Posts Tagged ‘Mané Garrincha’

Com apoio de 11,3 mil torcedores, meninas do Brasil conquistam, pela quinta vez, o Torneio Internacional de Futebol Feminino.

A festa da torcida brasiliense foi do início ao fim, com direito a “ola”, arco-íris, muitos cartazes e gritos de apoio. Diante de 11,3 mil pessoas no Mané Garrincha, o Brasil foi campeão do Torneio Internacional de Futebol Feminino ao empatar em 0 x 0 com os Estados Unidos, neste domingo (21). Essa foi a quinta conquista das meninas na competição. O Brasil era o favorito porque tinha a vantagem do empate, por ter feito a melhor campanha na fase classificatória.

As jogadoras brasileiras entraram no campo do Mané com uma faixa homenageando o narrador Luciano do Valle, falecido neste ano. A descrição, “Obrigado Luciano do Valle”, agradeceu o apoio dado pelo jornalista ao futebol feminino.

Depois de um primeiro tempo disputado, o segundo contou com mais chances das duas equipes, quando Estados Unidos e o Brasil resolveram ir para cima para tentar vencer. Com isso, as defesas tiveram mais trabalho e os torcedores ganharam um bom jogo.

Essa foi a sexta edição do torneio. Com o quinto título, o Brasil só não foi campeão em 2010, quando perdeu para o Canadá. Em 2013, a conquista foi em cima do Chile, com uma goleada por 5 x 0. O sucesso em Brasília consolida a competição e o céu ainda deu uma ajuda, proporcionando um belo espetáculo momentos antes de a final começar, com um arco-íris sobre a cobertura do estádio.

FESTA

A torcida deu um espetáculo à parte. Entre os mais alegres estava Eduardo Gregório, de 54 anos. O bancário trouxe o filho, Gabriel, de 9 anos, para conhecer o Mané Garrincha. “Gosto quando tem jogos mais tranquilos como este. O clima no futebol feminino é diferente e foi uma ótima oportunidade”, disse o morador de Sobradinho.

Ele contou que fazia 20 anos que não ia a um estádio. “Essa foi a melhor oportunidade. Um estádio bonito, moderno e um bom jogo para assistir. A última vez foi no Morumbi, no início dos anos 90, ainda quando morava em São Paulo”, lembra.

O secretário de Turismo e Projetos Especiais, Luis Otávio Neves, destacou o potencial da arena brasiliense e a importância do torneio. “Já faz parte do nosso calendário. É um evento que atrai muitos turistas e a torcida brasiliense. Os resultados deste campeonato acabam atraindo também o interesse de outros eventos para o Mané Garrincha”, completa.

mane

Estádio Nacional estará de portas abertas neste sábado (13) para visitação guiada, das 10h às 16h. Turistas e brasilienses podem conhecer áreas restritas por onde passam os craques da bola e astros internacionais da música

O Mané Garrincha se consolida como ponto turístico para quem está na capital do país. Assim como ocorre com o Palácio do Planalto, Planetário e Templo da Boa Vontade, entre outros locais, o Estádio Nacional de Brasília é um dos monumentos mais procurados do DF aos finais de semana por turistas e brasilienses. Desde o início de novembro, o programa de visitação aos sábados já atraiu 2,8 mil pessoas.

O número é superior ao de monumentos mais antigos da cidade. Dados do Observatório do Turismo mostram que o Palácio do Planalto, que abre aos domingos, recebeu 2.425 visitantes no mês de agosto (último dado disponível). O Alvorada, aberto às quartas-feiras, foi visitado no mesmo período por 1.240 pessoas. O Observatório do Turismo coleta e monitora informações turísticas de Brasília.

Oportunidade - “Viemos conhecer os pontos turísticos de Brasília e ficamos sabendo que o Mané Garrincha oferecia passeio guiado. Não podíamos deixar passar essa oportunidade. O estádio é lindo”, disse o universitário Pedro Santos, 22 anos, que veio do interior de Minas com mais cem colegas de faculdade visitar a capital do país no sábado passado (6).

A catarinense Alcina Padilha, 44 anos, veio a Brasília de férias com o marido e o filho e fez questão de visitar a arena brasiliense. “Aproveitamos para conhecer o Mané Garrincha. Na nossa cidade não existe estádio desse porte”, comentou. Para o filho, Vagner Padilha, o mais legal é o caráter diversificado do estádio, que já recebeu jogos, shows, casamentos, festas, corrida de rua e até uma partida de futebol de salão. “Não serve somente para futebol”, observou.

O programa também é ótima opção para as famílias brasilienses que ainda não tiveram a oportunidade de ir ao estádio em jogos e eventos.

PASSEIO GRATUITO

O passeio é gratuito e não há necessidade de agendamento prévio. Para participar do primeiro tour da manhã, basta chegar às 9h30, quando os ingressos são distribuídos. Para a tarde, os bilhetes podem ser retirados a partir das 14h.

Cada passeio dura, em média, 30 minutos e reúne, no máximo, 50 pessoas: tudo para garantir o conforto de quem quer conhecer a arena que recebeu sete jogos da Copa do Mundo (confira no serviço abaixo todos os detalhes da programação).

Antes do passeio, os visitantes assistem a uma breve apresentação sobre o Mané Garrincha, contando a história do novo estádio, curiosidades sobre a construção e os eventos já realizados. Com máquinas fotográficas e câmeras de celular em punho, os visitantes registraram cada momento.

DOAÇÃO

O passeio é de graça, mas o Governo do Distrito Federal convida os visitantes a participarem da campanha de doação de livros para crianças com idades entre 3 e 9 anos. Os livros arrecadados serão distribuídos em creches atendidas pelo GDF. O programa é uma parceria entre as secretarias de Turismo e Projetos Especiais (Setur) e Justiça e Cidadania (Sejus).

PARTICIPE:

Visitação ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha

Quando: sábado (13/12), entre 10h e 12h (manhã) e 14h e 16h (tarde)

Ingressos: São gratuitos, mas os participantes são convidados a doar um livro infantil – as doações serão destinadas a creches do DF. A retirada dos ingressos para as visitas pela manhã começa às 9h30. Para a tarde, os ingressos podem ser retirados a partir das 14h. Serão oferecidos 400 tíquetes (200 para cada turno).

Acesso: A entrada se dá pelo portão externo S, voltado para o Ginásio Nilson Nelson. Os interessados são encaminhados à bilheteria do portão interno 5, onde há a distribuição dos tíquetes gratuitos para as visitas guiadas.

Tours: Com intervalos médios de 30 minutos, grupos de 50 pessoas têm acesso ao estádio por vez. São respeitadas a ordem de chegada e o atendimento ao público preferencial, sendo que cada preferencial poderá estar com um acompanhante.

Visitas agendadas: O estádio conta ainda com um programa de visitas agendadas durante a semana. As instituições (escolas e empresas) interessadas nas visitas em grupo agendadas (realizadas apenas durante os dias úteis) devem encaminhar a solicitação para o e-mail​ ​estadio.visitas@gmail.com. Os pedidos serão atendidos de acordo com a disponibilidade do estádio.

torcida_flamengo4_cahe

Vasco é o vice. Corinthians, São Paulo, Botafogo e Fluminense vêm na sequência

O rubro-negro carioca é a preferência de 47,9% dos torcedores do Distrito Federal. Segundo pesquisa da Codeplan, divulgada nesta quinta-feira (4), o Flamengo (RJ) tem 800.752 torcedores no DF, número  maior que a soma dos oito clubes mais bem colocados na preferência dos brasilienses. As primeiras colocações são ocupadas por clubes cariocas, paulistas, mineiros e gaúchos.

“Com essa preferência pelos clubes cariocas e paulistas, notamos que os times de Brasília não tem expressão na preferência do brasilienses. Enquanto os clubes nacionais têm 60% da torcida local, os times daqui têm, apenas, 5,9% do total de torcedores. É uma diferença esmagadora”, explica o presidente da Codeplan, Julio Miragaya.

Na pesquisa, 203.431 brasilienses declararam torcer para o Vasco; 121.935, para o Corinthians; 110.816, para o São Paulo; 101.864, para o Botafogo; e 91.855, para o  Fluminense. Dos outros times mencionados, vêm, na sequência: Palmeiras (70.908), Cruzeiro (53.107), Atlético Mineiro (29.346), Santos (22.587), Grêmio (15.880) e Internacional (10.469). Quanto aos clubes com pouca menção, a pesquisa passou a considerá-los pela região de origem. Veja a tabela aqui.

No Centro-Oeste, dois clubes, Brasiliense e Gama, mobilizam nada menos que 73,2% da torcida dos clubes locais, aparecendo o Brasiliense em primeiro lugar, com 45% das preferências e o Gama com 28,2%. Os demais 12 clubes somaram 26,8% das preferências.

FLAMENGO

O clube do Flamengo foi fundado em 17 de novembro de 1895 para as disputas de remo. No futebol, o rubro-negro deu o ar da graça em 1912. Já são 102 anos de história da equipe, que, mesmo sendo de terras cariocas, é querida pela maioria dos torcedores do Planalto Central.

Em todas as regiões administrativas do DF, o Flamengo aparece em primeiro lugar na preferência. O número mais expressivo de torcedores foi registrado em Ceilândia, onde 143.047 declararam torcer para o rubro-negro. Samambaia aparece em segundo, com 70.820 torcedores, e Taguatinga em seguida, com 60.727.

REGIÃO METROPOLITANA

A pesquisa também ouviu a população da Região Metropolitana do DF, e o resultado foi diferente. Semelhante foi apenas liderança dos flamenguistas com 341.362 torcedores. Já a segunda colocação ficou com o Corinthians (68.154). O Vasco aparece em terceiro com 65.013, seguido por São Paulo (51.206) e Palmeiras (35.171).

TORCEDORES POR GÊNERO

A torcida masculina é maioria absoluta no DF e no restante do país, conforme a pesquisa da Codeplan. Do total de 1.338,3 mil homens residentes no DF, apenas 394,9 mil (29,5%) não torcem para nenhum dos 30 principais clubes brasileiros. Já entre as 1.448,4 mil mulheres, 721,1 mil (49,8%) revelaram não torcer para nenhum dos 30 clubes.  (Johnny Braga, da Agência Brasília)

 Toninho Psol Wany

O Diretório Regional do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL-DF) entregou, no final da tarde desta segunda-feira (1), ao presidente da Câmara Legislativa, deputado Wasny de Roure (PT), requerimento solicitando a retirada de tramitação do projeto de lei complementar nº 108/14, do Executivo, que remaneja recursos do Fundo de Apoio À Cultura (FAC) e do projeto de lei nº 2.049/14, também do governo local, que cria o Fundo Especial da Dívida Ativa (Fedat). Ambos os projetos são apontados pelo GDF como saída para sanar dívidas do governo. O partido propôs ainda a criação de uma auditoria da dívida pública do DF e outra para apurar gastos com a construção do Estádio Nacional Mané Garrincha.

O candidato ao governo do DF nas últimas eleições, Toninho do PSOL, foi um dos líderes que entregou pessoalmente o documento do partido ao presidente Wasny. No texto, o PSOL sua preocupação com a situação das finanças púbicas do Distrito Federal, “que se encontram numa situação quase falimentar, devendo chegar ao final deste ano com um déficit público superior a R$ 2 bilhões, podendo chegar a R$ 3,1 bilhões”.

Os membros do PSOL reivindicam ainda que a Câmara Legislativa “exerça plenamente suas funções de fiscalizadora do Poder Público, desempenhando todas as suas funções, inclusive abrindo Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para identificar e responsabilizar aqueles que levaram o Distrito Federal a esta calamitosa situação”.

Paul McCartney Performs At The Joint At The Hard Rock

Apresentação do ex-Beatle no Mané Garrincha atrai todas as gerações. Público assistirá a uma superprodução

“Desde pequeno, sempre via meu pai escutando Beatles e acabei gostando. Agora que o Paul McCartney vem tocar em Brasília, eu não podia ficar de fora”, diz o estudante João Victor, de 15 anos, logo após retirar o ingresso na bilheteria do Mané Garrincha. Este será o primeiro show internacional do rapaz.

João Victor estava acompanhado da mãe, Luciene Augusto, 42, o que mostra que o artista leva gerações diferentes em seus shows. “Ele (o filho) foi o primeiro a insistir para ir, mas claro que não tem como perder. Acompanho Paul há muito tempo e estando aqui, pertinho de casa, fica ainda mais fácil”, explica a moradora de Águas Claras.

Já o aposentado Silvio Veloso, de 62 anos, que gosta de bandas da mesma época dos Beatles, comprou o ingresso pela internet. “Quando eu soube do show aqui em Brasília, não ia perder a chance. É como se voltássemos no tempo para ver os Beatles em uma época onde a música fervia”, disse o morador do Tororó, próximo a São Sebastião, que vai acompanhado da esposa.

O evento no Mané ficará marcado para sempre na memória do brasiliense. Esta é a primeira vez que Paul McCartney toca na capital federal. “Nunca estive aí, primeiro show em Brasília! Será no dia 23 de novembro e eu quero ver vocês lá!”, disse Paul em um trecho do vídeo divulgado no site oficial da turnê brasileira (2014.paulinbrazil.com.br).

O baixista, compositor e cantor costuma encantar plateias de todo o mundo com apresentações que aliam um repertório inigualável de sucessos com uma produção que utiliza tecnologias de última geração de som, iluminação e palco.

Estrutura - A apresentação, que começa às 20h, foi possível graças à estrutura da arena brasiliense. “Esse será o primeiro show de Paul McCartney em Brasília e é natural que o evento aconteça no Mané. É o espaço ideal para essa turnê”, destaca Luiz Oscar Niemeyer, sócio da Planmusic, promotora do evento. Pelo local já passaram artistas como Beyoncé e Aerosmith.

Ingressos - Quem quiser assistir ao show histórico pode comprar as entradas em postos fixos, no Brasília Shopping e no Mané Garrincha, além da internet (www.tudus.com.br). Os ingressos variam entre R$ 110 e R$ 700, com todos os setores ainda disponíveis.

Multiarena - O show do cantor Paul McCartney dá continuidade a uma agenda de eventos de sucesso, dentro e fora do estádio. A arena foi palco do Tributo a Renato Russo Sinfônico e tem recebido atrações que passam por todos os ritmos, da música sertaneja ao samba e rock nos últimos meses. Até o momento, são, ao todo, 66 eventos no Mané Garrincha desde a sua inauguração.

Serviço:

Show do Paul McCartney

Data: 23 de novembro

Local: Mané Garrincha

Ingressos:

Premium: R$ 700 (meia R$ 350)

Pista: R$ 300 (meia R$ 150)

Cadeira inferior: R$ 450 (meia R$ 225)

Cadeira superior: R$ 220 (meia R$ 110)

Classificação etária – 16 anos

Pontos de venda:

Bilheteria Estádio Nacional Mané Garrincha

Setor de Recreação Pública Norte – Asa Norte – Portão S – Setor N1 (entrada pelo lado do ginásio Nilson Nelson). Funcionamento: de segunda a domingo, de 10h às 17h, exceto em dias de jogo.

Central de Ingressos do Brasília Shopping

Piso G2. Funcionamento: de segunda a sábado, de 10h às 22h, e domingos e feriados, de 14h às 20h.

Internet: www.tudus.com.br

Secretários de Estado que participam do I Fórum Nacional Conjunto Consad/Coseplan/Confaz, na Tribuna de Honra do Estádio Nacional, elogiam o local e vão propor uso alternativo das arenas

Com uma vista privilegiada do gramado que foi palco da Copa do Mundo, secretários de Estado da Fazenda, Planejamento e Administração Pública reuniram-se na quinta-feira (13) na Tribuna de Honra do Estádio Nacional para participarem do I Fórum Nacional Conjunto Consad/Coseplan/Confaz. O evento termina hoje (14) e, durante os debates, pretende-se chegar a uma agenda conjunta de pleitos junto ao governo federal.

Em meio a discussões sobre contas públicas, impactos financeiros e orçamentários em transferências da União e projetos de leis, uma pausa para o elogio. “Foi uma decisão acertada trazer essa reunião no Mané Garrincha. Não poderia ser em outro local, pelo ícone que o estádio se transformou. Sem falar que é o estádio que representa o nosso Brasil, por estarmos na capital do país”, disse o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), Eduardo Diogo, que também é secretário de Planejamento e Gestão do Ceará.

Arena Pantanal – O presidente do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Planejamento (Conseplan), Arnaldo Alves, disse que vai propor que a Arena Pantanal também tenha a mesma destinação do Mané. “O cenário lindo, o lugar maravilhoso, é um espaço que pode ser muito bem aproveitado. É função do multiuso. Temos um estádio de Copa e vamos levar uma proposta de se utilizar dessa forma também”, afirmou Alves, secretário de Planejamento de Mato Grosso.

O secretário de Fazenda de Minas Gerais, Leonardo Colombini, considera o estádio “maravilhoso e muito bem utilizado”. Para ele, o GDF fez a escolha certa ao receber eventos como o Fórum no Mané. “Vou levar o modelo para Minas, porque o Mineirão não tem previsão de eventos desse tipo”, contou.

Debate - O Fórum é o primeiro evento conjunto entre representantes das Secretarias de Estado de Administração/Gestão, Planejamento e Fazenda no ano de 2014 e, além de secretários de estado, reuniu servidores e autoridades para debater ações e projetos que estão pautando os trabalhos em suas diversas áreas de atuação.

O secretário de Estado de Administração Pública e segundo vice-presidente do Consad, Wilmar Lacerda, apontou a importância do evento, já que vários estados e municípios passam pelo desafio do equilíbrio de contas. “Não conheço nenhum estado em que a despesa de pessoal tenha decrescido nos últimos anos. Portanto, nós estamos, não só o DF, como o conjunto dos outros estados, vivendo o dilema de baixo crescimento da receita e despesas crescentes de pessoal”, disse.

mane

A partir deste sábado (1º) moradores do DF e turistas poderão participar de visitas guiadas dentro da arena brasiliense. Os tours serão realizados entre 10h e 16h

O programa de visitação ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha foi ampliado. Turistas e moradores do Distrito Federal poderão conhecer a arena a partir deste sábado, 1º de novembro, durante visitas guiadas. Sempre aos sábados, entre 10h e 16h, serão promovidos tours com grupos de, no máximo, 50 pessoas – o que garantirá a segurança e o conforto dos visitantes.

A partir das 9h30, terá o início a distribuição de 200 ingressos para as visitas da manhã. Às 13h, começa a entrega de mais 200 tíquetes para os tours da tarde. A distribuição respeitará a ordem de chegada dos interessados, e também o atendimento ao público preferencial – cada idoso, gestante e pessoas com deficiência terá direito a ingressar no estádio com um acompanhante. À medida que se formarem grupos de 50 pessoas, terá início a visita de cada grupo.

Ponto de concentração – O acesso de pessoas com mobilidade reduzida, cadeirantes e idosos está garantido: a arena conta com elevadores e rampas. O ponto de concentração dos grupos será no portão externo S, voltado para o Ginásio Nilson Nelson: há parada de ônibus e estacionamento próximos a essa entrada.

A abertura do estádio para o público em geral aos sábados é uma nova iniciativa. Mas desde abril de 2011, antes mesmo da inauguração, o Mané oferece visitas agendadas. Já passaram pela arena alunos dos ensinos Básico, Fundamental e Médio; estudantes de Graduação em arquitetura e engenharia, além de moradores das Regiões Administrativas do DF que participaram do programa GDF Junto de Você. Oportunidades que levaram mais de 15 mil pessoas a conhecerem a arena.

Turismo cidadão – Assim como as visitas agendadas, os tours semanais de sábado serão gratuitos. Não haverá cobrança de ingresso, como ocorre em outras arenas do país, mas o Governo do Distrito Federal convida os visitantes a participarem da campanha de doação de livros infantis.

“Além de ampliar o acesso ao Mané Garrincha, esse é um projeto social que contribuirá com a formação de nossas crianças. Estamos, de uma só vez, incentivando o turismo cidadão e a educação em nossas cidades”, destaca o secretário de Justiça e Cidadania do DF, Claudio Monteiro.

Ele explica que os livros arrecadados serão entregues a creches da região, em uma parceria entre as secretarias de Turismo e Projetos Especiais e de Justiça e Cidadania. A prioridade será distribuir as doações para creches localizadas nas cidades com menor renda do Distrito Federal.

Bastidores – O passeio de sábado pelo Mané será atrativo até para quem já participou de jogos e eventos realizados dentro da arena. Isso porque, além das arquibancadas, os visitantes terão acesso à lateral do gramado e banco de reserva, túnel por onde os times entram em campo e a vestiários das equipes: áreas normalmente restritas aos craques do futebol e comissões técnicas.

Palco de sete jogos da Copa do Mundo de 2014, de partidas dos campeonatos Brasileiro e Candango, e amistosos com as seleções Brasileira e Olímpica de futebol. O Mané Garrincha foi ainda o primeiro estádio a receber uma partida de futebol de salão – jogo que registrou o maior público da modalidade: 56.578 mil pessoas, em 7 de setembro, na vitória do Brasil sobre a Argentina por 4×1. A arena também recebeu grandes shows, como as apresentações da cantora Beyoncé e dos veteranos do Aerosmith. Em 23 de novembro, será palco do primeiro show do ex-Beatle Paul McCartney em Brasília.

Para o secretário de Turismo e Projetos Especiais, Luís Otávio Neves, a ampliação do programa de visitação ao estádio vai beneficiar tanto os turistas quanto os moradores da cidade. “O Mané Garrincha se tornou um dos monumentos mais atraentes da capital. Estamos ampliando o compromisso de garantir a democratização do espaço”, afirma.

PARTICIPE:

Visitação ao Estádio Mané Garrincha

Quando: todos os sábados, entre 10h e 16h.

Ingressos: São gratuitos, mas os participantes são convidados a doar um livro infantil – as doações serão destinadas a creches do DF.

A retirada dos ingressos para as visitas pela manhã começa às 9h30. Para a tarde, os ingressos podem ser retirados a partir das 13h. Serão oferecidos 400 tíquetes (200 para cada turno).

Acesso: A entrada se dará pelo portão externo S, voltado para o Ginásio Nilson Nelson. Os interessados serão encaminhados à bilheteria do portão interno 5, onde haverá a distribuição dos tíquetes gratuitos para as visitas guiadas.

Tours: Com intervalos médios de 45 minutos, grupos de 50 pessoas terão acesso ao estádio por vez. Serão respeitados a ordem de chegada e o atendimento ao público preferencial, sendo que cada preferencial poderá estar com um acompanhante.

Visitas agendadas: As instituições interessadas devem encaminhar a solicitação para o e-mail estadio.visitas@gmail.com. Os pedidos serão atendidos de acordo com a disponibilidade do estádio.

Da pré-escola à faculdade, alunos de todas as idades e de diversas regiões do país aprendem sobre sustentabilidade e outros temas em visitas ao Mané Garrincha. Mais de 10 mil estudantes já conheceram o novo estádio

“O estádio é uma grande ferramenta pedagógica a céu aberto. Estamos diante de uma obra que beneficia diretamente o aprendizado de alunos e universitários em várias disciplinas do conhecimento”. A constatação é da professora de Urbanismo Fernanda Corrêa, da Faculdade Dom Pedro II, localizada no interior de São Paulo. À frente de uma turma de 40 alunos de arquitetura, ela esteve na arena conhecendo os vestiários, o campo de futebol e os espaços de convivência do Mané Garrincha.

A estudante de arquitetura Regiane Barbosa, 23 anos, conta a experiência única de poder conhecer de perto um estádio de Copa do Mundo e o aprendizado que a visita proporciona: “Estou surpresa com a dimensão da obra. Este espaço é uma sala de aula expositiva, onde podemos assimilar na prática conceitos teóricos aprendidos na faculdade”.

Interesse nacional – O programa de visitação do Mané Garrincha recebe escolas, universidades e diversas instituições e já atraiu mais de 10 mil visitantes. O interesse vai além das fronteiras do Distrito Federal. Já visitaram o Estádio Nacional de Brasília estudantes de Belo Horizonte, do Espírito Santo, Rio de Janeiro e de Goiás.

Para o secretário de Turismo e Projetos Especiais do DF, Claudio Monteiro, as visitas dos estudantes confirmam o caráter multiuso da arena brasiliense, inaugurada em maio de 2013: “É muito importante a sociedade saber e entender que esse estádio vai muito além do futebol. É um equipamento precioso para o desenvolvimento econômico, social e cultural da nossa cidade. O interesse e aprendizado desses estudantes são prova disso.”

Multidisciplinar – A visitação ao estádio também promove o aprendizado de alunos dos ensinos Fundamental e Médio. Marcos Souza, de 14 anos, esteve na arena junto com uma turma de 80 adolescentes do Centro de Ensino Fundamental 01 de Brasília. Ele conta que, durante o passeio, percebeu que para construir o estádio foi necessário aplicar conhecimentos matemáticos como geometria, cálculo e lógica. “O melhor de tudo é que podemos aprender de forma interessante, saindo da forma convencional da sala de aula”, comenta Marcos.

Professora de Biologia, Izalci Carvalho, de 38 anos, explica que a visita ao estádio desperta nos alunos o interesse por diversas disciplinas. “Trabalhamos com eles projetos na área de Ciências Naturais e também aproveitamos para desenvolver a escrita e oralidade  dos alunos com  redações sobre a temática da sustentabilidade”, ressalta.

Os estudantes mais novos também curtem a oportunidade de conhecer o Mané Garrincha. Com muita brincadeira e correria, os pequenos se encantam com o novo cartão-postal da cidade, assim como os seus pais. Foi o caso da dona de casa Telma Amaral, de 35 anos, que esteve no local pela primeira vez junto com a filha Beatriz, de 3 anos, em uma visita organizada pelo colégio 21 de Abril. “Trazer essas crianças para conhecer o estádio é uma oportunidade única. Isso vai ficar marcado não só na história deles como também na nossa”, afirmou Telma.

Cidadania – Além das visitas das instituições de ensino, o Estádio Nacional de Brasília também recebeu as edições do programa GDF Junto de Você, que trouxe moradores de várias regiões administrativas do DF para conhecer por dentro a arena brasiliense.

Serviço:

A visita ao Mané Garrincha é gratuita e mediante a disponibilidade da agenda do estádio.  As instituições interessadas devem encaminhar a solicitação pelo e-mail: estadio.visitas@gmail.com

mane

Seleção sub-23 vai enfrentar os Estados Unidos em amistoso marcado para 13 de outubro na arena brasiliense. Brasília receberá jogos do futebol masculino e feminino nas Olimpíadas de 2016

O clima olímpico vai tomar conta do Mané Garrincha em outubro. A Seleção Brasileira sub-23, que busca o inédito ouro nos Jogos de 2016, vai realizar um amistoso com os Estados Unidos no dia 13, às 19h, na arena brasiliense. Será uma grande oportunidade de a torcida prestigiar a equipe do técnico Alexandre Gallo e conhecer os novos craques do futebol brasileiro.

O secretário de Turismo e Projetos Especiais, Claudio Monteiro, antecipa que a partida terá um significado especial para a cidade: “Um dia antes do jogo, queremos abrir o estádio para um treino da seleção e assim ser um belo programa da família, já que será 12 de outubro, um domingo, Dia das Crianças.”

Preparação – O amistoso em Brasília faz parte da preparação da equipe sub-23 para as Olimpíadas. Em 2016, a capital federal será cidade olímpica, recebendo jogos de futebol, tanto masculino quanto feminino. Para Weber Magalhães, vice-presidente da CBF para a Região Centro-Oeste, mais uma vez Brasília sai na frente: “O Mané Garrincha foi escolhido pelas excelentes condições que oferece. O estádio tem se destacado nos jogos que recebe”.

A ideia do técnico Gallo é preparar os jovens atletas a atuarem em casa. “É o pontapé inicial na ideia de fazer jogos no Brasil: estar ao lado da nossa torcida, tomar pressão, saber o que é jogar dentro das nossas arenas”, explicou o técnico. Antes do jogo no Mané Garrincha, o time canarinho fará mais uma partida, no dia 10 de outubro.  O Brasil já ganhou medalha de prata e bronze nas Olimpíadas.

Casa verde e amarela – Desde a inauguração, o Estádio Nacional já recebeu 4 jogos da Seleção Brasileira principal. A torcida brasiliense pôde acompanhar os craques brasileiros duas vezes na Copa do Mundo (em partidas com Camarões e Holanda), na abertura da Copa das Confederações, em jogo com o Japão, além de um amistoso com a Austrália.

Jogadores convocados para o amistoso:

Goleiros

Andrey – Botafogo

Jacsson – Internacional

Georgemy – Cruzeiro

Zagueiros

Dória – Olympique de Marselha

Wallace – Mônaco

Samir – Flamengo

Nathan – Palmeiras

Laterais

Fabinho – Mônaco

Claudio Winck – Internacional

Wendell – Bayer Leverkusen

Douglas Santos – Atlético Mineiro

Meias

Alison – Santos

Matheus Biteco – Grêmio

Danilo – Braga

Fred – Shaktar Donetsk

Rafael Alcântara – Barcelona

Talisca – Benfica

Atacantes

Ademílson – São Paulo

Luan – Grêmio

Thalles – Vasco da Gama

Douglas Coutinho – Atlético Paranaense

Vinicius Araújo – Standard Liége

Felipe Gedoz – Club Brugge

Brasília recebe o 5º Congresso Ibero-Americano de Jovens Empresários. Além de visitarem o Estádio Mané Garrincha, os participantes irão debater a experiência da realização do Mundial no país

Jovens líderes empresariais de diversos países estarão em Brasília nesta sexta (19) na 5ª edição do Congresso Ibero-Americano (CIJE). O evento, realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, debate, entre outros temas, a experiência de realização da Copa do Mundo no Brasil e o esporte como ferramenta de desenvolvimento social e como oportunidade de negócios.

A programação do congresso inclui uma visita ao Estádio Nacional Mané Garrincha, que foi palco de sete jogos do Mundial e que receberá, em 2016, partidas de futebol feminino e masculino dos Jogos Olímpicos. A cidade entrou na rota dos grandes eventos até 2019 que, juntos, deverão gerar impacto econômico de cerca de R$1,3 bilhão, de acordo com dados do Observatório do Turismo do DF.

Arena – Para Carolina Valente, presidente da Federação Ibero-Americana de Jovens Empresários (Fije), uma das organizadoras do evento, o tour pela arena é o momento mais aguardado do encontro. “Todos estão empolgados para conhecer o palco da Copa do Mundo”, revela. Cerca de 200 jovens empresários devem participar do encontro.

A presidente da Fije revela que conseguiu trazer o evento para Brasília graças à realização do Mundial. “Aproveitamos que os jovens empresários estavam com vontade de conhecer o país-sede do Mundial e vendemos a ideia de que eles poderiam ver de perto o que foi feito. E nada melhor do que trazer o congresso para Brasília, que representa tão bem as belezas e riquezas do país”, conta. A capital do país foi a cidade mais bem avaliada pelos turistas durante a competição.

Integração – O objetivo do evento é promover negócios e a troca de experiência entre os participantes. Além disso, o congresso pretende incentivar o turismo empresarial e a integração econômica regional, além da formação de novas lideranças empresariais. A Fije irá lançar durante o encontro o Portal JE Negócios – uma plataforma eletrônica para facilitar a integração internacional de empresas comandadas por jovens.

Serviço:

5º Congresso Ibero-Americano de Jovens Empresários (CIJE)

Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães

Data: 19 de setembro de 2014

Inscrições gratuitas

mane

Arena brasiliense atrai evento sobre construções modernas e ecologicamente corretas, pela primeira vez, na América Latina. Engenheiros e arquitetos visitam estádio para estudos

Brasília sedia até sexta-feira (19/09) o Simpósio Anual da Associação Internacional para as Cascas e Estruturas Espaciais (IASS, em inglês). As novas construções realizadas para a Copa do Mundo, como o Estádio Nacional Mané Garrincha, estão no centro das palestras, voltadas para profissionais de arquitetura, engenharia e construtores. O evento é realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

O arquiteto Eduardo Castro Mello e o engenheiro Knut Stockhusen, responsáveis pelo projeto do Mané Garrincha, farão uma exposição sobre a arena brasiliense na sexta-feira, junto com a apresentação de outros estádios do Mundial. O simpósio tem como tema principal as construções modernas e ecologicamente corretas. “É possível haver grandes projetos que não agridam tanto o meio ambiente”, explica Rui Marcelo Pauletti, professor associado da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e presidente do simpósio.

De acordo com Pauletti, o Estádio Nacional Mané Garrincha foi um motivador para a decisão de trazer para Brasília o simpósio internacional, que, pela primeira vez na história, é realizado em um país da América Latina. “A capital em si já é uma referencia para os arquitetos e engenheiros, mas a nova arena mostra que a cidade não vive só da época da fundação, mas que está sempre se recriando e investindo para melhorar”, afirma.

Atrativos – A presidente da Terracap, Maruska Lima, que coordenou a construção do Estádio Nacional Mané Garrincha, explica os atrativos que o estádio oferece aos profissionais da área. “Temos pilares de 36 metros de altura livre, um anel de compressão – laje de concreto que contorna todo o estádio – que é o maior do mundo. Não existe nada estruturalmente igual ao Estádio Nacional e isso chama a atenção dos engenheiros e projetistas”, detalha.

O simpósio internacional é um dos 18 eventos que vão ocorrer na capital até 2019 e que, juntos, deverão gerar impacto econômico de cerca de R$1,3 bilhão, de acordo com dados do Observatório do Turismo do DF de julho/2014. “Estamos projetando Brasília para arquitetos e engenheiros de várias partes do mundo, mostrando uma cidade moderna, com obras relevantes reconhecidas internacionalmente”, afirma o secretario-adjunto de Turismo e Projetos Especiais, Luís Otávio Neves.

Sobre a Associação – A IASS foi fundada em 1959 e tem sua sede e secretaria em Madri, na Espanha. O principal objetivo é fomentar o progresso do projeto, da análise e da construção de sistemas estruturais leves. A associação publica uma Revista Internacional e promove atividades técnicas em diversos países. Anualmente, a IASS organiza um Simpósio Internacional focado em temas de interesse geral de engenheiros, arquitetos e construtores. O evento de Brasília é realizado em parceria com a Rede Latino-Americana para as Tensoestruturas, que faz conjuntamente o 6º Simpósio Latino-Americano sobre Tensoestruturas.

Serviço:

Simpósio IASS-SLTE 2014 – Simpósio Anual da IASS – 9 Simpósio Latino-Americano sobre Tensoestruturas

Quando: de 15 a 19 de setembro de 2014

Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães

Mais informações: www.iass2014.org

Cerca de 500 adolescentes do programa Jovem Candango recebem a Carteira de Trabalho para atuar como menores aprendizes nos órgãos do GDF. Após a cerimônia de acolhimento, eles conheceram a arena brasiliense

“Tenho certeza que minha vida vai melhorar e muito com essa nova experiência. Terei mais chances de me qualificar profissionalmente, além de ter uma qualidade de vida melhor”. Foi o que disse a estudante Jéssica Maria, 16 anos, uma das selecionadas do Jovem Candango, programa da Secretaria de Administração Pública, ao receber a sua Carteira de Trabalho, na manhã de sexta-feira (12/9), no estádio Mané Garrincha.

Ela e outros 500 jovens com idade entre 14 e 18 anos terão a chance de ingressar em seu primeiro emprego, obtendo experiência profissional e conhecendo um pouco mais sobre o mercado de trabalho. Em ato simbólico, os aprendizes assinaram contrato e receberam suas carteiras de Trabalho. No fim do evento, conheceram a arena do alto, com uma vista privilegiada.

Oportunidade – Jéssica Maria ficou emocionada ao entrar, pela primeira vez, no Estádio Nacional de Brasília. “Não tenho palavras para descrever a emoção de poder participar de um programa que oferece oportunidade para os jovens, além de estar encantada com esse estádio maravilhoso”, disse. A jovem estava acompanhada do pai, Roberto Vicente, 42 anos, que considera importante a iniciativa do Governo do Distrito Federal de ter políticas públicas voltadas para jovens que querem ingressar no mercado de trabalho.

O estudante Túlio Valente de Assis, 18 anos, também demonstrou sua satisfação em ser um dos contemplados do programa Jovem Candango, e exibiu, com orgulho, sua primeira Carteira de Trabalho. Morador de Ceilândia, ele conta que, ao ingressar no projeto, terá maior chance de se profissionalizar e, futuramente entrar em uma faculdade. “Sabemos que é muito difícil o jovem ter sua primeira experiência profissional. E muitos optam em entrar no mundo do crime por não terem oportunidades. Sou um privilegiado em ter essa chance”, disse empolgado.

Arena multiuso – O secretário de Turismo e Projetos Especiais, Claudio Monteiro, afirmou que o programa Jovem Candango é uma importante iniciativa. “Percebemos a alegria desses meninos e meninas ao receberem suas carteiras de Trabalho. E ainda viram de perto esse estádio que recebeu, com sucesso, sete partidas da Copa do Mundo”, ressaltou o secretário, lembrando que o evento reforça o caráter multiuso e a agenda social da arena brasiliense.

O secretário de Administração Pública, Wilmar Lacerda, enfatizou que o programa já atendeu mais de 2,9 mil jovens até este mês. E que até o final do ano serão selecionados mais mil novos jovens. “Esta oportunidade permite que eles possam ingressar em seu primeiro emprego, abrindo as portas do mercado de trabalho, mesmo para os mais novos, 14 anos, permitindo que conquistem uma vaga de emprego como aprendizes”, explicou Wilmar.

Programa – O Jovem Candango oferece a oportunidade do primeiro emprego para meninos e meninas de 14 a 18 anos que cursam o Ensino Fundamental ou Ensino Médio na rede pública do DF e preenchem critérios sociais. Eles atuarão como menores aprendizes em órgãos do DF, com jornada de 4 horas diárias, no turno contrário ao do período escolar. Os jovens recebem uma contrapartida de R$ 482 e benefícios como Carteira de Trabalho assinada, auxílio-alimentação, auxílio-transporte e 13ª salário.

Serviço:

Programa Jovem Candango

Quem estiver interessado em participar da próxima turma do programa deve acessar o site www.seap.df.gov.br e clicar na Aba Jovem Candango. Mais informações pelos telefones: 3961-1768 ou 3966-6188.

 Futsal

Atuação integrada vai garantir a tranquilidade de quem for ao Mané Garrincha para o jogo entre Brasil e Argentina, no domingo (7), às 11h. Chegar com antecedência e facilitar a revista estão entre as principais orientações 

O Estádio Nacional de Brasília recebe no domingo (7), às 11h, a partida de futebol de salão entre Brasil e Argentina, no Desafio Internacional de Futsal – O Retorno das Estrelas. O jogo marca a volta dos craques à seleção, como o camisa 12 Falcão.

O público brasiliense terá a chance de participar da quebra do recorde brasileiro de público da modalidade, que é de 26 mil pessoas. Os portões de acesso serão abertos às 9h. Os torcedores devem chegar com antecedência para evitar filas e aproveitar ainda mais a festa.

Antecedência – O secretário de Segurança Pública, Paulo Roberto, explicou que será usado o mesmo plano operacional já testado com sucesso em dias de jogos no Mané. Ele recomenda o uso de transporte público, metrô e carona solidária.

“No dia do jogo haverá o tradicional Desfile Cívico-Militar, na Esplanada dos Ministérios, e concurso da Secretaria de Saúde, com mais de 150 mil pessoas. Algumas pistas estarão fechadas, como as da Esplanada e o Eixão. O torcedor deve chegar com antecedência para evitar filas no estádio”, afirmou.

O concurso da Secretaria de Saúde tem início às 8h30 e ocorrerá nos colégios situados nas vias W4 e W5 Sul, o que pode causar congestionamento no horário.

Para garantir a tranquilidade do público, as forças de segurança prepararam um plano de ação integrada. Ao todo, 685 profissionais das polícias Militar, Civil do Corpo de Bombeiros e do Detran atuarão no estádio e nos arredores. A recomendação é que os torcedores levem o mínimo possível de objetos para facilitar a revista, que será feita nas imediações da arena.

Mobilidade - O metrô funcionará das 7h às 19h. Ao final da partida, a via N1 (Eixo Monumental sentido Rodoferroviária) poderá ficar fechada por 30 a 40 minutos caso haja necessidade de escoamento do público, na altura da Rodoviária do Plano Piloto. Se não for necessário, não haverá interdição. Parte do estacionamento do Ginásio Nilson Nelson, em frente ao Tribunal de Contas do DF, estará fechada.

Não é permitido entrar no estádio com itens como instrumentos musicais, guarda-chuvas, capacetes, sinalizadores e bandeiras com mastro. As linhas de transporte público que passam pelo Mané funcionarão normalmente durante todo o dia, e poderão ser intensificadas de acordo com a demanda, para garantir o acesso e a saída do público.

Ingressos - As entradas para a partida estão à venda a partir de R$ 10 (confira o serviço abaixo). No sábado (6) e no dia da partida (domingo), os ingressos poderão ser adquiridos em bilheterias montadas no estacionamento do estádio (voltado para o Brasília Shopping).

O Governo do Distrito Federal apoia o evento, mas a venda e a definição do preço dos ingressos são de responsabilidade dos organizadores da partida, entre eles a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS).

Confira os detalhes da operação:

SEGURANÇA

Polícia Militar

Vai atuar com 514 homens e 43 viaturas. Além dos profissionais, mais de 400 câmeras de monitoramento ajudam na segurança do Estádio Nacional de Brasília.

Corpo de Bombeiros

Ao todo, serão 125 militares com 17  viaturas. Haverá ainda 42 brigadistas atuarão com ambulâncias a postos para atender a emergências.

Polícia Civil

A Polícia Civil do DF empregará um efetivo de 12 profissionais. A delegacia do estádio, localizada no 3º subsolo, estará ativada e em condições de registrar boletins e lavrar flagrantes de ocorrências dentro do estádio. As ocorrências policiais fora do estádio serão encaminhadas para a 5ª DP, que fica próxima ao estádio.

Segurança particular

435 seguranças privados e cerca de 50 orientadores de público darão apoio aos torcedores.

Trânsito

O Detran atuará com 34 auditores de trânsito e 14 viaturas e 2 motos. Fará o controle de acesso e auxiliará na travessia de pedestres. Só haverá interdição nas vias próximas ao estádio caso haja necessidade. Se ocorrer, vai durar de 30 a 40 minutos.

Transporte

As linhas de transporte público que passam pelo Mané funcionarão normalmente durante todo o dia, e poderão ser intensificadas de acordo com a demanda, para garantir o acesso e a saída do público.

O metrô funcionará no horário padrão de (domingo), das 7h às 19h.

Estacionamentos

Pede-se aos torcedores que deem preferência ao transporte público, à caminhada até o estádio ou ainda à carona solidária. Quem preferir utilizar carro poderá optar pelos seguintes bolsões de estacionamento:

- Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha;

- Parque da Cidade;

- Centro de Convenções Ulysses Guimarães;

- Palácio do Buriti (anexo e praça);

- Ministério Público do DF e Territórios;

- Colégio Militar;

- Espaço Funarte

- Setores Hoteleiros Sul e Norte;

- Setores Comerciais Sul e Norte;

- Setor de Rádio e TV Sul e Norte;

- Parque da Cidade

Táxis

Para quem preferir, um ponto fixo de táxi ficará disponível no Eixo Monumental, sentido Palácio do Buriti, em frente ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Preferenciais

Parte do estacionamento norte, localizado em frente ao portão externo (junto à cerca) de número 4/5 do Estádio, voltado para o Autódromo Nelson Piquet, será destinada a idosos, pessoas com deficiência e o público de camarotes. O acesso será controlado pelo Detran.

Acessos

A entrada externa ocorrerá nos portões 4/5, 6,7, 12/13, 14/15 (voltados para o Brasília Shopping), 30 e 31 (voltados para o Ginásio Nilson Nelson). Já o acesso interno será diferente para cada setor do estádio:

- Arquibancada Inferior: todos estarão liberados

- Arquibancadas superiores: 7, 12, 15 e 19

- Área VIP (Hospitality): 1, 6 e 18

Revista

Será feita pela Polícia Militar imediatamente após o cercamento do estádio. Recomenda-se levar poucos objetos e evitar bolsas e mochilas, a fim de agilizar o procedimento.

Não é permitido entrar no Estádio Nacional com instrumentos musicais, guarda-chuvas e capacetes. A lista de objetos vetados inclui, ainda, sinalizadores, armas brancas e fogos de artifício. As bandeiras são permitidas, mas sem mastro.

Serviço:

Desafio Internacional de Futsal Brasil x Argentina – o retorno das estrelas

Local: Mané Garrincha – Brasília (DF)

Data: 7 de setembro

Horário: 11h

Ingressos

Cadeira superior : R$ 10 (meia)*

Cadeira inferior: R$ 30 (meia) *

Cadeira intermediaria: R$ 120 (meia) *

*Meia Entrada: mediante à apresentação de carteirinha de estudante, ou 1kg de alimento não perecível.

**Crianças com até dois anos não pagam.

Vista noturna do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Vista noturna do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Equipes passaram para a Secretaria de Turismo, que mudou de nome. Gestões do Mané Garrincha e da Fábrica Social também foram transferidas.

Do G1 DF – Decreto publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira (1º) traz a extinção da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), 50 dias após o fim do evento esportivo. Todos os cerca de 200 cargos da pasta foram transferidos para a Secretaria de Turismo, que passa a se chamar Secretaria de Turismo e Projetos Especiais.

Além dos 33 cargos internos da Secopa, o número inclui os funcionários da Fábrica Social, programa de capacitação do Governo do DF que era administrado pela pasta.

A extinção da secretaria não gera mudanças orçamentárias para o Distrito Federal, já que toda a estrutura administrativa foi remanejada. A Coordenadoria de Comunicação para a Copa, por exemplo, foi transformada em Coordenadoria de Comunicação para Grandes Eventos.

“Ficam remanejadas as Unidades Administrativas, os Cargos de Natureza Especial e Em Comissão, mantendo os atuais ocupantes”, descreve o decreto publicado nesta segunda e assinado pelo governador Agnelo Queiroz.

A Secretaria de Turismo e Projetos Especiais será comandada por Cláudio Monteiro, ex-chefe da Secopa. Luís Otávio Neves, que comandava o órgão de turismo, vai para o cargo de secretário-adjunto.

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e o projeto Fábrica Social também foram transferidos. “Estamos unindo dois quadros importantes do governo. É a consolidação de um projeto de sucesso”, afirmou o governador do DF, Agnelo Queiroz.

A Secretaria Extraordinária da Copa foi criada em 3 de setembro de 2012 para gerenciar o estádio Mané Garrincha e a organização da Copa das Confederações e da Copa do Mundo.

mane

Com a extinção da Secretaria Extraordinária da Copa, órgão passa a ser responsável pela operação e agenda do estádio

A partir desta segunda-feira (1º/9), a Secretaria de Turismo passa a ser Secretaria de Turismo e Projetos Especiais do Distrito Federal. Conforme publicado no Diário Oficial do DF de hoje, o órgão assume novas atribuições referentes à promoção de Brasília como polo turístico, mais especialmente como a capital dos grandes eventos. A nova secretaria passa a ser responsável pela programação e operação do Estádio Nacional Mané Garrincha.

Com a extinção da Secretaria Extraordinária da Copa, também publicada no DODF, o secretário Claudio Monteiro assume nova função como secretario de Turismo e Projetos Especiais. Permanece no comando da pasta, Luís Otávio Neves, como secretário-adjunto, para dar continuidade à política de fomento ao turismo da capital, que conquistou resultados tão positivos durante a Copa do Mundo em Brasília. A cidade foi eleita a melhor das 12 sedes da Copa pelos turistas.

Projeto de sucesso – O governador do Distrito Federal explica a mudança: “Estamos unindo dois quadros importantes do governo. É a consolidação de um projeto de sucesso. Otavio Neves permanece à frente das ações de Turismo do governo, que já trouxeram resultados muito positivos, batemos todos os recordes de turismo para nossa capital. E agora esse trabalho vai ser agregado à experiência de Claudio Monteiro, adquirida com a realização da Copa e com a gestão do nosso Estádio Mané Garrincha, hoje um espaço estratégico para a captação de grandes eventos para a nossa cidade, fomentando ainda mais o turismo na capital”.

“Estamos consolidando uma parceria entre a Secopa e a Secretaria de Turismo que deu muito certo. Teremos uma agenda cheia para o estádio. É preciso dar continuidade ao trabalho que levou o Mané Garrincha a ser referência nacional e internacional de espaço estratégico para o esporte, a cultura e o turismo da nossa cidade”, destaca Claudio Monteiro.

“Daremos continuidade a todo trabalho desenvolvido na secretaria na área de turismo, potencializando ainda mais tudo que a Copa e o estádio trouxeram para a nossa capital”, reforça Otávio Neves.

Rio 2016

Mané Garrincha será palco do maior evento esportivo do mundo. Expectativa é repetir o sucesso da Copa do Mundo, que teve aprovação dos visitantes

A contagem regressiva já começou. Daqui a exatos dois anos, o Brasil receberá, pela primeira vez em sua história, os Jogos Olímpicos. Assim como ocorreu na Copa do Mundo, as atenções de todo o planeta estarão voltadas para o país. E Brasília, mais uma vez, estará em destaque, já que o Estádio Mané Garrincha foi escolhido como uma das sedes do maior evento esportivo do mundo.

Das 28 modalidades em disputa, Brasília receberá aquela que é a maior paixão dos brasileiros: o futebol. O Mané Garrincha será palco de jogos das equipes masculinas e femininas. Dona de cinco títulos da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira masculina vai tentar um feito inédito: conquistar a primeira medalha de ouro em Jogos Olímpicos. São Paulo (Itaquerão), Salvador (Fonte Nova) e Belo Horizonte (Mineirão), além do Rio de Janeiro (Maracanã), também sediarão partidas.

O ouro olímpico também é inédito para a Seleção Brasileira feminina, que foi prata duas vezes. Se depender de sorte, o Mané Garrincha é pé-quente para a meninas do Brasil. Em dezembro do ano passado, a equipe comandada por Marta venceu o Torneio Internacional de Futebol Feminino, disputado na arena brasiliense, com a participação das seleções do Canadá, Chile, Escócia, além do Brasil.

Turistas - Brasília tem tudo para repetir, durante os Jogos Olímpicos, o sucesso obtido como cidade-sede da Copa do Mundo. Durante a realização do Mundial, a capital federal pode mostrar aos 633 mil turistas nacionais e estrangeiros todos os seus atrativos e qualidades. O resultado, segundo pesquisas, foi uma aprovação perto da unanimidade: 93% dos visitantes mostraram-se satisfeitos com a cidade, enquanto 98% afirmaram que pretendem voltar para visitá-la.

O secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro, destaca que a oportunidade de receber parte dos Jogos Olímpicos irá promover impactos positivos na economia local, gerando mais empregos e renda para a população. E que o palco principal da competição, o estádio Mané Garrincha, está pronto. “As estruturas estão preparadas e, agora, o Distrito Federal irá colher os frutos disso ao longo dos anos”, analisa.

Agenda cheia - Com 15 grandes eventos já programados até 2019, Brasília está hoje atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro no ranking das cidades que mais captam atrações, segundo dados da Embratur.

O segmento esportivo destaca-se no calendário da capital: em 2015, o Autódromo Nelson Piquet é candidato a receber a etapa brasileira da F-Indy e da Moto GP de Velocidade. Em 2016, serão as Olimpíadas e, três anos depois, será a vez de sediar a Universíade, o maior evento esportivo universitário do mundo.

 

mane

Alvinegro carioca pretende trazer para o estádio de Brasília o clássico com o Fluminense. Se confirmada, será a 13ª partida do Campeonato Brasileiro realizada na arena desde a reinauguração

A bola não para de rolar no Mané Garrincha. Após sediar 7 jogos da Copa do Mundo, o estádio deve receber em agosto mais um grande espetáculo de futebol. Botafogo e Fluminense devem disputar, pela primeira vez em Brasília, o mais antigo clássico do futebol brasileiro, válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Se confirmado, o confronto será realizado no dia 17 de agosto, às 18h30.

Mandante do jogo, o Botafogo já pediu à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a transferência do clássico para Brasília, originalmente marcado para o Maracanã, no Rio de Janeiro, e espera pela aprovação da entidade. O alvinegro carioca já havia sentido o gostinho de atuar na nova arena em 2013, quando empatou em 1 x 1 com o Goiás. A decisão da diretoria botafoguense levou em conta, principalmente, a paixão do público brasiliense pelo futebol. “O estádio Mané Garrincha mostrou ter vocação para receber grandes jogos, como vimos na Copa do Mundo. Brasília é reconhecida por ser um reduto de torcedores botafoguenses e tricolores. A expectativa é de casa cheia e de um grande espetáculo”, afirmou o Gerente Comercial do clube, Fabio Monterosso.

O Mané Garrincha já está se consolidando como palco dos grandes clássicos cariocas. Em 2013, Flamengo e Vasco se enfrentaram duas vezes no novo estádio da capital, em partidas emocionantes que, juntas, reuniram quase 100 mil espectadores. Dos 12 jogos do Campeonato Brasileiro disputados na arena, 11 envolveram equipes do Rio de Janeiro. A partida entre Flamengo e Santos registrou o recorde de público da competição nacional em 2013, com mais de 63 mil pagantes.

Primeira vez – Caso se concretize a transferência para Brasília, será a estreia do Fluminense no novo Mané Garrincha. Lutando pela liderança da tabela, o tricolor carioca deverá ser comandado pelo atacante Fred, que balançou as redes do Mané Garrincha recentemente, na vitória da Seleção Brasileira por 4 x 1 sobre Camarões, em jogo da 1ª fase da Copa do Mundo. Bota e Flu se enfrentaram pela primeira vez em 1905, sendo considerado o clássico mais antigo do futebol brasileiro.

 

 Agnelo selfie

Cerca de 8 milhões de fotos foram enviadas pelo celular durante os jogos da Copa do Mundo no Estádio Nacional de Brasília. A média foi de 16,7 imagens por torcedor

Teve festival de futebol dentro de campo, e de cliques nas arquibancadas. Os torcedores que foram ao Estádio Nacional de Brasília não perderam tempo e eternizaram os momentos vividos na arena. Nas sete partidas do Mundial realizadas no Mané, o público enviou 8 milhões de fotos pelo celular.

Entre os torcedores conectados estava a empresária Marcella Pinho, 25 anos. Brasiliense, ela foi a dois jogos no estádio: Argentina x Bélgica e Brasil x Holanda. “Tirava fotos desde a entrada até lá dentro, com meus familiares e da partida também. Cheguei a tirar 25 fotos em uma única partida”, conta Marcella, que compartilhou as fotos nas redes sociais em tempo real.

O volume recorde de imagens foi enviado na disputa entre Brasil e Camarões, em 23 de junho: ao todo, foram 1,6 milhão de fotos transmitidas. Ana Luiza Egito, 32, viu de perto a goleada verde e amarela, e tirou pelo menos 10 fotos naquele dia. “Registrei o antes, o durante e o depois dos jogos. Até queria tirar foto com os turistas, mas a bateria do meu celular acabou”, relembrou a estudante.

Tráfego – Em números de fotos, os torcedores que estiveram no Mané Garrincha perdem apenas para o Maracanã, de onde foram enviadas 10,5 milhões de fotos. Palco do jogo final da Copa, a arena do Rio de Janeiro alcançou uma média de 35 imagens por torcedor na partida em que a Alemanha derrotou a Argentina na prorrogação e conquistou o título. Para medir o tráfego total de ligações e de comunicações de dados, segundo o SindiTelebrasil, foi considerado um período de sete horas, começando três horas antes da partida e se encerrando duas horas após o jogo.

“A Copa é um momento único, emocionante. Não imaginávamos tanto turista e um espetáculo tão maravilhoso, então queríamos registrar o momento e mostrar que estávamos participando”, explica Marcella. O uso de hashtags – palavras-chave utilizadas para agrupar e compartilhar temas nas redes sociais – também era comum para a empresária: “Pessoas de todo o mundo buscavam essas marcações e aí curtiam a minha foto”.

Considerando o público total do estádio nos jogos, de 478.218 pessoas, cada usuário enviou, em média, 16,7 imagens. As informações foram divulgadas pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil).

“Copa das selfies” – Durante as 64 partidas do Mundial no Brasil, que foi apelidado pela imprensa de “Copa da​s selfies”, foram feitas 4,5 milhões de ligações telefônicas e enviadas 48,5 milhões de fotos. “A selfie é uma febre pela facilidade de fazer o autorretrato e postar instantaneamente, usando a tecnologia do celular. É comum em qualquer evento, mas na Copa foi especial, por se tratar do meu primeiro Mundial, no meu país”, afirmou Ana Luiza.

O jornalista Bruno Dantas, 24, foi ao Mané Garrincha com a família no último jogo do Brasil no Mundial, contra a Holanda (12/07). Ele já tinha ido a um show no local, mas nunca a uma partida de futebol. “Eu entrei no estádio na hora que estavam tocando o Hino Nacional, foi muito emocionante ver a quantidade de torcedores cantando juntos”, disse.

Patriotismo – Os brasileiros demonstraram seu amor pelo país. O casal Rachel Bardawill, empresária, 30, e Bruno Sigmaringa Seixas, 34, administrador, também foi à arena na disputa do terceiro lugar do mundial. Eles aproveitaram para celebrar o patriotismo e o amor nas redes sociais: “Fizemos vários selfies, o cenário era lindo e estávamos felizes em participar de um momento histórico para nosso país”, disse Rachel.

brasilia

Capital foi citada positivamente pelos palestrantes; Mané Garrincha também recebeu muitos elogios

Brasília foi destaque no III Seminário Gestão Esportiva FGV Fifa Master Alumni, realizado no Rio de Janeiro, na última semana. O evento reuniu especialistas e autoridades do esporte, que traçaram um balanço positivo da realização da Copa do Mundo no Brasil.

“Temos o maravilhoso exemplo de Brasília, que construiu um estádio que em um ano de funcionamento já quebrou recordes de público e teve mais de 40 eventos. Isso é um elefante branco?”, questionou Pedro Trengrouse, um dos idealizadores do evento e o coordenador do curso Fifa/FGV/Cies: Gestão, Marketing e Direito no Esporte.

Em sua palestra, o especialista destacou que é importante reconhecer o trabalho que possibilitou a entrega do Mané Garrincha antes do tempo estimado. “O estádio não estava previsto para receber a Copa das Confederações, mas com as obras adiantadas, entrou na pauta”, afirmou.

A abertura do evento foi feita pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e pelo presidente da FIFA, Joseph Blatter, que ressaltaram o sucesso do mundial de futebol, com marcas históricas, e falaram sobre o sucesso da realização do evento no país. “É a minha 20ª Copa do Mundo e posso dizer que esta Copa é indiscutivelmente um grande sucesso. Só tenho a cumprimentar o povo brasileiro. Eles aceitaram esta Copa. Isso é excelente, o futebol é mais que uma religião. A Copa é mais que um sucesso e estou muito feliz por a FIFA fazer parte disso”, destacou Blatter.

O ministro Aldo Rebelo falou, ainda, sobre o sucesso da realização operacional dos jogos nas cidades-sede, sem incidentes e contrariando as expectativas negativas que alguns tinham em relação à realização do evento no Brasil.

Brasília foi citada como uma das cidades que teve a população mais receptiva, que se empenhou durante os preparativos para o evento e agora colhe resultados positivos. “Cidades como Brasília, que apostaram na Copa e tinham a população dando apoio, estão vivenciando, coincidência ou não, grandes resultados com o evento”, comentou o diretor de Comunicação do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo, Saint-Clair Milesi.

 mane

Projeto do estádio de Brasília é apresentado no livro Arenas do Brasil. Obra com 292 páginas traz o histórico da modernização e da construção dos 12 estádios para o Mundial de 2014, em artigos, entrevistas, desenhos técnicos e dezenas de fotos. Lançamento será nesta quinta, 3 de julho, em São Paulo.

Reunir em uma única obra o histórico da modernização e da construção dos 12 estádios para o Mundial de 2014, desde a concepção dos projetos. Esta é a proposta do livro Arenas do Brasil – Arquitetura e engenharia nos estádios brasileiros para a Copa de 2014, que será lançado pela Editora Mandarim na quinta-feira, 3 de julho, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

Em 292 páginas, o livro documenta as ideias, as histórias e os problemas por trás do desafio de erguer as 12 modernas arenas que são hoje palcos dos movimentados jogos da Copa no Brasil. A edição inclui textos, memoriais descritivos, desenhos técnicos, dezenas de imagens, além de entrevistas com arquitetos e engenheiros responsáveis por projetar e gerenciar as obras desses equipamentos esportivos.

Arenas do Brasil dedica ainda uma seção à história dos estádios desde a primeira Copa do Mundo, no Uruguai, em 1930, até os dias atuais; e outra seção às primeiras ideias para os novos estádios nas 17 cidades candidatas a sediar a Copa de 2014 no Brasil.

O livro tem o patrocínio das empresas Akzo Nobel, Acelor Mittal, Atlas, GCP Arquitetos, Odebrecht, Otis, e apoio da GettyImages, Mendes Júnior, Minas Arena, Construcap, Egesa e HAP. Tem também apoio institucional do Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco) e da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA).

Principais conteúdos

- Estádios da Copa, de 1930 a 2010: uma visão dos estádios nas 19 Copas do Mundo de Futebol já realizadas. O estádio Centenário, em Montevidéu (Uruguai), o San Siro, em Milão (Itália), a arena Rasunda (Suécia), o Maracanã de 1950, o Estádio Azteca (México), palco da vitória brasileira em 1970, e a série de novos estádios construídos a partir de 1998, para a Copa da França, já em sintonia com as exigências do futebol contemporâneo.

- Primeiras ideias em 17 cidades-candidatas: neste capítulo, são apresentadas as propostas dos estádios das 17 capitais brasileiras candidatas entre 2007 e 2009 a sediar jogos da Copa 2014: Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Campo Grande, Belo Horizonte, Cuiabá, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, Manaus, Belém, Rio Branco, Natal, Recife, Fortaleza, Florianópolis e Goiânia.

- Os projetos definitivos em 12 cidades-sede: um capítulo para cada novo estádio, com entrevistas com arquitetos/engenheiros, memoriais descritivos, desenhos e plantas, cobertura, paisagismo, controle e segurança, entre outras áreas, de forma a dar um panorama técnico-conceitual do estado-da-arte no projeto contemporâneo de modernas arenas multiuso.

SERVIÇO

Livro Arenas do Brasil – Arquitetura e engenharia brasileiras nos 12 estádios para a Copa de 2014

Lançamento: dia 3 de julho de 2014, a partir das 20 horas

Local: Instituto Tomie Ohtake

Rua Coropés, 88 – Pinheiros

Metrô Faria Lima / Estacionamento no local

Preço especial de lançamento: R$ 99,00

Informações: Editora Mandarim, tel. 11 3362-2585

 mane

Estádio Nacional registra novo recorde na centésima partida do Brasil em mundiais: arena alcança público de 1 milhão

Um dia para ficar na memória de todos os brasilienses. A partida entre Brasil e Camarões nessa segunda-feira (23/6), em Brasília, marcou o centésimo jogo da Seleção Brasileira em Copas do Mundo da FIFA™ e sacramentou uma marca histórica: mais de 1 milhão de torcedores no Mané Garrincha desde a reinauguração. O placar, com vitória brasileira de 4 x 1, também é a maior goleada do time verde-amarelo no Mundial até agora.

“Este é um dia histórico. O Mané Garrincha tem quebrado todos os recordes, atraído um público fantástico, e dado muito boa sorte para a nossa Seleção”, comemorou o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. “É uma grande emoção ver este estádio cheio e sendo instrumento tão importante para o desenvolvimento de nossa cidade, gerando emprego e renda. Quem ganha com isso é o povo do Distrito Federal”, declarou.

Segundo a FIFA, 69.112 torcedores de todas as partes do mundo compareceram ao Mané Garrincha – o maior público da Seleção Canarinho na primeira fase do Mundial – e deram um show nas arquibancadas. O número de espectadores é também o maior da história do estádio Mané Garrincha desde a inauguração, em 1974. Em 46 eventos realizados desde maio de 2013, o Estádio Nacional de Brasília já recebeu 1.006.112 espectadores.

A partida reuniu, ainda, outros números marcantes. Neymar fez o centésimo gol desta edição da Copa. Com dois gols na partida, o camisa 10 virou artilheiro da competição, e o sexto maior goleador do Brasil em Copas do Mundo.

A partida que selou a classificação do Brasil para as oitavas de final foi acompanhada, no próprio estádio, pelo príncipe Harry, quarto na sucessão ao trono britânico. O neto da rainha Elizabeth II assistiu à partida na Tribuna de Honra, ao lado do governador Agnelo Queiroz. O príncipe deixou o protocolo de lado, e vibrou a cada gol na arena brasiliense. O “palpite real” de Harry, que sugeriu um placar de 3 x 1, mostrou-se modesto frente ao show de bola do time brasileiro.

“É um momento magnífico. Brasília ocupando sua justa posição no cenário nacional e internacional, um grande exemplo, uma festa incrível”, destacou o secretário Extraordinário da Copa 2014, Claudio Monteiro.

JOGADORES – Após a partida, os jogadores da Seleção agradeceram os torcedores brasilienses pelo carinho e afirmaram que jogar na capital dá sorte ao time. “É um estádio que me traz muita sorte. Estou muito feliz em jogar aqui novamente”, disse Neymar, na zona mista, em entrevista.

“Jogar no Mané Garrincha é maravilhoso. É o estádio mais bacana onde já joguei nesta Copa. A torcida criou um ambiente maravilhoso. Muito obrigado, Brasília”, elogiou Fred.

Os ministros do Esporte, Aldo Rebelo, e da Justiça, José Eduardo Cardozo, também compareceram ao Mané Garrincha para a partida desta segunda-feira (23). O ex-técnico da Seleção Brasileira, Vanderlei Luxemburgo, percorreu a arena antes do apito inicial e reconheceu a qualidade da estrutura. “É o estádio com mais cara de Copa do Mundo. Fiquei maravilhado com o que vi”, declarou.

  agnelo

O governador Agnelo Queiroz (PT) têm sorrido muito nos últimos dias, feliz da vida com o sucesso da Copa em Brasília. Motivos não faltam: Bares, restaurantes e hoteis lotados e o Estádio Nacional Mané Garrincha com o maior público da Copa durante o jogo Brasil x Camarões (mais de 69 mil pessoas).

E Agnelo, nos bastidores, tem feito o seguinte comentário: “Por onde andam aqueles políticos ultrapassados e até esquecidos pelo eleitor, que falaram que meu governo não daria conta da Copa? Por onde andam meus opositores agora? Vão falar o quê? Nosso trabalho está aí, pra quem quiser ver. Brasília deu um salto tremendo e hoje é internacionalmente conhecida e reconhecida. O Estádio Nacional é um sucesso só e Brasília comemora. Não é, definitivamente, um ‘efefante branco’ “, afirmou.

Será que Cristovam (PDT) e Fraga (DEM) entenderam o recado?

Fonte: Blog do Donny Silva

Foto: Pedro Ventura

Foto: Pedro Ventura

Torcedores com deficiência visual, jovens e aposentados curtem o jogo Brasil x Camarões, no Mané Garrincha

Uma Brasília para todos os gostos, raças e idades. É assim que a capital se comportou nesta segunda-feira (23), data que marca o confronto do Brasil com a seleção camaronesa. Apesar de uma multidão de torcedores padronizados de verde e amarelo, alguns se destacavam não pela forma de se vestir e sim pela diversidade. Pessoas com necessidades especiais se misturavam com crianças, jovens e aposentados na mais perfeita harmonia.

Foi assim que um grupo de deficientes visuais se integrou com perfeição aos torcedores que se encaminhavam ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Unidos por um cordão, para não se perderem, um total de 20 pessoas – entre cegos, com baixa visão e guias – seguiam emocionados para assistir ao jogo mais importante da capital, com expectativa de escutar vários gritos de gol da Seleção Brasileira.

“Ganhamos esses ingressos porque o jogo terá audiodescrição. Pra gente é essencial esse tipo de coisa, tanto para efeito didático para nossos colegas entenderem que temos direito de estarmos nesses espaços também, quanto para os outros que têm de pensar na inclusão. É um acontecimento muito grande estarmos nesse jogo hoje igual às outras pessoas”, disse o presidente Associação dos Deficientes Visuais de Brasília, César Ascar.

Outro grupo que se destacava dos demais foi o de aposentados fantasiados, que participa da Copa do Mundo há dez edições. “Moro em São Paulo e esse figurino foi quando eu estive na Copa da Espanha em 1982 e fui para Marrocos e encontrei essa bata e achei bonita e depois de algum tempo mandei escrever Brasil. Ficou oficial”, ressaltou Georges Pereira, 66 anos, acompanhado de seu amigo francês Pierre Francois, estilizado de franco-brasileiro.

O ambiente também estava propício para aumentar um pouco a renda. A estudante e graduanda de enfermagem Luisa Bonache, 22 anos, com mais dois amigos de faculdade, aproveitou a experiência de pintar rostos em uma empresa de festa infantil e improvisou um estúdio no banco da Torre de TV.

“Estamos cobrando R$ 5 para as pinturas mais básicas e R$ 10 para as demais, mais elaboradas. Já conseguimos uns 20 clientes. Tivemos essa ideia e começamos o negócio hoje e pretendemos continuar nos próximos jogos. Essa é uma forma de espalharmos o amor pelo Brasil no corpo das pessoas”, afirmou a estudante. (Kelly Ikuma, da Agência Brasília)

mane 

Pessoas com deficiência visual presentes na partida entre Suíça e Equador viveram momentos inesquecíveis na inauguração do sistema de audiodescrição no estádio

Uma Copa do Mundo é feita de vários ingredientes. Dentro de campo, a emoção se faz com dribles, defesas, passes e, principalmente, gols. Fora do gramado, há um espetáculo de cores e sons composto por camisas das seleções, rostos e unhas pintados, cornetas, celulares registrando tudo e um clima de alegria que só quem vai a um estádio em um Mundial consegue entender.

Mas no jogo entre Suíça e Equador, no domingo (15), havia um ingrediente especial no Mané Garrincha: um serviço que atende pessoas com deficiência visual, narrando os lances das partidas ao vivo. Apenas Brasília e outras três das 12 cidades-sede foram escolhidas para oferecer essa inovação durante os jogos do Mundial.

Em meio a 68.351 pessoas que foram ver de perto a partida, três torcedores eram presenças mais do que especiais na arena brasiliense: foram os primeiros a experimentar a narração audiodescritiva, inaugurado no jogo de estreia da cidade no Mundial.

O projeto, que conta com 16 voluntários treinados para narrar os lances das partidas em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, utiliza uma aparelhagem semelhantes a dos rádios e fones para transmitir aos usuários. Os equipamentos foram adquiridos e doados pela FIFA às capitais, que terão o serviço como legado da Copa.

Emoção sem igual – Sentados atrás do gol do Equador no primeiro tempo, o brasiliense José Aurélio Oliveira, 48 anos, o mineiro Joaquim Fabiano Braga, 62, e o cearense Nilson Cordeiro dos Santos, 45, não escondiam a felicidade. E certamente sentiram uma energia muito positiva quando, aos 11 minutos de jogo, a primeira “ola” da Copa do Mundo em Brasília percorreu as arquibancadas, levando consigo um som contagiante por onde passou.

Com um fone de ouvido a lhe guiar a imaginação, José Aurélio, um santista que perdeu a visão há cinco anos devido a complicações geradas pela diabetes, voltava a um estádio pela primeira vez desde então. “Estou muito feliz por participar de um evento como esse, uma Copa do Mundo no Brasil”, disse o brasiliense, ao fazer uma descrição perfeita do ambiente a sua volta: “Pelo o que eu acompanhei, o estádio está lotado e muito colorido com torcedores da Suíça, do Equador e também com muitos brasileiros, que, tenho a impressão, devem ser mais numerosos do que os dos dois times”.

Com deficiência visual desde que nasceu, Joaquim Braga considera a narração uma oportunidade única para aqueles que, como ele, se sintam parte de um jogo de futebol. “Eu me sinto mais integrado com as pessoas que enxergam. O projeto é muito bem-vindo”, ressaltou. Nilson dos Santos, que perdeu parte da visão após sofrer uma alergia a um medicamento aos cinco anos, também aprovou a iniciativa: “Estou muito feliz por estar aqui”.

Prazer em ajudar – A emoção não tomou conta apenas de quem ouvia a transmissão. Os narradores, que precisam estar atentos não somente aos lances da partida, mas também a itens como linguagem corporal, entorno e o ambiente, compartilharam a alegria durante os 90 minutos de jogo. Os estudantes de jornalismo Pedro Paulo Borges e Ana Freire voltaram para casa com um sentimento de muita felicidade após a experiência no Mané.

“Estava um pouco nervoso no começo, com alguma ansiedade, mas no final tudo acabou dando certo. Ter narrado três gols de uma Copa do Mundo foi algo muito especial para mim. Somos os olhos deles no estádio e nosso desafio é passar tudo o que acontece na partida com mais detalhes possível”, afirmou Pedro Paulo. Selecionados em universidades, os voluntários foram escolhidos conforme requisitos como: perfil em áreas como esporte e deficiência visual, além de olhar apurado para aspectos visuais de uma partida de futebol.

 

No jogo de maior público da Copa até agora, nenhuma ocorrência de destaque foi registrada e não houve transtornos no trânsito.

Venceu a paixão pelo futebol. No primeiro jogo do Mundial no Mané Garrincha, as forças policiais garantiram a segurança dos mais de 68 mil torcedores presentes na arena, neste domingo (15/6), na partida entre Suíça e Equador. Nenhuma ocorrência de destaque foi registrada, não houve engarrafamentos para se chegar ao estádio e ao Fan Fest, no Taguaparque, que recebeu público de três mil pessoas até as 19h30.

O SAMU fez apenas sete atendimentos sem gravidade (um no estádio e seis no Fan Fest). Na avaliação da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o Plano Operacional para a Copa foi aplicado de forma eficiente.

Sucesso – O secretário interino de Segurança Pública do DF, Paulo Roberto Batista, afirmou que o plano já havia sido testado com sucesso em um ano de funcionamento do Mané Garrincha, quando foram realizados 43 eventos, sendo 30 partidas de futebol, atingindo um público de 800 mil pessoas.

“O Plano Operacional para a Copa cumpriu rigorosamente os protocolos estabelecidos garantindo tranquilidade, harmonia e segurança para todos os torcedores. Tanto os brasileiros quanto os estrangeiros puderam se divertir durante a partida sem registro de qualquer incidente grave”, destacou.

Um grupo de 150 pessoas fez manifestação pacífica nas proximidades da Rodoviária do Plano Piloto, por volta das 12h30, mas se dissipou rapidamente. Os manifestantes seguiram para o Setor Hoteleiro Sul e depois se dispersaram, sem tumulto.

A Polícia Militar destinou 1.620 profissionais para atuar dentro e fora do Mané Garrincha. Já o Corpo de Bombeiros, 520 militares. A Polícia Civil do DF empregou um efetivo de 140 policiais. A delegacia do estádio, localizada no 3º subsolo, foi ativada e em condições de registrar boletins e lavrar flagrantes de ocorrências.

O plantão da 5ª DP também foi reforçado para o atendimento de ocorrências na área externa e nas proximidades do estádio. Um total de 800 seguranças privados (stewards), contratados pela FIFA, deu apoio aos torcedores.

SLU estadio 

O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) já montou seu esquema tático para o primeiro jogo da Copa do Mundo que acontecerá em Brasília, no domingo (15). Os preparativos para manter a capital limpa começarão um dia antes. Serão distribuídas 48 lixeiras entre os portões do estádio Nacional Mané Garrincha. São 12 entradas, e cada uma contará com 2 pares de lixeiras, sendo duas para lixo orgânico e duas para seco.

Fora do estádio, serão instaladas 141 pares de lixeiras, sendo: 70 nas proximidades do Nilson Nelson, 11 no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, 40 distribuídas entre a Torre de TV e a Fonte Luminosa, 9 pares nos estacionamentos do Parque da Cidade e 11 na lateral da Feira da Torre. Essa organização será acompanhada por técnicos do SLU, para assegurar que tudo saia como planejado.

Para Gastão Ramos, diretor geral do SLU, a logística de limpeza é fundamental. “Brasília receberá turistas do mundo inteiro e queremos passar essa imagem da capital do Brasil como uma cidade limpa, receptiva e organizada”.

Para o dia do jogo, o time que trabalhará fora dos campos já está montado. A equipe contará com 102 garis para fazer a limpeza do parque e monumentos e vão atuar em pontos estratégicos.

Veja como ficou a escalação:

No estádio Nacional Mané Garrincha serão 4 garis em cada um dos 7 portões de maior fluxo. As demais entradas contarão com 2 garis. No Centro de Convenções serão posicionados 10 garis, 06 entre o Estádio e o Autódromo, 10 na feira da Torre de TV, 10 entre a Torre de TV, Fonte Luminosa e Rodoviária, 6 no Anel da Rodoviária, 4 garis do Venâncio 3000 ao Estádio, 4 garis do Estádio a praça do Buriti, 4 para cobrir a Galeria do Metro e Setor Comercial Sul e 10 garis no Parque da Cidade, sendo 4 para os estacionamentos 1, 2, 11, e 12 e, seis garis no estacionamento 13. Se houver a necessidade, os trabalhadores serão deslocados para dar apoio em outros pontos da cidade.

Para o recolhimento do lixo serão disponibilizados 2 caminhões, um para resíduos secos e o outro para os orgânicos, porque mesmo em clima de festa, a coleta seletiva não pode parar. Apesar da descontração, o SLU e as empresas responsáveis pela limpeza dessa região, estarão com fiscais monitorando todo o trabalho a ser realizado pelos garis, para que a população e os nossos visitantes possam comemorar com a cidade limpa.

O SLU pede que a população colabore com a coleta seletiva, e que faça a devida separação do lixo. Afinal, queremos ser campeões dentro e fora dos campos.

Foto: Pedro Ventura

Foto: Pedro Ventura

Presente na cerimônia, jogador tetracampeão elogia qualidade do gramado do Mané Garrincha

A 15 dias da Copa do Mundo, Brasília recebe nesta terça-feira (27) uma visita para lá de especial. A Taça do Mundial ficará em exposição aberta ao público até a quarta-feira (28), das 9h às 21h, no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha. O evento faz parte de um tour que o troféu está fazendo por todas as capitais do país.

“Desejamos boas-vindas a essa peregrinação, que representa mais do que a caminhada de uma taça, mas um elo, uma união de povos”, disse o vice-governador Tadeu Filippelli, presente na cerimônia de abertura.

De Brasília, o Tour da Taça da Copa do Mundo segue para São Paulo, onde ficará do dia 29 de maio ao dia 1º de junho, quando o troféu será entregue à FIFA. A turnê brasileira começou no Rio de Janeiro, em 22 de abril, e já passou por todas as demais capitais do país. Antes disso, a taça viajou pelo mundo por 225 dias, em um avião especialmente decorado, passando por 90 países no total.

“Estou arrepiado de ver a taça pela primeira vez tão de perto. É muita emoção. Temos que levantá-la desta vez”, comemorou o servidor público José Mariano Cunha, após tirar foto com o valioso objeto.

A cerimônia ocorreu no interior do estádio e também contou com a presença do tetracampeão mundial Bebeto, além de demais autoridades, como o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

O craque Bebeto ainda não sabe se vai assistir à partida entre Brasil e Camarões no Mané Garrincha, mas elogiou as condições do estádio. “O gramado está perfeito. Quando coloquei os pés deu vontade de sair jogando”, disse.

O secretário extraordinário da Copa, Claudio Monteiro, afirmou que Brasília está pronta para receber o mundial. “Atingimos um patamar diferenciado em relação ao resto do país. As manifestações da FIFA são sempre elogiosas: magnífico, fantástico, maravilhoso”, disse.

EXPOSIÇÃO – A taça exposta é a autêntica. O objeto pesa 6,17 quilos e é feita de ouro maciço 18 quilates. Somente campeões mundiais e chefes de Estado podem segurá-la. O troféu traz gravado, na parte inferior, o nome e o ano de cada ganhador desde 1974.

A taça original fica em poder do país campeão até a Copa seguinte, quando é entregue ao campeão uma réplica, folheada a ouro.

Além da visita ao troféu, a tenda oferece, ainda, jogos interativos e um filme com a história das copas, atrações abertas para quem participou anteriormente da promoção da Coca-Cola e possui os ingressos, já esgotados. Para quem não tem bilhete, o acesso é limitado à taça e depende da quantidade de pessoas que estiverem no local no momento. (Beatriz Ferrari, da Agência Brasília)

 mane

Prêmio foi entregue ao governador do DF pelo presidente da CBF

Brasília tem o Estádio Mais Bonito do Brasil. O título, concedido ao Estádio Nacional Mané Garrincha, foi dado pelo Prêmio Destaque Companhia de Viagem 2014 e entregue ao governador Agnelo Queiroz, em São Paulo, pelas mãos do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin.

“Agarramos com muita determinação essa oportunidade, e a nossa capital será outra depois da Copa do Mundo, por causa de tantos investimentos em todas as áreas como turismo, educação e transporte”, destacou Agnelo Queiroz, dedicando o prêmio aos brasilienses e ao consórcio que construiu o estádio.

O presidente da CBF destacou que a escolha do estádio foi justa e feliz. “E é uma honra entregar esse prêmio a um grande governador, um homem de coragem, de muita fé e um grande brasileiro, porque ele construiu uma das arenas mais bonitas do mundo e não só do Brasil. É um reconhecimento à Agnelo e à sua equipe”, frisou Marin.

A premiação, criada em 2011, entregou troféus em 21 categorias, entre elas destinos nacionais e internacionais, companhias aéreas, agências de viagem, restaurantes, hotéis e turismo sustentável. A escolha dos premiados foi feita por um júri de 30 empresários e CEOs formadores de opinião. Além de receber o prêmio pelo estádio, Agnelo Queiroz foi chamado para entregar as premiações para a Tam Viagens e aos destaques no esporte, Oscar Schmidt e Emerson Fittipaldi.

MANÉ GARRINCHA – Desde a sua inauguração, há um ano, o estádio já atraiu mais de 800 mil pessoas, o que significa mais que o dobro de público do antigo Mané Garrincha em 36 anos. Tudo isso em 40 episódios entre partidas de futebol, shows e eventos internacionais.

A arena tem conceito sustentável desde o início da construção do novo projeto. Muitos dos materiais utilizados na obra são recicláveis ou foram reciclados na construção. Tem, ainda, projetos de captação de energia solar e água da chuva.

PREMIAÇÕES – O título de estádio mais bonito do mundo não é a única premiação recebida pelo estádio em apenas um ano de reaberto. Em julho do ano passado, a arena multiuso foi contemplada com a Certificação Internacional por Liderança em Qualidade (International Star for Leadership Quality), concedido pelo Business Initiative Directions (BID). O Mané Garrincha foi a única iniciativa brasileira na lista de 75 premiados neste ano. O prêmio é entregue a companhias com excelência, liderança e inovação.

Outro prêmio recebido pelo Mané, ainda na fase de obras, foi o Selo de Qualidade da Alimentação, concedido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brasília (STICMB) e o Serviço Social do Distrito Federal (Seconci-DF), que garante a qualidade das refeições oferecidas aos trabalhadores da construção.

Atuação integrada vai garantir a tranquilidade de quem for ao Estádio Mané Garrincha para a final do Candangão no sábado. Ações especiais serão realizadas

Chegou o momento da grande decisão. Luziânia e Brasília FC fazem no sábado (17) a segunda partida da final do Campeonato Brasiliense de Futebol, no Estádio Mané Garrincha. A bola vai rolar às 16h, mas os portões de acesso serão abertos às 13h30. O ideal é que os torcedores cheguem com antecedência para evitar filas e aproveitar ainda mais a festa.

Para garantir a tranquilidade do público, as forças de segurança prepararam um plano de ação integrada. Mais de 1.500 profissionais das polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros atuarão no estádio e nos arredores. A recomendação é que os torcedores levem o mínimo possível de objetos para facilitar a revista, que será feita no portão externo.

Além disso, não é permitido entrar no estádio com itens como instrumentos musicais, guarda-chuvas, capacetes, sinalizadores e bandeiras com mastro. As linhas de transporte público que passam pelo Mané funcionarão normalmente durante todo o dia, e poderão ser intensificadas de acordo com a demanda, para garantir o acesso e a saída do público.

Ações especiais – Durante a partida, o Comitê Organizador Local (COL) vai testar alguns aspectos de duas áreas de atuação como preparação final do estádio para os jogos da Copa do Mundo da FIFA: segurança interna do estádio e serviços médicos.

A Secretaria de Segurança Pública do DF vai realizar varredura antibomba no estádio e as duas equipes de futebol serão escoltadas, numa simulação semelhante à escolta feita nas delegações da Copa. O Centro Integrado de Comando e Controle Regional de Brasília também estará operando, como um ensaio para os jogos do Mundial.

A arena brasiliense vem sendo testada há um ano, desde a sua inauguração, destacando especialmente as partidas Santos e Flamengo, a abertura da Copa das Confederações (Brasil e Japão), o amistoso da Seleção Brasileira com a Austrália, em 7 de setembro, além de outras 26 partidas realizadas no Mané Garrincha.

Aniversário - A partida faz parte das comemorações do aniversário de um ano do Mané Garrincha. A arena brasiliense foi inaugurada em 18 de maio de 2013, justamente com o jogo final do Candangão daquele ano, quando o Brasiliense levou o título. De lá para cá, o estádio já recebeu mais de 40 eventos entre partidas de futebol, shows e eventos institucionais, com público acumulado de mais de 770 mil pessoas.

 

 mane

Brasília e Luziânia decidirão o título do Campeonato Brasiliense nos dias 10 e 17 de maio. Ingressos começam a ser vendidos nesta quarta-feira (7/5) a partir de R$ 1

A programação no Estádio Mané Garrincha segue movimentada. A arena será palco das finais do Campeonato Brasiliense de Futebol 2014, entre Brasília e Luziânia. O primeiro jogo será neste sábado (10/5), e a partida de volta, no dia 17 de maio. A bola vai rolar sempre às 16h.

Pelo segundo ano consecutivo, o torneio local será decidido no Estádio Nacional. Em 2013, Brasília e Brasiliense se enfrentaram em 18 de maio. O jogo, vencido pelo Jacaré, marcou a inauguração da nova arena. De lá até agora, 767 mil pessoas passaram pelo Mané Garrincha, em 39 eventos, sendo 28 partidas de futebol.

Quem quiser ver de perto o campeão do Candangão 2014 pode comprar ingressos a partir desta quarta-feira (7). Os preços das entradas para cada partida variam entre R$ 1 e R$ 20 (veja abaixo o serviço).

Preços acessíveis – Os valores acessíveis são um convite à população, que terá a oportunidade de assistir a mais um jogo no estádio que receberá, em junho, astros como Neymar e Cristiano Ronaldo em sete partidas da Copa do Mundo da FIFA™.

Para o secretário Extraordinário da Copa 2014, Claudio Monteiro, os jogos no estádio incentivam o futebol da cidade e atraem o público. “Com bom futebol e a presença da família brasiliense, faremos um espetáculo na arena a apenas um mês para a Copa do Mundo. O futebol do DF está se organizando e sei que chegaremos a um patamar maior”, destaca.

Em 2014, a competição reuniu 12 times, sendo três equipes de Goiás e de Minas Gerais. Ao todo, foram 72 jogos, incluindo primeira fase, quartas de final e semifinal. Um dos clássicos do campeonato foi disputado no Mané Garrincha: Brasiliense e Gama, pela sexta rodada.

Vantagem – O Luziânia, time com a melhor campanha na primeira fase do torneio, terá a vantagem de jogar pelo empate na soma de pontos dos jogos de ida e volta. Segundo o presidente do clube, Daniel dos Santos, a equipe não vê a hora de estrear no novo Mané. “Estamos ansiosos para os jogos, temos com um time comprometido e vamos dar nosso melhor”, garante.

Embalado pelo título inédito da Copa Verde, conquistado no Mané diante de 51 mil torcedores, o Brasília também acredita na vitória. “Vencemos um campeonato nacional recentemente, com casa cheia, e agora o grupo está bastante focado nas finais do Candangão, pois é um título importante. Esperamos o apoio da torcida para que possamos vencer depois de 27 anos”, afirma o gerente de futebol do Brasília, Régis Carvalho.

O presidente da Federação Brasiliense de Futebol, Josafá Dantas, aposta em um grande público no Mané. “A realização dos jogos no estádio tem um gostinho especial. Com certeza será um verdadeiro espetáculo, que refletirá o crescimento, o fortalecimento e a valorização do nosso futebol”, ressalta.

Serviço:

Finais do Campeonato Brasiliense de Futebol 2014

Datas: 10 e 17 de maio, às 16h

Preços dos ingressos:

- Arquibancada Inferior: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

- Área VIP (Hospitality): R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

- Arquibancada Superior: R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)

Pontos de venda:

- Sede do Brasília Futebol Clube (Setor Comercial Norte, Quadra 1, Bloco F, Sala 1017 – Edifício America Office Tower)

- Pirma Artigos Esportivos (SRS 513, Bloco C, Loja 62 – Asa Sul)

- Loja do Correspondente Bancário do BRB na Rodoviária do Plano Piloto

- Bilheteria móvel no estacionamento leste do Estádio Mané Garrincha (voltado para o Brasília Shopping). Atendimento das 9h às 17h.