Posts Tagged ‘BRB’

BRB_FOTO_HMENON_OLIVEIRA

Está sendo trocado neste momento o presidente do BRB, o banco do governo do Distrito Federal.

Uma reunião do conselho de administração que acontece agora na sede do banco está tirando Paulo Roberto Evangelista Lima do cargo e nomeando o vice Alair Vargas, que ficará no cargo somente até o final de dezembro.

Em janeiro, o novo governador do DF, Rodrigo Rollemberg, nomeará outro executivo para o posto.

É natural que haja um estranhamento geral na decisão. Por que tirar um presidente a dois meses do final do seu mandato? (Por Lauro Lardim)

logo-brb

Interessados em ofertar leite e manteiga para compor o lanche dos funcionários devem procurar a Secretaria de Agricultura

Agricultores familiares do Distrito Federal fornecerão leite e manteiga para compor o lanche dos funcionários e prestadores de serviço do Banco de Brasília (BRB). A aquisição dos alimentos faz parte do Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa-DF). Os agricultores interessados em participar da tomada de preços devem procurar a Secretaria de Agricultura (Seagri).

Para participar, eles devem atender aos requisitos do Edital Nº 010/2014, lançado pela Seagri. O prazo para a entrega da documentação na sede da secretaria se encerra nesta quarta-feira (8).

logo-brb

Durante os meses de setembro e outubro, os clientes contarão com taxas promocionais e prazo para pagamento ampliado

Em comemoração ao aniversário do BRB, neste mês de setembro, e o mês do servidor público, em outubro, o BRB preparou condições especiais para a contratação do produto crédito consignado, denominado BRBServ. As taxas estão em condições especiais, a partir de 0,85% a.m e o prazo para pagamento foi ampliado para até 90 meses, respeitadas as condições de cada convênio.

O diretor de Empréstimos e Financiamentos do BRB, Vanderley Batista, lembra que essa linha de crédito possui as melhores condições do mercado e que se destina basicamente aos servidores do GDF e seu conglomerado, além dos servidores públicos do Poder Executivo Federal (todos os ministérios, órgãos públicos federais, autarquias como INSS, Ibama, CGU, Conab, Funasa, Incra, CNPq, Agências Reguladoras, Anac, Anvisa, entre outros).

“O produto está disponível em todos os pontos de atendimento do BRB e, neste período, também por meio de um serviço itinerante, em alguns órgãos públicos, nas vans do BRB Conveniência. A liberação do crédito é feita de maneira rápida e desburocratizada e o valor é liberado imediatamente”, explicou o diretor.

Vale destacar que o crédito possui livre destinação e que para contratá-lo é necessário que o cliente possua conta-corrente no Banco de Brasília e apresente um comprovante de renda (contracheque).

Abaixo, as taxas promocionais operadas até o mês de outubro:

Prazo

Taxa % a.m

CET % a.a

01 a 03 meses

0,85

10,69

04 a 12 meses

1,40

20,98

13 a 36 meses

1,59

25,19

37 a 60 meses

1,99

26,68

61 a 90 meses

2,09

28,17

Foto Glaucya Braga

Foto Glaucya Braga

Servidores destacaram o empenho do governador em atender reivindicações das categorias

Metroviários e bancários do Distrito Federal se uniram na manhã deste domingo (28), em Taguatinga, para declarar total apoio à reeleição do candidato pela coligação Respeito Por Brasília, Agnelo Queiroz. Ambas as categorias agradeceram o empenho do governo em cumprir com os compromissos firmados nesta gestão e defenderam a continuidade dos projetos iniciados. O atual governador garantiu que uma de suas prioridades nos próximos quatro anos é fortalecer ainda mais as empresas públicas da capital.

“Estamos num momento importante das eleições. Estou muito otimista, sobretudo com a ajuda de vocês. Temos que dar continuidade a esse projeto que está em curso nessas instituições. Já realizamos em todos os setores mais do que em qualquer governo. Não tinham políticas públicas elaboradas antes e tivemos que colocar a casa em dia primeiro, elaborar as políticas e executá-las. Por isso precisamos de mais tempo para fazer mais e melhor”, afirmou Agnelo Queiroz.

O candidato à reeleição também destacou a consolidação do BRB como banco de fomento da região. “Nossa primeira atitude assim que assumi como governador foi manter o banco como instituição pública. Depois de três anos e meio, ele demonstrou eficiência e competência e isso foi refletido nos indicadores econômicos. Agora firmo o compromisso de fortalecer ainda mais essa instituição”.

Agnelo informou ainda que começa, neste ano, as obras de expansão de 6 km do Metrô.  E, até 2018, garantiu que vai levar o meio de transporte até o final da Asa Norte.  Além disso, em relação aos metroviários, reforçou que o atual governo fortaleceu a carreira, realizou concurso público, dentre outras ações: “Nos próximos quatro anos vamos ampliar as linhas até o final da Asa Norte para integrar o BRT Norte, que vai ligar Planaltina e Sobradinho ao Plano Piloto”.

O diretor jurídico do Sindicato dos Metroviários, Júlio César Lima de Oliveira, afirmou que a categoria só tem a agradecer ao governador. “Tivemos ganhos que nunca tivemos antes em apenas três anos e meio. E  eu não falo apenas das melhorias conquistadas como servidor, como também no âmbito social. Sou da primeira turma do ProUni e hoje sou advogado e meu imóvel consegui pelo programa Minha Casa, Minha Vida”, confidenciou.

O vice-presidente do BRB, Alair Martins Vargas, disse que a instituição será sempre grata a Agnelo: “O banco estava para ser privatizado pelo governo anterior e nosso candidato valorizou os funcionários e investiu. Vamos reconduzir ele ao governo para que ele continue com esse projeto. Vamos para o segundo turno e vamos ganhar”.

ONDA VERMELHA – Antes do encontro em Taguatinga, Agnelo Queiroz esteve no Guará, onde discursou para a militância e cumprimentou moradores. Na oportunidade, Maria Inês Santos, 62 anos, foi privilegiada com a visita do governador. Ela disse que as ações têm que continuar. “Sou da área da saúde e meus filhos da educação. Ele foi e sempre será o meu governador”, ressaltou.

Frejat brb2

Candidato a governador, Jofran Frejat reafirma proposta de Arruda e desmente boatos de privatização do banco estatal

Substituto de José Roberto Arruda na cabeça de chapa ao Governo do Distrito Federal, Jofran Frejat aproveitou duas reuniões na noite desta quarta-feira, 17, para reafirmar uma das principais propostas de seu antecessor e para debelar rumores espalhados pelos adversários.

O primeiro assunto diz respeito à Agência de Fiscalização do DF (Agefis). Criada no primeiro governo Arruda, ela centralizou toda a área de autorizações, licenças e fiscalização do GDF. Na atual gestão, porém, foi entregue a grupos políticos e transformou-se no maior tormento dos pequenos e médios empresários da cidade.

“Ser governador é muito difícil, mas ser empresário em Brasília também é uma árdua tarefa”, ponderou Frejat, em reunião com apoiadores e empresários de Águas Claras, promovida pela deputada Liliane Roriz, candidata à reeleição. “Será que tem algum empresário satisfeito com o trabalho da Agefis?”, questionou. “O setor produtivo está em baixa porque não pode expandir, não se consegue liberação de alvará de construção nem de funcionamento, a não ser na base do troca-troca com parlamentar”, indignou-se o candidato.

Assim, ele deixou claro que cumprirá a proposta feita por Arruda, de extinguir a Agefis no primeiro dia de governo e descentralizar a fiscalização. O modelo voltará ao que era antes, com poder delegado às administrações regionais.

Depois da reunião de Liliane Roriz, Frejat seguiu para outro encontro, desta vez com funcionários do Banco Regional de Brasília (BRB). Nos últimos dias, adversários vinham espalhando que Arruda planejava privatizá-lo, embora o candidato jamais tenha dito isto.

“Queremos o BRB público, como sempre foi. Mas queremos ele transformado num banco de fomento, voltado para financiar investimentos produtivos, administrando o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO)”, esclareceu. “Era a mesma posição do Arruda.”

“Frejat é uma caixinha de surpresa”, dizia Liliane Roriz, na primeira reunião da noite. “A gente fica feliz em ir descobrindo tantas coisas boas de um ser humano como este. O Frejat já fez tanta coisa que me parece que ele esteve em vários lugares ao mesmo tempo, sem dúvidas é um grande nome”, reforçou.

“Eu tive o privilégio de ser escolhido por esse time de craques, que é José Roberto Arruda, Joaquim Roriz, Gim Argello, Alberto Fraga. Esse é o time A da política do DF. Todos aqui têm trabalho pra mostrar. O time de lá ou são aprendizes ou são políticos engravatados de gabinete”, agradeceu.

Para endossar a “digital de Arruda na campanha”, Frejat tem apresentado Flávia Arruda, sua vice, como uma pessoa estratégica no futuro governo. “Quando Arruda disse: ‘Flávia, esta é a sua missão, está na hora’, ele não poderia ter feito escolha melhor.” Flávia Arruda é reconhecida pelo trabalho social desenvolvido na gestão do marido.

Reuniao com Entidades BRB - Carlos Alberto (1)

Em encontro com representantes de entidades da instituição financeira, candidato à reeleição destaca crescimento do número de agências e financiamento de produtores

Dar continuidade ao processo de fortalecimento do BRB foi o compromisso firmado pelo candidato à reeleição, Agnelo Queiroz, nesta quarta-feira (17), em reunião com entidades representativas da instituição financeira. Na ocasião, os representantes do banco entregaram ao atual governador um documento intitulado “Repensando Estrategicamente o BRB” como forma de auxiliar as ações que serão tomadas na próxima gestão.

“Nosso maior objetivo é firmar o banco como o mais forte do Centro-Oeste. Esse documento é uma contribuição valiosa. Os dados do banco nessa gestão são muito positivos, cresceu em todas as áreas. Abrimos novas agências, é o maior financiador na área rural do DF, entre outros avanços. Por isso temos que dar continuidade”, afirmou Agnelo.

O coordenador geral do Seminário REpensando Estrategicamente o BRB e secretário de Bancos Públicos da Fetec-CUT/CN, André Matias Nepomuceno, ressaltou que o atual governo manteve o banco como instituição pública e o tirou da ameaça de privatização como em outras gestões. “Reconheço que é positivo o fato da manutenção do BRB enquanto banco público. Percebemos também que houve nos últimos anos fatos que devem ser melhorados, como a descontinuidade na gestão, por várias trocas de presidentes em curto espaço de tempo, bem como a imperiosa necessidade de prover efetiva melhora e modernização da tecnologia da informática do banco. Por isso, numa atitude propositiva, produzimos o documento, e esperamos que seja aceito e usado como orientador de melhoria pelo novo governo eleito e a nova diretoria do banco em 2015”.

 A necessidade de uma gestão continuada e o aprimoramento da tecnologia foram os principais pontos levantados por Nepomuceno durante o encontro. “A interrupção de um trabalho em andamento nunca é um fator favorável para o desenvolvimento de uma instituição. E a modernização do sistema gera benefícios para o banco e para a população como um todo”, concluiu o conselheiro

O documento entregue ao governador é resultado de seminário realizado pela instituição em agosto. Na época, funcionários do banco, convidados e palestrantes debateram temas como BRB e o Sistema Financeiro Nacional, o Papel do BRB no Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal e do Centro-Oeste, BRB e a Tecnologia da Informação e O futuro do BRB: uma visão dos funcionários e aposentados.

 brb

Novo serviço do banco beneficiará público e funcionários do parque

O BRB inicia, neste mês de setembro, uma ação de atendimento (de quinta a domingo, das 11h às 17h) no Zoológico de Brasília, com suas unidades móveis (vans), para proporcionar mais comodidade e agilidade ao público e aos funcionários do local. Diversos serviços estão à disposição dos clientes e usuários em geral, tais como: pagamento de contas, boletos, títulos de outros bancos, saques de até mil reais e depósitos.

“O BRB inova mais uma vez em relação a novas formas de atendimento e abordagem aos seus clientes. A ideia é manter um gerente de negócios em dias de pagamento, facilitando a vida dos nossos clientes e usuários”, destacou gerente de Contratos e Negócios da instituição, André Paiva.

A secretária Vanessa Carvalho, funcionária do zoológico, gostou bastante do novo serviço. “É bom porque é uma facilidade a mais que temos. Antes, tínhamos que ir ao Parkshopping ou até na Candangolândia ou Núcleo Bandeirante para sacar dinheiro. Espero muito que continue esse serviço”.

Outra funcionária que também aprovou a ação do BRB foi a Cleonice Cunha, que trabalha na área de educação e lazer do espaço. “Achei maravilhoso. O BRB é bom em todos os lugares, facilita a nossa vida. Agora já dá para fazer pagamento aos sábados sem precisar enfrentar filas. Antes era muito complicado”, contou.

logo-brb

O direito foi concedido para os próximos cinco anos, a partir de janeiro de 2015

Na semana passada, o BRB, dentre outros 14 bancos, participou de leilão para a compra de lotes dos serviços de pagamentos dos benefícios do INSS. O direito foi concedido para os próximos cinco anos, a partir de janeiro de 2015.

O BRB adquiriu os lotes referentes ao Distrito Federal e parte do entorno e, ainda, os lotes das regiões centrais de Goiânia e de Anápolis. Assim, a partir de 2015, o Banco fica habilitado a receber qualquer dos benefícios geridos pelo INSS. De acordo com o Diretor de Produtos, Serviços e Novos Negócios do BRB, Ailton Batista, “a compra de lotes da folha de pagamento do INSS pelo Banco representa um marco para o BRB. Essa conquista nos coloca em pé de igualdade com outros bancos, que já possuíam lotes e nos dará uma maior visibilidade no mercado”, afirmou.

Dessa forma, os beneficiários que recebem seus benefícios em outros bancos poderão, a partir do ano que vem, optar por recebê-los no BRB. Serão mais de 2,9 mil novos benefícios mensais, além dos 34 mil existentes na base de clientes do Banco de Brasília. Com isso, os aposentados e os beneficiários em geral, caso optem pela abertura de conta-corrente, contarão com todas as vantagens que o BRB oferece aos seus clientes, dentre elas, o crédito consignado.

O Diretor de Empréstimos e Financiamentos do BRB, Vanderley Barbosa, explica, ainda, que o BRB é um dos bancos consignatários junto ao INSS para realização de operações de crédito consigando, desde 2012, porém é limitado à condição de que o cliente seja correntista, o que restringe a atuação da Instituição. “Doravante a possibilidade de ampliação desta base, certamente conquistaremos novos negócios e disputaremos essa importante fatia do mercado, até porque, seguramente – as pesquisas nos apontam esse dado -, nossas taxas são bastante competitivas”, concluiu o diretor.

Parceria entre o INSS e os bancos

O INSS, em parceria com os bancos, via Febraban, está desenvolvendo uma nova forma de liberação de empréstimos aos beneficiários, denominada ECO – Empréstimo Consignado Online. A nova ferramenta reduzirá o prazo para formalização dos empréstimos, hoje estimado de cinco a oito dias. Com a implantação do projeto, o cliente terá o dinheiro em mãos em cerca de uma hora.

BRB_FOTO_HMENON_OLIVEIRA

Entre as mudanças estão a troca de máquinas de autoatendimento e melhorias no banknet

Por Alline Martins – O Banco de Brasília (BRB) está passando por uma virada tecnológica que promete agilizar os serviços para os atuais 680 mil clientes e tornar a instituição mais competitiva. Segundo a diretoria, são quatro grandes projetos que vêm sendo implementados desde o final do ano passado, um investimento de cerca de R$ 200 milhões.

“A gente já está começando a ver as mudanças. Neste mês tivemos uma estabilidade do sistema de 98,9%, sem quedas. Nos últimos três meses, nos dias de pagamento, quando o movimento é mais intenso, não tivemos ocorrência de problemas, tivemos boa estabilidade”, comemorou o vice-presidente da instituição, Humberto Coelho, em entrevista à Agência Brasília.

Entre as mudanças, estão a migração para plataforma IBM, utilizada pelos 100 maiores bancos do Brasil, e a concentração de dados em uma base única. “Com essa plataforma, é mais fácil encontrar profissionais no mercado”, frisou Coelho.

Os investimentos diretamente visíveis aos clientes englobam a troca das máquinas de autoatendimento e um multicanal, que é um sistema integrado de relacionamento, tornando o sistema banknet (pela internet), mais ágil e seguro, inclusive, em redes móveis, como smartphones e tablets.

“Hoje, usamos máquinas de autoatendimento geração 3 e vamos passar a ter a 7. Com isso, por exemplo, depósitos passarão a ser on-line e o dinheiro que é depositado será redistribuído automaticamente aos outros caixas eletrônicos. Isso é economia para o banco e comodidade para o cliente, porque o dinheiro não irá demorar a cair na conta”, detalhou o vice-presidente do BRB. Ele informa que o edital para a compra das máquinas deve sair até o final deste mês.

PESSOAL- Para dar conta de tantas transformações tecnológicas, o BRB também está investindo em pessoal e, segundo Humberto Coelho, o banco contratará 30 analistas em TI, aprovados no último concurso público.

“Essas pessoas já vêm com expertise do mercado e ainda passarão por treinamento no banco. Elas poderão atuar, também, no datacenter, na Cidade Digital, em breve”, disse. Com essas contratações, o BRB começa a substituir funcionários de TI que são terceirizados.

NÚMEROS- Todas essas transformações tecnológicas fizeram com que os indicadores de rentabilidade do BRB do 1º semestre de 2014 apresentassem redução, com relação ao mesmo período do ano passado.

“O aumento na expansão física e o aumento de investimentos em TI consumiram mais recursos do BRB e, ao consumir mais recursos, tivemos queda de rentabilidade. No 1º semestre de 2013, tínhamos R$ 113 milhões e agora, R$ 83 milhões”, explicou o vice-presidente de Finanças, Crédito, Pessoas e RI do BRB, Sérgio Nazaré. Desde o ano passado, foram inauguradas oito novas agências, totalizando 119.

Os dados fazem parte dos resultados do 1º semestre de 2014, divulgados pelo BRB na última semana. Outros números também soam positivo para a instituição, com destaque para o crédito imobiliário e agronegócios. “O crédito imobiliário é a carteira que mais cresce no BRB, com média de 40% de crescimento nos últimos cinco semestres”, comentou Sérgio Nazaré. Com relação ao agronegócio, ele destaca que fechou o semestre em R$ 376 milhões de crédito.

“Este é o esforço do BRB em diversificar sua carteira de crédito, aproveitando-se de oportunidades de mercado e reduzindo a dependência em relação à carteira do GDF”, observou Sérgio.

Outro dado importante, citado pelo vice-presidente de Finanças do BRB, é o índice de Basileia, cujo objetivo é fazer com que bancos tenham capital suficiente para aguentar riscos de perda inerentes à atividade bancária.

“No ano passado fechamos com 12,69% e agora, em 13,24%. Com a publicação de uma nova circular do Banco Central, em 20 de agosto, calculamos que nosso índice de Basileia deve beirar os 16% até o fim do ano. Com isso, já autorizamos a nossa rede a trabalhar novas concessões de crédito, com prazos de até 90 meses, tanto para pessoa física quanto para jurídica. Assim, vamos disponibilizar mais um bilhão em crédito daqui para o final do ano”, disse Sérgio Nazaré.

INSS- Outra novidade no banco este ano foi ter ganho, em leilão, o direito de processar os benefícios do INSS no DF pelos próximos cinco anos, a contar de janeiro de 2015. “Com isso teremos mais 3 mil clientes por mês, o que dá um total de 180 mil novos clientes nos próximos cinco anos”, concluiu o diretor de Finanças da instituição. (Agência Brasília)

logo-brb

Nova modalidade de conta já está disponível e pode ser feita em qualquer agência do banco

Adolescentes entre 12 e 17 anos contam, agora, com um novo serviço oferecido pelo BRB: o Poupança Jovem. O produto, lançado nesta semana pelo banco, inclui cartão personalizado na função débito e a possibilidade de integrar a Poupança Programada.

“Esse produto surgiu com o objetivo de auxiliar os jovens a iniciarem uma vida financeira. Queremos instruí-los sobre como poupar e a importância desse passo para o alcance dos objetivos”, afirmou o superintendente de Produtos e Novos Negócios do BRB, Antônio Cardozo de Oliveira.

Com essa modalidade de conta, os pais podem, por exemplo, pagar a mesada a seus filhos por meio de transferências automáticas, utilizando-se da Poupança Programada. Por esse serviço, é possível escolher o dia do mês e o valor a ser transferido mensalmente.

O dinheiro disponível na Poupança Jovem tem remuneração mensal de TR + juros. Além disso, por meio do cartão, os jovens podem realizar compras na função débito, tanto no Brasil, quanto no exterior. Podem, ainda, consultar saldos e realizar saques nos caixas eletrônicos, nos terminais de autoatendimento do BRB, nas lojas de conveniência e na rede compartilhada (BRB/Banco do Brasil).

A ABERTURA DA CONTA – Embora a movimentação seja de responsabilidade do jovem, a conta somente pode ser aberta com autorização do responsável. Além disso, exige um valor mínimo de depósito de R$ 50.

O jovem deve comparecer a um dos pontos de atendimento do BRB, acompanhado do responsável, e apresentar a seguinte documentação: carteira de identidade ou certidão de nascimento, e o CPF. O responsável também deverá apresentar carteira de identidade, CPF e comprovante de residência.

 brb

A Connect é voltada para o público jovem e com renda de até R$ 3 mil

Pessoas com idade entre 18 e 35 anos, sem renda ou com ganhos de até R$ 3 mil, têm agora uma nova opção de conta no BRB, a Connect. Ela substitui a Conta Universitária, porém, abrange um público ainda maior, pois envolve, além dos clientes estudantes, os empregados de empresas públicas e privadas e, especialmente, os jovens empreendedores.

“Desenvolvemos um produto pensando no jovem de Brasília, para atender todas as necessidades e expectativas deste público-alvo. O Cartão BRB MasterCard Connect entra no mercado com a Conta Connect, que apresenta taxas diferenciadas, limite de crédito sem a comprovação de renda obrigatória e com um clube de benefícios exclusivo”, declarou Romes Ribeiro, diretor-presidente da Cartão BRB.

O Combo Connect oferece, ainda, vantagens e serviços que contemplam limite de cheque especial, kits de serviços diferenciados, além do Cartão BRB Mastercard Connect, nas funções débito e crédito.

Todos os pontos de atendimento do BRB já oferecem esta nova modalidade. Os clientes interessados devem comparecer a uma das agências do banco e apresentar documento oficial de identificação, com foto, comprovante de residência, CPF e comprovante de renda, se houver.

 

logo-brb

Montante atingiu R$ 310 milhões, crescimento de mais de 76% em relação ao ano passado

Na 7ª edição da Feira Agropecuária de Brasília (AgroBrasília), o Banco de Brasília (BRB) superou o montante de negócios em relação aos anos anteriores. Na comparação com o ano passado, a instituição teve crescimento acima de 76%.

Em 2012, foram prospectados R$ 116 milhões; em 2013, o número subiu para R$ 176 milhões; e, neste ano, para R$ 310 milhões. A maioria das operações destinou-se à aquisição de máquinas, equipamentos e implementos agrícolas, por meio do recurso BNDES/PSI. Destaque, também, para linhas voltadas à agricultura familiar, em que foi avaliado um potencial no valor aproximado de R$ 10 milhões.

O presidente do BRB, Paulo Evangelista, considerou positiva a participação do banco na feira, que aconteceu de 13 a 17 deste mês. Ele contou que foram entregues 607 propostas no estande da instituição, e, destas, 256 foram de produtores que ainda não são clientes do banco.

“O resultado alcançado foi além do esperado. Esse crescimento nos consolida como grande agente de fomento do crédito rural da região, além de um banco público, indutor do desenvolvimento sustentável. Posso afirmar, ainda, que parte dessa conquista se deve ao nosso atendimento de excelência”.

Celestino Ivo foi um dos visitantes da AgroBrasília. Ele disse que se mudou para Brasília em 1977, ano em que se tornou produtor rural e cliente do banco. “Tenho o apoio do BRB desde o início. Hoje, possuo 500 hectares para plantio e pretendo adquirir um pulverizador e uma plantadeira para colher, o mais rápido possível, a safrinha (2ª safra)”, concluiu o produtor.

Nesta edição da AgroBrasília, o BRB esteve presente em dois ambientes: um estande específico para a agricultura familiar e um outro destinado à agricultura empresarial. Nesses locais, os produtores rurais puderam protocolar propostas de financiamento e obter informações sobre as principais linhas de crédito.

A 7ª edição da feira contou com a participação de 30 países e mostrou o que há de mais moderno em tecnologias para a agricultura empresarial e familiar, além dos lançamentos de máquinas e implementos agrícolas.

 logo_artigos

Por Eunice Santos

Até hoje os teóricos formuladores das políticas macroeconômicas mundiais ainda não chegaram a um consenso sobre qual caminho trilhar para a condução das economias nacionais, se o da ortodoxia liberal – equilíbrio entre a produção e o consumo e política monetária austera, pautando esse equilíbrio – ou o do desenvolvimentismo, que foca na busca permanente do estado de bem-estar social – o welfare state keynesiano – que se traduz pela satisfação plena das necessidades da cidadania, pela prosperidade geral, ainda que com o sacrifício de algumas teses monetaristas, com a convivência com índices mais ousados no processo inflacionário.

Isto se mostrou perverso em meados do século passado, quando se deu o crack econômico de 1929, a grande crise mundial provocada pelo expansionismo descontrolado da economia americana, cujos efeitos se espalharam em todo o mundo. No começo deste século, novamente, uma crise na economia americana com reflexos catastróficos mundiais, inclusive para o Brasil, provocada por aquela que se denominou de bolha imobiliária americana – o crédito hipotecário desenfreado para o financiamento residencial, cujo resultado imediato traduziu-se pela escassez de poupança versus excesso de consumo.

No Brasil, guardadas as devidas proporções, vimos no primeiro período do Governo Lula o início de uma oferta sem precedentes de crédito para financiar o consumo da população, capitaneado pelo que se chamou de crédito consignado. Isso, aliado ao Programa Fome Zero (Bolsa Família), aos Planos de Aceleração do Crescimento (PAC I e II) e a outras formas de indução artificial do desenvolvimento econômico e social, gerou em todos (e não sem razão) a suspeita quanto à existência de uma bolha cabocla na economia brasileira, pois a poupança interna caiu significativamente, o endividamento da população atingiu níveis nunca antes imagináveis e o Produto Interno Brasileiro (PIB) parou de crescer, sinalizando mesmo para uma recessão.

A sociedade brasiliense não ficou à margem dessas políticas, que num primeiro momento são bem-vindas pela população (contam-se em milhares os que tiveram acesso ao crédito pela primeira vez, ao longo de toda uma existência), mas logo se percebendo que a coisa se assemelhava a um canto da sereia. A inadimplência se tornou alarmante e, hoje, são muitos os que estão recorrendo às renegociações de suas dívidas para novamente – quem sabe? – assinar uma proposta de empréstimo consignado ou de crédito seja lá de que modalidade for aquisição de bens de consumo, até mesmo de natureza alimentar.

Como é a classe média a que mais recorre a esse processo em virtude do anseio de suas famílias para a mudança de patamar econômico, para progressão na escala social, e como o pessoal de magistério constitui um dos maiores segmentos da classe média, dada a renda familiar ampliada com a existência de, pelo menos, duas fontes de renda em razão da concentração de mulheres no magistério público, constata-se que são esses profissionais os que agora estão mais angustiados e preocupados com as perspectivas que se oferecem em suas trajetórias de vida.

E o curioso é que são justamente os professores, aliados aos médicos, policiais e outros grandes contingentes profissionais integrantes do Quadro de Pessoal do Governo do Distrito Federal, os que mais possuem créditos em precatórios judiciais, decorrentes, principalmente, de demandas trabalhistas não honradas pelo governo distrital, não obstante este atualmente destine 1,5% de sua receita líquida para o pagamento de precatórios demandados por seus funcionários.

Seria o caso do dito popular, parodiado: devo, não nego; pagarei quando receber! Não se concebe que pessoas detentoras de significativos montantes de créditos fiquem à mercê de políticas de créditos populares quando poderiam, se recebido o que lhes é devido, estar realizando investimentos sólidos na economia ou até mesmo fortalecendo a poupança interna com suas aplicações.

E para isso poder-se-ia pensar em um equacionamento bastante simples: uma lei estabelecendo uma engenharia financeira envolvendo o Governo do Distrito Federal, como devedor de precatórios judiciais, os servidores distritais destinatários dos créditos deprecados, e, por outro lado, devedores do Sistema Financeiro Nacional em razão dos empréstimos consignados que contraíram e estão com dificuldades para a devida liquidação.

Nessa engenharia, o BRB, enquanto agente financeiro oficial do Governo do Distrito Federal, criaria um câmara especial de compensação à qual seriam levados os precatórios e os contratos de empréstimos celebrados pelos servidores com as instituições bancárias interessadas na operação, fazendo-se, então, a necessária conciliação dos créditos de lado a lado para a consequente resolução das obrigações contratadas.

É nosso propósito aprofundar o estudo desse tão importante tema para os nossos cidadãos e, com a certeza de sua viabilidade jurídica, financeira e operacional, levá-lo sob a forma de proposta de uma cidadão brasiliense para que o ponham em discussão e, com a benção de Deus, o transformem norma destinada a equacionar um problema que hoje perturba o dia a dia dos nossos profissionais do Governo do Distrito Federal, em especial da educação.

(*) Educadora e Gestora Pública, foi Secretária de Educação e, recentemente, Subsecretária na Secretaria de Fazenda do Distrito Federal.

A 1ª Turma Cível do TJDFT negou recursos do ex-presidente do BRB, Tarcísio Franklin de Moura, do ex-diretor do banco, Ari Alves Moreira, e da empresa BDO Directa Consultores SC LTDA, mantendo as condenações da 2ª Vara da Fazenda Pública. Eles foram condenados por improbidade administrativa, devido à contratação direta com dispensa indevida de quatro licitações. A Turma reconheceu a prescrição quanto a Wellington Carlos Silva e absolveu Paulo Menicucci, pois não integrava os quadros do BRB quando da celebração de três contratos.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios denunciou atos de improbidade administrativa praticados por seis ex-diretores no âmbito do Banco Regional de Brasília – BRB, que beneficiaram a empresa BDO-Directa Consultores SC Ltda. Alegou que os réus, na qualidade de integrantes da Diretoria do BRB, efetuaram contratação com dispensa de licitação, sem o preenchimento dos devidos requisitos legais.

Do apurado nos autos, a suposta situação de urgência foi provocada, resultado de providências não realizadas oportunamente para cumprimento de determinação do BACEN quanto a alterações no sistema financeiro.

Os dois ex-funcionários do BRB foram condenados à perda das funções públicas que eventualmente estejam a exercer; à suspensão de seus direitos políticos por cinco anos; ao pagamento de multa civil correspondente a 40 vezes o valor da última remuneração recebida por cada qual, quando ainda em exercício na Diretoria Colegiada do BRB e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual sejam sócios majoritários pelo prazo de três anos.

A empresa BDO Directa Consultores SC LTDA foi condenada às sanções do art. 12, inciso II, da Lei Nº 8429/92, ficando proibida de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual sejam sócios majoritários, pelo prazo de 5 (cinco) anos, além da condenação de todos os réus às custas processuais.

Frequentes, os contratempos ainda não foram esclarecidos e há uma perda indelével para a imagem do banco público do Distrito Federal.

As constantes falhas no sistema do BRB voltaram a causar graves problemas aos clientes e aos trabalhadores do banco, como consequência da má gestão no setor da Informática da instituição financeira.

Inertes, a direção do banco e a gestão da Tecnologia não têm cumprido com os acordos estabelecidos com o Sindicato e os trabalhadores. No último dia 16 de dezembro, os diretores do Sindicato se reuniram com representantes do banco para discutir as reivindicações dos bancários para solucionar os problemas na Tecnologia. Na ocasião, o banco garantiu ao Sindicato que as falhas não aconteceriam na mesma proporção, o que não ocorre.

1389356180

Em virtude desta nova crise da Informática do BRB, o Sindicato volta a cobrar da direção do BRB um posicionamento mais eficaz em relação às constantes quedas no sistema. Ao diretor de pessoal do banco, a entidade exige postura firme em defesa dos funcionários, prezando pela integridade física e mental, considerando o descontentamento dos usuários, além do pagamento de horas extras.

Problema antigo, o sucateamento da Tecnologia do BRB remete às gestões anteriores do BRB que tinham interesse na privatização do banco. O Sindicato exige que o GDF faça uma intervenção para solucionar de uma vez por todas estes transtornos na Informática do BRB, na medida em que os funcionários e os clientes são os que mais sofrem com esse grave problema.

Fonte: Blog do Sombra // Sindicato dos Bancários de Brasília

Benefício do BRB ofertará até R$ 5 mil de crédito para manutenção negócios na capital

Microempresários de todo o Distrito Federal poderão obter crédito especial, a partir desta quarta-feira (4), junto ao Banco Regional de Brasília (BRB), com juros menores que o praticado no mercado. O benefício é fruto de uma parceria da instituição financeira com o GDF e facilitará o acesso de empreendedores individuais ao microcrédito.

“Esse é um gesto importante e de grande significado para os nossos empreendedores individuais, porque o microcrédito é feito para os pequenos, os que normalmente não tem oportunidade. Particularmente, sou apaixonado pelo microcrédito. Tendo aceitação grande, queremos expandir a quantidade de crédito disponibilizado”, anunciou o governador Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli.

De acordo com o presidente do BRB, Paulo Evangelista, serão disponibilizados R$ 13 milhões que deverão atender a 5,2 mil pequenos empresários, verba que servirá para a manutenção de estoques, aquisição de materiais e melhorias de instalações físicas dos negócios.

“O BRB tem investido cada vez mais em cidadania e em poucos dias teremos 5,2 mil transformações de famílias no DF. Em 10 anos nossa intenção é transformar a vida de 30 mil microempresários”, ressaltou Evangelista.

Durante a solenidade, seis pessoas assinaram o recebimento do microcrédito ofertado pelo BRB. Dona de um pequeno salão de beleza em Brazlândia, Sônia Magalhães, 30 anos, foi uma das que pegou o financiamento, que será utilizado para a compra de cosméticos.

“Tenho meu estabelecimento há 4 anos e somente agora tive essa oportunidade. Todo o procedimento é bem simples, facilitado e, no meu caso, peguei apenas R$ 1 mil dos R$ 5 mil que é oferecido. Isso ajuda muito no desenvolvimento do comércio”, disse a microempreendedora.

A mesma opinião é compartilhada pelo empreendedor individual Marcelo Gomes, 28 anos, dono de uma borracharia também em Brazlândia: “Essa é uma atitude muito boa do governo, principalmente pela taxa de juros ser baixa. Desse jeito, assim que terminar de pagar esse, quero pegar outro microcrédito para expandir”, destacou Gomes.

O microcrédito oferecido pelo GDF é um empréstimo de baixo valor destinado à manutenção de pequenos negócios em todo o Distrito Federal que muitas vezes não têm acesso aos programas de crédito tradicionais.

Nessa modalidade, o capital de giro disponibilizado pelo BRB tem taxa de 1,5% ao mês e o microempresário tem até 24 meses para o pagamento do valor financiado. No caso de pessoa física o valor máximo disponibilizado é R$ 2 mil e para pessoa jurídica o teto chega a R$ 5 mil. (Fábio Magalhães, da Agência Brasília)

filhas

MP denunciou ex-governador e familiares por improbidade administrativa. Advogado de Roriz disse que não foi notificado e desconhece denúncia.

O Tribunal de Justiça informou nesta quinta-feira (28) que recebeu denúncia de improbidade administrativa do Ministério Publico contra o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PRTB), três filhas dele, a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN), a deputada distrital Liliane Roriz (PRTB), e Weslliane Roriz, além do neto Rodrigo Domingos Roriz.

De acordo com o MP, em 2004 o então governador Joaquim Roriz interferiu na realização de um empréstimo irregular do Banco BRB a pedido da empresa WRJ Engenharia de Solos e Materiais. O dinheiro foi usado para construir o Edifício Monet, em Águas Claras, segundo a denúncia.

O G1 não conseguiu entrar em contato com a WRJ ou com a Coss Construção. A reportagem procurou o BRB para comentar o assunto, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem.

O advogado da família Roriz, Eládio Carneiro, afirmou que não foi notificado oficialmente e que não tem conhecimento da ação. “O estranho é que o Roriz saiu do governo em abril de 2006 e só no final de 2013 é que entra com uma ação dessa, na véspera do período eleitoral, quando ele lidera as pesquisas de opinião”, disse.

Em troca, o ex-governador e seus familiares teriam recebido 12 apartamentos do prédio, negociados de forma fictícia pela empresa Coss Construção. Os sócios das duas companhias, Roberto Cortopassi Júnior e Renato Salles Cortopassi, também foram denunciados junto com o ex-presidente do BRB, Tarcísio Franklin de Moura, e dois diretores do banco, Geraldo Rui e Antônio Cardoso de Oliveira.

Caso sejam condenados, os denunciados podem ter de devolver o dinheiro aos cofres públicos, perder os direitos políticos ou pagar uma multa. O processo foi recebido pelo juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública do DF. (Do G1 DF)

Inauguração de posto do Detran e agência do BRB iniciam trabalhos para desenvolvimento local. Foto: Roberto Castro/GDF

Inauguração de posto do Detran e agência do BRB iniciam trabalhos para desenvolvimento local. Foto: Roberto Castro/GDF

A inauguração da agência do BRB e do posto de Licenciamento de Veículos do Detran-DF, realizados hoje (29), no Shopping Popular, marca o início do projeto de fortalecimento planejado pelo governo para o local, que ganha perspectiva de desenvolvimento com a chegada desses dois novos serviços.

“Um local sem fluxo de pessoas não tem como sobreviver. Por isso, estamos trazendo esses dois órgãos públicos para gerar emprego e renda e dar vida ao Shopping Popular, trazendo mais frequentadores para movimentar a economia local”, afirmou o governador Agnelo Queiroz, que participou da cerimônia de inauguração.

Essa reestruturação do shopping é pensada desde o início do governo, de acordo com o vice-governador Tadeu Filippelli, que ressaltou seu entusiasmo com a inauguração desses espaços. Segundo ele, esse é apenas o primeiro passo para o desenvolvimento desse grande empreendimento popular, que planeja inaugurar o Na Hora em breve.

Projeto que a presidente da Associação dos Lojistas do Shopping Popular, Edilene Fernandes, afirmou que irá fazer valer os cinco anos de espera. “Vimos neste governo a esperança por dias melhores. Isso é um sonho e tenho a certeza que virão mais melhorias para o local, que será, em breve, uma referência de comércio em Brasília.”

Foi a esperança por dias melhores que motivou a feirante de 64 anos, Rosa Fontineli, comerciante e costureira de roupas infantis. “Tivemos paciência e estamos vencendo. Primeiro o governo nos tirou das ruas e nos trouxe para essa boa estrutura e agora está dando condições para sobrevivermos trazendo mais compradores”, ressaltou.

A gratidão dos feirantes emocionou o diretor-geral do Detran-DF, Albano de Oliveira Lima, que destacou a importância de trazer um posto do órgão para o local. “Não trouxemos um posto e sim a solução para um grande problema. Na sexta-feira, primeiro dia de funcionamento, atendemos 600 pessoas e pretendemos aumentar ainda mais esse número e trazer muitos frequentadores para cá.”

Objetivo semelhante ao do presidente do BRB, Paulo Evangelista. De acordo com ele, os dois órgãos não estão inaugurando apenas unidades e sim criando a oportunidade da criação de 4 mil empregos diretos com o funcionamento dos 1.334 quiosques. “Essa agência bancária será a grande alavanca do microcrédito no DF”, afirmou.

DETRAN - O novo posto de licenciamento, com uma área de 90 metros quadrados, possui oito guichês, que têm como meta realizar aproximadamente mil atendimentos diários. O custo total da obra foi de R$36 mil e o objetivo do órgão é iniciar ainda este ano a construção de uma unidade completa no Shopping Popular, com área de 619 metros quadrados.

BRB - Com a inauguração dessa nova agência, o órgão completa seu 113° ponto de atendimento. Essa é uma antiga reivindicação dos feirantes, que acreditam que além de atrair a população próxima, como a do Cruzeiro, a unidade contribuirá também para atrair novos clientes. (Kelly Ikuma, da Agência Brasília)

Recursos obtidos com o “Progiro 13º Salário” podem ser pagos em até 13 meses

Empresas que necessitam de capital extra para quitar o 13º pagamento a funcionários contam, a partir de agora, com a linha de crédito “Progiro 13º Salário”, do BRB, serviço criado para facilitar a gestão das despesas de final de ano e estimular a economia local.

“Dessa forma, as empresas podem ajustar o fluxo de caixa para essa despesa sazonal ou, ainda, antecipar o pagamento desse benefício salarial. O produto também possibilita que os recursos próprios sejam usados em investimentos para alavancar os negócios”, explicou o superintendente de Financiamentos e Empréstimos do BRB, Marcello Furlanetto.

Com o “Progiro 13º Salário”, empresas que possuem a folha de pagamento no BRB terão taxas de juros diferenciadas. Além disso, os débitos das parcelas podem ser feitos em conta corrente.

Este ano, o banco mudou alguns parâmetros para a contratação do produto, referentes às condições de pagamento, que beneficiarão ainda mais as empresas. Com as novas regras, o valor máximo do produto é de R$ 500 mil ou o valor da folha, se este for menor. A linha pode ser contratada apenas na agência na qual o cliente possui conta e o cadastro da empresa deve estar atualizado.

Confira o calendário de adesão ao “Progiro 13º Salário”:

Contratadas até 31/10/13 – têm prazo máximo para pagamento de até 13 meses

Contratadas até 31/11/13 – têm prazo máximo para pagamento de até 12 meses

Contratadas até 20/12/13 – têm prazo máximo para pagamento de até 11 meses

Contratadas até 31/01/14 – têm prazo máximo para pagamento de até 10 meses

Para todas essas condições, aplica-se dois meses de carência, incluídos nos respectivos prazos. Durante o período de carência os juros serão debitados em conta.

Desafios foram lembrados na solenidade. Foto: Silvio Abdon/CLDF

Desafios foram lembrados na solenidade. Foto: Silvio Abdon/CLDF

Os desafios do BRB para os próximos anos, como a abertura de novas agências na região metropolitana do DF e a expansão do crédito para as pessoas de baixa renda, foram discutidos em sessão solene da Câmara Legislativa nesta terça-feira (17), no plenário. A solenidade, proposta pelo deputado Joe Valle (PSB), comemorou os 47 anos de criação do Banco de Brasília (BRB). A homenagem atraiu diretores, gerentes e funcionários do banco.

“O BRB tem uma bancada de 24 parlamentares na Câmara Legislativa, pois é o banco do povo de Brasília, é a mola propulsora da qualidade de vida na cidade. Por isso precisamos sempre discutir qual é o papel de um banco público, qual é o significado do lucro”, enfatizou Valle, ao lembrar que o sucesso do BRB é resultado do esforço dos servidores em garantir qualidade no atendimento à clientela.

O vice-presidente da Casa, deputado Agaciel Maia (PTC), também parabenizou o corpo funcional do BRB, lembrando a luta encampada por eles para afastar a ameaça de venda da instituição, ocorrida no passado. “Por pouco o banco, que é patrimônio da nossa cidade, não foi privatizado”, comentou. Acrescentou ainda que atualmente o BRB “dá lucro e segue um rumo totalmente diferente”. O distrital sugeriu que o BRB crie alternativas para o financiamento de imóveis nos condomínios em processo de regularização, “o que traria benefícios para todos”.

O deputado Olair Francisco (PTdoB) também elogiou a contribuição do BRB para o desenvolvimento da economia do DF. Criticou os que tentaram privatizar o banco, lembrando que “vender dinheiro não pode dar prejuízo”. Ele aproveitou para elogiar a função social da insituição e destacou a importância da expansão do BRB Conveniência, para facilitar os serviços utilizados pelos clientes, como o pagamento de contas bancárias.

Expansão - As parcerias criadas nos últimos anos entre a área de turismo do GDF e o BRB foram ressaltadas como “proveitosas para a cidade” pelo secretário de Turismo do DF, Luís Otávio Neves. Já o presidente da Codeplan, Júlio Miragaya, destacou que a tendência do banco é investir ainda mais na região metropolitana do DF, com a criação de novas agências, a fim de ampliar a interação entre a economia do DF e a das cidades vizinhas.

Ao agradecer a homenagem, o presidente do BRB, Paulo Roberto Evangelista, defendeu a busca por maior competitividade por parte da instituição. Explicou que o banco já conta com 600 mil clientes e com 102 agências. “Os nossos bons resultados são fruto, principalmente, da dedicação dos nossos funcionários”, elogiou, ao anunciar a ampliação nos próximos meses da rede de atendimento e da oferta de crédito, inclusive para a agricultura familiar. “O crédito rural é hoje um dos nossos melhores negócios”, afirmou. (Zildenor Ferreira Dourado – Coordenadoria de Comunicação Social)

Evento voltado à poupança previdenciária será o primeiro de uma série que deverá ser realizado em todo o Centro-Oeste

O Banco Regional de Brasília (BRB) realizará, amanhã (18), em Goiânia, o 1º Workshop sobre Poupança Previdenciária e Desenvolvimento Econômico, evento que marca a nova atuação da instituição financeira junto às outras unidades da federação.

“Esta iniciativa surgiu da percepção do banco de que os recursos da previdência dos municípios e do estado poderiam ser utilizados para gerar emprego e renda nos próprios municípios”, explicou o diretor presidente da Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários (DTVM) do BRB, Éverton Correia.

No workshop, serão apresentadas estratégias para geração de emprego e renda pelos fundos de investimentos criados para viabilizar determinados projetos econômico-sociais.

Segundo Correia, “é de extrema importância que os representantes dos regimes de previdência participem deste seminário, pois, lá, poderão identificar oportunidades de investimento com retorno acima da média e com risco mitigado”.

A expectativa do BRB é que esta ação seja estendida a todos os estados da região Centro-Oeste, com o foco, principalmente, nas áreas que já contam com a atuação do banco.

O evento ocorrerá na Agência Goiânia, na Avenida Goiás, nº 840, esquina com a Rua 5, das 14 às 18h.

Deputado Joe Valle

Deputado Joe Valle

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) realiza na terça-feira (17), sessão solene para celebrar o 47º aniversário do Banco de Brasília (BRB), às 10h, no plenário da Casa. A iniciativa é do deputado Joe Valle (PSB). Segundo o deputado, o BRB tem contribuído de forma significativa com o desenvolvimento sustentável e econômico do DF.

Ciente do papel de tornar-se um banco indutor do desenvolvimento sustentável, a instituição tem promovido ações voltadas para a sustentabilidade. Para isso, o banco se filiou ao Instituto Ethos, organização que tem como objetivo: mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente responsável.

Seguindo a linha sustentável, o banco, há dois anos, promove campanha para coleta de resíduos eletroeletrônicos. Todo o material recolhido é repassado à ONG Programando o Futuro, que reutiliza o material arrecadado e ensina jovens a realizarem este trabalho. De acordo com a assessoria de imprensa, o objetivo do banco é promover a educação ambiental, por meio de parcerias com organizações atuantes nas questões da sustentabilidade, e obter o envolvimento de todos os colaboradores e da comunidade nessa iniciativa.

No que diz respeito aos lucros, o BRB tem mantido bons resultados. No 1º semestre deste ano, o banco apresentou lucro líquido de R$ 115 milhões. Esse número representa o maior lucro no 1º semestre de toda a história da instituição. E dando continuidade ao seu programa de expansão, este ano o BRB inaugurou cinco novas agências: Vila Buritis, Águas Lindas, Jardim Botânico, 504 Norte e Santo Antônio do Descoberto, totalizando 69 agências e 42 postos de atendimento.

Auxílios transporte, alimentação, por frequência e produtividade serão pagos de forma conjunta. Foto Gabriel Azevedo

Auxílios transporte, alimentação, por frequência e produtividade serão pagos de forma conjunta. Foto Gabriel Azevedo

 

Aproximadamente 700 cartões bancários “Benefício BRB” foram entregues, hoje (29), à primeira turma de alunos do programa de capacitação profissional “Fábrica Social”, que oferece aos participantes profissionalização e auxílio que pode chegar a R$ 2 mil.

Com o cartão, os inscritos receberão conjuntamente os auxílios transporte, alimentação no valor R$ 304 e os relativos à frequência e à produção individual.

“Entrar nesse projeto é abrir uma porta para mudar de vida. O governo está ajudando quem mais precisa a progredir com essa profissionalização e esse auxílio em dinheiro”, contou Eva Lúcia Barbosa de Brito, 42 anos, que nunca trabalhou por não ter tido oportunidade para se profissionalizar.

As oficinas de capacitação, que começaram dia 29 de julho, ocorrem de segunda a sexta-feira, e cada aula dura seis horas.

Entre os cursos oferecidos estão bordado industrial; serigrafia; corte, costura e confecção de uniformes; corte e costura de laminados; confecção de bolas e redes esportivas; operação e manuseio de máquinas e equipamentos industriais.

Cada pessoa tem um ciclo de capacitação que dura 24 meses. Após esse período, os beneficiados são orientados a atuar fora do projeto, trabalhar em outras empresas ou abrir seu próprio negócio com ajuda do programa de microcrédito do GDF, o “Prospera”.

As pessoas beneficiadas estão inscritas no programa Bolsa Família- DF Sem Miséria, que é um dos requisitos básicos para participar do “Fábrica Social”.

Das vagas, 5% são destinadas a idosos, e o mesmo quantitativo, para pessoas com deficiência e para adolescentes em conflito com a lei.

Da primeira turma, aproximadamente 54% dos participantes são moradores da Estrutural, que apresenta um quadro de 60% de vulnerabilidade social.

“Nosso esforço é para diminuir a desigualdade social e combater a pobreza. Por isso instalamos essa fábrica nas Estrutural. Esse programa é para quem mais precisa. Quem já ganha o Bolsa Família vai ter agora a renda duplicada ou triplicada”, destacou o governador Agnelo Queiroz.

INSCRIÇÕES ABERTAS – O segundo cadastro para participar do programa estará aberto até o dia 22 de setembro. Os interessados devem estar inscritos no “Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal” (CadÚnico) e residir no DF.

Além disso, é necessário ter renda familiar per capta de até R$ 140; estar com o cadastro atualizado no Centro de Referência de Assistência Social (Cras); e possuir pelo menos 16 anos de idade.

A inscrição pode ser efetuadas pelo telefone 156, opção 8. (Por Ailane Silva, da Agência Brasília)

Patrimônio chega a quase R$ 1 bilhão com anúncio do segundo maior lucro da história no primeiro semestre de 2013

Patrimônio chega a quase R$ 1 bilhão com anúncio do segundo maior lucro da história no primeiro semestre de 2013

Os resultados do Banco de Brasília no primeiro semestre de 2013 foram divulgados hoje e o patrimônio líquido atingiu a marca de quase R$ 1 bilhão, com o anúncio do lucro de R$ 113 milhões, o segundo maior da história.

“Desde o início do atual o governo, o banco tem dado saltos de eficiência e está acima da média de mercado. Buscamos ampliar carteira de crédito e administrar de uma forma que tenhamos menos custo e mais receita”, informou o vice-presidente de finanças do BRB, Francisco Duda.

O maior lucro registrado, segundo o vice-presidente, foi no primeiro semestre de 2012, quando a marca chegou a R$ 115 milhões.

Com as marcas, a rentabilidade da instituição sobre o patrimônio líquido atingiu 24,28% ao ano e no 2º trimestre deste ano de 22,5% ao ano, o que mantem a regularidade desde 2012 e a classifica como uma das melhores taxas de retorno dos bancos de varejo do país.

CRÉDITOS - As carteiras de créditos também apresentaram um crescimento significativo de 25,87%, com destaque para o crédito rural, cujas operações cresceram 35%.“O resultado mostra a atuação firme no segmento que é muito importante para o DF”, complementou Francisco Duda.

No balanço do banco todas as outras modalidades de crédito apresentaram crescimento acima de 20%, exceto Setor Público Estadual – Indústria, e mantiveram os índices de provisionamento e inadimplência dentro dos padrões do Sistema Financeiro Nacional, do Banco Central.

As receitas e despesas de intermediações financeiras cresceram 3,39% no período e totalizaram R$ 916 milhões. Essas operações são aquelas em que o banco pega recursos da poupança de um cliente para fazer um empréstimo a outro, o que rende juros para a instituição.

Outro índice importante presente no relatório é o Índice de Basileia, que funciona como um termômetro para o Banco Central, e o do BRB foi de 14,51% e supera em mais de três pontos percentuais o mínimo exigido, que é de 11%.

“Esse número indica se o banco está bem financeiramente e o BRB está bem acima do exigido. Tudo isso é resultado da atual estrutura de governança que está empenhada em ter as melhores práticas, baseadas no princípio de transparência, o que para os investidores é muito importante, pois passa segurança”, complementou o vice-presidente.

“O banco tem um planejamento para crescer em Brasília, abrindo novas agências e pontos de atendimento em outras áreas do DF e em um segundo momento ir para a região na Centro-Oeste”, ressaltou Francisco Duda.

O BRB tem 605 mil clientes, 97% de pessoas físicas e o diferencial, segundo o vice-presidente, são as taxas competitivas e o atendimento ágil.

“A população de Brasília é diferenciada. Tem a maior renda per capita do país o que é importante para um banco, porque existe demanda para consumir produtos. Além disso, a cidade tem o maior IDH do Brasil, as pessoas são exigentes, saber ser seletivo e escolher as melhores oportunidades”, reforçou.

AGÊNCIAS - No 1º semestre de 2013, o banco deu continuidade ao seu programa de expansão e inaugurou cinco novas agências: Vila Buritis, Águas Lindas, Jardim Botânico, 504 Norte e Santo Antônio do Descoberto, totalizando 69 agências e 42 postos de atendimento. (Por Isabel Freitas, da Agência Brasília)

Patrimônio chega a quase R$ 1 bilhão com anúncio do segundo maior lucro da história no primeiro semestre de 2013

Os resultados do Banco de Brasília no primeiro semestre de 2013 foram divulgados hoje e o patrimônio líquido atingiu a marca de quase R$ 1 bilhão, com o anúncio do lucro de R$ 113 milhões, o segundo maior da história.

“Desde o início do atual o governo, o banco tem dado saltos de eficiência e está acima da média de mercado. Buscamos ampliar carteira de crédito e administrar de uma forma que tenhamos menos custo e mais receita”, informou o vice-presidente de finanças do BRB, Francisco Duda.

O maior lucro registrado, segundo o vice-presidente, foi no primeiro semestre de 2012, quando a marca chegou a R$ 115 milhões.

Com as marcas, a rentabilidade da instituição sobre o patrimônio líquido atingiu 24,28% ao ano e no 2º trimestre deste ano de 22,5% ao ano, o que mantem a regularidade desde 2012 e a classifica como uma das melhores taxas de retorno dos bancos de varejo do país.

CRÉDITOS - As carteiras de créditos também apresentaram um crescimento significativo de 25,87%, com destaque para o crédito rural, cujas operações cresceram 35%.“O resultado mostra a atuação firme no segmento que é muito importante para o DF”, complementou Francisco Duda.

No balanço do banco todas as outras modalidades de crédito apresentaram crescimento acima de 20%, exceto Setor Público Estadual – Indústria, e mantiveram os índices de provisionamento e inadimplência dentro dos padrões do Sistema Financeiro Nacional, do Banco Central.

As receitas e despesas de intermediações financeiras cresceram 3,39% no período e totalizaram R$ 916 milhões. Essas operações são aquelas em que o banco pega recursos da poupança de um cliente para fazer um empréstimo a outro, o que rende juros para a instituição.

Outro índice importante presente no relatório é o Índice de Basileia, que funciona como um termômetro para o Banco Central, e o do BRB foi de 14,51% e supera em mais de três pontos percentuais o mínimo exigido, que é de 11%.

“Esse número indica se o banco está bem financeiramente e o BRB está bem acima do exigido. Tudo isso é resultado da atual estrutura de governança que está empenhada em ter as melhores práticas, baseadas no princípio de transparência, o que para os investidores é muito importante, pois passa segurança”, complementou o vice-presidente.

“O banco tem um planejamento para crescer em Brasília, abrindo novas agências e pontos de atendimento em outras áreas do DF e em um segundo momento ir para a região na Centro-Oeste”, ressaltou Francisco Duda.

O BRB tem 605 mil clientes, 97% de pessoas físicas e o diferencial, segundo o vice-presidente, são as taxas competitivas e o atendimento ágil.

“A população de Brasília é diferenciada. Tem a maior renda per capita do país o que é importante para um banco, porque existe demanda para consumir produtos. Além disso, a cidade tem o maior IDH do Brasil, as pessoas são exigentes, saber ser seletivo e escolher as melhores oportunidades”, reforçou.

AGÊNCIAS - No 1º semestre de 2013, o banco deu continuidade ao seu programa de expansão e inaugurou cinco novas agências: Vila Buritis, Águas Lindas, Jardim Botânico, 504 Norte e Santo Antônio do Descoberto, totalizando 69 agências e 42 postos de atendimento. (Por Isabel Freitas, da Agência Brasília)

O Banco de Brasília e a Abrasel assinaram convênio com o objetivo de estreitar o relacionamento, ampliando e consolidando a força empreendedora e contribuindo para o desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno.

A parceria prevê taxas e condições diferenciadas aos donos de bares e restaurantes, sindicalizados, em linhas de crédito como: antecipação de recebíveis de cartão, crédito rotativo para antecipação de recebíveis de cartão, capital de giro destinado aos micro e pequenos empresários, credenciamento e afiliação de maquinetas de cartão.

Além disso, a parceria tem o propósito de disponibilizar aos associados da Abrasel-DF adequadas condições financeiras e atendimento personalizado.

Medidas adotadas desde o início de 2011 fizeram entidade ampliar rede, aplicar em novos negócios e alcançar lucros nunca registrados

As políticas de gestão adotadas pelo Banco de Brasília (BRB), nos últimos dois anos e meio, tornaram a entidade mais competitiva no mercado financeiro e atrativa para grandes investidores, segundo avaliação feita hoje pelo presidente da instituição financeira, Paulo Roberto Evangelista.

“A decisão do governo foi na direção do crescimento e, por isso, o BRB tem investido pesado para expandir no mercado brasileiro, principalmente, ser o banco mais forte do Centro-Oeste”, destacou Evangelista.

De acordo com ele, o BRB deu um salto em 2013 -dados do 1º trimestre -com o aumento da carteira de crédito em 111,93%, ao alcançar a cifra de R$6,640 bilhões, o dobro registrados em 2010, quando se marcou R$3,133 bilhões.

Outro destaque foi o aumento acentuado do lucro líquido da entidade – que em 2012 foi o maior da história, com R$215,39 milhões, frente aos R$96,04 milhões de 2011.

“E no primeiro trimestre de 2013, nós já alcançamos um lucro de R$59 milhões, ou seja, 34,9% superior ao mesmo período de 2012″, afirmou o presidente da instituição.

Quanto à ampliação da rede física, o BRB abriu 10 novas agências, entre 2011 até julho de 2013, aumento de 102 para 112 unidades.

A expansão ocorre também com os correspondentes bancários, que, em dois anos e meio, saltaram de 96 para 250, crescimento de 160%.

Com isso, são 362 pontos de atendimento (112 agências e 250 correspondentes) no DF e nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Esse foi um dos fatores que elevou a quantidade de clientes de 497 mil para 574 mil.

“Vamos inaugurar, no próximo mês, mais uma agência no Novo Gama (GO) e, em breve, a do Shopping Popular. Nossa meta é, até 2014, abrir mais dez agências”, observou Evangelista.

NOVOS NEGÓCIOS – O BRB lançou este mês uma parceria com a Global Payments para oferecimento da máquina de captura de pagamentos por meio de cartões de crédito e débito.

A proposta, segundo o banco, é ter um equipamento “ágil, confiável e que tenha uma plataforma segura” e, ainda, com preços “competitivos”.

Com as máquinas, que começaram a ser comercializadas nas empresas do DF este mês, a pretensão do banco é de atuar no Centro-Oeste com o fornecimento dos equipamentos, captura e processamento de pagamentos e liquidação de compras.

“Nós estamos crescendo bastante e superando as metas para esse investimento, instalando o dobro de máquinas da quantidade esperada diariamente”, detalhou Evangelista, ao afirmar que as taxas oferecidas são competitivas em relação às outras empresas que atuam no segmento há mais tempo.

O banco também firmou uma parceria para que os BRBs Conveniência ofereçam serviços da Secretaria de Fazenda, como emissão de certidões e retirada de segunda via de documentos.

COMPETITIVIDADE – Os avanços registrados colocaram o BRB como 36º em patrimônio líquido no ranking das 50 maiores instituições do ramo no Brasil, segundo pesquisa da Revista Exame, edição de julho; em depósito em poupança, a instituição é a 11º entre as 100 maiores da América Latina. (Ailane Silva, da Agência Brasília)

Confira abaixo os principais destaques do BRB:

  RESULTADOS CONSOLIDADOS

       Segmento DEZEMBRO DE 2010

1º TRIMESTRE DE 2013

      Carteira de crédito R$ 3,133 bilhões R$ 6,640 bilhões
      Patrimônio líquido R$ 707 milhões R$ 1 bilhão
     Transações por   correspondentes R$ 1,540 milhões R$ 2,650 milhões
      Número de agências 102 112
   Número de correspondentes    bancários 96 250
     Quantidade de clientes 497 mil 574 mil
    Quantidade de gerentes 202 468

 

Pesquisa publicada na edição especial da Revista Exame, deste mês, aponta o BRB na 36ª colocação no ranking das 50 maiores instituições financeiras do Brasil, no critério maior patrimônio líquido. Desde 2011, o Banco avançou quatro posições.

Dentre os estatais – múltiplos e comerciais – o BRB ocupa, ainda, a 6ª posição. No quesito volume de depósitos em poupança, o Banco de Brasília classifica-se em 11° lugar.

Estas colocações são resultado de um trabalho contínuo da Instituição, pautado no crescimento, na qualidade do atendimento e na satisfação dos clientes.

Unidade foi inaugurada hoje e terá 10 funcionários para atender a população. Foto: Roberto Castro/GDF

Unidade foi inaugurada hoje e terá 10 funcionários para atender a população. Foto: Roberto Castro/GDF

A primeira agência bancária de Sobradinho II – instalada pioneiramente pelo Banco de Brasília (BRB), na Avenida Central da cidade – foi inaugurada hoje e oferecerá todos os serviços disponíveis para pessoas físicas e jurídicas, que terão acesso a microcrédito orientado, empréstimo e consórcio, entre outros benefícios.

“O nosso banco público se instalando em Sobradinho demonstra o crescimento dessa instituição, que aumentará o desenvolvimento da região com serviços de crédito e oferta de investimento para a cidade”, destacou o governador Agnelo Queiroz, durante a solenidade nesta manhã.

De acordo com o presidente do BRB, Paulo Evangelista, a instalação reforça o compromisso da instituição com o desenvolvimento social e econômico.

“O BRB é o banco de Brasília e tem que estar em todos os pontos e Sobradinho II, que tem todas as condições de receber um banco”, disse Evangelista.

ATENDIMENTO - Na estrutura foram instalados três caixas eletrônicos, dois balcões de atendimento e três gerências: geral, para pessoas físicas e jurídicas. Ao todo, foram investidos R$680 mil e trabalharão 10 funcionários.

“A expectativa é que tenhamos de 2 mil a 3 mil correntistas, já que na cidade temos 600 estabelecimentos comercias e cerca de 10 mil pessoas residindo na região administrativa e condomínios”, contabilizou o gerente geral da nova agência, Fernando de Oliveira.

EXPANSÃO - Neste ano, o BRB abriu mais cinco agências em Santo Antônio do Descoberto (GO), Águas Lindas (GO), Vila Buritis (Planaltina-DF), Jardim Botânico e na 504 norte, no Plano Piloto.

Com isso, o número de agências aumentou em 10% do fim de 2010 até julho deste ano e conta agora com 112 unidades.

A expectativa é, até agosto deste ano, inaugurar mais uma agência em Novo Gama e expandir a do Shopping Popular, e abrir mais dez até o fim de 2014.

De acordo com o presidente do BRB, a ampliação da rede física ocorre também com os correspondentes bancários, que aumentaram em dois anos e meio de 96 para 250, crescimento de 160%.

“O resultado dessa expansão foi o aumento de clientes, que passaram de 497 mil para 574 mil; a carteira de crédito dobrou de R$3,133 bilhões para R$6,640 bilhões, o que significa mais recursos para que as pessoas apliquem na cidade e aumentem investimentos”, destacou Evangelista.

Segundo ele, em 2012, o BRB atingiu o maior lucro de sua história, que alcançou a cifra de R$250 milhões, e o patrimônio líquido chegou a quase R$1 milhão, aproximadamente R$300 mil a mais do que em dezembro de 2010.

Com isso, o banco se firmou como 36º em patrimônio líquido no ranking entre as 50 maiores instituições do ramo no Brasil, segundo pesquisa da Revista Exame, edição de julho, e, em depósito em poupança, é o 11º e figura entre os 100 maiores da América Latina. (Ailane Silva, da Agência Brasília)

Serviço

Agência Bancária do BRB em Sobradinho II

Endereço: Avenida Central, Conjunto 6, Lote 14.

Mais informações: (61) 3322-1515

Clientes agora também conseguem adquirir cartões e seguros nos correspondentes bancários

O Banco de Brasília (BRB) anunciou nesta quarta-feira que serviços até então restritos às agências, como oferta de cartões e seguros, também estarão disponíveis, a partir de agora, nos correspondentes bancários, chamados de BRB Conveniência.

“Esses parceiros atendem em áreas mais carentes, onde não há banco. O BRB coloca agora mais produtos nas conveniências e com isso as pessoas deixam de se deslocar para ir até uma agência”, destacou o governador Agnelo Queiroz, durante encontro dos correspondentes bancários do BRB, onde a novidade foi anunciada.

“Agora as conveniências oferecem mais serviços, ainda mais perto da população. Temos que desenvolver as comunidades, esse é o papel de um banco público e os correspondentes são parceiros de primeira para fazer isso acontecer” ressaltou o presidente do BRB, Paulo Evangelista.

Atualmente, a instituição financeira conta com 250 conveniências em todo o Distrito Federal e em cidades do Entorno, além de ter cinco unidades móveis e a recém-inaugurada agência drive- thru, modelo inédito no país.

Os números mostram crescimento expressivo da rede, já que esse formato de correspondentes bancários do BRB foi criado há 12 anos, mas até 2010 eram apenas 95 lojas em todo o DF.

REAJUSTES- Outra novidade anunciada no encontro foi o aumento do valor pago pelo banco aos correspondentes, que passará dos atuais R$83 ao dia, por unidade, para R$83, ao dia, por cada caixa aberto na conveniência.

Com o aumento dos lucros, os correspondentes vão aumentar os salários dos mais de 800 funcionários das 250 conveniências do BRB espalhadas pelo DF. O piso salarial, que em média é de R$800, subirá para R$1 mil reais, e todos os trabalhadores terão plano de saúde.

“Já está acordado e passa a valer na próxima folha de pagamento”, garantiu o presidente da Associação dos Correspondentes do Banco de Brasília (Ascoseban), Eder Pereira da Silva.

Também estavam presentes no encontro dos correspondentes bancários do BRB, o vice governador do DF, Tadeu Filipelli, o presidente da Câmara Legislativa, deputado Wasny de Roure (PT) e o secretário de Assuntos Estratégicos, Newton Lins.

O encontro acontece abordará, entre outros temas, o desenvolvimento socioeconômico das regiões

Os painéis de apresentação do evento tratarão de temas relacionados à transporte e infra-estrutura nas estradas, segurança, relação entre os Poderes Judiciário e Legislativo, além de atribuições e atuação do Poder Legislativo.

Para o presidente do BRB, Paulo Evangelista, que participará do evento e comporá mesa na discussão sobre o desenvolvimento socioeconômico, “a expectativa é que o BRB possa continuar cada vez mais fortalecido e cumprindo sua missão de ser indutor do desenvolvimento, sempre oferecendo soluções financeiras inovadoras e práticas”.

A abertura do evento ocorreu ontem, às 19h, e terá continuidade hoje, a partir das 9h. Entre os presentes, estarão, ainda, o presidente da Câmara Legislativa, Wasny de Roure; o presidente da Comissão de Assuntos Sociais e presidente da Frente Parlamentar da RIDE, Celina Leão; o governador Agnelo Queiroz; o governador Marconi Perillo; além de prefeitos da RIDE, parlamentares e outras autoridades do governo do Distrito Federal.

O foco do trabalho realizado, hoje, pelo Banco de Brasília está diretamente ligado à RIDE. Preocupado em estar próximo de seus clientes e em oferecer um atendimento diferenciado e de qualidade, o BRB tem buscado a expansão de sua rede de atendimento, bem como investir no processo de bancarização das regiões.