ainda mais é o atacante da Lazio, Miroslav Klose. Ele é o segundo maior artilheiro de todos os Mundiais, com 14 gols. Fica atrás só de Ronaldo, que tem 15, e empatado com o compatriota Müller. Esse polonês que se naturalizou alemão é o único a marcar pelo menos quatro gols em três Copas do Mundo da FIFA™. É, portanto, um atleta que pode fazer história no Brasil: se transformar no maior artilheiro da história da principal competição de futebol do mundo.

Novidades - O Mundial no Brasil também terá uma estreia: a Bósnia, país que foi palco de uma guerra civil entre 1992 e 1995, conseguiu uma classificação histórica e disputará a Copa pela primeira vez no ano que vem.

Além da estreante, a Copa do Mundo de 2014™ terá outras sete novidades em relação ao Mundial de 2010, na África do Sul. Bélgica, Rússia, Croácia, Colômbia, Equador, Costa Rica e Irã são seleções que não estiveram no torneio passado e estarão no Brasil no ano que vem.

 

Neymar disputa o Prêmio Puskas. O golaço contra o Japão na Copa das Confederações da FIFA em Brasília, está entre os 10 mais bonitos de 2013

Neymar disputa o Prêmio Puskas. O golaço contra o Japão na Copa das Confederações da FIFA em Brasília, está entre os 10 mais bonitos de 2013

 

Obra-prima de Neymar aconteceu sob o olhar de mais de 67 mil torcedores no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, na abertura da Copa das Confederações da FIFA no dia 15 de junho. O chute no ângulo, indefensável para o goleiro Kawashima, na vitória por 3 x 0 contra o Japão, abriu o caminho para a campanha vitoriosa que terminou com o título da competição.

Além do gol de Neymar, o gol de Olivera, do Náutico, no clássico contra o Sport, pela Copa Sul-Americana, está na lista dos mais bonitos do ano. Outro que está na disputa é Ibrahimovic, com um gol de bicicleta no amistoso entre Suécia x Inglaterra. Os 10 selecionados para o Prêmio Puskas foram apresentados pela FIFA ontem (11).

Votação – A FIFA abriu votação no site da entidade e o torcedor já pode participar. Os três gols com mais indicações até 9 de dezembro serão selecionados para a final. Depois disso, quem decide o gol do ano é a FIFA e a revista francesa FranceFootball.

É a quarta vez seguida que Neymar participa da premiação. O atacante do Barcelona foi eleito “gol do ano” em 2011, depois de marcar em jogo do Santos contra o Flamengo, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Em 2010, ele concorreu com o gol feito pelo Santos contra o Santo André, pelo Paulistão daquele ano.

Em 2012, Neymar também esteve na indicação pelo golaço marcado na partida do Santos contra o Internacional, quando arrancou da intermediária até a área, passando pelos adversários.

Os dez gols selecionados para o prêmio Puskas de 2013:

Neymar – Brasil x Japão

Peter Ankersen Esbjerg fB x Aarhus GF

Lisa De Vanna Sky Blue FC x Boston Breakers

Antonio Di Natale Udinese x AC Chievo Verona

Zlatan Ibrahimovic – Suécia x Inglaterra

Panagiotis Kone SSC Napoli x Bologna FC

Daniel Ludueña – Pachuca CF x Tigres

Nemanja Matic SL Benfica x FC Porto

Louisa Nécib – Olympique Lyon x AS Saint-Etienne (futebol feminino)

Juan Manuel Olivera – Náutico x Sport Recife

 

Brasília é única cidade-sede a esgotar bilhetes para os quatro primeiros jogos da Copa do Mundo da FIFA 2014™, durante a primeira fase de vendas

A capital federal despertou grande interesse dos torcedores na primeira fase de vendas feita pela FIFA. Todos os ingressos oferecidos pela entidade, até o momento, para as quatro primeiras partidas em Brasília já foram comprados. Os dados foram anunciados nesta terça-feira (05/11).

No Rio e em São Paulo ainda sobram ingressos para a mesma fase. Só as partidas tradicionalmente mais procuradas, na abertura (Itaquerão) e na final (Maracanã), conseguem repetir o feito de Brasília e também não têm mais entrada. Ao todo, a FIFA vendeu quase 900 mil bilhetes espalhados pelas 12 cidades-sede.

Na modalidade de venda por pacote de ingressos, em que o torcedor opta por comprar todos os jogos realizados na mesma cidade-sede (exceto partidas importantes como abertura, semifinais e final), Brasília também se destaca. É o segundo destino mais procurado, depois do Rio. São Paulo ficou em terceiro lugar.

Novas chances – A partir da próxima segunda-feira (11), a FIFA colocará à venda mais uma remessa de ingressos. Para Brasília, nesta nova etapa de vendas, serão oferecidas entradas para as outras fases do Mundial: as oitavas e as quartas de final, além da disputa do terceiro lugar no Estádio Nacional de Brasília. Esta etapa de vendas será por ordem de chegada, sem sorteio e só pelo site da FIFA. Mais 228.959 ingressos serão colocados à venda.

Quem não conseguir comprar as entradas nessa oportunidade, terá outra chance no próximo mês. No dia 8 de dezembro, a entidade vai colocar à venda um segundo lote, com ingressos para todos os 64 jogos do torneio. Entre eles, estão previstos ingressos para a primeira fase em Brasília.

E em abril de 2014, dois meses antes de a bola rolar no Mundial, haverá ainda uma última fase, chamada pela FIFA de as “vendas de última hora”. Todo o processo de vendas será feito pela internet, no site FIFA.com.

Projeto de manejo foi apresentado durante seminário do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo em São Paulo. Foto: Pedro Ventura / Arquivo

Projeto de manejo foi apresentado durante seminário do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo em São Paulo. Foto: Pedro Ventura / Arquivo

As condições de manutenção e o modelo de tratamento do gramado do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha receberam mais uma avaliação positiva na sexta-feira (1). Representantes do governo do Distrito Federal se reuniram com membros do Comitê Organizador Local (COL) e apresentaram o plano de manejo da grama, com programação até a Copa do Mundo da FIFA.

“Foi uma reunião tranquila, sem qualquer reclamação por parte do Comitê. Fizeram algumas sugestões muito pontuais, que não interferem no uso do gramado pelos jogadores”, disse o gerente de fiscalização da Novacap e representante de Brasília no encontro, Luiz Rogério Pinto Gonçalves. A reunião foi em São Paulo, durante o 3º Seminário de Preparação de Gramados da Copa do Mundo da FIFA.

A boa avaliação do planejamento do gramado no Distrito Federal endossa as afirmações do secretário Extraordinário para a Copa, Claudio Monteiro, de que o Mané Garrincha estará em plenas condições para sediar os sete jogos da Copa do Mundo de 2014 da FIFA.

O tratamento especializado da grama na arena de Brasília, que é chamada de Bermuda Celebration, inclui corte e nivelamento periódicos, iluminação artificial suplementar, irrigação e semeadura com tecnologia de ponta. O plantio em Brasília foi feito em rolos o que, segundo a FIFA, “permite que o gramado alcance condições ideias com o correto manejo dos campos”.

No primeiro semestre, o campo passou por rigorosa inspeção da FIFA. A entidade aprovou o gramado e considerou o Mané Garrincha em totais condições de receber o jogo de abertura da Copa das Confederações, entre Brasil e Japão.

EVENTO - O Seminário de Preparação de Gramados começou na quinta-feira (31/10), e a abertura foi no estádio do Pacaembu, classificado como Campo Oficial de Treinamento na Copa do Mundo FIFA. O primeiro dia foi dedicado a apresentações técnicas. A agrônoma Maristela Kuhn, da empresa Arena, que presta consultoria ao COL sobre estádios e gramados, ressaltou que as diferenças de clima no Brasil aumentam o desafio de uniformizar os campos nas 12 cidades-sede.

“A análise climática é o primeiro passo para construir, reformar ou manter um gramado de alta qualidade. O Brasil tem vários climas, e isso gera muitas situações: em algumas regiões vai chover e, em outras, pode gear”", ponderou.

Além de Brasília, as outras 11 cidades-sede também se reuniram com o Comitê Organizador Local para discutir a situação dos gramados e o plano de manutenção para o evento esportivo. Segundo a entidade máxima do futebol, nenhum gramado terá de ser trocado para a competição. A próxima reunião será em março de 2014, três meses antes da Copa do Mundo da FIFA.

Nenhuma ocorrência grave e violenta foi registrada durante a partida de hoje  (6), entre as duas equipes cariocas realizada no Estadio Nacional de Brasília. A Polícia Militar empenhou cerca de mil homens na segurança interna e externa e na escolta dos times e dos torcedores.

A torcida do Flamengo entrou e saiu primeiro do Estádio. Um cordão de isolamento na arquibancada superior a separou dos vascaínos. As duas torcidas foram escoltadas das concentrações até as arquibancadas do Mané Garrincha, tudo conforme planejamento feito pela PMDF;

O comando da PMDF agradece todos os policiais militares pelo trabalho realizado hoje, prova de que Brasília está preparada para receber grandes eventos.

Cambista detido - Na área externa um senhor de 54 anos foi flagrado tentando vender 37 ingressos, o que é proibido por lei. Ele foi encaminhado para a Delegacia e após registro, foi liberado. Os ingressos serão submetidos a perícia para saber se são legítimos, pois algumas pessoas registraram ocorrência após terem comprado ingressos falsos de cambistas.

Meninos e meninas do Unicef acompanharam jogadores do Flamengo ao gramado no jogo contra o Vasco, no Mané Garrincha. A ação reforçou parceria entre a Secopa-DF e o fundo das Nações Unidas para garantir o direito ao esporte seguro e inclusivo para crianças e adolescentes

Dez crianças representaram o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) na entrada em campo do Flamengo para a partida contra o Vasco, neste domingo, no Mané Garrincha. De mãos dadas com craques como Leo Moura e Felipe, elas reforçaram a parceria firmada entre o fundo e a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa-DF) na defesa do direito de todas as crianças ao esporte seguro e inclusivo. A ação, que incluiu a exibição de um vídeo no telão do estádio, fez do Mané Garrincha a primeiro de todas as arenas na Copa 2014 a fechar a parceria com o Unicef.

Acompanhados por uma monitora, as crianças não se importaram com a chuva que caiu no estádio pouco antes do início da partida e entraram em campo com o Flamengo após a exibição de um vídeo elaborado pelo fundo da Organização das Nações Unidas (ONU). O vídeo explica como o Unicef e parceiros tratam a atividade esportiva como ferramenta de inclusão escolar e proteção da criança e do adolescente. Mané Garrincha, homenageado no nome do estádio, é citado como exemplo de superação através do esporte.

Ação combinada – Segundo o representante da Unicef no Brasil, Gary Stahl, a parceria será desdobrada em outras ações. “Aplaudimos os esforços do GDF no sentido de prevenir abusos e o próprio turismo sexual. Estamos conversando sobre as possibilidades dessa ação combinada”, explica. “Temos interesse em garantir os pontos contemplados na Convenção Internacional dos Direitos da Criança, da qual o Brasil é signatário”.

O texto, promulgado no país em 1990, reconhece o direito das crianças “ao descanso e ao lazer, ao divertimento e às atividades recreativas próprias da idade, bem como à livre participação na vida cultural e artística”. Segundo Gary, a preocupação com a juventude aumenta frente a grandes eventos, quando o grande nmero de turistas levanta a possibilidade de turismo e exploração sexual, além do trabalho infantil em regiões menos desenvolvidas.

Consciência – O material exibido antes de Flamengo x Vasco já havia sido utilizado no amistoso da Seleção Brasileira com a Austrália, em agosto. O vídeo busca conscientizar torcedores sobre a importância do esporte para a juventude. “O conteúdo é bastante geral, mas toca nos pontos principais. Além da convenção, citamos o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Constituição Brasileira, instrumentos que consagram o direito das crianças ao esporte seguro e inclusivo, explica Stahl.

Para o secretário Extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro, a entrada das crianças em campo e a divulgação do vídeo institucional abrem caminhos para uma união frutífera entre governo, organizações e sociedade civil. “A garantia de direitos às crianças e adolescentes do DF faz parte do legado que queremos deixar após o evento. Toda a estrutura que desenvolvemos precisa estar acessível e ser bem utilizada por todos os cidadãos, independentemente da idade, acredita.

Desde 2012, o Unicef tem estabelecido diversos acordos com os governos das cidades que sediarão a Copa do Mundo no próximo ano. O Distrito Federal, no entanto, é pioneiro na veiculação de material dentro dos estádios. Ainda segundo Gary Stahl, a expectativa do órgão internacional é de expandir cada vez mais a integração com a Secopa. “Queremos trazer eventos para o Estádio Mané Garrincha, utilizar o espaço para promover os direitos dos jovens do DF e do país”, completa.

Continuidade – Não é a primeira vez que o GDF contempla crianças e adolescentes nos eventos do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. O Time da Paz, formado por crianças vencedoras de trabalhos escolares com desenhos sobre o desarmamento, entrou em campo com os jogadores nas partidas do Flamengo contra Santos e Atlético Mineiro. Coordenada pela Secretaria de Justiça, a iniciativa faz parte do programa Arma não é brinquedo e integra a campanha social de Brasília para a Copa do Mundo de 2014.

Nas cidades-sede da Copa, funciona ainda a Rede de Adolescentes e Jovens pelo Direito ao Esporte (Rejufe), que promove o esporte seguro e inclusivo para todas as idades. Outra ação importante acontece em união com o Instituto Rodrigo Mendes, em São Paulo, com foco na inclusão de crianças com deficiência física.

Contato - Quem deseja contribuir para a ação social do Unicef pode enviar uma mensagem de texto (SMS) com a palavra UNICEF para o nmero 27146, e acompanhar as novidades do fundo pelo twitter e pelo Facebook.

Eventos aquecem comércio local e contribuem para aumentar os negócios no setor de Serviços

Os jogos no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha injetaram aproximadamente R$12 milhões, por partida, na economia da região, o que tem animado o empresariado local e gerado 2 mil empregos diretos e indiretos no setor de Serviços, segundo dados da Secretaria Extraordinária da Copa.

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindivarejista-DF), em um domingo de jogo no Mané Garrincha, há crescimento médio de 7% em cima do faturamento normal de várias empresas de Brasília, desde a venda de camisas de times a suvenires.

“Em um domingo (de jogo), 7% é considerado um bom desempenho, principalmente em Brasília, que não tinha tantos eventos grandes. Antes, os domingos estavam com uma base bem menor, então esse é um reflexo animador”, explicou o presidente do Sindivarejista-DF, Antônio de Morais.

Em uma das lojas de artigos esportivos no Pátio Brasil – shopping a menos de 2km do estádio -, a administradora Márcia do Nascimento estima que as vendas aumentaram até 15%, com potencial de chegar a 25%, caso as compras ocorram no início do mês.

“No geral, o estádio contribuiu bastante para esse aumento. Só na Copa das Confederações conseguimos mais de R$10 mil em um dia, e agora com o Brasileirão o que mais sai são as camisetas dos times”, destacou.

“Cada partida tem o impacto no setor Hoteleiro, de Serviços, restaurantes, bares, turismo, tudo o que aquece a economia e gera emprego e renda, informou à Agência Brasília o secretário Extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro.

PROXIMIDADE - O empresário Frederico Espinheira, sócio de um restaurante e proprietário de um bar, acredita que o faturamento maior foi no Brasília Shooping, por ser mais próximo do Mané Garrincha.

“Lá conseguimos ter um aumento de até 50% nos dias de jogo, principalmente quando são clássicos. Acho que quanto mais perto do estádio, melhor fica o rendimento”, opinou o empresário.

Com a circulação de pessoas próxima ao estádio, a Praça de Alimentação da Feira da Torre de TV também se beneficiou.

O presidente interino da Associação dos Artesãos, Manipuladores de Alimentos e Artistas Plásticos da Torre de TV, Hebert Tavares, estima que o movimento ficou 40% maior. “A Praça de Alimentação é o que tem puxado mais clientes. E quando há jogos maiores, alguns turistas passam por aqui”.

Ronnan Siqueira vende pasteis em uma das bancas, que existe há 43 anos no local, e poucas vezes viu seu faturamento aumentar tantas vezes em tão pouco tempo.

“Em dia de jogo o movimento aqui aumenta bastante, e quando é clássico então praticamente duplicamos nossas vendas. Antes a feira estava muito parada, mas com o estádio recebendo partidas grandes todo mundo vende mais”, contou Ronnan.

Numa churrascaria localizada no Setor Hoteleiro Sul, os torcedores costumam almoçar com frequência nos dias dos jogos, e até mesmo antes deles, caso fiquem hospedados para aproveitar o fim de semana na capital.

Segundo o gerente regional, Cássio Alexandre da Silva, depois que aumentou a frequência das partidas e shows no Mané Garrincha, o faturamento cresceu em 100%.

“Com o estádio melhorou muito, e esperamos melhorar ainda mais. A Copa do Mundo é no próximo ano e contamos no mês do evento com um crescimento de 100%, em comparação com 2013”, avaliou.

HOTELARIA – Além dos executivos e empresários que utilizam com frequência os hotéis de Brasília, o setor também tem recebido torcedores, e muitos deles acabam por passar o fim de semana na cidade.

Antes, a maior procura era de terça a quinta-feira, para reuniões e hospedagens de executivos.

Em um dos hotéis do Setor Sul, o gerente Hélio Batista afirma que a procura dos clientes aumentou em até 50% entre sábado e domingo, período que não havia muita procura antes do estádio.

“Agora mesmo terá um partida no próximo dia 7 de setembro e a procura já começou, e normalmente eles pedem com 15 dias de antecedência. Pensamos em oferecer algum desconto ou pacote para todo o fim de semana, para chamar ainda mais gente, contou.

“O turista gasta em média R$400 por dia quando vem para a cidade, seja em restaurantes, compras ou hotéis. A cidade ganha com isso em impostos e na geração de empregos”, informou o secretário de Turismo, Luís Otávio Neves.

No último balanço da Associação Brasileira de Indústria de Hotéis (ABIH), 80% das vagas no setor hoteleiro de Brasília estavam reservadas para turistas durante a Copa das Confederações.

O secretário Extraordinário da Copa ressaltou que até o final de setembro espera receber um total de meio milhão de visitantes na arena, quantidade superior a todo o público que frequentou o Mané Garrincha de 1974 até sua demolição, em 2011.

 torcida_flamengo4_cahe

Recorde de público e de renda. Após 145 partidas distribuídas em 15 rodadas do Campeonato Brasileiro de 2013, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha lidera o ranking considerando a renda e o público. Nas sete partidas realizadas na nova arena multiuso brasiliense, a arrecadação chegou a R$ 20.561.695,00, a maior de todos os estádios, e o público presente foi de 291.923. Também um recorde entre as arenas brasileiras.

Para se ter uma ideia de como o Mané Garrincha tem se destacado no Brasileirão, a arrecadação do estádio equivale a 27% de toda a renda do campeonato, de R$ 77.095.494,00. E não é só isso. A arrecadação é 38 vezes maior do que a média nacional do Brasileirão. Levando em consideração o público, o estádio de Brasília registrou média três vezes maior do que a nacional: 41.703 contra 14.764.

Os dados fazem parte dos Borderôs Financeiros divulgados no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Decreto atualiza tabela para a realização de eventos esportivos, culturais, religiosos, educacionais e cívicos nos espaços administrados pelo Governo do Distrito Federal

Regras claras e valores atualizados. O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e as demais instalações esportivas administradas pelo Governo do Distrito Federal para a realização de eventos contam, a partir de agora, com normas definidas de ocupação, bem como preços compatíveis com a realidade local.

Decreto 34.561/2013, assinado pelo governador Agnelo Queiroz, estabelece as regras para a realização de eventos culturais, religiosos, artísticos, educacionais e recreativos, além de esportivos, e traz uma tabela com os valores das taxas de uso de cada um dos espaços, que chegam a 15% da arrecadação bruta do evento.

No caso da arena multiuso do Mané Garrincha, o decreto prevê que os espetáculos culturais apoiados pelo GDF custarão R$ 150 mil pelo uso completo das áreas destinadas ao público, mais o gramado. Sem apoio do governo, os eventos exceto as partidas de futebol – que ocuparem o gramado e a primeira arquibancada (inferior) custarão R$ 200 mil.

Os valores sobem gradualmente de acordo com a ampliação da área ocupada: R$ 250 mil para gramado, primeira arquibancada e área VIP; e R$ 300 mil para gramado, primeira arquibancada, área VIP e camarote. O aluguel da área completa do estádio, isto é, gramado, primeira arquibancada, área VIP, camarotes e arquibancada superior, ficou estabelecido em R$ 500 mil ou 13% da renda bruta do evento, considerado o maior valor entre os dois.

Além do valor da taxa de uso, os responsáveis pela locação terão que arcar com as despesas de energia elétrica, limpeza e segurança nos períodos de preparação e operação dos eventos.

FUTEBOL - No caso específico das partidas de futebol, para cada jogo a taxa de ocupação foi fixada em 15% da renda bruta arrecadada, percentual esse reduzido para 13% no caso de locação por quatro jogos. O decreto estabelece apenas isenção da taxa nos eventos realizados entre as seleções brasileiras principais de quaisquer modalidades esportivas e de outros países.

Para o secretário Extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro, a definição das regras para a utilização dos espaços do Mané Garrincha incentiva a sua plena ocupação, se transformando em mais um legado para a cidade.

E o secretário vai além. De acordo com Monteiro, “como já vem ocorrendo, o retorno do investimento da arena não é apenas a sua arrecadação, mas sim a geração de emprego e renda”. Como exemplo cita que a cada jogo de futebol realizado no Mané Garrincha, dois mil postos de trabalho direto e indireto são criados no DF. “Trata-se de um grande legado social para todos os brasilienses, completa.

GANHO CULTURAL O valor para eventos apoiados pelo GDF (R$ 150 mil) vai permitir que sejam oferecidos ingressos com preços menores para o público, o que comprova, mais uma vez, a função social que o estádio tem para a cidade. Segundo Claudio Monteiro, a medida é destinada à realização de eventos que gerem efetivos ganhos culturais para a sociedade. “A ideia é que, dessa forma, uma camada significativa de pessoas possa ter acesso à agenda cultural do estádio”, explicou.

Para essas situações, o decreto define ainda que o governador Agnelo Queiroz, e apenas ele, autorize a isenção total ou parcial da taxa de utilização dos espaços, sempre que considerar a ocorrência de circunstâncias de relevância pública, institucional, profissional, social ou econômica.

OUTROS ESPAÇOS – O decreto, assinado e publicado na última sexta-feira (09/08), inclui o custo de locação de outros espaços esportivos, como o Ginásio Nilson Nelson (R$ 5 mil para eventos esportivos e R$ 15 mil para eventos diversos) e o Estádio Bezerrão, que passa a arrecadar 10% da renda bruta de confrontos esportivos nacionais e R$ 600 para a realização no local de eventos esportivos locais e regionais e das séries C e D do Campeonato Brasileiro de Futebol.

Também estão incluídos o Autódromo Nelson Piquet e o Conjunto Aquático. Além dos valores e regras, o decreto estabelece que os espaços e as instalações esportivas administradas pelo GDF poderão ser utilizados por pessoas jurídicas de direito público ou privado, com ou sem fins lucrativos, pelo período de até um ano, renovável pelo mesmo prazo, mediante Termo de Autorização de Uso.

mane

Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha tem confirmado seis jogos do Campeonato Brasileiro, dois na próxima semana, além dos grandes shows internacionais. Mas a procura por novas datas continuam

Sucesso de renda e público no Campeonato Brasileiro, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha terá, na próxima semana, um desafio duplo na competição junto com o torcedor rubro-negro. A arena receberá mais dois jogos do Flamengo: o primeiro no domingo, contra o Atlético-MG, campeão da Taça Libertadores da América e, o segundo, na quarta-feira (07/08), diante da Portuguesa.

Sempre com o apoio da sua torcida, que tem feito do Mané Garrinha a segunda casa do clube, o Flamengo enfrentará ainda São Paulo, Grêmio e Vitória na arena brasiliense. Estes três jogos, apesar de já definidos pelo Rubro-Negro, ainda não tem o local de disputa confirmado oficialmente pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O clássico contra o Vasco, partida válida pelo segundo turno da competição nacional, será em 6 de outubro. No primeiro jogo, em 14/07, mais de 61 mil flamenguistas e cruzmaltinos fizeram uma bonita festa no estádio, lado a lado e em clima de paz. Houve a presença marcante de famílias com crianças.

Com a conquista do título da Taça Libertadores pelo Atlético-MG, time que também tem uma grande torcida no DF, a expectativa é de outro jogo com casa cheia no Mané Garrincha, como tem ocorrido em todas as partidas do Flamengo.

Arena multiuso – A agenda de uso do Mané Garrincha ainda está aberta e outros jogos do Campeonato Brasileiro poderão ser disputados aqui. “Vários clubes têm nos procurado para trazer suas partidas para Brasília. Estamos conversando com seus representantes como também com produtores culturais interessados em trazer grandes eventos para a nossa arena multiuso, pela sua estrutura, localização, fácil estacionamento e pelo conforto que propicia ao público”, contou o secretário Extraordinário da Copa 2014, Cláudio Monteiro.

A arena multiuso não concentra suas opções de lazer e entretenimento apenas no futebol. Os eventos culturais têm espaço garantido na agenda. O primeiro show foi o Tributo a Renato Russo, com mais de 40 mil fãs, mas já estão confirmadas as apresentações de Beyoncé, em 17 de setembro, e da banda de rock americana Aerosmith, em 23 de outubro. Desta forma, o Mané Garrincha insere Brasília, definitivamente, no circuito internacional dos grandes eventos culturais.

Emprego e renda – Os jogos no Mané Garrincha estabeleceram uma relação benéfica tanto para torcedores que vão acompanhar os times quanto para restaurantes e lanchonetes próximos. Alguns chegam a registrar aumentos de 30% nas vendas e, por isso, reforçam o número de funcionários para atender aos torcedores em dias de competição.

Sem sombra de dúvidas nos beneficiamos com a inauguração do estádio Mané Garrincha. Se o jogo é mais cedo, o pessoal vem almoçar. Se é um pouco mais tarde, as pessoas comem depois da partida”, explicou o gerente do restaurante Divino Fogão, Rafael Rodrigues. O gerente do Coco Bambu, Raoni Oliveira, também comemora os lucros e os novos clientes que surgiram e puderam conhecer melhor o restaurante.

Fato também percebido na praça de alimentação da Torre de TV. Segundo João Gabriel Goes, proprietário de uma sorveteria, o crescimento nas vendas foi de 60%. “O estádio é mais um atrativo que nos beneficia. Tomara que continue tendo jogos por lá”, comemorou.

Legado – O estádio foi concebido com o conceito multiuso e segue a tendência dos principais estádios europeus. Com a construção da nova arena, a cidade já tem agenda fechada com eventos esportivos, culturais e congressos até 2019. E o estádio será um catalisador de novos investimentos, além de responsável pela geração de emprego e renda na cidade.

Arena multiuso será inserida em programa internacional de reaproveitamento total de resíduos. No jogo Brasil x Japão, 48% do lixo produzido foi reciclado. Fim do lixão da Estrutural está previsto para dezembro

Com a meta de tornar o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha referência em reciclagem de lixo, a Secretaria Extraordinária da Copa 2014 e o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) pretendem inserir a arena no conceito Zero Waste. Utilizado em países da Europa, como Suécia e Itália, e nos Estados Unidos, o Lixo Zero é um programa de aproveitamento total de resíduos.

O objetivo é reutilizar ao máximo os resíduos, reduzindo ou eliminando o encaminhamento do lixo para aterros sanitários e incineradores. Na prática, o programa prevê que materiais que hoje são descartados de forma errada sejam corretamente reaproveitados e utilizados como matéria-prima em usinas e fábricas.

Isso é feito por meio de ações de reciclagem, compostagem (reaproveitamento de orgânicos), educação ambiental e pela inserção do conceito dos 3Rs – reduzir, reaproveitar e reciclar. O estádio será o projeto-piloto do programa, que vai ser ampliado a órgãos do GDF, empresas e incorporado aos hábitos da população.

A previsão é que, em 2014, o lixo produzido durante os sete jogos da Copa do Mundo no Mané Garrincha já tenha alto índice de aproveitamento. A adesão ao programa será com a Aliança Internacional do Lixo Zero (Zero Waste International Alliance – ZWIA), entidade responsável pelo movimento em todo o mundo.

Nova cultura – Segundo o diretor do SLU, Gastão Ramos, o projeto vai mudar a realidade da gestão de resíduos no Distrito Federal. “É uma transformação no estilo de vida e na cultura de toda a sociedade. O objetivo é, no futuro, não precisar de aterros e incineradores e reaproveitar todo o lixo”, destaca o diretor.

A preocupação com a destinação correta do lixo, no entanto, já começou. Na abertura da Copa das Confederações, realizada em 15 de junho na partida entre Brasil x Japão no Mané Garrincha, um total de 48% dos resíduos recolhidos pelo SLU na arena foi reciclado por cooperativas e pela usina de compostagem. Os trabalhadores ficaram com toda a renda resultante da venda do material.

Fim do lixão na Estrutural – Daqui a 13 dias, em 30 de julho, está previsto o resultado da licitação da empresa que vai construir o Aterro Sanitário em Samambaia. O projeto segue todas as normas ambientais. Essa é uma das medidas necessárias para desativar o lixão da Estrutural. A previsão é que, se os trâmites da licitação transcorrerem dentro da normalidade, o lixão seja desativado em dezembro deste ano, seis meses antes do início da Copa do Mundo. Ao todo, 24 empresas retiraram o edital.

Os cerca de 3 mil catadores de 32 cooperativas serão absorvidos pelos 12 Centros de Triagem, que serão instalados no modelo de manejo de resíduos sólidos do Distrito Federal. Lá, o lixo reciclável será processado e o não reciclável será encaminhado ao aterro. Os centros serão construídos em várias regiões do DF. Os 12 galpões estão em fase de licitação.

A terceira medida essencial para a desativação do lixão é a realização da coleta seletiva em todo o DF. O resultado da licitação para escolha das empresas que vão executar o serviço sai no dia 12 de agosto. Com essas políticas públicas, o GDF vai acabar com as condições desumanas dos catadores do lixão da Estrutural, resultado de anos de descaso que a atual gestão está empenhada em mudar.