Posts Tagged ‘Filippelli’

Filippelli

Pelo menos publicamente, Filippelli descartou essa possibilidade. Mas como política é feita nos bastidores, só a história dirá como o ex-rorizista se comportará daqui para a frente

Em uma nota divulgada na noite desta terça (7), o vice-governador, Tadeu Filippelli (PMDB), afirma que não vai pender nem para Rodrigo Rollemberg (PSB), nem para Jofran Frejat (PR). “Tadeu Filippelli e o PMDB-DF desautorizam qualquer candidato a usar o seu nome e o nome do partido, atribuindo-lhes declarações inverídicas, que só servem para confundir os eleitores”, diz um trecho da nota.

Desde a derrota da dobradinha PT/PMDB no último domingo, especulava-se que Filippelli poderia declarar apoio a Jofran Frejat e retomar uma aproximação com o seu antigo grupo político ligado a Joaquim Roriz.

Pelo menos publicamente, Filippelli descartou essa possibilidade. Mas como política é feita nos bastidores, só a história dirá como o ex-rorizista se comportará daqui para a frente.

Leia íntegra da nota:

O PMDB – DF, após ouvir os deputados eleitos e as suas principais lideranças, torna público por meio do seu presidente regional, o vice-governador do DF, Tadeu Filippelli, que se manterá neutro na disputa do segundo turno destas eleições.

Tadeu Filippelli e o PMDB-DF desautorizam qualquer candidato a usar o seu nome e o nome do partido, atribuindo-lhes declarações inverídicas, que só servem para confundir os eleitores.

Como já manifestou-se em outras oportunidades o vice-governador, Tadeu Filippelli, assegurou que o seu principal desafio é seguir colaborando com o governador Agnelo Queiroz, concluir o mandato para o qual foi eleito e entregar uma cidade melhor ao seu sucessor, independente de quem seja ele.

Filippelli e o PMDB-DF esperam que os brasilienses façam a melhor escolha e que o candidato eleito se empenhe para honrar os compromissos assumidos com a população.

(Blog Grande Angular, por Lilian Tahan)

O governador Agnelo Queiroz e o vice, Tadeu Filippelli, dão entrevista após o resultado da votação deste domingo (Foto: Gabriel Luiz/G1)

O governador Agnelo Queiroz e o vice, Tadeu Filippelli, dão entrevista após o resultado da votação deste domingo (Foto: Gabriel Luiz/G1)

Governador ficou de fora do segundo turno da eleição, no dia 26 de outubro. ‘Esse governo sofreu toda ordem de perseguição do 1º dia até hoje’, disse

Raquel Morais, do G1 DF – O governador Agnelo Queiroz afirmou na noite deste domingo (5) reconhecer o “resultado soberano” que o deixou de fora da disputa pela reeleição no cargo, mas se disse “absolutamente tranquilo” em relação ao trabalho que exerceu nos últimos quatro anos como chefe do Executivo local. A declaração foi dada horas depois da confirmação de que ele ficou de fora do segundo turno.

“Se a nossa população fez a opção por um projeto diferente do que estamos implantando no Distrito Federal, isso deve ser plenamente respeitado”, disse. “Esse governo sofreu toda ordem de perseguição do primeiro dia até hoje.”

O governador recebeu a imprensa na residência oficial de Águas Claras acompanhado da mulher, Ilza, do vice, Tadeu Filippelli, e de deputados da base aliada. Ele citou a implantação do novo sistema de transporte público e quedas na taxa de desemprego e desigualdade como feitos do seu governo.

“[Vou entregar ao próximo governador] Uma cidade limpa, uma cidade que o mato vai estar cortado, o lixo recolhido, os buracos, não vamos ter os buracos nas pistas, como encontrei. Completamente diferente e dentro da normalidade”, declarou. “Quero desejar pleno sucesso para quem ganhar a eleição. Que de fato possa cumprir rigorosamente os compromissos assumidos.”

Agnelo foi o primeiro governador a ficar fora do segundo turno desde que a reeleição foi instituída no país, em 1995.

“Tenho certeza absoluta que a realidade e a percepção sobre o governo do início da campanha até o final são completamente diferentes. No início, as pessoas chegavam a me dizer que eu não tinha feito nada. No final, nem meus adversários tinham coragem de falar uma coisa dessas”, disse. “Acho que nós cumprimos rigorosamente o que nós pretendíamos cumprir. E vamos continuar trabalhando pela nossa população.”

Segundo turno

O governador disse que vai seguir a determinação do partido em relação a um eventual apoio aos dois candidatos que passaram para a disputa do dia 26 de outubro, Jofran Frejat (PR) e Rodrigo Rollemberg (PSB).

Agnelo disse acreditar que, entre as missões do próximo gestor, estão entregar mais creches, UPAs e habitações populares, além de ampliar a educação integral. O governador não afirmou quais são os planos dele para depois do fim do mandato.”Dedicação integral na gestão. Esse é o meu compromisso agora.” (Colaborou Gabriel Luiz, do G1 DF)

Leia nota enviada pelo governador Agnelo Queiroz

Carta aos Brasilienses

Meus amigos, minhas amigas.

Escrevo estas linhas com a apuração dos votos nas urnas já concluída. A esta altura, tenho a consciência de que os eleitores decidiram por um projeto de governo diferente do que estávamos construindo.

Aceito este resultado com a humildade dos que tem a consciência tranquila e com a certeza de que fiz um bom combate, na defesa de um projeto que não era pessoal, mas coletivo.

Nos últimos anos, aprendi na prática a enfrentar imensos desafios. Busquei recursos técnicos, recorri ao apoio e à solidariedade dos que caminharam comigo para enfrentar e vencer muitos desses desafios. Fizemos muito, mas reconheço, muito ainda precisa ser feito.

Mas eu lhes digo, tudo o que fizemos até aqui foi feito com seriedade e respeito, e tinha por objetivo virar uma página ruim da nossa história, assegurar o resgate da dignidade da nossa população e repor Brasília no caminho da normalidade.  Por esse prisma, não tenho dúvidas que cumpri bem o meu papel.

Estou convicto de que fiz o meu melhor. E deixo o DF melhor, muito melhor do que recebi.

Ao meu sucessor, quem quer que seja, desejo que tenha persistência e que seja destemido para enfrentar o que ainda não teve a solução que queríamos.

Ao povo do Distrito Federal, agradeço a confiança que mereci e o carinho daqueles que saíram de suas casas hoje para dizer que estavam conosco, apesar de tudo.

Tenham a certeza de que vou concluir a missão que recebi com zelo, dedicação e muito mais responsabilidade ainda. Agradeço à minha família o apoio que nunca me faltou e aos meus companheiros, pela caminhada.

Por fim, agradeço a Deus pela proteção e a fé em que sempre me apoiei e que me permitiu chegar até aqui.

Obrigado. Vamos em frente.

Agnelo Queiroz

Governador DF

Brasília 05 de outubro de 2014.

COMICIO10

Ex-presidente participa de comício em Ceilândia no maior ato, no Distrito Federal, pela reeleição do governador Agnelo Queiroz e de Dilma Rousseff. Ele cobrou mais empenho da militância brasiliense

Maior cabo eleitoral do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi à Praça da Bíblia, em Ceilândia, para mobilizar a militância, a fim de conquistar votos que ajudem a reeleger o governador Agnelo Queiroz (PT). Em comício com aproximadamente 10 mil pessoas — segundo estimativa da Polícia Militar —, Lula convocou os apoiadores a irem às ruas nestes últimos dias de campanha. “Não estou aqui para pedir votos para Agnelo e Dilma. Afinal, toda essa gente aqui tem de votar neles e pedir votos também”, disse. O ex-presidente da República criticou adversários e destacou realizações dos governos petistas. …

Aliados de Agnelo estimam que o público chegou ao dobro dos cálculos da PM. A aparição de Lula em Ceilândia atraiu gente de longe. As vias de acesso à cidade mais populosa do Distrito Federal estiveram mais cheias do que o normal para o fim do dia. Quando foi anunciada a fala do ex-presidente, a multidão ecoou hinos de campanhas passadas, gritou o nome de Lula e o aplaudiu exaustivamente. “Não poderia me conformar que Brasília não vá reeleger esse moço, que tanto fez pela cidade, e não vá ajudar a manter Dilma na Presidência. Não tem explicação”, destacou, com a voz mais rouca do que o normal.

Um dos poucos no palanque vestido de vermelho, cor do partido que o levou ao Palácio do Planalto, Lula garantiu ter orgulho do PT. “O dia em que eu tiver vergonha de usar a camisa vermelha e a estrela no peito, não há razão para eu fazer política. Vocês também não devem ter vergonha. Levantem a cabeça e vão para as ruas”, discursou. Os candidatos majoritários e proporcionais da coligação estão otimistas e esperam que a vinda do ex-presidente ao DF dê novo impulso à campanha. Morador de Ceilândia, o deputado distrital Chico Vigilante mostrou-se animado. “Agora, a militância vai mesmo pra rua. O Lula colocou fogo no pessoal”, comentou. “Esse era o gás que precisávamos para chegar ao segundo turno”, reforçou o presidente regional do PT, o deputado federal Roberto Policarpo.

O ato foi organizado para representar o “momento da virada”, conforme a fala do próprio Agnelo no comício. Quando pediu votos para si e para o candidato ao Senado da coligação, Geraldo Magela (PT), o governador aproveitou para alfinetar adversários. Disse que o senador Rodrigo Rollemberg (PSB), também candidato ao governo, entrou no serviço público sem concurso e tem uma atuação apagada no Congresso. Também disparou contra Reguffe (PDT), candidato ao Senado: “Não é possível que a população vá eleger, novamente, um senador que nada faz por Brasília”. Agnelo acrescentou que tem sido atacado desde o primeiro dia do governo, mas que a militância está calejada. O petista criticou os institutos e as pesquisas de intenções de voto. “Nenhuma manipulação vai mudar ou diminuir a força e a garra da militância”, afirmou.

Sem Dilma – Com presença confirmada até a tarde de ontem, a presidente Dilma Rousseff cancelou a participação a menos de duas horas do evento. A justificativa oficial foi a de que ela estava sem voz após viagem internacional e participação em um comício pela manhã. Mesmo assim, ela foi citada inúmeras vezes por todos os políticos que discursaram. Lula reafirmou total apoio à candidata à reeleição. “Falaram que Marina (Silva, candidata do PSB ao Palácio do Planalto) chorou e disse que me amava. Também amo a Marina. Mas política não é caso de amor, senão, chamaria a Marisa (mulher do ex-presidente) para ser candidata. Escolhi Dilma pela capacidade e competência. Não foi por amizade”, argumentou. Lula criticou ainda o choque de gestão proposto pelo candidato a vice de Marina Silva, deputado federal Beto Albuquerque (PSB): “Ninguém gosta de choque. Isso significa arrocho salarial, redução de benefícios dos trabalhadores e mandar funcionário público embora”.

Durante quase uma hora, o ex-presidente falou sobre política internacional, combate à fome e ascensão de famílias à classe média. “Hoje, o pobre não chega ao açougue para comprar músculo. Ele já sabe o que é filé, costela e picanha”, disse Lula. Ele falou ainda sobre avanços na educação e na saúde pública. O médico Cícero Batista, ex-morador da Cidade Estrutural, formado com auxílio do ProUni, subiu ao palco e discursou sobre os benefícios do programa. Crianças e adultos subiram ao palco para tirar fotos com o ex-presidente, inclusive Vítor Gabriel de Lima Mariano, criança deficiente moradora de Ceilândia. (Por Almiro Marcos, Kelly Almeidae e Grasielle Castro, do Correio Braziliense)

Foto: Helio Montferre

Foto: Helio Montferre

Tadeu Filippelli anunciou licitação de obra que resolverá fluxo intenso de veículos nas DF 250, 001 e 015

Uma reivindicação antiga dos moradores do Itapoã e do Paranoá se tornará realidade em breve. A licitação de um projeto viário que resolverá o problema de fluxo de veículos nas DF 250, 001 e 015 foi anunciada, nesta quinta-feira (4), pelo candidato à reeleição a vice-governador, Tadeu Filippelli, durante reunião com empresários do Paranoá. Os moradores pediam a duplicação dessas vias, porém, diante de levantamentos, foi necessária a elaboração de um projeto de maior complexidade.

“Sempre existiu uma angústia da população, tanto do Itapoã quanto do Paranoá, com relação a um viaduto naquele balão que hoje liga essas duas cidades. Mas, na verdade, quando você começa a fazer os levantamentos, faz a medição e fluxo dos veículos, percebe que um viaduto de forma isolada não seria suficiente para atender a demanda da população”, afirmou Filippelli.

Além de resolver esse problema específico, o atual vice-governador garantiu estudar a criação de uma Área de Desenvolvimento Econômico (ADE), incluir o Paranoá na rota turística de Brasília e criar um parque de exposições para a realização de grandes eventos. Filippelli também destacou a instalação de câmeras de segurança nos locais de maior movimento na cidade e a criação de um grupo de trabalho para avaliar a revitalização da área comercial.

Filippelli

Associação Nacional do segmento destaca abertura ao diálogo e atendimento das demandas da comunidade pelos candidatos da coligação Respeito por Brasília

Recebido com festa e elogios pelo trabalho desenvolvido junto com o companheiro Agnelo Queiroz, o candidato à reeleição como vice-governador Tadeu Filippelli participou de café da manhã, neste domingo (24), com líderes comunitários de todo o Distrito Federal. No encontro organizado pela Associação Nacional das Lideranças Comunitárias (Analc) em Santa Maria, Filippelli destacou a destacou a importância do diálogo com as lideranças para construção de políticas públicas.

“Não há como tomar decisão acertada sem saber o que se passa no seio da comunidade. A existência dos líderes nos ajuda muito porque eles contribuem na interlocução com a comunidade toda. O líder ajuda a gente a qual o real problema da população”, completou Filippelli.

“Esse foi o primeiro governo que abriu as portas para os líderes comunitários. Defendemos o povo e eles sempre nos ajudaram nessa luta. Por isso apoiamos a reeleição de Agnelo e Filippelli”, enfatizou o presidente da Analc, Ilço Firmino Neto, 64 anos.

Para o líder comunitário de Santa Maria, Salvador Gomes da Silva, 59 anos, a gestão de Agnelo foi a melhor que o DF já teve. Líder comunitário desde 1980, ele afirma que nunca houve tanto espaço para as lideranças e tantas melhorias nas cidades. “Ele trouxe moralização, progresso e desenvolvimento. Os líderes são respeitados de verdade e os nossos pedidos foram atendidos.”

Na conversa com os líderes comunitários, Filippelli citou os investimentos realizados para atender as demandas da comunidade como, por exemplo, na área de educação. “Mostramos que viemos para mudar e mudamos. No início do nosso governo, Brasília tinha uma creche pública. Hoje, temos 28 em funcionamento, vamos completar 52 nos próximos dias e chegaremos a 112″, assegurou o candidato.

Filippelli também lembrou que o governo Agnelo fez investimentos em áreas relegadas ao abandono pelos governantes anteriores do DF. “O Caje era uma coisa triste na história de Brasília e não tinha perspectiva de recuperação para os jovens. Todos os governadores anteriores assumiram o compromisso de derrubar a unidade e fazer mudanças no sistema. Somente o governo Agnelo fez.”

Filippelli

Em eventos em Planaltina e no Paranoá, companheiro de Agnelo Queiroz à reeleição fala do programa habitacional do GDF e ressalta a necessidade de continuar as mudanças promovidas no Distrito Federal

Dar continuidade aos projetos de governo foi a mensagem que o candidato à reeleição como vice- governador na Coligação Respeito por Brasília, Tadeu Filippelli, fez questão de destacar nos dois eventos que participou neste domingo (17). Filippelli também comemorou os bons resultados obtidos pelo programa habitacional Morar Bem, que já entregou 10 mil moradias com água, luz, esgoto e escritura.

No Paranoá, segundo compromisso do dia, o companheiro de coligação de Agnelo Queiroz participou de confraternização de cooperados que já receberam seus imóveis no DF. “É interessante notar que no governo anterior não conseguiu entregar uma única unidade dentro do programa Minha Casa, Minha Vida. E agora já entregamos 12 mil casas. São 44 mil pessoas abrigadas e já temos 100 mil convocados e 60 mil moradias em construção. Essa é a diferença de compromisso e realização de um governo para outro”.

Com o início da veiculação dos programas eleitorais a partir desta terça-feira (19), Filippelli ressaltou a importância do espaço para mostrar a história do governo. “Com o programa, com o conteúdo que nós temos, será perfeitamente possível mostrar a diferença do nosso governo para os outros. Costumo dizer que se tivesse uma palavra para representar o nosso governo seria mudança. Brasília precisa continuar mudando. Brasília precisa continuar nesse novo caminho que nós propomos”, finalizou.

Na hora do almoço, Filippelli esteve no tradicional Costelão da Loja Maçônica Sete de Setembro, em Planaltina. O candidato foi recebido de braços abertos pela comunidade que há 12 anos realiza esse evento. “Esse encontro já é tradicional na história do Distrito Federal. Podemos desfrutar momentos de alegria e confraternização com os irmãos maçônicos”, declarou Filippelli.

Filippelli 

Durante lançamento de candidatura a deputada distrital, o companheiro de coligação de Agnelo Queiroz destacou as melhorias nas áreas de Saúde, Educação e Segurança

O compromisso do atual governo com a população do Distrito Federal foi o tema central do discurso de Tadeu Filippelli, candidato da coligação Respeito por Brasília à reeleição como vice-governador, neste domingo (3), em Vicente Pires. Filippelli falou para mais de 300 pessoas, durante o lançamento da campanha da Professora Iza a deputada distrital.

“Aqui têm pessoas de compromisso. Este é um encontro político, de trabalho e de conscientização e as pessoas que estão aqui entendem que, entre tantas coisas, o nosso dia a dia depende do exercício da política”, afirmou à plateia, formada principalmente por professores, policiais, entre outros servidores públicos, e pessoas ligadas à igreja.

O companheiro de coligação de Agnelo também apontou as mudanças executadas por esta gestão. Filippelli deu como exemplo o número de leitos de UTI, que hoje são 437, contra 302 em 2011 e o reforço de mais de 15 mil profissionais na área de Saúde. Ele também destacou as melhorias nas áreas de Segurança e Educaação.

“No Distrito Federal só existia uma creche pública, em um período de 50 anos. Colocamos mais 28 em funcionamento. Brasília deixou de constar como uma das cidades mais violentas do mundo”, exemplificou.

A implantação das faixas exclusivas para ônibus e do bilhete único de transporte urbano também foram enfatizadas por Filippelli. “Inauguramos o BRT, estão em funcionamento quatro terminais e estamos preparando mais oito. Assim, temos um conjunto de ações que vão mudar o transporte público de Brasília. Quando falamos que o nosso governo tem a cara de mudança, tem, mas não acabou. Queremos continuar “, reafirmou.

Para Filippelli, a organização da nossa rotina diária, como a fixação do valor do salário mínimo, a geração de empregos e o funcionamento do transporte público, entre outras questões, dependem de decisões políticas.

Já a candidata a distrital, Professora Iza, agradeceu a presença de Filippelli. “Estamos com Filippelli por sua competência, pelo compromisso, trabalho, amizade e pelo carinho dele conosco.”

  Gov Agnelo Queiroz

Os candidatos ao governo do Distrito Federal serão definidos até o fim de semana. O PT e o PMDB realizam convenções no domingo com a chapa praticamente acertada. O governador Agnelo Queiroz (PT) será candidato à reeleição, repetindo a dobradinha com o peemedebista Tadeu Filippelli (foto). O petista Geraldo Magela concorrerá ao Senado, mas falta a definição do nome dos suplentes de senador. O PR se reunirá também na manhã de domingo, no ginásio Serejinho, em Taguatinga. Durante o encontro, será oficializada a candidatura do ex-governador José Roberto Arruda ao Palácio do Buriti.

A legenda de Arruda fará uma convenção conjunta com outros partidos, como o PTB, o PMN e o DEM, o que reforça a possibilidade de uma aliança entre essas legendas. O grupo está embalado pela decisão da Justiça que adiou o julgamento de Arruda em segunda instância — que poderia deixá-lo inelegível em caso de condenação. A principal expectativa do encontro é com relação à escolha do nome do candidato a vice-governador na chapa de Arruda.

Entre os cotados, estão o ex-deputado federal Jofran Frejat, também do PR, e a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN). O nome da deputada distrital Eliana Pedrosa (PPS) também é cotado. O PPS fará uma convenção própria no sábado de manhã para definir se a parlamentar concorrerá ao governo e em qual chapa. Também no sábado, tucanos se encontram no auditório do Crea, na Asa Sul, para oficializar a candidatura de Luiz Pitiman ou a desistência. O tucano se reuniu ontem com o presidente regional, Eduardo Jorge Caldas Pereira, e o nacional, o senador Aécio Neves, candidato ao Palácio do Planalto. Mas a decisão final sairá no sábado.

Dúvidas – A cinco dias do prazo final para a realização de convenções partidárias, a maioria das legendas vai realizar os encontros ainda sem definições essenciais, como as coligações e alianças para a disputa majoritária. Na tarde de ontem, os filiados ao PSD se reuniram para anunciar o nome dos candidatos a deputado distrital e federal, mas ainda sem fechar qual concorrente ao governo terá o apoio do partido. No fim de semana, o ciclo de convenções será encerrado, mas as legendas devem aguardar até 5 de julho, prazo final para registro de candidaturas na Justiça Eleitoral, para decidir os detalhes das alianças.

Uma das principais dúvidas do meio político é com relação ao candidato que terá o apoio do PSD e do Solidariedade. Os dois partidos formaram uma aliança para as eleições proporcionais, mas ainda não bateram o martelo sobre as majoritárias. Juntos, eles têm quase três minutos na propaganda eleitoral gratuita na tevê, o que é alvo de cobiça dos candidatos ao GDF.

O PSD definiu ontem durante a convenção que a decisão ficará nas mãos da executiva. Ou seja, a cúpula local da legenda terá liberdade para escolher o nome. A expectativa é de que o anúncio seja feito até o fim de semana. O encontro reuniu quase 600 pessoas no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. Apesar de a executiva nacional ter acertado apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, o presidente regional do PSD, Rogério Rosso, explicou que a dobradinha não terá que se repetir no DF. “O (Gilberto) Kassab nos deu carta branca para que formássemos a coligação mais favorável aos planos do partido, que é eleger uma expressiva bancada de deputados federais”, acrescentou Rogério Rosso.

O presidente regional do Solidariedade, Augusto Carvalho, espera uma definição sobre a disputa majoritária até amanhã à noite, quando a legenda realiza sua convenção local. “Eleger candidatos nas proporcionais é nosso grande objetivo e a aliança tem que ser boa para todos. Não aceitaremos entrar apenas com nosso tempo de tevê sem a perspectiva de eleger deputados”, explicou Augusto. (Por Helena Mader, Correio Braziliense)

 

Próximas convenções regionais:

Solidariedade

» Amanhã, às 19h, no Hotel Imperial, no Setor Hoteleiro Sul

PRTB

» Amanhã, às 15h, na sede da Legião da Boa Vontade (LBV)

PSDB

» Sábado, às 9h, no Crea, na 901 Sul

PPS

» Sábado, às 9h, no auditório da Câmara Legislativa

PT

» Domingo, às 9h, na Praça do Trabalhador, em Ceilândia

PMDB

» Domingo, às 8h, no auditório da LBV, na 915 Sul

PR, DEM, PTB, PR, PMN

» Domingo, às 9h, no ginásio Serejinho, em Taguatinga

Foto Mary Leal

Foto Mary Leal

Unidade com 2,5 mil metros quadrados atenderá uma média de 400 pessoas por dia

Por Kelly Ikuma – A maior cidade do Distrito Federal ganhou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) proporcional ao seu tamanho. Com 2,5 mil metros quadrados de área construída, o novo espaço tem capacidade para atender até 400 pacientes por dia nas áreas de clínica médica, odontologia e pediatria. A unidade, inaugurada nesta quinta-feira (3), já está com as portas abertas para atendimento ao público.

“Essa UPA significa a possibilidade de organizar o sistema na maior cidade do DF, que hoje possui mais de 600 mil habitantes. Vamos atender aqui casos de menor gravidade, deixando o hospital e emergência mais desafogados. Essa unidade foi construída estrategicamente próximo ao Sol Nascente, que até então estava carente, e vamos construir outra nos mesmos padrões em breve”, afirmou o governador Agnelo Queiroz.

A proximidade da unidade com o Sol Nascente fez com que a moradora do setor prometesse cuidar mais de sua saúde e dos seus dois filhos. “Antes evitava ir ao hospital por que além de longe da minha casa eu não conseguia atendimento. Agora não terei mais esse problema. Já fui à UPA do Núcleo Bandeirante e fui atendida muito rápido e com muita atenção”, afirmou a estudante Celma Cristina Teixeira, 34 anos.

O desenvolvimento da Saúde em todo o DF foi ressaltado pelo secretário de Saúde, Rafael Barbosa, como um exemplo para o Brasil. “O DF é a unidade da Federação que mais investe em saúde, mais que a média nacional. Visitamos o Hospital de Ceilândia no começo desta gestão e o centro cirúrgico estava sucateado e, em poucas semanas, o governador resolveu a situação. Sobradinho II será a próxima cidade a receber uma UPA.”

Essa é a quinta e maior UPA entregue neste governo e contou com investimento de R$ 9,5 milhões. A construção segue o mesmo padrão das demais unidades em funcionamento no DF. O local conta com 300 profissionais, entre médicos, enfermeiros, dentistas e técnicos de enfermagem, de higiene dental, de radiologia, de laboratório e administrativo, além de bioquímico, farmacêutico, nutricionista e assistente social.

ESTRUTURA - A nova unidade conta com Laboratório para exames bioquímicos, farmácia, sala de raio-X, eletrocardiograma, sala de medicação e inalação e sala de urgências e observação 24 horas, adulto e pediátrica. A assistência é realizada de acordo com o Protocolo de Manchester, o qual determina que os pacientes sejam classificados por cores conforme a gravidade do caso. (Agência Brasília)

Governador em exercicio tadeu Filippelli durante anuncio feito pela presidente Dilma, no Palácio do Planalto

Tadeu Filippelli

Por Eduardo Brito – O vice-governador Tadeu Filippelli (foto) prevê um período de movimentação intensa entre o final de março e os primeiros dias de maio. Será uma sequência de ações, todas elas ligadas ao programa de obras do governo. A abertura da série será o início das operações, ainda em caráter informal, do Expresso-DF Sul, no dia 31 de março. É o que Filippelli chama de operação branca, para testar o seu funcionamento. Em seguida, já em abril, virão os primeiros passos do Expresso-DF Sudoeste, uma ligação transfersal de Samambaia e Ceilândia com o traçado da linha Sul e de lá para a Rodoviária do Plano Piloto. Também em abril se fará o lançamento da licitação para o Expresso-DF Norte. Semelhante à linha Sul, fará o transporte em via expressa entre Planaltina, Sobradinho e Plano Piloto.

Fim de dois tormentos - No mesmo período serão entregues à população duas obras de peso. A primeira será o Balão de dona Sarah, ligação do Aeroporto JK com o centro de Brasília. A seguir, o viaduto do final da Asa Sul, obra interminável que começou como ponto de partida do VLT, ficou anos e anos embargada e, agora, servirá para o trânsito de todo o eixo Sul — Gama, Santa Maria, cidades da Região Metropolitana — com o Plano Piloto. Será usada também pelo Expresso-DF. Mais do que tudo, a entrega dessas obras representará o fim de tormentos para quem circula por toda a área do final da Asa Sul.

Ligação com o Metrô – Na sequência virão a compra de dez vagões para o Metrô, assim como o lançamento da licitação para duas obras de sua extensão, uma estação em Samambaia-Ceilândia e outra no Hospital Regional da Asa Norte, marcando a ligação via Metrô de toda essa área do Plano Piloto. Enfim, começará a obra da via que ligará o Torto ao Taquari. (Do Alto da Torre/Jornal de Brasília)

Empresa firmou convênio com Sinduscon e Asbraco para desenvolver estudos com objetivo de viabilizar obras de esgotamento sanitário e distribuição de água. Foto: Ronaldo Silva

Empresa firmou convênio com Sinduscon e Asbraco para desenvolver estudos com objetivo de viabilizar obras de esgotamento sanitário e distribuição de água. Foto: Ronaldo Silva

Por Ailane Silva – Novos estudos para universalizar o acesso ao sistema de abastecimento de água e, principalmente, aos serviços de esgotamento sanitário no DF serão iniciados nos próximos dias. A medida foi anunciada hoje, com a assinatura de um convênio entre Caesb, Sindicato da Construção Civil (Sinduscon-DF) e Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco), no Palácio do Buriti.

Com a cooperação, após o término de cada pesquisa, serão elaborados projetos de engenharia para realizar obras nas áreas do DF que mais necessitam de saneamento básico, como Planaltina, Brazlândia e Vale do Amanhecer. Com isso, o governo local pretende ampliar a rede de serviços com o lançamento de editais para as empresas de construção civil.

“É fundamental essa aliança, que demonstra o compromisso das entidades de classe e o setor produtivo para atender as demandas da população. Hoje, a Caesb já é uma referência nacional e internacional e tem se desenvolvido muito do ponto de vista técnico”, avaliou o vice-governador Tadeu Filippelli.

Segundo o presidente da Caesb, Oto Guimarães, a média de abastecimento de água no DF chega a 99%, enquanto o esgotamento sanitário atinge os 82,7%.

“Nós queremos que o esgotamento alcance, pelo menos, o índice do abastecimento de água. Para isso, vamos focar principalmente em áreas mais carentes, como Planaltina, em que a cobertura desse serviço é de 65%”, explicou.

Segundo ele, atualmente, a maioria das casas que não contam com o abastecimento de água estão localizadas em áreas recém-criadas. “Embora sejam locais que acabaram de ser habitados, nossa meta é atingir 100%”, complementou Guimarães.

O presidente do Sinduscon-DF, Júlio Peres, destacou que os estudos serão desenvolvidos por técnicos do próprio sindicato, coordenados por servidores da Caesb. “É fundamental trabalharmos em conjunto, porque ter os projetos é um passo inicial para lançar as obras, que beneficiarão a população e as empresas, que terão mais empreendimentos e poderão gerar empregos”, concluiu. (da Agência Brasília)

Reunião sobre desocupação da orla do Lago

Reunião sobre desocupação da orla do Lago

Participaram da reunião as Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, da Ordem Urbanística e a Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão

Representantes do Governo do Distrito Federal estiveram, na semana passada, no Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) para discutir a desocupação da orla do Lago Paranoá. O objetivo do encontro é harmonizar a execução da sentença que condenou o DF a elaborar e apresentar planos de fiscalização, remoção e recuperação da Área de Preservação Permanente (APP) do Lago Paranoá. Um novo encontro ficou agendado para a próxima sexta-feira, dia 17.

Proferida em agosto de 2011, a sentença que obrigou o DF a desocupar a orla detalha quatro obrigações. O prazo para cumprimento era de 120 dias. Entretanto, somente metade das medidas foram executadas. Restam, ainda, as duas primeiras determinações, conforme lista abaixo:

  • Plano de Fiscalização e Remoção de construções e instalações erguidas na APP do Lago Paranoá, em desacordo com a vocação ambiental do lugar, observando-se as linhas poligonais que a definem e o cronograma;

  • Plano de Recuperação da Área Degradada da APP, também acompanhado de cronograma de execução, aprovado pelo órgão ambiental local ou ao menos protocolado para exame;

  • Projeto de Zoneamento e o Plano de Manejo da unidade de conservação, submetido ao Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) do Lago Paranoá;

  • Plano Diretor Local para os Lagos Sul e Norte, considerado o Zoneamento e o Plano de Manejo da APA com destinação pública compatível com a área da orla.

Em agosto de 2013, a Justiça deu 30 dias para o GDF apresentar o Plano de Fiscalização e Remoção de Construções e o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas, acompanhados dos respectivos cronogramas para o acompanhamento da execução. Ainda fixou multa de R$ 5 mil, por dia de atraso e na hipótese de persistir o descumprimento, até o limite de R$ 300 mil. O governo local pediu a dilação do prazo, o que foi negado pela Justiça em novembro de 2013. Ainda cabe recurso da decisão. A ação foi ajuizada pelo MPDFT em 2005.

“O MPDFT vê com bons olhos a preocupação do governo em efetivar o cumprimento da legislação”, disse o titular da 5ª Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Paulo Leite Faria. Para o titular da 2ª PJ de Defesa da Ordem Urbanística, Karel Ozon, o DF tem uma oportunidade única de desocupar a orla do Lago Paranoá e mudar a realidade do local, dando uma destinação à área.

Comissão

Uma comissão, presidida pelo vice-governador do DF, Tadeu Filippelli, foi constituída para tratar do assunto. Segundo o representante da Procuradoria do DF, Emílio Ribeiro, as autoridades locais estão tentado apresentar uma proposta de trabalho, com ações imediatas para a desobstrução da orla do Lago Paranoá.

O consultor jurídico do DF Paulo Guimarães ressaltou a intenção do governo de implementar todas as medidas decorrentes da sentença judicial, entretanto explicou a dificuldade de definir a delimitação da APP do Lago. A questão foi rebatida pelo Ministério Público, uma vez que essa definição consta no Código Florestal.

O titular da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Roberto Carlos Batista, enfatizou que a ação foi proposta após ampla vistoria da orla do Lago Paranoá. Inclusive, primeiro foi feito um trabalho criminal, com a ajuda da Polícia Técnica do DF, que embasou os argumentos do Ministério Público. “A sentença transitou em julgado há mais de cinco anos. Ante a falta de ação do governo, o MP foi obrigado a pedir a sua execução. O DF não havia apresentado nenhuma proposta concreta”, explicou.

Segundo Batista, antes da ação civil pública (ACP), o Ministério Público tentou resolver a questão de maneira extrajudicial. “Apenas após a aplicação da multa o governo se mobilizou para o cumprimento da sentença”. O promotor de Justiça sugeriu que fosse apresentado pelo GDF, de maneira formal, um cronograma de execução para análise, com o detalhamento das fases do Plano de Recuperação da Área Degradada.

Estrutura custará R$ 2,8 milhões e deverá ser entregue à população em até oito meses. Foto: Ronaldo Silva

Estrutura custará R$ 2,8 milhões e deverá ser entregue à população em até oito meses. Foto: Ronaldo Silva

Foram iniciadas, nesta quinta-feira (9), com a presença do governador em exercício, Tadeu Filippelli, as obras do Terminal Rodoviário do Riacho Fundo II, empreendimento que terá R$ 2,8 milhões em investimentos e será entregue à população em até oito meses, segundo estimativa da Secretaria de Transportes.

“Embora tenhamos estes oito meses de prazo, vamos tentar trazer esse benefício antecipadamente para a nossa comunidade. Hoje, com esse ato, representamos o início efetivo da demarcação do lote e das obras. Essa é uma nova história e um novo momento no Distrito Federal”, frisou Filippelli.

O terminal será construído na QS 18, Área Especial, em um terreno de 8,1 mil m², contará com 10 boxes na plataforma e 40 boxes para parada, onde os ônibus ficarão estacionados antes do início dos percursos.

Para o secretário de Transportes, José Walter Vazquez Filho, esse investimento realizado na cidade contribuirá, de forma significativa, para a melhoria da qualidade de vida da população e, sobretudo, representa uma preocupação do GDF em dar mais dignidade aos moradores.

“Essa obra mudará a face do transporte público aqui no Riacho Fundo, assim como estamos mudando em todo o DF. Cada vez mais esse trabalho que todos diziam que era impossível está aí, e todos estão vendo e sentido as melhorias”, destacou o secretário.

Conforme prevê o projeto da pasta, a plataforma terá 1,2 mil m², e a construção totalizará 1,9 mil m². Somente de pavimentação de concreto serão feitos 1,1 mil m² e outros 3,4 mil m² serão de asfalto. O paisagismo, por sua vez, terá área de 2,1 mil m².

Como o início das obras é imediato, diversas máquinas da empresa vencedora da licitação, a Shox do Brasil Construções LTDA, já estavam no local. Para simbolizar o começo dos trabalhos, o governador em exercício ligou um dos equipamentos da obra. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

Serviço voltou ao normal nesta quarta-feira. Foto: Ronaldo Silva

Serviço voltou ao normal nesta quarta-feira. Foto: Ronaldo Silva

O vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli, e representantes da área de transportes e administração pública do governo se reuniram nesta terça-feira (26) com o presidente do Sindicato dos Rodoviários do DF, João Osório, para discutir a paralisação dos rodoviários e a transição para os novos operadores do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF (STPC/DF).

Durante a reunião, o governo reafirmou todos os compromissos assumidos com a categoria, feitos por meio do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado em maio de 2012, com a participação Ministério Público do Trabalho (MPT) para garantir que esses profissionais não ficassem desempregados.

Segundo o secretário de Transportes, José Walter Vazquez Filho, o governo, a população e os rodoviários têm que entender o momento histórico do DF. “Enfrentamos um grande desafio e fizemos uma renovação de 60% das operadoras do transporte público do DF, sendo que nenhuma empresa continuará na mesma região. Isso representa uma movimentação em 100% das operadoras”, afirmou.

O secretário ressaltou, ainda, que o TAC, que resultou na aprovação da lei que possibilita o pagamento das rescisões pelo governo, vai além do transporte público. “O governo tem a responsabilidade de garantir a ordem pública e o direito de ir e vir”, declarou Vazquez. (Vaneska Freire, da Agência Brasília)

Paola Aires Correa Lima substituiu Marcelo Castelo Branco no cargo. Foto: Mary Leal

Paola Aires Correa Lima substituiu Marcelo Castelo Branco no cargo. Foto: Mary Leal

O governador em exercício, Tadeu Filippelli, participou da posse da primeira mulher a ocupar o cargo de procurador-geral do Distrito Federal, Paola Aires Correa Lima, em cerimônia realizada na noite de ontem (7) no auditório do Memorial JK.

“Como a primeira mulher a ocupar o cargo de procurador-geral do DF, quero ressaltar a forte participação feminina em cargos importantes na vida pública, como a presidente, ministras, além de mulheres na advocacia, que refletem um crescente movimento evolutivo que impulsiona uma melhoria no país”, afirmou Lima, que teve sua posse homologada por Filippelli na cerimônia.

Durante seu discurso, a atual procuradora-geral agradeceu a liberação do concurso para mais 25 cargos no órgão, além da construção da nova sede da Procuradoria-Geral do DF, prevista para ser concluída no decorrer do próximo ano.

Servidora há 14 anos na Procuradoria, ela substituiu Marcelo Castelo Branco, que deixou o cargo por razões pessoais, mas foi lembrado pelo governador em exercício devido ao importante trabalho que exerceu à frente da Procuradoria-Geral, principalmente durante a defesa da licitação do novo transporte público.

“Paola faz história ao assumir o cargo e substituir Marcelo, que juntos formaram uma dupla em perfeita sincronia frente aos desafios e venceram 180 processos que tentaram barrar a licitação. A chegada de Paola ao mais alto cargo da Procuradoria é um reconhecimento do GDF a ela e todas as mulheres”, destacou Filippelli.

HISTÓRICO – Paola Aires foi coordenadora da Procuradoria Administrativa do DF (Procad-DF), chefe da Procuradoria Fiscal, e exercia a chefia da Assessoria Especial do procurador-geral do DF.

Nesse último cargo, ela coordenava, ao lado do procurador-geral, a atuação da procuradoria no Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no Supremo Tribunal Federal (STF) e nos tribunais de Conta do DF (TCDF) e da União (TCU).

Governador em exercício participou da solenidade e foi homenageado com o prêmio Guardião da Água

O novo diretor da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa), o advogado Israel Pinheiro Torres, foi empossado ontem pelo governador em exercício, Tadeu Filippelli, durante solenidade no auditório da instituição.

O titular, que terá mandato de cinco anos e substituirá Antonio Magno, foi funcionário da agência de 2005, ano de criação da entidade, até 2011, quando se afastou do cargo de chefe do Setor Jurídico. O nome – indicado pelo governador Agnelo Queiroz – foi aprovado pela Câmara Legislativa em sessão ordinária no último dia 29.

O novo diretor ressaltou sentir-se muito honrado pela nomeação, agradeceu ao diretor presidente, Vinicius Benevides, pelo empenho no processo de troca de diretores e disse estar muito alegre em voltar à casa onde atuou desde sua fundação.

AGRACIAÇÃO - Durante o evento, Tadeu Filippelli foi homenageado pela Adasa com o prêmio Guardião da Água, entregue pelo diretor-presidente, e salientou a importância para o GDF das atividades da autarquia.

Benevides lembrou que Filippelli foi responsável pela implantação do “Águas do DF”, com recursos do BID, em atendimento ao pedido do organismo internacional, que julgou imprescindível para o bom andamento do programa a criação de uma agência reguladora responsável pela gestão dos recursos hídricos do DF.

O diretor presidente também destacou que a autarquia respondeu, ao longo desses anos, com eficiência às expectativas do governo e da sociedade, tanto que vem recebendo novas atribuições a cada novo passo.

Segundo ele, a entidade começou atuando apenas com recursos hídricos e hoje trabalha também nas áreas de saneamento básico (resíduos sólidos e águas pluviais) e energia.

DSC_6454

Espaço ainda passa por retoques e será inaugurado no dia 12 de novembro

O novo Museu de Ciências Naturais do Zoológico de Brasília abriu as portas hoje (6) para visita técnica que contou com a presença do governador em exercício, Tadeu Filippelli. A inauguração do espaço, que teve investimento de R$ 460 mil, está marcada para o dia 12 deste mês.

“Nessa pequena obra, pude constatar o grande esforço de toda a equipe do zoológico não só no museu como em toda a área. Gostei muito do que vi. É visível o cuidado com a limpeza e organização, e, além disso, fiquei surpreso em saber que as visitas triplicaram nessa gestão do governo”, afirmou Filippelli.

Após visita ao espaço, o governador em exercício caminhou pelo zoológico para conhecer outras áreas como o recinto da sucuri e do jacaré, a cozinha destinada à nutrição dos animais e o hospital, todas recém-reformadas. “É surpreendente ver de perto todas essas mudanças e perceber a simplicidade e perfeição das instalações”, revelou.

O museu, que antes funcionava em uma pequena casa desde 1994, agora conta com uma área muito mais ampla, em ambiente com estrutura moderna, e acolhe um acervo ainda maior. “Estamos finalizando os detalhes para entregarmos em grande estilo à população”, disse o diretor de Museologia do Zoológico, Paulo Franco.

E nem precisou estar completamente pronto para alegrar os olhos da pequena Augusta Neves, de 12 anos. Acompanhada da turma da escola, ela visitou o museu e se encantou com os grandes animais empalhados e esqueletos em exposição. “Aqui posso ver o leão mais de pertinho do que na jaula. Mesmo ele estando morto é muito legal”.

Os visitantes do antigo espaço representavam em média 25% a 30% do público pagante mensal do Zoológico, que recebe todos os meses 75 mil pessoas. De acordo com o diretor, a maioria das pessoas que passam pelo espaço é de estudantes, que são levados por professores interessados em fazer do local um material didático interativo.

Os visitantes têm a oportunidade de conhecer no local várias técnicas como a taxidermia, arte de montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo; a osseotécnica, que é a montagem de esqueleto; e a exposição de peças em meio líquido. “Além da ampliação da área de visitação, melhoramos a exposição do acervo e padronizamos as placas informativas”.

Ele citou também outro projeto do seu setor, que é a exposição itinerante, iniciativa que leva parte do acervo do museu até a população na área externa do zoo. Para que as escolas, shoppings e outras instituições possam ter acesso a essa ação, segundo o diretor, basta entrar em contato com a fundação e agendar o evento.

Foto: Dênio Simões / GDF

Foto: Dênio Simões / GDF

Previsão é que local seja entregue em meados do próximo ano

O novo Centro Administrativo do GDF está com 55% das obras concluídas, com previsão de entrega da primeira etapa em janeiro de 2014 e da segunda em meados do mesmo ano. Para a construção do complexo, que abrigará 15 mil servidores, foram investidos R$ 600 milhões por meio de parceria público-privada.

O canteiro recebeu hoje (5) a visita do governador Agnelo Queiroz que, acompanhado do vice, Tadeu Filippelli, observou o andamento das obras e constatou que o planejamento e o cronograma da construção seguem dentro do prazo previsto.

“Além da redução de gastos, centralizar a administração pública nesse espaço será bom tanto do ponto de vista físico como em relação à eficiência dos serviços. Além disso, com essa construção, geramos 2,5 mil empregos e prestigiamos essa grande região do Distrito Federal”, afirmou o governador.

De acordo com Filippelli, essa modalidade de investimento oferece inúmeras vantagens, principalmente no que diz respeito à garantia da qualidade dos serviços prestados pelo parceiro privado. “Vimos que esse modelo deu certo em outros estados e, por esse motivo, resolvemos repetir o sucesso na capital do país”.

Foto: Dênio Simões / GDF

Foto: Dênio Simões / GDF

O centro administrativo, com área total de 178 mil metros quadrados, contará com 14 torres – 10 de quatro andares e quatro de 15 pavimentos -, um prédio da Governadoria, shopping com centro de convivência, estacionamento com capacidade para três mil veículos, bicicletário, além de estar localizado a 100 metros de uma estação de metrô e paradas de ônibus.

Faz parte da primeira etapa a Governadoria, os centros de convenções e de convivência, estacionamento, bicicletário, marquises e heliponto. Nessa fase, serão realocados cerca de quatro mil servidores, com prioridade aos órgãos que pagam aluguel e se encontram em prédios externos ao Palácio do Buriti e Anexo.

Com a mudança, a expectativa é reduzir os gastos com serviços terceirizados em R$ 9,5 milhões por mês, uma economia de R$ 2,3 bilhões durante a concessão. (Kelly Ikuma, da Agência Brasília)

Governador em exercício Tadeu Filippelli e o secretário de Habitação, Geraldo Magela, visitam as obras Foto: Ronaldo Silva

Governador em exercício Tadeu Filippelli e o secretário de Habitação, Geraldo Magela, visitam as obras Foto: Ronaldo Silva

Nesta etapa serão concluídas 900 moradias e a expectativa é finalizar a obra total em até dois anos e meio

A primeira quadra do complexo residencial Paranoá Parque, localizado na entrada da cidade, na área conhecida como Pinheiral, será entregue até o começo de fevereiro de 2014. Nesta etapa, serão concluídas 900 moradias e a expectativa é finalizar a obra por completo em dois anos e meio.

O canteiro de obras recebeu ontem (24) a visita do governador em exercício, Tadeu Filippelli, e do secretário de Habitação, Geraldo Magela. Eles analisaram o andamento da construção e conheceram a primeira unidade modelo, que já recebeu todo o acabamento.

“Esse é um projeto ousado e moderno onde estamos construindo habitações populares com características de dignidade e com valores extremamente dentro da realidade de cada um. Por isso ele está sendo executado com muito cuidado para que nenhum aspecto seja deixado de lado”, afirmou Filippelli.

De acordo com o secretário de Habitação, o cronograma está dentro do previsto. “Apesar dos problemas burocráticos, a obra caminha bem. Com a entrega dessa primeira quadra, os grandes problemas serão vencidos e o processo caminhará com mais agilidade”, destacou.

O projeto prevê a construção de 6.240 unidades de tamanhos que variam entre 46 e 47 metros quadrados, divididos em dois quartos, cozinha, sala e banheiro. As unidades habitacionais, destinadas a famílias cuja renda mensal é de até R$ 1,6 mil, custarão em torno de R$65 mil, financiados pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”, por meio da Caixa Econômica Federal.

As parcelas mínimas para os apartamentos variam de R$ 25 a R$ 80 e os contemplados que fazem parte do programa, com renda de zero a três salários mínimos, terão de 8 a 10 anos para pagar. O Paranoá Parque está orçado em cerca de R$ 405 milhões e as obras de infraestrutura terá investimento de R$ 45 milhões.

MEGACONVOCAÇÃO – A Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab), com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab), realizou, nessa quarta-feira (23), uma megaconvocação do programa “Morar Bem/ Minha Casa Minha Vida”. São mais 12,7 mil famílias convocadas a apresentar documentação para comprovar dados e formalizar o processo.

Desse montante, 10 mil são da Relação de Inscrições Individuais (RII) e 2.762 da Relação de Inscrição por Entidade (RIE), do Novo Cadastro da Habitação. O secretário de Habitação, Geraldo Magela, destacou que as famílias terão direito garantido à moradia, e ressaltou que até o fim de 2014 serão habilitadas mais de 100 mil famílias nas diversas regiões do Distrito Federal. (Kelly Ikuma, da Agência Brasília)

Governador em exercicio tadeu Filippelli durante anuncio feito pela presidente Dilma, no Palácio do Planalto

Governador em exercicio tadeu Filippelli durante anuncio feito pela presidente Dilma, no Palácio do Planalto

Arniqueiras, Ponte de Terra e Pôr do Sol serão beneficiados

O DF será beneficiado com a pavimentação nos setores habitacionais Arniqueiras, Ponte de Terra e Pôr do Sol. As obras fazem parte de um conjunto de 310 projetos nacionais selecionados pelo Programa de Aceleração do Crescimento, fase 2, que terá investimento total de R$ 13,5 bilhões em todo o país e afetará a população de 1.198 localidades.

O anúncio foi feito ontem durante solenidade no Palácio do Planalto, com a presença da presidente da república, Dilma Rousseff e do governador em exercício do DF, Tadeu Filippelli.

Conforme planejamento do poder executivo, serão feitos 7,5 mil km de vias, recapeamento e implantação de ciclovias em todo o país. Também está prevista a construção de 15 mil km de calçadas e colocação de sinalização, acessibilidade e faixas de pedestres.

Os recursos serão aplicados também na construção de sistemas de drenagem de águas pluviais, redes de abastecimento de água e esgoto sanitário.

Durante um discurso de aproximadamente meia hora, Dilma Rousseff falou a prefeitos de diversos municípios brasileiros, ministros de estado e governadores.

De acordo com a presidente da República, o investimento feito pelo PAC 2 na área de saneamento era “impensável uma década atrás”.

Dilma destacou a importância da realização de obras que coletem esgoto e que pavimentem ruas ao frisar que essas intervenções “desaparecem” ao serem concluídas, mas que geram efeitos notáveis na saúde pública.

“O governo federal considera esses investimentos legítimos. O calçamento –e pavimentação- é, sobretudo, uma garantia de que as crianças não brinquem no esgoto e na água de chuva. O Brasil está aquém na questão do saneamento e isso me deixa muito feliz”, destacou a presidente da República.

O ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, lembrou que existe em âmbito federal e local a intensão de melhorar, de forma acentuada, o saneamento básico e a pavimentação das mais diversas regiões.

O titular da pasta federal frisou que não há intenção de fazer obras “gigantescas” e de “grande visibilidade”, mas um investimento que beneficie diretamente o povo das capitais, como Brasília, e de pequenos municípios brasileiros.

“Essas obras que estamos anunciando não caberão em cartão postal. Elas estarão pulverizadas em várias localidades brasileiras. São nessas ruas que o Brasil caminha e é lá que o governo vai estar, porque fazemos com o princípio de beneficiar aqueles que mais precisam no país”, finalizou Ribeiro.

Duas regiões administrativas recebem 181 coletivos que entrarão em operação hoje (20) e segunda-feira (21). Foto:Dênio Simões/GDF

Duas regiões administrativas recebem 181 coletivos que entrarão em operação hoje (20) e segunda-feira (21). Foto:Dênio Simões/GDF

O Distrito Federal atingiu a marca de renovação de 500 ônibus do transporte público, com a entrega de 87 veículos em Planaltina, que operarão em 25 linhas a partir de hoje (20) nas regiões do Vale do Amanhecer e Arapoanga.

Este quantitativo, aproximadamente 20% da frota do DF, é composto também por 94 coletivos que serão entregues ainda hoje em Santa Maria.

“Todos sabem como foi difícil enfrentar essa luta para colocar novos ônibus e tirar de circulação esses que quebram frequentemente e fazem a nossa população sofrer e ser humilhada. Hoje estamos interrompendo, definitivamente, a operação da antiga empresa, e queremos, até dezembro, substituir o último ônibus velho que estiver rodando no DF”, frisou o governador Agnelo Queiroz.

Os novos veículos disponibilizados hoje à população de Planaltina fazem parte da Bacia 1, operada pela Viação Piracicabana, empresa que atuará para substituir a frota do Grupo Amaral.

Os ônibus que passarão a operar nessa região administrativa são da cor vermelha e, até o final do ano conforme planejamento do GDF, deverão somar uma frota de 467 coletivos que beneficiará, além dos planaltinenses, os moradores de Sobradinho I, Sobradinho II, Fercal, Varjão, Lago Norte, Cruzeiro, Sudoeste/Octogonal.

Com a chegada dos novos ônibus, as linhas, horários e itinerários não sofrerão alterações e os passageiros poderão utilizar a integração, serviço que permite, com o pagamento de apenas uma passagem, a realização de três viagens em até duas horas nos novos veículos, metrô e carros da TCB.

Para o vice governador do DF, Tadeu Filippelli, a entrega dos novos veículos representa “mais um passo rumo ao respeito dos cidadãos do Distrito Federal”. Ele destacou que esse procedimento é apenas umas das várias etapas para a melhoria, em definitivo, do transporte público local.

“A substituição desses 87 ônibus é o primeiro passo para as melhorias que queremos fazer no DF. Estamos começando uma verdadeira revolução, e não é possível fazer as mudanças do sistema sem a troca de ônibus”, acrescentou Filippelli.

MELHORIA – Durante a solenidade de entrega dos novos veículos, o governador anunciou o início das obras da segunda etapa do programa “Asfalto Novo”, que pavimentará 130km das principais avenidas de Planaltina.

Ao todo, serão investidos R$ 19 milhões, e as obras começam imediatamente, por determinação do chefe do Executivo local.

Conforme planejamento do GDF, uma terceira etapa do programa, a ser iniciada em 2014, contemplará as demais vias da cidade. A intenção do governo é fazer um novo asfaltamento em 50% da malha viária da capital do país até o final do próximo ano. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

Medida Provisória sancionada pela presidenta Dilma Rousseff permite aos permissionários de táxis em todo o país repassarem a licença a seus herdeiros. Foto: Brito

Medida Provisória sancionada pela presidenta Dilma Rousseff permite aos permissionários de táxis em todo o país repassarem a licença a seus herdeiros. Foto: Brito

A Medida Provisória aprovada hoje pela presidente da República, Dilma Rousseff, que permite aos mais de 600 mil taxistas do país deixarem para seus herdeiros- cônjuge, irmãos ou filhos- a concessão do táxi em caso de morte beneficiará 3,4 mil profissionais da categoria no Distrito Federal.

“Muitos pais de família perderam a vida e a autorização (de uso do táxi) era repassada ao Estado. Agora temos a certeza que esse direito ficará com família”, comemorou a presidente do Sindicato dos Permissionários de Táxis do DF (Sinpetaxi), Maria do Bonfim.

Pelo texto sancionado, o cônjuge, os irmãos ou os filhos podem explorar a licença do taxista pelo tempo que ainda faltar para ela acabar – é a chamada licença hereditária, uma reivindicação da categoria desde 2011, quando a profissão foi regulamentada.

“Não é transferência de concessão, é direito de sucessão”, destacou a presidenta Dilma durante sanção do texto, ao explicar que a medida provisória, com poder de lei, cria uma solução juridicamente correta para o repasse da permissão aos herdeiros e reduz a possibilidade de questionamentos.

Durante a sanção do texto, realizada no ponto de apoio dos taxistas perto do Aeroporto JK, o governador em exercício do Distrito Federal, Tadeu Filippelli, agradeceu o empenho do governo federal. “Esse gesto de Vossa Excelência em sancionar esta lei é de profunda repercussão social” enfatizou. (Por Helton Oliveira, da Agência Brasília)

Previsão do governo é que sistema esteja em pleno funcionamento até fevereiro de 2014. Foto: Roberto Castro/GDF

Previsão do governo é que sistema esteja em pleno funcionamento até fevereiro de 2014. Foto: Roberto Castro/GDF

A estação Granja do Ipê, na Epia Sul, é a primeira entre as 15 previstas no projeto “Expresso DF Sul” a ter 100% das obras concluídas. A previsão é que até fevereiro de 2014 o trecho, que fará a ligação entre o Gama e Santa Maria ao Plano Piloto, esteja em pleno funcionamento, data estimada hoje pelo governador Agnelo Queiroz, durante visita ao local.

A primeira etapa da obra do corredor exclusivo para os ônibus especiais, prevista para ser finalizada em dezembro deste ano, compreende o trecho Catetinho/Gama, Catetinho/Santa Maria, Catetinho/Mercado das Flores, Mercado das Flores/DF-047. A segunda parte, que marcará o início das operações, fará o trajeto Mercado das Flores/shopping, shopping/Rodoviária do Plano Piloto.

“O “Expresso DF Sul” marca a mudança no transporte público do DF, primeiro a trabalhar com esse tipo de conceito no Brasil. Ele será como um metrô sobre pneus, com capacidade para 160 passageiros, que passará pelas principais artérias do DF oferecendo mais conforto e segurança à população”, afirmou o governador.

O vice-governador Tadeu Filippelli, também presente na visita, ressaltou que o governo está fazendo a maior transformação no transporte público do DF, com a renovação da frota de ônibus, passe livre, faixas exclusivas e agora com a entrega do “Expresso DF Sul”, que “traz inovações no sistema para a capital”.

A obra, orçada em R$ 530 milhões, reduzirá o tempo de viagem de Gama/Santa Maria ao Plano Piloto de 90 para 40 minutos. De acordo com o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Fauzi Nacfur Júnior, para otimizar o trajeto e oferecer infraestrutura adequada aos usuários, o corredor Eixo Sul contará com dois terminais, 15 estações e 15 passarelas.

“Para garantir a segurança do passageiro, as portas das estações só abrirão, automaticamente, quando os veículos estiverem estacionados e preparados para receber os usuários. Caso contrário, elas permanecerão fechadas”, ressaltou o diretor-geral do DER.

O fiscal de trânsito, Gilberto Martins Chaves, 54 anos, aposta no sucesso do projeto. “Ele facilitará o deslocamento dos moradores das regiões de Santa Maria e Gama para o Plano Piloto. Além disso, vai melhorar o trânsito, pois acho que muitas pessoas deixarão os carros em casa para utilizar esse transporte”.

Os ônibus articulados circularão em faixas exclusivas ao longo de quase 42km de corredor com ramais no Gama, com 8,7km de extensão, e em Santa Maria, com 5,3km. O trecho se tornará único a partir de um ponto de encontro na BR-040, a 27,8km de dois pontos de desembarque no Plano Piloto, no terminal da Asa Sul e Rodoviária do Plano Piloto.

O sistema terá um padrão de controle operacional semelhante aos projetos metroviários e será integrado ao sistema de transporte já existente, ou seja, o usuário poderá utilizar o mesmo cartão no metrô e demais ônibus convencionais nos veículos do “Expresso DF Sul”. (Kelly Ikuma, da Agência Brasília)

Gov Agnelo Queiroz

Reedição da parceria entre PT e PMDB foi anunciada hoje; detalhes serão acertados nas próximas semanas

A aliança entre o governador Agnelo Queiroz, e o vice-governador, Tadeu Filippelli, será mantida no Distrito Federal para a disputa das eleições de 2014, conforme anúncio feito hoje durante almoço dos representantes do Executivo local com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e o 1º vice-presidente do PMDB, Valdir Raupp.

eleições 2014“Quando tomamos uma medida politica como essa, dá muito mais energia, determinação, unidade, e só quem ganha é a nossa cidade. Estamos com isso reafirmando projetos, e esses projetos se vão traduzir em melhor qualidade de vida para o nosso povo”, frisou o governador Agnelo Queiroz.

Para o vice-governador Tadeu Filippelli, a atual aliança contribuiu para o progresso do Distrito Federal e, por isso, no próximo ano, pretende repetir com êxito a mesma parceria.

“Esse almoço foi extremamente importante para a reedição da aliança. Olhe bem a palavra que usamos: não é reconstrução, (já que) em momento algum foi descontruído. É uma reedição da aliança, e é lógico que ela pressupõe atenção de ambas as partes para a consolidação”, destacou Filippelli.

No entendimento do presidente nacional do PT, Rui Falcão, ajustes sobre a aliança deverão ser feitos, de forma célere, nas próximas semanas.

“O governador Agnelo e o vice Filippelli, junto com as direções nacional e estadual, deram o primeiro grande passo para a reedição da aliança que foi vitoriosa aqui no Distrito Federal. A nossa expectativa é que se deem passos muito rápidos nas próximas semanas”, enfatizou.

Já o 1º vice-presidente do PMDB, Valdir Raupp, acredita que a formação dessa coligação no DF será um reflexo do que acontecerá em nível federal.

“Nos já temos a reedição nacional praticamente acertada, ajustada com a chapa Dilma-Michel Temer. Temos conversado exaustivamente para fazer o mapeamento de todo o país, dos estados onde vai ser possível aliança do PMDB e PT”, revelou Raupp.

 Tadeu Felippelli e Agnelo Queiroz

Leonel Rocha – O vice-presidente Michel Temer vai tentar, em audiência nesta tarde com o governador de Brasília, o petista Agnello Queiroz, e o vice, Tadeu Filipelli, do PMDB, evitar o fim da aliança entre os dois partidos na campanha de 2014. O vice Filipelli se queixa das mudanças administrativas feitas pelo governador e da ação política dos petistas. Filippelli negocia aliança com seus antigos aliados, hoje na oposição ao governo. (Fonte: Felipe Patury / Revista Época)

 opiniao

Por Ricardo CalladoO desmembramento da ação penal que analisa o suposto esquema de corrupção apontado pela operação Caixa de Pandora tem efeito direto nas eleições de 2014. O principal foi colocar o ex-governador José Roberto Arruda (sem partido) na disputa.

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) lavou as mãos e jogou o problema para o Tribunal de Justiça do DF. Quase tudo volta para o início. Depoimentos de testemunhas, análise de provas, recursos. Na prática, o processo vai demorar a ser julgado. E muito.

Como todo tipo de protelação, se depender apenas da ação da Pandora, Arruda pode ser candidato a qualquer coisa em 2014. Aos amigos mais próximos cogita apenas voltar ao Palácio do Buriti. Tem potencial eleitoral para isso. E os adversários possuem munição pesada contra ele.

Alguns petistas ligados ao governador Agnelo Queiroz (PT) acham que a entrada de Arruda embaralha o jogo. Outros, discordam. Consideram que seria mais fácil vencer um candidato todo enrolado na justiça.

A entrada de Arruda joga água fria em muita gente. Os deputados Luiz Pitiman (PMDB) e Eliana Pedrosa (PSD), por exemplo, podem abrir mão da candidatura ao governo para apoiar Arruda.

Pitiman é um interlocutor próximo do ex-governador. Costuma dizer que está sentado no banco de reservas. Se Arruda não puder ir, ele está preparado para a missão. Deputado federal em primeiro mandato, Pitiman colocou seu nome como alternativa ao Buriti.

Eliana Pedrosa foi secretária de Desenvolvimento Social de Arruda. Tem uma carreira política própria e está bem posicionada nas pesquisas. Pode relutar em abrir mão da candidatura ao governo. Vai depender da articulação que for feita. No final, deve seguir com Arruda.

Também postulante a cadeira de Agnelo, a deputada distrital Liliane Roriz (PSD) ficaria isolada. e esvaziada Arruda agregaria um bom número de partidos. Uma composição poderia colocar Liliane na vaga de vice da chapa. Para isso, Arruda e o ex-governador Joaquim Roriz teriam que se entender.

Se Arruda conseguiu se livrar, pelo menos a tempo das eleições de 2014, de uma condenação da Caixa de Pandora, o mesmo não pode se dizer de outros processos. A Secretaria de Transparência gestou nos últimos dois anos várias pequenas ações que podem pegar o ex-governador e tira-lo do caminho de Agnelo.

Uma das ações já teve efeito prático. Arruda foi condenado a cinco anos e quatro meses em regime semiaberto de prisão por irregularidades em uma licitação para reforma do ginásio poliesportivo Nilson Nelson. de Brasília em 2008.

O ex-governador e o ex-secretário de Obras, Márcio Machado, foram condenados por dispensa indevida de licitação pela Justiça do DF. O caso envolve a contratação da Mendes Júnior Trading Engenharia.

Arruda também terá que pagar multa de R$ 400 mil, equivalente a 4% do contrato de reforma do ginásio. As reformas foram feitas por causa do Campeonato Mundial de Futsal, realizado em 2008 no Rio de Janeiro e em Brasília.

O curioso é que uma candidatura de Arruda pode até ajudar o PT. Se for viabilizada, o vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB) deve recua de sua intenção em se lançar contra Agnelo.

Quando soube que a Secretaria de Transparência estava no seu calo, Arruda pediu ao amigo Filippelli que conseguisse maneirar a fábrica de ações contra seu governo. O atual vice não atendeu o pedido. Arruda ficou decepcionado. E a amizade abalada.

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) pode contabilizar perdas. Alguns partidos que conversam hoje com o PSB devem mudar de rumo. Mas seria a base aliada de Agnelo a mais atingida. Tem partido se coçando para trair o governador. Falta apenas oportunidade. E alguma perspectiva de poder em outro lado.

Se o ex-governador conseguir se livrar da justiça e ser candidato, teremos então uma disputa bem competitividade com Agnelo, Arruda e Rodrigo. No centro da eleição, o governador iria enfrentar duas candidaturas clássicas: uma de direita e outra de esquerda.

O governador Agnelo Queiroz anunciou o investimento que ampliará o sistema de abastecimento de água e renovará a pavimentação em regiões administrativas. Foto: Roberto Barroso

O governador Agnelo Queiroz anunciou o investimento que ampliará o sistema de abastecimento de água e renovará a pavimentação em regiões administrativas. Foto: Roberto Barroso

 

O Distrito Federal receberá R$ 1,03 bilhão para aplicação em 12 novos empreendimentos selecionados no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O governador Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador Tadeu Filippelli, e do secretário da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, anunciou o investimento, nesta quarta-feira (6). Com esses recursos, a cidade de Vicente Pires receberá asfaltamento integral e sistema de drenagem de águas pluviais. Na seleção do PAC que ainda está em aberto, o DF está solicitando recursos para as mesmas obras nas regiões de Arniqueiras, em Águas Claras, e Ponte da Terra, no Gama, também serão contempladas com pavimentação em todas as vias. A previsão para início das obras é de até três meses.

“O DF caminha a passos largos para universalizar os serviços de infraestrutura e saneamento. Isso é investimento em saúde pública. Levaremos esses serviços onde nunca existiu ou é deficiente”, afirmou o governador, que, nesta manhã, participou de encontro de governadores e prefeitos, no Palácio do Planalto, onde a presidenta da República, Dilma Rousseff, anunciou a liberação de R$ 33 bilhões em recursos do PAC para todo o país.

No DF, foram selecionados sete projetos de saneamento e cinco de pavimentação e qualificação de vias urbanas. Um dos destaques é o investimento no Sistema Produtor de Água Paranoá, no valor de R$ 418 milhões. O empreendimento prevê a implantação de unidades para atender a demanda de água potável pelos próximos 30 anos no Distrito Federal, com captação no Lago Paranoá. Ele será interligado ao atual sistema de abastecimento de água integrado e terá capacidade para produzir até 2,8 m³/s.

“A seleção é uma demonstração de confiança e apreço do governo federal com a nossa gestão e a nossa capital. É preciso fazer um agradecimento especial à presidenta Dilma, por meio da ministra Míriam Belchior (Planejamento) e sua equipe, com destaque ao secretário nacional do PAC, Maurício Muniz”, afirmou o governador do DF, Agnelo Queiroz.

Propostas – O GDF apresentou as propostas no ano passado com o objetivo de melhorar os serviços prestados pelo governo local e a qualidade de vida na cidade. Antes do anúncio, já estavam na carteira do governo federal 170 empreendimentos divididos em seis eixos – Transportes; Energia; Cidade Melhor; Comunidade Cidadã; Minha Casa, Minha Vida; Água e Luz para Todos.

De acordo com o último balanço do Ministério do Planejamento, de setembro de 2012, o total de investimentos do PAC, no DF, será de R$ 15,49 bilhões até o fim do próximo ano, chegando a R$ 17,51 bilhões pós-2014. Com as novas seleções, esse valor aumentará.

Conheça os empreendimentos selecionados:

 

 

Empreendimentos

 

Investimento (R$ milhões)*

 

Descrição

 
 

Vicente Pires

 

         419,2

 

Implantação de pavimentação nova, sistema de drenagem de águas pluviais, redes de água e esgoto e sistema de circulação acessível

 
 

Porto Rico

 

            58,3

 

Pavimentação e qualificação de expansão urbana titulada Setor Habitacional Ribeirão – situada na Região Administrativa Santa Maria (RA XIII) do Distrito Federal; a proposta inclui a execução de serviços de pavimentação asfáltica em CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado à Quente), drenagem superficial, ou seja, guias e sarjetas, rede coletora de águas pluviais, passeios acessíveis e sinalização viária

 
 

Buritizinho

 

            41,1

 

Pavimentação e qualificação da expansão urbana titulada ARIS Buritis, situada na Região Administrativa de Sobradinho II do Distrito Federal. A proposta inclui a execução de serviços de pavimentação asfáltica em CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado à Quente), drenagem superficial, ou seja, guias e sarjetas, rede coletora de águas pluviais, passeios acessíveis e sinalização viária

 
 

TOTAL

 

518,6

 

-

 
 

 

  SANEAMENTO

Empreendimentos

Investimento

(Milhões)

Sistema Produtor de Água Paranoá

418,6

Melhorias e ampliação do Sistema de Abastecimento de Água do SMPW e Aeroporto JK

11,8

Ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto de Sobradinho – DF

17,2

Ampliação da   capacidade de reservação instalada no sistema de abastecimento de água do Descoberto para atendimento às Regiões Administrativas Gama (RA-II), Santa Maria (RA-XIII), Recanto das Emas (RA-XV), Riacho Fundo (RA-XVII), Riacho Fundo II (RA -XXI)

15,9

Implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário dos Condomínios La Font, Mansões Entre Lagos e Novo Horizonte

11,7

Implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário do Setor de Mansões Dom Bosco

8,3

Implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário na Colônia Agrícola Bernardo Sayão

46,9

TOTAL

530,4

 

 

 

Busca de hegemonia ameaça a coligação de Agnelo

 

“A posição de Policarpo é de um bedel de escola, não a do presidente de um dos principais partidos da aliança.”

 

 Por Francisco Dutra, Jornal de Brasília – A gula faz parte dos sete pecados capitais. Vale também para a política e para a administração. Entre os partidos da base do governo Agnelo Queiroz, cresce o desconforto com o apetite voraz do PT por espaços dentro da máquina pública. A avaliação é do vice-governador e presidente regional do PMDB, Tadeu Filippelli (foto). Aos olhos do dirigente peemedebista, grupos petistas buscam a hegemonia dentro da máquina pública, com foco nas eleições de 2014. Na analise do vice-governador, hoje no exercício do governo, o Buriti também enfrenta o desafio de apaziguar as disputas internas em administrações regionais e secretarias.

O GDF inicia o ano com novo clima político?

O ano de 2011 foi muito duro. Em 2012, começamos a respirar um pouco mais. Neste ano tenho a convicção que é hora de colher algumas sementes plantadas. E a política precisa ter o mesmo rumo, a mesma maturidade, o mesmo cuidado, o mesmo esforço. Às vezes, porém, o que vejo é um certo descompasso nesse aspecto.

Que descompasso?

Desde as primeiras reuniões dos presidentes de partidos da aliança, eu sempre tenho feito questão de ressaltar: é preciso tomar cuidado e respeitar o conjunto da coligação. A busca da hegemonia, por qualquer uma das correntes do governo, seria extremamente prejudicial. Esse tipo de comportamento não é do governador Agnelo, não é do perfil dele, uma pessoa de aspecto humano fantástico, mas o partido o pressiona de certa forma.

O PT?

Vi uma página, no Jornal de Brasília, com manifestações do presidente do PT, Roberto Policarpo, e do secretário responsável pela relação do GDF com os partidos, Roberto Wagner. O secretário mostra um grande esforço de agregar forças, de ciscar para dentro, e esta é a essência da atual situação política do governo. Mas o presidente do PT parece não se dar conta do momento. Falou de disputas internas do governo, do “enquadramento” de quem não andar na linha. Mas vamos deixar claro: as principais disputas por espaço político dentro do governo têm sido feitas pelo PT. De forma nenhuma pelos demais partidos. A posição de Policarpo é muito mais de um bedel de escola, do que a do presidente de um dos principais partidos da aliança, o partido do governador.

Essa postura gera desconforto?

O PT foi o último partido a fazer parte da aliança. Ela foi construída na ausência do PT, em reuniões semanais, num trabalho árduo de mais de um ano. As reuniões foram sempre no escritório político do Roberto Wagner, com diversos partidos. O último partido a se agregar foi o PT. E ele foi importante, assim como todos os outros também foram. A presença do PT deu a liga final e o próprio posicionamento da chapa majoritária e das proporcionais para as eleições em 2010. Sempre é preciso o exercício de se relembrar tudo que foi construído desde o começo da aliança. Eu tenho certeza de que este é o pensamento do Agnelo. Tenho certeza que este é o pensamento de grande parte de líderes do PT que participaram dessa história mais de perto, sentiram e exercitaram toda essa construção política. Mas algumas pessoas do partido, talvez pressionadas pelas bases, são levadas a esquecer.

E a relação política com o Legislativo?

Essa relação deve ser exercida no limite da harmonia que seja benéfica para Executivo e Legislativo. Para isso é preciso de um pouquinho de paciência, ponderação e calma entre as partes. Me preocupam também algumas pessoas que gravitam em torno de determinados postos-chave do governo, tanto na Câmara ou no Executivo. E às vezes elas podem interferir na relação cuidadosa entre os Poderes.

As administrações regionais são palco de disputas políticas internas, qual é sua avaliação?

Nós entramos no terceiro ano de governo, estamos em ano pré-eleitoral. As administrações representam a terminação nervosa do governo. Representam a interface política do GDF com a sociedade. Não é dado mais tempo para aventuras ou para experiências. Precisamos consolidar, lapidar e aprimorar essas interfaces com a sociedade. Estamos passando pelo último momento para liberdades, modificações ou mudanças nestes postos. Se ocorrerem, precisam ser cuidadosas.

Como fica a questão das movimentações políticas internas com foco em 2014?

São legitimas dentro do limite do respeito. Todos os partidos deverão ter a mesma iniciativa e vão buscar sair fortalecidos para as eleições. Em caso contrário, não terão expressividade nas bancadas e não farão deputados distritais, federais e demais representantes. O PT está expressivamente representado. Agora na Câmara Federal e Legislativa existe espaço para todos. E é importante que este espaço seja equilibrado. Qualquer ação que representar uma busca de hegemonia na formação das nominatas para a disputa da próxima eleição será a gota d’água para impedir qualquer tentativa de construção de uma bela aliança.

Conjuntos de mecanização agrícola proporcionarão melhores condições de trabalho para ampliar a produção das lavouras do DF. Foto Ronaldo Silva

 

Produtores agrícolas das regiões de Brasília, Brazlândia, Paranoá, Sobradinho, Planaltina e São Sebastião contam com novas ferramentas de trabalho. O governador em exercício do Distrito Federal, Tadeu Filippelli, entregou, nesta quarta-feira (2), conjuntos de mecanização agrícola a nove entidades de produtores. Cada uma delas recebeu seis máquinas: trator de pneus, grade, arado, enxadas rotativas, espalhadeira de calcário e carreta agrícola. A iniciativa beneficia cerca de mil famílias de pequenos agricultores. Está prevista a entrega de outros sete conjuntos. O valor investido na compra dos 16 maquinários foi de R$ 1,8 milhão.

“Começamos o ano com o pé direito, com uma realização importante para quem vive o dia a dia no campo, para aqueles que abastecem as nossas mesas e movimentam a engrenagem da agricultura comercial no país”, destacou Tadeu Filippelli.

Convênio assinado pelo GDF, por meio da Secretaria de Agricultura, com nove entidades representativas de pequenos e médios produtores rurais permite o uso das patrulhas de mecanização agrícola por um ano. O acordo pode ser renovado por mais quatro anos, desde que as entidades continuem obedecendo às cláusulas de manutenção e conservação dos equipamentos, seguro, manuseio e execução do plano de trabalho traçado para fazer uso dos equipamentos.

Os conjuntos de mecanização agrícola foram adquiridos por meio de contrato de repasse de recursos firmado entre o GDF e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por intermédio da Caixa Econômica Federal. O contrato assinado hoje faz parte das ações do Plano Safra da Agricultura Familiar do Distrito Federal.

Para ter acesso aos incentivos financeiros previstos pelo plano, as associações e cooperativas de agricultores familiares se inscreveram, em outubro do ano passado, em edital. O resultado das entidades vencedoras foi publicado no final de novembro de 2012.

O presidente da Associação Agroecológica Palmas de Rodeador, Antônio Gomes Pereira, que assinou convênio hoje, destacou a importância do maquinário para o trabalho no campo. “É uma nova vida para a produção familiar. Máquinas como essas, dentro de uma comunidade rural carente, fazem toda a diferença, porque geram renda e mantêm as famílias no campo”, afirmou.

Parceria - O Plano Safra de Agricultura Familiar foi assinado no dia 26 de setembro de 2012 e beneficiará cerca de 4 mil produtores rurais do DF com créditos de aproximadamente R$ 60 milhões. Desse total, R$ 25 milhões são destinados ao custeio (despesas fixas dos agricultores), R$ 10 milhões, à aquisição de alimentos, e os R$ 25 milhões restantes serão aplicados em investimentos.

Os recursos poderão ser obtidos nos bancos do Brasil (BB) ou de Brasília (BRB). “É uma verdadeira revolução no campo que inclui milhões de trabalhadores rurais em todo o país. Isso tudo faz com que o agricultor produza mais e melhore a sua renda”, destacou Agnelo Queiroz à época da assinatura do convênio entre o GDF e o governo federal.

De acordo com o governador, a parceria garantirá desenvolvimento socioeconômico, promoção de boas práticas ambientais, valorização de sistemas de produção sustentáveis e ampliação das oportunidades de negócios nos mercados internos e externos do setor. “Estamos realizando uma política sintonizada com o governo federal, ampliando crédito, dando condições de assistência técnica para a agricultura familiar e criando oportunidades para que eles vendam seus produtos”, enfatizou o governador.

 

Governador Agnelo Queiroz sancionou hoje a medida. Ela regulariza a ocupação de imóveis por associações ou entidades sem fins lucrativos e exige a promoção de atividades sociais Foto: Roberto Barroso

 

Por Evelin Campos, da Agência Brasília – A partir de agora, os clubes do DF serão legalizados. A Lei dos Clubes, sancionada nesta quarta-feira (21) pelo governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, regulariza a situação de imóveis ocupados por associações ou entidades sem fins lucrativos que desenvolvem atividades desportivas, culturais, recreativas e de lazer e convivência social.

Acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli, o governador destacou a função social dos clubes, que deverão oferecer, gratuitamente, atividades que beneficiem a população. “Sabemos da importância desses espaços, que promovem saúde e qualidade de vida, formam atletas e criam condições para a convivência social”, afirmou. “Eles oferecem equipamentos espetaculares, que estarão disponíveis para trabalhos de inclusão social”, completou.

De acordo com a lei, as associações poderão concorrer aos espaços por meio de licitação. Terão preferência aquelas que tenham se instalado legalmente há pelo menos dez anos consecutivos. O prazo da concessão será de 30 anos, prorrogáveis por igual período. “Estamos cumprindo mais um compromisso de campanha, em uma ação corajosa do governo pela regularização fundiária no DF”, ressaltou Tadeu Filippelli.

Os clubes que vencerem a concorrência terão que organizar atividades sociais, que incluem amparo a crianças, adolescentes e idosos carentes, integração de jovens e adultos ao mercado de trabalho, habilitação e reabilitação de pessoas com necessidades especiais e promoção de práticas desportivas, culturais e recreativas. Estiveram presentes na cerimônia o administrador de Brasília, Messias de Souza, e os deputados distritais Rôney Nemer e Olair Francisco, além de secretários de Estado e dirigentes de clubes.

Funcionamento – Segundo o secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela, os projetos sociais e o público beneficiado ainda serão definidos. “Todo esse levantamento ainda será elaborado, mas o fato é que os clubes iniciarão o ano em uma nova condição de legalidade, tranquilidade e segurança para trabalhar”, comemorou.

A legislação também impedirá a especulação imobiliária em áreas que abrigam clubes na orla do Lago Paranoá. As unidades serão vistoriadas pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), e haverá cobrança de taxa de ocupação. O valor será definido conforme avaliação do terreno, tipo de atividade e alcance das políticas públicas de assistência social.

Investimentos – No Distrito Federal existem mais de 50 clubes, segundo o presidente do Sindicato de Clubes e Entidades de Classe Promotoras de Lazer e de Esportes do Distrito Federal (SinLazer), Claudionor Pedro dos Santos. Desse total, pelo menos 18 estão em situação irregular, o que põe em risco o atendimento a uma média de 80 mil associados.

“Temos informações de contratos vencidos há 15 anos. Com a nova lei, os dirigentes terão o benefício da posse da área e poderão investir em melhorias na estrutura dos clubes, além de contribuir com atividades para a população”, afirmou o presidente do SinLazer.

Segundo Agnelo Queiroz, a legislação também permitirá que os clubes firmem parcerias e convênios. “As estruturas poderão abrigar caixas eletrônicos, por exemplo. Isso vai aumentar arrecadação dos locais”, explicou.