Posts Tagged ‘Ibope’

Cesar maia

1. Em 2010 a economia crescia 7,5%, a inflação estava abaixo de 5%, a popularidade de Lula atingia o auge e o bolsa família projetava ampliação. Nessa situação, Dilma atingiu 70% no Nordeste. Apesar da vitória de Serra em S.Paulo, Dilma venceu no Sudeste com 52% dos votos. No Sul, Serra venceu com pequena vantagem de 8 pontos. No Norte/Centro-Oeste, Dilma venceu com vantagem de 6 pontos tendo obtido votações recordes no Norte com quase 90% no Amazonas…

2. O quadro agora em 2014 é muito diferente. Aécio tem vantagem no Sudeste que deve chegar a 15 pontos. No Nordeste, com a nova situação na Bahia e em Pernambuco, os 70% de Dilma vão cair pelo menos 3 pontos. No Sul Aécio abriu assim como no Centro-Oeste.

3. Em 2010, no total Dilma venceu com 53,2% a 46,8% –elas por elas- 6 pontos de diferença. É quase impossível que em 2014 a diferença seja maior que essa, com a economia parada, a inflação em uns 7%, a popularidade de Lula decrescente, o bolsa família consolidado e a série de escândalos atingindo diretamente o governo Dilma.

4. Dois presidentes do PT e o presidente da Câmara de Deputados do PT presos, a bancada do PT na Câmara passando de 17% para 13,5% e a Petrobrás atingida por atos de corrupção explícitos.

5. É impossível que em 2014 a vantagem de Dilma seja maior. Mas quanto menor seria? Este Ex-Blog, usando dados de ontem do GPP –portanto após o campo das pesquisas do Ibope e Datafolha- tabulou os resultados por região e os comparou com 2010. Com isso, a diferença de 6 pontos pró-Dilma em 2010 desparece e surge –criteriosamente- um empate entre os dois.

6. A decisão ocorrerá nas urnas e dependerá da localização e setorização da abstenção dos votos brancos e dos votos nulos.

7. Conheça a tabela comparativa 2014 – 2010. A conclusão é óbvia. As pesquisas do Ibope e do Datafolha divulgadas ontem no Jornal Nacional e hoje nos jornais retratam uma mobilização das ruas, nos últimos dias, favorável a Dilma. Hoje tem o debate, sábado e domingo pela manhã é um período de “silêncio”. E as urnas vão retratar o clima existente antes desses últimos dias.

* * *

Eleição 2014: “Duas ou três coisas que eu sei dela”!

1. Datafolha dá 40 pontos de vantagem para Dilma no Nordeste. Pesquisa interna de Aécio dá 30 pontos de vantagem para Dilma no Nordeste. Esses 10 pontos de diferença significam 2,7 pontos a menos para Dilma em nível nacional. Datafolha dá 10 pontos de vantagem para Aécio no Sudeste. Pesquisa interna de Aécio dá 15 pontos de vantagem para Aécio no Sudeste. Esses 5 pontos de diferença significam 2,1 pontos em nível nacional. Ou seja, 2,7 + 2,1 = 4,8. Datafolha dá vantagem nacional a Dilma de 4 pontos. Pesquisa interna de Aécio lhe dá vantagem nacional de 1 ponto (0,8).

2. Quem inaugurou a campanha da baixaria foi Collor em 1989 –primeira eleição para presidente pós-regime militar. Apresentou ex-mulher de Lula dizendo que ele havia proposto aborto a ela e ela não aceitou e mostrou a filhinha. Campanha de Collor fez terrorismo econômico com os riscos de uma vitória de Lula. Antes do debate, enviou emissário militar a Lula dizendo que Collor tinha mandado fotografar com teleobjetiva ele no apartamento de uma suposta amante. Levou uma pasta para o debate onde estariam as fotos. E no debate citou um aparelho Três em Um que havia na sala daquele apartamento.

3. Em 1998 voltaram os temas sobre risco econômico em relação a Lula; e desde a campanha de Lula panfletos espalhados sobre filho de FHC com uma jornalista e compra de votos no Congresso.  Tanto em 1989 como em 1998 não existiam as redes sociais na campanha eleitoral. Se existisse a reverberação da baixaria seria muito, muito maior.

4. Eleição majoritária desde John Kennedy em 1960 –portanto há 54 anos- é campanha de IMAGEM dos candidatos. Cada um exaltando a sua e desmerecendo a do adversário. No Brasil, em todas as eleições desde 1989 que as imagens são antípodas. As imagens mais próximas –guardadas as diferenças de gênero- foram as de 2010. Com isso, o tema que cruzou a eleição de 2010 foi aborto, que elevou Marina e exigiu declarações enfáticas de Dilma e legitimação de líderes evangélicos.

5. Datafolha mostrou que otimismo com futuro da economia cresceu. Nada estranho, pois os candidatos produzem otimismo em relação ao futuro se ganharem. Em julho, o otimismo com o futuro da economia estava num patamar de 25%, depois num patamar de 30% e agora –na última pesquisa- 44%.  Aliás, pesquisa IPSOS (Estado de SP, 23) diz que 57% dos brasileiros estão otimistas com o futuro da economia. Os humores do mercado e da bolsa não são os mesmos.

6. Governo virtual. Em junho, Datafolha dizia que Dilma tinha 33% de ótimo+bom e 28% de ruim+péssimo. Hoje tem 42% de ótimo+bom e 20% de ruim+péssimo. Como tem acontecido com o amplo tempo de TV: reconstrução virtual do governo.

7. Quanto o caso Petrobrás afetou a decisão de voto?  Cada dia fica mais claro que pelo tempo e espaço que ocupou foi um tema eleitoralmente irrelevante. Uns analistas dizem que as acusações recíprocas explicam este empate em relação ao tema. Outros que a corrupção na política está na massa do sangue do eleitor.

8. Há duas questões inquestionáveis. a) A imagem do PT deteriorou e sua bancada de deputados federais caindo de 17% para 13,5% da Câmara mostra isso. O PMDB,  ganhe quem ganhar, não ganhou a eleição. E seus cardeais e bispos sabem disso. Em fevereiro terão constituído um bloco com outros partidos da “base”, elevando seus 12% de deputados para o dobro. Se ganhar Dilma, a pretensão ministerial chega a importantes ministérios. Se ganhar Aécio, chega a um ou outro ministério significativo.  Mas, nos dois casos, o candidato desse bloco, a presidente da Câmara –e favorito- será do PMDB, o deputado Eduardo Cunha.

* * *

Populismo eletrônico!  Trechos do Ex-blog em 02 de junho de 2014!

1. Mas quando um governo tem uma avaliação entre ruim e regular, um generoso tempo de TV na campanha eleitoral pode construir virtualmente –por ficção televisiva- um bom governo, elevando sua avaliação ruim a regular para boa e até ótima.

2. A possibilidade de construir virtualmente um governo em campanha eleitoral é resultado de uma opinião pública que não dá muita atenção aos governos. O que entrou –para a maioria das pessoas- se parece com o que saiu, nos defeitos e nas virtudes. Só quando a performance de um governo afeta muito as pessoas, para o bem ou para o mal, é que a opinião delas é sólida e não muda com a campanha, apesar da ficção eleitoral na TV.

Aecio-Neves-Dilma-Rousseff2

Instituto ouviu 2.002 eleitores do DF entre os dias 18 e 20 de outubro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (21) aponta os seguintes percentuais de votos válidos na corrida presidencial apenas com eleitores do Distrito Federal:

- Aécio Neves (PSDB) – 61%

- Dilma Rousseff (PT) – 39%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo.

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 13, Aécio tinha 69% e Dilma, 31%.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada com eleitores de DF são:

Aécio – 54%

Dilma – 34%

Brancos e nulos – 8%

Não sabe ou não respondeu – 4%

Dados da pesquisa

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 18 e 20 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00085/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01147/2014.

rollemberg frejat

Instituto ouviu 2.002 eleitores do DF entre os dias 18 e 20 de outubro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (21) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos na corrida para o governo do Distrito Federal:

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 57%

Jofran Frejat (PR) – 43%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 13, Rollemberg tinha 60% e Frejat, 40%.

A pesquisa foi encomendada pela Rede Globo.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 48%

Jofran Frejat (PR) – 36%

Branco/nulo – 11%

Não sabe/não respondeu – 5%

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 18 e 20 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00085/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01147/2014.

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição dos dois candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. O resultado foi o seguinte:

- Jofran Frejat (PR): 41%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 29%

- Poderia votar nos dois: 22%

- Não sabe/não respondeu: 13%

Avaliação do governo

A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 2%, o governo é “ótimo”; 14% o consideram “bom”; 30%, regular; 17%, “ruim”; e 35%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 2%.

Expectativa de vitória

O Ibope também perguntou aos entrevistados quem eles acham que será o próximo governador do Distrito Federal, independentemente da intenção de voto. Para 57%, Rollemberg sairá vitorioso; 28% acreditam que Frejat ganhará; 16% não sabem ou não responderam.

Cesar maia

1. Um problema dos arredondamentos. Se jogarmos os valores do Ibope, por região, na planilha, o resultado é Aécio 51,4 x 48,6 Dilma. Diferença de 2,8%! Olhando por aqui, o correto seria arredondar para 3% a diferença!

2. Como se pega o 51,4% e arredonda para 51,0, a diferença de 2,8% acaba-se arredondando para 2,0%! Será correto?

3. Em tempo. Na última pesquisa do Ibope, 37% responderam que tinham pouco ou nenhum interesse pela eleição. Na anterior foram 48%. Aquecendo.

* * *

Debate tipo luta de boxe e ingenuidade dos candidatos!

1. A imprensa reclama da agressão mútua dos candidatos a presidente nos debates pela TV. Mas o desenho do posicionamento dos candidatos estimula esse tipo de dinâmica. Um de frente para o outro, não poderá dar outro resultado. E os candidatos morderam a isca e caíram na armadilha.

2. Isso produz caras e bocas fechadas e até raivosas, um apontando para o outro. O tempo que os candidatos gastaram em mídia training foi esquecido em função da formatação. Numa luta de boxe, os telespectadores vibram com os ataques entre os lutadores. Os lutadores têm um só foco: os adversários. Só se concentram neles. E é isso que os telespectadores querem.

3. Mas, no debate eleitoral pela TV, o foco dos candidatos deve ser os eleitores. Mesmo que estejam cara a cara, devem lembrar que, na TV, os gestos e a voz devem ser suaves, escandidos. Na Band –aquecidos pelo confronto- esqueceram as aulas que tiveram de mídia training. Deveriam lembrar que as câmeras são posicionadas frontalmente a eles e que estão falando –saibam ou não- para os telespectadores. E, para estes, a suavidade das imagens e da voz é fundamental.

4. Devem ter se esquecido das lições dos professores-pesquisadores de debates nos Estados Unidos. Quem tem a última palavra leva vantagem na TV. Dessa forma, quem pergunta deve fazê-lo para si mesmo. E usar pergunta do outro para a crítica, numa escada, onde a tréplica deve ser a conclusão. Usar as perguntas para que o outro se explique é perder a pergunta, pois a conclusão será do outro.

5. Deveriam esquecer, durante o debate, a formatação de luta de boxe e falarem para os telespectadores.  E as caras e bocas poderiam ser aprendidas com dois mestres recentes: Clinton e Blair. O YouTube está aí mesmo.

6. Obs.: A TV Band adotou o modelo francês, em que os candidatos fazem perguntas ou expõe temas livremente. Um avanço.

* * *

Pesquisas Ibope e Datafolha por região: tendência diz que Sudeste vai decidir!

Dilma x Aécio, Ibope e Datafolha, por esta ordem.

1. SUDESTE: 46% x 54% e 41% x 59%. Diferença 9 pontos e 18 pontos.

2. NORDESTE: 61% X 30% e 68% x 32%. Diferença 31 pontos e 36 pontos.

3. SUL: 38% x 62% e 39% x 61%.  Diferença mínima.

4. NORTE+CENTRO-OESTE: 45% X 55% e 46% x 54%. Diferença mínima.

a) Sudeste tem 43% dos eleitores. Nordeste tem 27% dos eleitores. Façamos a média para o Nordeste: diferença de 33,5 pontos. Aplicando os 27% de eleitores, seria uma diferença nacional de 9 pontos.  Para o Sudeste como a diferença é grande não há como fazer a média. No caso de 9 pontos Aécio livra 3,9 pontos nacionais no Sudeste. No caso de 18 pontos, Aécio livra 7,7 pontos no Sudeste.

b) Para facilitar e como os pesos do Sul e do Norte-Centro Oeste são semelhantes, apliquemos a média dos dois sobre 30% do eleitorado. Seriam 42% para Dilma e 58% para Aécio. Essa diferença de 16 pontos corresponderia a 4,8 pontos em nível nacional pró Aécio.

c) Dessa forma, com a vantagem de Aécio no Sudeste de 9 pontos, teríamos a eleição empatada: 3,9 + 4,9 = 8,8 pontos. Se a vitória no Sudeste for de 18 pontos, somando Sul-NO/CO-Sudeste, teríamos 4,9 + 7,7 = 12,6 pontos para Aécio, mais que os 9 pontos no Nordeste de vantagem para Dilma.

d) Supondo que a situação no Nordeste esteja estabilizada e que no Sul e NO-CO as tendências se estabilizem, o campo decisivo para o resultado eleitoral em 26 de outubro será o Sudeste, onde Aécio vence em SP e MG e Dilma no RJ. Dilma reduz a diferença? Aécio mantém a diferença dada pelo Datafolha? Ou o que valerá será a diferença do Ibope?

Aecio-Neves-Dilma-Rousseff2

Instituto ouviu 2.002 eleitores no DF entre os dias 10 e 12 de outubro. Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope realizada no Distrito Federal e divulgada nesta segunda-feira (13) mostra o candidato Aécio Neves (PSDB) na liderança da disputa à Presidência da República na capital, com 69% das intenções de votos válidos. A candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), aparece com 31%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Confira os dados do levantamento Ibope de intenções de votos válidos, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes dos candidatos são apresentados ao entrevistado:

Aécio Neves (PSDB) – 69%

Dilma Rousseff (PT) – 31%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

Aécio Neves (PSDB) – 63%

Dilma Rousseff (PT) – 28%

Brancos/nulos – 5%

Não sabe/não respondeu – 4%

Dados da pesquisa

A pesquisa foi encomendada pela Rede Globo. Foram ouvidos 2.002 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 1º e 4 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00072/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01015/2014.

rollemberg frejat

Instituto ouviu 2.002 eleitores em todo o DF entre os dias 10 e 12 de outubro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (13) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos na corrida para o governo do Distrito Federal:

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 60%

Jofran Frejat (PR) – 40%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 52%

Jofran Frejat (PR) – 35%

Branco/nulo – 8%

Não sabe/não respondeu – 5%

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição dos dois candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. O resultado foi o seguinte:

- Jofran Frejat (PR): 39%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 26%

- Poderia votar nos dois: 21%

- Não sabe/não respondeu: 16%

Avaliação do governo

A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 2%, o governo é “ótimo”; 13% o consideram “bom”; 29%, regular; 16%, “ruim”; e 38%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 5%.

Dados da pesquisa

A pesquisa foi encomendada pela Rede Globo. Foram ouvidos 2.002 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 10 e 12 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00081/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01085/2014.

Aecio e DIlma

A data prevista para a divulgação pelos dois institutos é o dia 15 de outubro.

O Ibope já está nas ruas para novo levantamento encomendado pela TV Globo. Além de avaliar as intenções de voto para a Presidência da República no segundo turno, a pesquisa também trará informações sobre a rejeição dos candidatos e a avaliação do atual governo.

Serão entrevistados 3.010 eleitores. O protocolo do levantamento é BR-01097/2014. O Ibope também registrou pesquisas de intenção de voto para governador nos Estados do Rio Grande do Norte e de Goiás.

Há outra pesquisa do Ibope para presidente, também contratada pela TV Globo, prevista para ser divulgada a partir de 16 de outubro. Serão entrevistados 2.002 eleitores e o protocolo do levantamento é BR-01101/2014.

O Datafolha vai às ruas nesta terça-feira, 14, e na quarta-feira, 15, para um levantamento nacional encomendado pela TV Globo e pelo jornal Folha de S. Paulo. Segundo o registro no TSE, serão entrevistados 9.260 eleitores. O protocolo do levantamento é BR-01098/2014. A data prevista para a divulgação dos resultados é 15 de outubro. O Datafolha também registrou pesquisas de intenção de voto para governador nos Estados do Ceará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal. (Diário do Poder)

Rollemberg

Instituto ouviu 1.806 pessoas no DF entre os dias 27 e 30 de setembro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (30) aponta o candidato Rodrigo Rollemberg (PSB) com 32% das intenções de voto para governador do Distrito Federal. Em segundo lugar está Jofran Frejat (PR), com 24%, seguido de Agnelo Queiroz (PT), que tem 19%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Em seguida aparecem empatados os candidatos Luiz Pitiman (PSDB) e Toninho do PSOL (PSOL), com 3%. Perci Marrara (PCO) teve 0%.

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 32%

- Jofran Frejat (PR): 24%

- Agnelo Queiroz (PT): 19%

- Luiz Pitiman (PSDB): 3%

- Toninho do PSOL (PSOL): 3%

- Perci Marrara (PCO): 0%

- Branco/nulo: 9%

- Não sabe/não respondeu: 10%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo. Foram ouvidos 1.806 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 27 e 30 de setembro. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00061/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-0904/2014.

Segundo turno

O levantamento também abordou três cenários de um eventual segundo turno:

- Frejat: 48%

- Agnelo: 28%

- Branco/Nulo: 15%

- Não sabe: 9%

…………………………………….

- Rollemberg: 49%

- Frejat: 30%

- Branco/Nulo: 12%

- Não sabe: 9%

………………………………………..

- Rollemberg: 57%

- Agnelo: 23%

- Branco/Nulo: 13%

- Não sabe: 8%

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição, e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 49%

- Jofran Frejat (PR): 15%

- Toninho do PSOL (PSOL): 12%

- Luiz Pitiman (PSDB): 11%

- Perci Marrara (PCO): 10%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 6%

- Poderia votar em todos: 7%

- Não sabe/não respondeu: 15%

Avaliação do governo

A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 3%, o governo é “ótimo”; 17% o consideram “bom”; 32%, regular; 15%, “ruim”; e 30%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 4%.

129_2612-dilma-marina-aecio 3

Instituto ouviu 1.610 eleitores em todo o DF entre 21 e 23 de setembro. Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope realizada no Distrito Federal e divulgada nesta quarta-feira (24) mostra a candidata à Presidência da República Marina Silva (PSB) na liderança da disputa na capital, com 34% das intenções de voto. Em seguida, aparecem a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), com 20%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi encomendado pela Rede Globo.

A candidata Luciana Genro (PSOL) aparece com 2%.  Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV) aparecem com 1%. Os demais concorrentes à Presidência somam, juntos, 1%. Brancos e nulos somam 8%, e 14% dos entrevistados não sabem ou não responderam.

Confira os dados da pesquisa Ibope segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes dos candidatos são apresentados ao entrevistado:

- Marina Silva (PSB): 34%

- Dilma Rousseff (PT): 20%

- Aécio Neves (PSDB): 20%

- Luciana Genro (PSOL): 2%

- Pastor Everaldo (PSC): 1%

- Eduardo Jorge (PV): 1%

- Outros*: 1%

- Branco/nulo: 8%

- Não sabe/não respondeu: 14%

*Os candidatos Eymael (PSDC), Levy Fidélix (PRTB), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU), juntos, atingiram 1% das intenções de voto.

Avaliação do governo federal

A pesquisa divulgada pelo Ibope também mediu a avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff no DF. Segundo o levantamento, 5% dos eleitores consideram a gestão como “ótima”. Para 18%, o governo é “boa”; para 34%, “regular”; para 14%, ruim; e para 26%, “péssima”. Entre os entrevistados, 3% não sabem ou não responderam.

A pesquisa aponta, ainda, que 59% dos eleitores desaprovam a maneira como a presidente Dilma Rousseff está governando o país. Outros 32% aprovam, e 8% não sabem ou não responderam.

Dados da pesquisa

O Ibope ouviu 1.610 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 21 e 23 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00057/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00767/2014.

REGUFFE

Brancos e nulos somam 10%; 19% não sabem ou não responderam. Instituto ouviu 1.610 eleitores em todo o DF nos dias 21 e 23 de setembro.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) aponta o deputado federal Reguffe (PDT) na liderança da disputa no Distrito Federal pelo Senado, com 37% dos votos. Magella (PT) aparece em segundo, com 16%, e o senador Gim Argello (PTB), que tenta reeleição, com 13%. Sandra Quezado (PSDB) aparece com 3%. Brancos e nulos somaram 10%, e 19% dos entrevistados não sabem ou não responderam.

Este é o quarto levantamento encomendado pela TV Globo desde o início da disputa eleitoral. Na pesquisa anterior, divulgada em 19 de setembro, Reguffe tinha 35%. Magela aparecia com 18%, e Gim, com 14% das intenções de voto.

Os candidatos Aldemário (PSOL) e Robson (PSTU) aparecem com os mesmos percentuais registrados na pesquisa anterior (1%). Expedito Mendonça (PCO), que tinha 1% no fim de agosto, não atingiu percentual significativo no levantamento atual. Jamil Magari, que tinha 1%, aparece com 0% na pesquisa divulgada nesta quarta.

O Senado vai renovar um terço das 81 cadeiras na eleição deste ano, sendo uma vaga para cada unidade da Federação.

Confira os números da pesquisa sobre a disputa pelo Senado no DF:

- Reguffe (PDT): 37%

- Magela (PT): 16%

- Gim Argello (PTB): 13%

- Sandra Quezado (PSDB): 3%

- Aldemário (PSOL): 1%

- Robson (PSTU): 1%

- Jamil Magari (PCB): 0%

- Expedito Mendonça (PCO): 0%

- Branco/nulo: 10%

- Não sabe/não respondeu: 19%

Dados da pesquisa

O Ibope ouviu 1.610 eleitores em todo o Distrito Federalx entre os dias 21 e 23 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00057/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00767/2014.

Marina rollemberg

Instituto ouviu 1.610 pessoas no DF entre os dias 21 e 23 de setembro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) aponta o candidato Rodrigo Rollemberg (PSB) com 31% das intenções de voto para governador do Distrito Federal. Em segundo lugar está Jofran Frejat (PR), com 21%, empatado tecnicamente com Agnelo Queiroz (PT), que tem 19%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Em seguida aparecem empatados os candidatos Luiz Pitiman (PSDB) e Toninho do PSOL (PSOL), com 3%. Perci Marrara (PCO) teve 0%.

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 31%

- Jofran Frejat (PR): 21%

- Agnelo Queiroz (PT): 19%

- Luiz Pitiman (PSDB): 3%

- Toninho do PSOL (PSOL): 3%

- Perci Marrara (PCO): 0%

- Branco/nulo: 9%

- Não sabe/não respondeu: 14%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo. Foram ouvidos 1.610 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 21 e 23 de setembro. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00057/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-0767/2014.

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

- Rollemberg: 25%

- Frejat: 17%

- Agnelo: 16%

- Pitiman: 3%

- Toninho: 2%

- Outros: 1%

- Branco/Nulo: 13%

- Não sabe: 24%

Segundo turno

O levantamento também abordou três cenários de um eventual segundo turno:

- Frejat: 43%

- Agnelo: 27%

- Branco/Nulo: 15%

- Não sabe: 16%

………………..

- Rollemberg: 47%

- Frejat: 25%

- Branco/Nulo: 13%

- Não sabe: 16%

………………..

- Rollemberg: 52%

- Agnelo: 20%

- Branco/Nulo: 13%

- Não sabe: 15%

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição, e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 44%

- Jofran Frejat (PR): 16%

- Luiz Pitiman (PSDB): 10%

- Toninho do PSOL (PSOL): 9%

- Perci Marrara (PCO): 8%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 5%

- Poderia votar em todos: 6%

- Não sabe/não respondeu: 17%

Avaliação do governo

A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 4%, o governo é “ótimo”; 14% o consideram “bom”; 32%, regular; 18%, “ruim”; e 29%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 3%.

O Ibope perguntou se o eleitor aprova o governo. De acordo com o levantamento, 27% aprovam e 64% desaprovam. Outros 9% não sabem ou não responderam.

O instituto também perguntou se o eleitor confia ou não no governo. Dos entrevistados, 22% disseram que confiam; 69% responderam que não confiam. Outros 9% não sabem ou não quiseram responder.

Rodrigo Rollemberg lidera no primeiro turno e vence no segundo Frejat e Agnelo

Rodrigo Rollemberg lidera no primeiro turno e vence no segundo turno a disputa contra Frejat e Agnelo

 

Instituto ouviu 1.204 eleitores em todo o DF nos dias 16 e 17 de setembro. Margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (18) aponta o candidato Rodrigo Rollemberg (PSB) com 28% das intenções de voto para governador do Distrito Federal. Em segundo lugar estão empatados os candidatos Agnelo Queiroz (PT) e Jofran Frejat (PR), ambos com 21%. Em seguida aparecem tecnicamente empatados os candidatos Luiz Pitiman (5%) e Toninho do PSOL (3%). Perci Marrara (PCO) não atingiu 1%.

Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a primeira do Ibope com Jofran Frejat como candidato do PR.

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 28%

- Agnelo Queiroz (PT): 21%

- Jofran Frejat (PR): 21%

- Luiz Pitiman (PSDB): 5%

- Toninho do PSOL (PSOL): 3%

- Perci Marrara (PCO): 0%

- Branco/nulo: 12%

- Não sabe/não respondeu: 10%

O Ibope ouviu 1.204 eleitores em todo o Distrito Federal nos dias 16 e 17 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TER) sob o número DF-00043/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00672/2014.

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

- Rollemberg: 18%

- Agnelo: 17%

- Frejat: 14%

- Pitiman: 3%

- Toninho: 2%

- Outros: 2%

- Branco/Nulo: 15%

- Não sabe: 30%

Segundo turno

O levantamento também abordou três cenários de um eventual segundo turno:

- Frejat: 43%

- Agnelo: 29%

- Branco/Nulo: 18%

- Não sabe: 10%

***

- Rollemberg: 53%

- Agnelo: 24%

- Branco/Nulo: 15%

- Não sabe: 8%

***

- Rollemberg: 45%

- Frejat: 29%

- Branco/Nulo: 16%

- Não sabe: 9%

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição, e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 45%

- Jofran Frejat (PR): 13%

- Perci Marrara (PCO): 12%

- Toninho do PSOL (PSOL): 12%

- Luiz Pitiman (PSDB): 11%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 6%

- Poderia votar em todos: 7%

- Não sabe/não respondeu: 17%

Avaliação do governo

A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 3%, o governo é “ótimo”; 15% o consideram “bom”; 31%, regular; 19%, “ruim”; e 29%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 4%.

O Ibope perguntou se o eleitor aprova o governo. De acordo com o levantamento, 29% aprovam e 63% desaprovam. Outros 8% não sabem ou não responderam.

O instituto também perguntou se o eleitor confia ou não no governo. Dos entrevistados, 23% disseram que confiam; 69% responderam que não confiam. Outros 9% não sabem ou não quiseram responder.

 eleições 2014

O Jornal Nacional, da TV Globo, divulga na terça-feira resultado de pesquisa nacional Datafolha sobre as eleições presidenciais e o pleito estadual em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Paraná e Distrito Federal.

A Confederação Nacional de Transportes também divulga, na terça-feira de manhã, resultado de pesquisa MDA sobre as eleições presidenciais. Na quinta-feira, a Confederação Nacional da Indústria deve divulgar pesquisa Ibope sobre as eleições presidenciais.

marina

Estados representam, respectivamente, o primeiro e terceiro maior colégio eleitoral do país

A ex-senadora Marina Silva (PSB) abriu 16 pontos de vantagem sobre a presidente Dilma Rousseff (PT) entre o eleitorado paulista, e seis pontos no eleitorado fluminense. Os dados foram apresentados nesta terça-feira pela pesquisa Ibope, encomendada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo. São Paulo é o maior colégio eleitoral do país, e o Rio de Janeiro, o terceiro.

No Rio, Marina Silva tem 38% das intenções de voto, seguido por Dilma, com 32%, e Aécio Neves (PSDB), com 11%. Em relação a última pesquisa, de agosto, a ex-senadora cresceu oito pontos, enquanto Dilma caiu seis pontos. O tucano manteve a pontuação.

Ainda segundo o Ibope Rio, Pastor Everaldo (PSC) tem 2%. Eduardo Jorge (PV), Levy Fidélix (PRTB), Eymael (PSDC), Luciana Genro (PSOL), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO), e Zé Maria (PSTU) somam 1% das intenções. Brancos e nulos somam 10%, e indecisos, 6%.

O Ibope Rio foi realizado nos dias 30 e 31 de agosto, e 1º de setembro; e 1.610 eleitores foram entrevistados. A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) sob o número 00026/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR- 00491/2014.

Levando-se em conta apenas os eleitores do estado de São Paulo, Marina teria 39% das intenções de voto, quatro a mais do que semana passada, enquanto Dilma sairia com 23%, mesmo resultado do último levantamento do Ibope.

Parte do crescimento de Marina pode ser explicado pela queda nas intenções de voto para o senador Aécio Neves (PSDB), que caiu de 19% para 17% na última semana. Entre os eleitores paulistas, há 10% de indecisos e 4% que declaram votos para os candidatos de partidos menores, como Pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL).

A pesquisa Ibope também mediu o comportamento do eleitorado do estado de São Paulo de acordo com sua fé religiosa. Entre os evangélicos, 49% votam em Marina, 20% em Dilma e 9% em Aécio. Embora seja missionária da Assembleia de Deus, Marina também ganharia entre os católicos paulistas. A candidata do PSB tem 36% das intenções de voto; Dilma tem 25%, e Aécio tem 19%.

O Ibope fez 1.806 entrevistas com eleitores entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro em 87 municípios do estado de São Paulo. A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa foi registrada no TSE com o número de protocolo BR-00492/2014, e no TRE com o número SP-00021/2014. (Por O GLOBO )

Coletivo Politico

Nunca foram tão grandes as chances do candidato do PSB, Rodrigo Rollemberg, de se eleger governador do Distrito Federal. Na primeira tentativa, em 2002, ele também surgiu como uma terceira via, mas não conseguiu quebrar a polarização entre Joaquim Roriz e o PT, que tinha como candidato Geraldo Magela. Desta vez, Rollemberg se apresenta mais maduro, com propostas concretas e um grupo político mais consistente. No momento, de acordo com as pesquisas eleitorais, o candidato do PSB está em segundo lugar, um pouco à frente do governador Agnelo Queiroz (PT), que está em terceiro. O líder é o ex-governador José Roberto Arruda, com larga vantagem, mas que teve uma nova derrota na justiça, agora no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

 ***

Transferência de votos

Se Arruda sair da disputa, o grande beneficiado será Rollemberg. O eleitor de Arruda não vota em Agnelo. Isso já ficou bem claro pelas pesquisas. Uma margem pequena dos votos do ex-governador também seria herdada pelo candidato Pitiman (PSDB).

 ***

Segundo turno

As três simulações que o Ibope fez em quem o eleitor votaria em caso de segundo turno mostra claramente as chances de Rodrigo Rollemberg. Em uma simulação, ele se aproxima muito de Arruda. Em outra, massacra Agnelo com 22 pontos na frente.

 ***

Arruda x Agnelo

No caso de disputa entre Arruda e Agnelo, o candidato do PR venceria com 45% dos votos, segundo a pesquisa. O atual governador teria 23% dos votos. Brancos e nulos somaram 12%. Outros 19% não souberam ou não responderam.

 ***

Arruda x Rollemberg

No segundo cenário, entre Arruda e Rollemberg, o ex-governador também venceria, com 39% das intenções de voto. O candidato do PSB foi citado por 30%. Brancos e nulos somaram 9%. Outros 22% não souberam ou não responderam.

 ***

Rollemberg x Agnelo

Em caso de disputa entre Agnelo e Rollemberg, o senador do PSB teria 44% dos votos, contra 22% do petista. Brancos e nulos somaram 12%. Outros 23% não souberam ou não responderam. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número DF-00034/2014.

 ***

Efeito Marina

Rollemberg é a Marina de Brasília. Vai surpreender os adversários, que devem dá início a carnificina eleitoral. O jogo sujo e rasteiro deve pautar as próximas semanas da campanha. O PT deve ser o protagonista dos ataques a Rollemberg.

***

IBOPE

Brancos e nulos somam 9%, e 28% não sabem ou não responderam. Pesquisa foi encomendada pela TV Globo; instituto ouviu 1.204 eleitores.

Do G1 DF – O deputado federal Reguffe (PDT) lidera a disputa no Distrito Federal pelo Senado com 29% das intenções de voto, mostra pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e divulgada nesta terça-feira (30). Magela, do PT, aparece com 16%, e o senador Gim Argello (PTB), que tenta continuar no cargo, com 13%. Brancos e nulos somam 9%, e 28% não sabem ou não responderam.

O levantamento é o segundo encomendado pela TV Globo desde o início da disputa eleitoral. Na pesquisa anterior, divulgada em 30 de julho, Reguffe aparecia com 31%, dois pontos a mais que o percentual registrado agora.

Os candidatos Magela, Gim, Aldemário (PSOL), Expedito Mendonça (PCO), Robson (PSTU) e Sandra Quezado (PSDB) aparecem nas duas pesquisas com os mesmos percentuais. Jamil Magari, do PCB, registrava 1% em julho, e não atingiu percentual significativo no levantamento de agosto.

O percentual de eleitores que declaram voto em branco ou nulo era de 18%. Agora, é de 9%. Os que não sabem ou não responderam à pergunta passaram de 16% para 28%.

O Senado vai renovar um terço das 81 cadeiras na eleição deste ano, sendo uma vaga para cada unidade da federação.

Confira os números da pesquisa sobre a disputa pelo Senado:

- Reguffe (PDT): 29%

- Magela (PT): 16%

- Gim Argello (PTB): 13%

- Aldemário (PSOL): 1%

- Expedito Mendonça (PCO): 1%

- Robson (PSTU): 1%

- Sandra Quezado (PSDB): 2%

- Jamil Magari (PCB): 0%

- Branco/nulo: 9%

- Não sabe/não respondeu: 28%

Dados da pesquisa

O Ibope fez a pesquisa entre os dias 23 e 25 de agosto. O instituto ouviu 1.204 eleitores em todo o Distrito Federal. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se for levada em conta a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número DF-00034/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00425/2014.

IBOPE

Instituto ouviu 1.204 eleitores em todo o DF entre os dias 23 e 25 de agosto. Margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (26) mostra o ex-governador José Roberto Arruda (PR) com 37% das intenções de voto para o governo do Distrito Federal. Em seguida, aparecem empatados o governador Agnelo Queiroz (PT) e o senador Rodrigo Rollemberg (PSB), com 16%. Toninho do PSOL (PSOL) tem 4% e o deputado federal Luiz Pitiman (PSDB), 3%. A candidata Perci Marrara (PCO) teve 0%. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a segunda do Ibope após o registro das seis candidaturas a governador no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no dia 5 de julho. Em comparação com a pesquisa anterior, realizada em 30 de julho, Arruda oscilou cinco pontos para cima. Agnelo tem um ponto a menos; Rollemberg, um ponto a mais.

Os outros três candidatos ao governo do DF oscilaram para baixo. Toninho oscilou dois pontos (tinha 6% das intenções de voto); Pitiman, três pontos (tinha 6%); e Perci, um ponto (tinha 1%).

O candidato Arruda tem dois pontos a menos que a soma de todos os outros candidatos (39%). O segundo turno ocorre sempre que nenhum dos candidatos alcança mais do que a soma dos demais adversários.

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):

- José Roberto Arruda (PR): 37%

- Agnelo Queiroz (PT): 16%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 16%

- Toninho do PSOL (PSOL): 4%

- Luiz Pitiman (PSDB): 3%

- Perci Marrara (PCO): 0%

- Branco/nulo: 7%

- Não sabe/não respondeu: 17%

O Ibope fez a pesquisa entre os dias 23 e 25 de agosto. O instituto ouviu 1.204 eleitores em todo o Distrito Federal. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se for levada em conta a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número DF-00034/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00425/2014.

Segundo turno

O Ibope também perguntou aos entrevistados em quem eles votariam em caso de segundo turno. O instituto abordou três cenários.

No caso de disputa entre Arruda e Agnelo, o candidato do PR venceria com 45% dos votos, segundo a pesquisa. O atual governador teria 23% dos votos. Brancos e nulos somaram 12%. Outros 19% não souberam ou não responderam.

No segundo cenário, entre Arruda e Rollemberg, o ex-governador também venceria, com 39% das intenções de voto. O candidato do PSB foi citado por 30%. Brancos e nulos somaram 9%. Outros 22% não souberam ou não responderam.

Em caso de disputa entre Agnelo e Rollemberg, o senador do PSB teria 44% dos votos, contra 22% do petista. Brancos e nulos somaram 12%. Outros 23% não souberam ou não responderam.

Pesquisa espontânea

Na parte da pesquisa em que os entrevistadores do Ibope simplesmente perguntaram ao eleitor em quem votará (sem apresentar a ele a relação dos candidatos), 27% mencionaram Arruda. Veja abaixo:

- José Roberto Arruda (PR): 27%

- Agnelo Queiroz (PT): 11%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 8%

- Toninho do PSOL (PSOL): 2%

- Luiz Pitiman (PSDB): 2%

- Outros: 1%

- Branco/nulo: 14%

- Não sabe/não respondeu: 36%

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição, e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 43%

- José Roberto Arruda (PR): 29%

- Toninho do PSOL (PSOL): 6%

- Luiz Pitiman (PSDB): 8%

- Perci Marrara (PCO): 8%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 5%

- Poderia votar em todos: 5%

- Não sabe/não respondeu: 18%

Expectativa de vitória

De acordo com o Ibope, 47% dos entrevistados (independentemente da intenção de voto) acham que o futuro governador do Distrito Federal será José Roberto Arruda; 21% opinaram que será Agnelo Queiroz; 5% acreditam que será Rollemberg.

Intenção de voto para presidente no DF

O Ibope também apurou a intenção de voto para presidente da República no Distrito Federal. Veja o resultado:

- Marina: 35%

- Dilma: 20%

- Aécio Neves: 18%

- Pastor Everaldo: 2%

- Luciana Genro: 1%

- Outros com menos de 1% (Zé Maria, Eduardo Jorge, Eymael, Levy Fidelix, Mauro Iasi e Rui Costa Pimenta): 1%

- Branco/nulo: 4%

- Não sabe/não respondeu: 19%

IBOPE

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (26) mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) lidera com 34% das intenções de voto para presidente da República. A candidata pelo PSB, Marina Silva, aparece com 29% das intenções e Aécio Neves (PSDB) tem 19% das intenções. Os dados foram divulgados pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, que encomendaram a pesquisa.

De acordo com a pesquisa, em um segundo turno com Dilma, a candidata Marina Silva, que entrou recentemente na corrida presidencial, sairia vencedora.

Os candidatos Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL) marcaram cada um 1% das intenções de voto estimuladas. Eduardo Jorge (PV), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) têm juntos 1%. Votos nulos ou brancos somam 7% e são 8% os indecisos.

Nas simulações de segundo turno, Marina seria eleita com 45%, contra 36% de Dilma. Há 11% de indecisos e 9% anulariam. Contra Aécio, Dilma seria reeleita com 41% das intenções de voto, contra 35% do candidato tucano. Os indecisos somam 12%, a mesma porcentagem dos que anulariam os votos. O instituto não fez simulação de um segundo turno entre Marina Silva e Aécio Neves.

Em pesquisa espontânea, quando se pergunta a intenção de voto do eleitor sem mostrar a lista com os nomes dos candidatos, Dilma tem 27% dos votos, Marina chega a 18% e Aécio tem 12%. O número de eleitores indecisos passa de 43% para 28%, em relação à pesquisa anterior do Ibope, do dia 6 de agosto.

Marina tem a menor rejeição, 10%. Dilma tem 36% e Aécio, 18%. Pastor Everaldo tem 14% de rejeição e Zé Maria, 11%. Os demais candidatos têm menos de 10% de rejeição.

A avaliação do governo Dilma foi considerada ótima ou boa por 34% dos entrevistados. Já os que consideram o governo ruim ou péssimo foram 27%. Os que responderam regular somam 36%. E 2% não souberam responder.

O nível de confiança da pesquisa é 95%, com margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O Ibope fez 2.506 entrevistas, entre os dias 23 e 25 de agosto, em 175 municípios de todas as regiões do Brasil. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR428/2014. (Mariana Tokarnia, da Agência Brasil)

Cesar maia

1. Segunda-Feira (25), este Ex-Blog tratou de impactos sobre a opinião pública em períodos eleitorais. Mostrou que a flutuação na formação da opinião pode sedimentar, cristalizando-se e tornando-se irreversível, ou pode decantar, sendo levada pelas águas ou pelos ventos.

2. A pesquisa do Ibope mostra Dilma com 34%, perdendo 4 pontos sobre a pesquisa anterior. Aécio com 19% perdeu 4 pontos. Campos tinha 9% e Marina agora tem 29%. O crescimento de 20 pontos pode ser visto distribuído em 4 pontos de Dilma, 4 de Aécio e 2 de Pastor Everaldo. 10 pontos vieram dos que não marcavam nenhum candidato.

3. Pode-se dizer que nem Marina nem Aécio perderam a coluna vertebral de seus votos. A enorme vantagem de Marina sobre Dilma no segundo turno –45% x 36%- mostra que o impacto inicial é grande e reforça a tendência anterior que quem passar para o segundo turno vence a Dilma: antes Aécio e agora Marina.

4. Esse impacto funciona como uma informação nova de grande visibilidade e leva os eleitores a ter uma opinião reativa. Como um cometa que uns acham que é disco voador, outros acham que é desígnio dos céus e outros, simplesmente um cometa. Com a campanha esquentando a partir da TV e desse fato novo, os eleitores conversarão entre si, trocando opiniões sobre eles. Os candidatos interpretando as informações a partir de seus interesses. Estima-se um prazo de 15 dias para isso ocorrer e definir se haverá cristalização ou decantação.

5. Quem acredita em decantação, não deve mexer em nada em sua campanha, pois desnortearia seu eleitor mostrando insegurança o que pode ter consequências negativas. Quem acredita que esse processo aponta para a sedimentação, para a cristalização de Marina, deve atuar forte já, alterando sua estratégia para evitar que esse processo se complete.

6. Isso veremos nos próximos dias e então se poderá avaliar quem realmente sentiu o golpe e como reagiu.

* * *

Ofensiva contra o “estado islâmico”!

1. O Secretário da Defesa dos EUA, Chuck Hagel, anunciou nesta terça-feira que EUA, França, Itália, Reino Unido, Dinamarca, Croácia, Albânia e Canadá vão fornecer armas às forças curdas para combater os extremistas do Estado Islâmico no norte do Iraque.

2. Na semana passada, o governo italiano já tinha anunciado a sua disponibilidade para enviar material militar às forças curdas, depois de a União Europeia ter decidido, em 15 de agosto, respeitar as decisões individuais de cada Estado membro sobre a guerra no Iraque.

3. Além de fornecer armas aos curdos, os Estados Unidos têm bombardeado diariamente alvos do Estado Islâmico no norte do Iraque, nas duas últimas semanas. A força aérea norte-americana atacou já várias vezes os jihadistas ultrarradicais que tinham assumido regiões inteiras no Iraque e na Síria.

marconi

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira mostra que o candidato à reeleição ao governo de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), lidera a corrida eleitoral com 41% das intenções de voto. Em segundo lugar, aparece o ex-governador Íris Rezende (PMDB) com 28%. Em seguida, Vanderlan Cardoso (PSB), com 6% das intenções de voto.

Antônio Gomide, do PT, tem 5%; Alexandre Magalhães, do PSDC, 1%; Marta Jane, do PCB, 1%; e Professor Weslei Garcia, do PSOL, não pontuou. Brancos e nulos somam 9% e Não sabe ou não respondeu 9% dos entrevistados.

O Ibope fez a pesquisa entre os dias 10 e 12 de agosto. O instituto ouviu 812 eleitores em 41 municípios. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Encomendada pela TV Anhanguera, afiliada da TV Globo, o levantamento é o segundo do Ibope após o registro das candidaturas.

No levantamento anterior, realizado divulgado no último dia 2 deste mês, Marconi tinha 35% das intenções de voto, Iris, 26%, e Vanderlan, 8%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número GO-00063/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR–00370/2014.

Rejeição e avaliação

A pesquisa também aferiu a taxa de rejeição dos candidatos, ou seja, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Marconi Perillo tem a maior rejeição, com 25%; Iris Rezende, 20%; Marta Jane, 12%; Alexandre Magalhães, 10%; Professor Weslei Garcia, 10%; Antônio Gomide, 9%; Vanderlan Cardoso, 9%. De acordo com o levantamento, 16% dos entrevistados poderiam votar em qualquer um dos candidatos. Não sabe ou não respondeu: 21%

Os eleitores também responderam sobre a avaliação ao governo Marconi Perillo. Segundo o instituto de pesquisa, 40% disseram que gestão é “ótima ou boa”. Outros 35% afirmaram que ela é “regular”. Os que dizem que ela é “ruim” somam 10%. Já os que acham o governo “péssimo” são 12%. Os que não sabem ou não responderam somam 4%.

Caiado lidera na disputa pelo Senado

A pesquisa também apontou que o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) lidera com 38% das intenções de voto para o Senado. Marina Sant’Anna (PT) está na segunda colocação, com 12%, seguido de Vilmar Rocha (PSD), com 8%.

Os candidatos Antônio Neto (PCB) e Aldo Muro (PSDC) estão com 2% cada, e Aguimar Jesuíno (PSB) e Elber Sampaio (PSOL), 1%. Votos em branco e nulo somam 12%, e indecisos, 24%. (O Globo)

Reguffe

Reguffe

Magela registra 16% e Gim Argello, 13%. Brancos e nulos somam 18%. Pesquisa foi encomendada pela TV Globo; instituto ouviu 1.204 eleitores.

Do G1 DF – O deputado federal Reguffe (PDT) lidera a disputa pelo Senado com 31% das intenções de voto, mostra pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e divulgada nesta quarta-feira (30). Magela, do PT, aparece com 16% e o senador Gim Argello (PTB), que tenta continuar no cargo, com 13%. Brancos e nulos somam 18% e 16% não sabem ou não responderam.

O Senado vai renovar um terço das 81 cadeiras na eleição deste ano, sendo uma vaga para cada unidade da federação.

Confira os números da pesquisa sobre a disputa pelo Senado:

- Reguffe (PDT): 31%

- Magela (PT): 16%

- Gim Argello (PTB): 13%

- Aldemário (PSOL): 1%

- Expedito Mendonça (PCO): 1%

- Robson (PSTU): 1%

- Sandra Quezado (PSDB): 2%

- Jamil Magari (PCB): 1%

- Branco/nulo: 18%

- Não sabe/não respondeu: 16%

 

Dados da pesquisa

O Ibope fez a pesquisa entre sábado (26) e segunda (28). O instituto ouviu 1.204 eleitores do Distrito Federal.

A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) sob o número DF-00022/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00267/2014.

Ibope

Instituto ouviu 1.204 eleitores em todo o DF entre os dias 26 e 28 de julho. Margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Do G1 DF – Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (30) mostra o ex-governador José Roberto Arruda (PR) com 32% das intenções de voto para o governo do Distrito Federal. Em seguida, aparecem o governador Agnelo Queiroz (PT), com 17%, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB), com 15%, Toninho do PSOL (PSOL), com 6%, o deputado federal Luiz Pitiman (PSDB), com 6%, e Perci Marrara (PCO), com 1%.

Na pesquisa desta quarta, Arruda tem 13 pontos percentuais a menos que a soma de todos os outros candidatos (45%). O segundo turno ocorre sempre que nenhum dos candidatos alcança mais do que a soma dos demais adversários.

Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a primeira do Ibope após o registro das seis candidaturas a governador no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no último dia 5.

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):

- José Roberto Arruda (PR): 32%

- Agnelo Queiroz (PT): 17%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 15%

- Toninho do PSOL (PSOL): 6%

- Luiz Pitiman (PSDB): 6%

- Perci Marrara (PCO): 1%

- Branco/nulo: 13%

- Não sabe/não respondeu: 10%

O Ibope fez a pesquisa entre os dias 26 e 28 de julho. O instituto ouviu 1.204 eleitores em todo o Distrito Federal. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se for levada em conta a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00267/2014.

 

Pesquisa espontânea

Na parte da pesquisa em que os entrevistadores do Ibope simplesmente perguntaram ao eleitor em quem votará (sem apresentar a ele a relação dos candidatos), 18% mencionaram Arruda. Veja abaixo:

- José Roberto Arruda (PR): 18%

- Agnelo Queiroz (PT): 11%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 5%

- Toninho do PSOL (PSOL): 2%

- Luiz Pitiman (PSDB): 2%

- Outros: 1%

- Branco/nulo: 14%

- Não sabe/não respondeu: 46%

 

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 46%

- José Roberto Arruda (PR): 32%

- Toninho do PSOL (PSOL): 9%

- Luiz Pitiman (PSDB): 9%

- Perci Marrara (PCO): 8%

- Rodrigo Rollemberg (PSB): 7%

- Poderia votar em todos: 3%

- Não sabe/não respondeu: 16%

 

Expectativa de vitória

De acordo com o Ibope, 38% dos entrevistados (independentemente da intenção de voto) acham que o futuro governador do Distrito Federal será José Roberto Arruda; 26% opinaram que será Agnelo Queiroz; 8% acreditam que será Rollemberg.

 

Intenção de voto para presidente no DF

O Ibope também apurou a intenção de voto para presidente da República no Distrito Federal. Veja o resultado:

- Aécio Neves: 27%

- Dilma: 26%

- Eduardo Campos: 11%

- Pastor Everaldo: 5%

- Luciana Genro: 1%

- Zé Maria: 1%

- Eduardo Jorge: 1%

- Outros com menos de 1% (Eymael, Levy Fidelix, Mauro Iasi e Rui Costa Pimenta): 1%

- Branco/nulo: 14%

- Não sabe/não respondeu: 13%

Cesar maia

1. Intenção de Voto. Série do IBOPE de março, abril e maio. Dilma 40%, 37% e 40% / Demais 24%, 26% e 36%. Não Voto 36%, 37% e 24%.

2. Série do IBOPE de votos válidos de março, abril e maio. Dilma 62,5%, 58,7% e 52,6%. /

Demais 37,5%, 41,3% e 47,4%.

3. Entre março e abril, Dilma perdeu 6,1% dos votos válidos. Entre abril e maio, Dilma perdeu 10,4% dos votos válidos.

4. Veja a tabela completa aqui.

* * *

Algumas curiosidades da pesquisa do IBOPE de maio!

1. Com vários nomes Aécio tem 20%. Com 3 nomes (Dilma, Aécio, Campos), Aécio tem 17%. Dilma passa de 40% para 39% e Eduardo Campos fica com 11%. Não Voto (nulo/branco/não sabe) passa de 24% para 32%.

2. Segundo turno, com Aécio, Dilma tem 43% e com Campos tem 42%.

3. Não vota de jeito nenhum. Numa lista Aécio tem 20%. Apenas com o nome dele tem 37%. Dilma na lista 33%, e apenas com o nome dela tem 43%. Campos 13% e 34%.

4. 51% não confiam em Dilma. 43% confiam. 48% não aprovam seu governo. 47% aprovam.

5. Querem mudar tudo ou quase tudo: 65%. Não querem mudar 30%. Entre os 65% que querem mudar tudo, 25% querem mudar tudo com Dilma. Ou seja, 16,2% de todos os pesquisados.

6. De resto permanece a mesma fratura no eleitorado: pobres (56%), de baixa instrução (51%), nordeste (52%), Municípios até 20 mil habitantes (49%), Dilma ganha com folga.

* * *

Competitividade: o legado real do PT!

(Folha de SP, 22) Pelo quarto ano seguido, o Brasil perdeu competitividade no cenário internacional. O país ficou no 54º lugar em uma lista de 60 países no Índice de Competitividade Mundial da escola suíça IMD. Há quatro anos, o país ocupava a 38ª posição. “Este ano não só perdemos em relação aos outros países como tivemos perda absoluta”, diz Carlos Arruda, professor da Fundação Dom Cabral, responsável pelos dados do Brasil na pesquisa. “Foi nosso pior desempenho. Desde 1996, nunca estivemos no último quartil do relatório [entre os 25% piores].”

 eleições-2014

A pesquisa que o Ibope divulga hoje à noite dará alegria a todos os candidatos. Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos sobem em relação à última pesquisa Ibope, do dia 17 de abril.

Nela, Dilma aparecia com 37%, Aécio com 14% e Campos com 6%. Agora, Dilma surgirá na faixa dos 40%, Aécio no patamar entre 19%e 20% e Eduardo Campos sobe aos dois dígitos, em torno dos 11%.

Em comparação com o Datafolha de duas semanas atrás, poucas mudanças. Aécio e Campos, quando se coteja as duas pesquisas, estão do mesmo tamanho. E Dilma teria crescido um pouco, fruto do momento em que as entrevistas foram feitas – imediatamente após os programas de TV do PT e no auge da supreexposição de uma campanha publicitária em que o governo exibia suas obras.

De agora até o fim da Copa, é mais do que improvável que estes números mudem – exceto, claro, se acontecer algo muito significativo durante o evento. Ou seja, é com esses números que os três principais candidatos começarão a disputa em agosto, quando sobe a temperatura de campanha. (Por Lauro Jardim)

 

arrudaUma pesquisa do instituto Ibope, que ouviu 2.500 pessoas para governador do Distrito Federal, de 1 a 5 de outubro, deu o governador José Roberto Arruda (DEM) na frente para as eleições de 2010, com 44%; o ex-governador Joaquim Roriz (PSC), 33%; e o ex-ministro Agnelo Queiroz (PT), 9%.

 

A sucessão presidencial em Brasília está assim: Ciro Gomes (PSB), 25%; José Serra (PSDB), 15%; Heloisa Helena (PSol), 13%; Dilma Rousseff (PT), 12%; e Marina Silva (PV), 11%. As informação foram publicadas na edição de hoje do jornal fluminense O Globo, na coluna Panorama Político.

Do ex-blog do Cesar Maia

A coluna do Ancelmo, no Globo, divulgou como primeira nota uma pesquisa nacional do Ibope, onde Serra teria 42%, Ciro 14%, Dilma 13% (caindo 5 pontos), Heloísa Helena 7% e Marina Silva 3%. Essa é a informação que se divulga nas esquinas da política desde fins de agosto, com base em pesquisas regionais e nacionais. Com a saída de H. Helena para candidata ao Senado, Marina tende a ocupar o seu lugar, apenas.

 

Nesta semana, o Estadão abriu rasgados elogios a Marina em editorial e, ontem, destacando uma das listas da Sensus (improvável), abriu uma matéria dizendo: “Marina larga com 9,5%”, o que é um exagero. Ontem, este Ex-Blog chamava a atenção da pesquisa Sensus, onde em nenhuma lista apareciam Dilma e Ciro juntos, o que certamente mostraria Ciro na frente de Dilma.

 

A percepção crescente das fragilidades da candidatura de Dilma pode ser caricaturizada por sua plástica, onde o cirurgião puxou os cantos da boca como se quisesse soldar um sorriso. O paradoxal é que a mudança plástica de sua expressão de durona, que ajudava numa conjuntura de desgaste dos políticos, foi transferida de mão beijada para o Ciro, que a tem naturalmente.

 

Ciro começa a emergir como o candidato mais forte do campo do governo. Espertamente exalta Lula enquanto desmonta o governo, o que ajudará seu discurso em campanha, num clássico “mantenho tudo o que é bom e corrijo os erros”. Ciro tem quatro características que o ajudam em campanha. A primeira é sua expressão de seriedade neste momento.

 

A segunda é estar convencido de que tudo o que diz é verdade e de que sabe o que fala, especialmente em matéria econômica. Isso ajuda muito a imagem na TV, cuja cobertura é diária. A terceira traz votos, mas é perigosa. A maneira com que trata o Congresso, confundindo políticos eventuais com sua rejeição à instituição, sinalizando uma vontade de autoritarismo. Mas é uma comunicação que agrada ao distinto público. E a quarta é já ter aberto vantagem no Nordeste em relação à Dilma.

 

O presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, foi visto ontem na Residência Oficial de Águas Claras e no Centro Administrativo do Governo do Distrito Federal em Taguatinga (o Buritinga). O assunto, segundo fontes do governo, girou em torno de análises e cenários nas eleições que acontecem em outubro de 2010. Presidente da empresa que virou sinônimo de pesquisa de opinião pública no Brasil, ele acompanhou com lupa todas as eleições realizadas no país desde a volta à democracia, em 1985. Montenegro foi traçar um cenário ao governador José Roberto Arruda (DEM).

 

Montenegro foi um dos principais personagens da semana. Na quarta-feira (26), A convite de graúdos peemedebistas, Montenegro foi à noite na casa do deputado Eliseu Padilha, traçar um panorama do cenário eleitoral de 2010. Diante de um punhado de governistas, Montenegro voltou a dizer que Lula não vai conseguir eleger a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e ressaltou que o PT está excessivamente desgastado.

 

Parte dos presentes achou uma avaliação exagerada faltando mais de um ano para a eleição, mas as explicações foram ouvidas com atenção. Nos próximos meses os peemedebistas decidirão seu rumo para 2010, e a única certeza é de que este caminho será junto ao provável vencedor.

 

Mas Montenegro também colocou fogo na platéia de peemedebistas. Ele pregou a candidatura própria à Presidência da República e sugeriu que o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), concorresse, mesmo para perder.

 

“O Lula disputou três até vencer, o Serra já concorreu uma vez, o Ciro, duas”, lembrou. E disse mais: 1. “O PMDB é o grande partido do país e deve ter um projeto nacional”; 2. “O DEM quase não tem representatividade no país”; 3. “O PSDB é muito paulista”; 4. “O PT vai ter resultados pouco expressivos nos estados”.

 

No início da semana, a revista Veja circulou com uma entrevista do dono do Ibope. Um dos mais experientes analistas do cenário político nacional e faltando pouco mais de um ano para a sucessão presidencial, Montenegro fez uma análise que o consagrará se acertar. Ele aposta que o governo, apesar da imensa popularidade do presidente Lula, não conseguirá eleger a ministra Dilma Rousseff. Também afirma que o PT está em processo de decomposição.