Archive for the ‘Sem Categoria’ Category

 

O Blog do Callado estará de volta em breve com notícias e análises críticas sobre a política local e nacional. Com 10 anos de existência, o blog volta às atividades depois de seis meses de recesso. Aguardem…

O Blog deseje um feliz ano novo aos leitores e anuncia uma breve pausa nos trabalhos, devido a reformulações. Que 2015 seja melhor do que o ano que se encerra e que Deus nos proteja sempre. 

A aprovação exigiu intensas negociações

Na última sessão do ano, os deputados distritais aprovaram a abertura de crédito suplementar ao Orçamento do Distrito Federal no valor de R$ 36,5 milhões. Os recursos, que foram aprovados na noite desta quinta (18) após intensas negociações, serão utilizados para o pagamento dos contratos de prestação de serviços de empresas terceirizadas do governo, em atraso há vários meses.

O projeto de lei nº 2.075/2014, do Executivo, que suplementa o Orçamento, chegou à Câmara hoje à noite e foi apreciado depois de um acordo entre os líderes partidários. O texto passou com o voto favorável de 15 parlamentares, e segue agora à sanção ou veto do governador.

De acordo com a proposta, R$ 8,8 milhões serão destinados para o pagamento de despesas da área de educação. A maior parte dos recursos, R$ 19,3 milhões, serão remanejados para a área de saúde, com pagamento de diversos prestadores de serviço e aquisição de medicamentos. Outros R$ 8,3 milhões seguem para a manutenção de imóveis do GDF.

Trânsito – A Câmara Legislativa também aprovou o projeto de lei nº 2.066/2014, que abre crédito ao Orçamento no valor de R$ 9,1 milhões para diversas atividades na área de trânsito. Os recursos serão utilizados para projetos do DFTrans, modernização de informações e fiscalização de trânsito, entre outras atividades. (Luís Cláudio Alves – Coordenadoria de Comunicação Social)

estrelas_pt_1

O medo instalou-se no partido. É por isso que ele não consegue celebrar a vitória de Dilma.

Por Ricardo Noblat

O PT encontrou um antídoto que julga eficiente para qualquer embaraço grave que a presidente Dilma Rousseff enfrente doravante: a denúncia de golpe.

Sim, há um golpe em curso contra Dilma, segundo o PT. E tudo haverá de ser feito para evitá-lo.

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, foi sorteado para analisar as contas de campanha de Dilma. O lance, ora, faz parte do golpe.

Um lance que dependeu de sorteio – mas não importa. Até os fados, muitas vezes, favorecem o mau contra o bem.

Gilmar é ministro graças a Fernando Henrique Cardoso, que o indicou. Lula cabalou o voto dele para absolver os mensaleiros. Gilmar denunciou a cabala e desde então foi promovido pelo PT à condição de seu inimigo.

Uma equipe de 16 técnicos do Tribunal Superior Eleitoral encontrou irregularidades nas contas de campanha de Dilma.

Olhe aí! Bem que o PT avisou. É golpe. Mais um lance do golpe!

Se Gilmar propuser a desaprovação das contas de campanha de Dilma, seu voto será confrontado com os votos de outros seis ministros. Entre eles, o governo tem folgada maioria.

Mas e daí? Trata-se de um golpe e pronto!

Digamos que as contas da campanha acabem rejeitadas. Ainda assim Dilma seria empossada. E teria tempo suficiente para corrigi-las. Só perderia o cargo se não as corrigisse. É quase impossível.

Onde estaria o golpe nesse caso?

Ora, no ar, nas nuvens, no clima, em qualquer lugar.

Na verdade, a denúncia de golpe serve para vitimizar Dilma e o PT. E aumentar, se der certo, o apoio popular dos dois.

Serve, também, para disfarçar o momento delicado que Dilma atravessa. Afinal, a Justiça denunciará empreiteiros envolvidos na roubalheira da Petrobras.

E no PT se teme que a denúncia aproxime ainda mais o escândalo do gabinete de Dilma. E – quem sabe? – do gabinete do vice Michel Temer.

O doleiro preso Alberto Yousseff, em troca de delação premiada, contou coisas que até Deus duvida. E comprometeu Lula e Dilma. Disse que eles sabiam da roubalheira.

Não basta ao delator que delate. Caso minta perderá o benefício de uma pena menor. Delação premiada não se sustenta com mentiras.

O PT decidiu organizar de última hora uma manifestação contra o golpe a se realizar amanhã, em Brasília. Se tiver certeza de que a manifestação reunirá muita gente, Lula comparecerá. Do contrário, não.

Sabe o que de fato acontece?

O PT ganhou mais quatro anos de governo, embora por pouco. Por uma diferença mínima. A menor desde que ele chegou ao poder pela primeira vez em 2002. Ainda não se recuperou do susto.

Perdeu 18 vagas na Câmara dos Deputados. E meia dúzia no Senado. Para que governe, dependerá do apoio do PMDB. Quase metade dos convencionais do PMDB, em meados deste ano, rejeitou o apoio à reeleição de Dilma.

Em fevereiro próximo, o PT completará 35 anos de vida. Nasceu à sombra de Lula. Alcançou o poder por meio de Lula. Dependerá de Lula para não ser expurgado do poder em 2018. Não é uma trajetória brilhante.

O medo instalou-se no partido. É por isso que ele não consegue sequer celebrar a vitória que colheu há coisa de mês e meio.

Integrantes da comissão pelo PSDB, Sampaio e Izalci estavam presentes, enquanto governistas não compareceram de propósito.

Integrantes da comissão pelo PSDB, Sampaio e Izalci estavam presentes, enquanto governistas não compareceram de propósito.

Oposição repudia estratégia de aliados a Dilma para atrapalhar CPI Mista da Petrobras

Integrantes da comissão pelo PSDB, Sampaio e Izalci estavam presentes, enquanto governistas não compareceram de propósito.

Deputados do PSDB e dos partidos da oposição se revoltaram nesta terça-feira (11) contra a ação orquestrada pelo PT e legendas governistas para impedir a convocação de agentes políticos, muitos deles diretamente ligados ao Palácio do Planalto e a aliados, para depor na CPI Mista da Petrobras.

Segundo eles, os representantes do governo não compareceram propositalmente à reunião desta terça-feira (11) para evitar o quórum necessário à votação de requerimentos. Além disso, contaram com a ajuda do presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), que encerrou abruptamente os trabalhos sob a justificativa de que haveria votação no plenário do Senado.

“A base do governo está fazendo o jogo conforme a presidente Dilma determina. Isto está claro para todos nós: a participação dela nessas manobras para evitar as convocações de pessoas que podem trazer prejuízos para o governo dela”, afirmou o deputado Carlos Sampaio (SP), titular do PSDB na comissão.

Também integrante da CPI mista, o deputado Izalci (DF) afirmou que a ausência dos governistas da audiência do colegiado é “uma demonstração clara e inequívoca de que o governo nunca quis, de fato, esclarecer o que aconteceu na Petrobras”. “A população brasileira precisa saber e acompanhar o que acontece na CPI”, acrescentou. “Fiquei estarrecido com o comportamento dos parlamentares governistas”, disse o tucano da tribuna ao lembrar que Dilma prometeu não deixar “pedra sob pedra” dos desmandos na estatal.

Constavam na pauta de votações os requerimentos de convocação do presidente licenciado da Transpetro, Sérgio Machado, e do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque.

Sampaio solicitou ainda que fossem aprovadas as convocações de Leonardo Meirelles, apontado como testa de ferro do doleiro Alberto Youssef; do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, acusado de intermediar as verbas desviadas da estatal; da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e do seu marido, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. “A única forma de resguardarmos o poder de investigação que temos é votando todos os requerimentos”, defendeu enfaticamente o deputado do PSDB.

Youssef informou ao Ministério Público Federal, amparado pelo acordo de delação premiada, que repassou R$ 1 milhão à campanha que elegeu Gleisi em 2010 para o Senado. O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa já havia dado essa mesma informação em sua delação. Segundo ele, o repasse foi solicitado por Paulo Bernardo, na época ministro do Planejamento.

Papelão – Diante da pressão dos oposicionistas, Vital do Rêgo alegou que não havia número suficiente de parlamentares para a apreciação dos pedidos e seguiu rapidamente para a oitiva do gerente de contratos da Petrobras, Edmar Diniz Figueiredo. Coube ao deputado petista Afonso Florence (BA) tomar o depoimento, já que o relator Marco Maia (PT-RS) estava ausente em decorrência de um acidente que sofreu no fim de semana, explicou o presidente da CPI mista.

Assim que soou a sirene chamando os senadores a compareceram ao plenário da Casa, o senador petista Humberto Costa (PE) surgiu na reunião e lembrou Vital do Rêgo que ele deveria encerrá-la, conforme determinação do regimento interno. Não tardou para o paraibano fechar os trabalhos sob os protestos da oposição, que pedia uma reunião extraordinária da comissão ainda nesta terça, e correr para participar da ordem do dia do Senado. “É inadmissível a postura hoje do presidente Vital do Rêgo. Ele fez o jogo do governo. Sabe-se lá por quais pretensões”, protestou Sampaio.

Acordo coisa nenhuma – Antes do início da reunião, o deputado tucano afirmou que o relator do colegiado, Marco Maia (PT-RS), mentiu ao declarar que houve um entendimento entre os parlamentares, na semana passada, para poupar agentes políticos das investigações.

“O senhor relator, inadvertidamente, e, infelizmente não está aqui hoje, mentiu ao dizer que tivemos um acordo para poupar quem quer que fosse”, enfatizou Sampaio numa audiência completamente esvaziada pelos governistas. “Cadê os deputados e senadores do PT? Onde estão todos que anunciaram esse acordo, um verdadeiro estelionato eleitoral dentro desta Casa? Nenhum deles está aqui porque se envergonham do proceder que tiveram”, acrescentou.

Promotor de Justiça há 28 anos, o tucano sustentou que a história dele não combina com acordo para “salvar bandido”. “A minha história combina com uma perseguição implacável a quem desvia dinheiro público. Não participo de um estelionato proposto pelo relator, que anunciou um acordo colocando na mesma vala partidos que nada têm a ver.”

O deputado destacou as diferentes condutas dos tucanos e dos petistas, especialmente durante as apurações das falcatruas na Petrobras. “O PSDB pediu a investigação da corrupção na Petrobras. O PT beneficiou-se desse esquema de corrupção”, disse. “O PSDB respeita as instituições e não trata como heróis criminosos presos”, acrescentou. A CPI volta a se reunir na próxima terça-feira (18).

R$ 3 bilhões

É a estimativa de superfaturamento em obras da Petrobras investigadas por auditorias do Tribunal de Contas da União, segundo informou o presidente da corte, Augusto Nardes. Mais da metade desse valor se refere a irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

cartorio3 frejat

Tarifa Frejat tem Termo de Compromisso formalizado e vai vigorar do primeiro ao último dia do governo

O candidato ao Governo do Distrito Federal, Jofran Frejat, registrou em cartório, no início da tarde desta quinta-feira, 16, sua proposta de tarifa de ônibus a R$ 1 — a tarifa Frejat — a partir de 1º de janeiro de 2015.

“Vou implantar o ônibus a R$ 1 do primeiro ao último dia do meu governo. É uma proposta séria, revolucionária”, disparou, logo depois de registrar o Termo de Compromisso no Cartório do 2º Ofício de Registro Civil Títulos e Documentos, na 504 Sul. “Eu implanto isso ou mudo de nome”, garantiu.

A Tarifa Frejat foi lançada na última quarta-feira. Por ela, o Governo do Distrito Federal aumenta o subsídio ao passageiro. Da tarifa cheia, que, em média, é de R$ 3 no DF, o usuário pagará apenas R$ 1. O restante será bancado por recursos oriundos do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

A conta para o setor público é estimada em R$ 36 milhões mensais, no caso de haver um esperado aumento de demanda a partir da queda de preço da passagem. A arrecadação mensal do GDF com o IPVA é algo perto de R$ 70 milhões.

“Atualmente esse dinheiro está sendo usado para pagar o inchaço da máquina pública promovido pelo governo Agnelo e seus 40 mil cargos comissionados”, explicou Frejat. “Como vou acabar com isso, cortar o número de secretarias pela metade, enxugar a máquina, reduzir o número de cargos comissionados, o dinheiro será muito melhor empregado no subsídio às passagens de ônibus”, completou.

Os ganhos da Tarifa Frejat vem de vários matizes. O usuário pagará menos, logo economizará no dia a dia e sobrará mais salário no fim do mês. Empregadores que pagam o transporte dos funcionários também ganharão caixa até para contratar mais gente. Com mais pessoas andando de ônibus, a tendência é de menos carros nas ruas, portanto, melhor mobilidade urbana.

Como medida complementar à queda de preço na tarifa, Frejat já anunciou que promoverá um aditivo nos atuais contratos com as concessionárias de ônibus. Assim, mais 700 carros novos aumentarão a frota de imediato.

Pizza

Primeira pizzaria gourmet de Águas Claras completa um ano de existência, com produtos e serviços de qualidade

Em italiano, Dolce Far Niente significa “o doce fazer nada.” A expressão batiza uma aconchegante pizzaria gourmet em Águas Claras. E lá ganha também outros sinônimos: sentar-se em um ambiente agradável, apreciar um bom vinho e, é claro, saborear pizzas assadas no forno a lenha, elaboradas com massas napolitanas ou romanas (tradicionais, integrais ou sem glúten). É com esse delicioso conceito que a casa está prestes a comemorar o seu primeiro ano de existência, em 21 de outubro.

A pizzaria é comandada por Lídia Nasser, proprietária também do empreendimento vizinho à Dolce Far Niente, o Empório Árabe. O novo negócio é fruto da demanda do público da cidade. “Até então, não existia pizzaria gourmet em Águas Claras, com forno à lenha. Até hoje, a maioria é delivery. Então, resolvemos suprir essa necessidade e o retorno dos clientes tem sido maravilhoso”, comemora Lídia.

As pizzas são servidas sempre no jantar, de terça a domingo, das 18h às 0h. O cardápio conta com cerca de 30 sabores salgados e quatro doces, em massas romanas ou napolitanas tradicionais, integrais ou sem glúten. Estas últimas atendem às necessidades do público que a cada dia busca alternativas mais saudáveis para a alimentação. As massas sem glúten, por exemplo, são feitas à base de arroz, azeite, sal e açúcar. E nenhuma delas leva ovos nem manteiga. Exceto a sem glúten, todas as outras saem com borda fina ou grossa.

Os preços variam entre R$ 35,90 e R$ 58,90 (médias, com 6 fatias) e de R$ 45,90 a R$ 68,90 (grandes, com 8 fatias). Entre elas, as sugestões são a Capriciosa, coberta com pomodori pelati, Catupiry, muçarela de búfala e peito de peru, a R$ 39,90 (média) ou a R$ 49,90 (grande); e a Mediterrânea Picante, que leva pomodori pelati, muçarela, beringela, parmesão, pimentões e abobrinha com um delicado sabor picante de pimenta dedo-de-moça, a R$ 46,90 (média) ou a R$ 56,90 (grande).

A casa abre para o almoço de sexta-feira a domingo, das 11h às 15h. Nesse horário, no entanto, não trabalha com pizzas. Somente com risotos, massas, grelhados e saladas. O cardápio à la carte é composto por pratos individuais, entre R$ 23,90 e R$ 58,90. Uma boa pedida é o paillard ao molho branco, acompanhado de talharim ou espaguete, a R$ 39,90.

Em mãos experientes

Fazer pizza não é tarefa simples, ainda mais quando se trata de pizzaria com conceito gourmet, que busca conciliar a qualidade das massas com o bom gosto e o equilíbrio das coberturas.

Justamente por isso o cardápio da Dolce Far Niente é assinado por quem entende do assunto: o pizzaiolo Duarte Neto. Há 20 anos na profissão, o baiano, natural de Irecê, começou na Quattrocento, uma das pioneiras na elaboração da iguaria de massa fina na capital federal, que funcionava na 408 Sul. Foi contratado como cumim, passou a garçom e chegou a pizzaiolo em apenas três meses.

Duarte, que cresceu vendo a mãe cozinhar para ganhar a vida em um misto de pousada e restaurante familiar no interior da Bahia, também observava com atenção o trabalho do pizzaiolo da casa. “Em uma sexta-feira, o mestre da pizza não pôde trabalhar. Aí me ofereci para tentar. Preparei uma margherita e, ao final, recebi elogios do cliente que me deu uma gorjeta de R$ 50,00, bem gorda para a época, recorda-se Duarte, que desde então não voltou mais ao salão. Assim como o freguês disse, o lugar dele era na cozinha!

Os proprietários da pizzaria investiram em Duarte: aumentaram o salário e pagaram cursos de especialização – um deles na Pizzaria Camelo, aberta desde 1957, e bem tradicional em São Paulo. Ao sair da Quattrocento, em 2001, abriu seu próprio negócio: a Cantina Don Luca, em sua casa, na QNM 2, em Ceilândia. O empreendimento prosperou até 2011, quando decidiu retornar à Bahia e abrir nova pizzaria.

De volta a Brasília em 2013, recebeu convite de Lídia Nasser para comandar a pizzaria Dolce Far Niente e desenvolver as saborosas massas e coberturas oferecidas pela casa.

Pizza e vinho: combinação perfeita

Na Dolce Far Niente, fica fácil harmonizar pizzas e vinhos. A casa oferece 118 rótulos de excelente custo benefício, oriundos de 11 países: Estados Unidos, Chile, Argentina, Uruguai, França, Itália, Tunísia, África do Sul, Portugal, Espanha e Brasil. Além disso, a pizzaria conta com os serviços do competente sommelier Elington Rodrigues. Ele é o responsável por sugerir as combinações aos clientes, que também têm a facilidade de consultar os vinhos disponíveis em uma carta eletrônica.

Outro destaque da casa é o Circuito do Vinho, que acontece de terça-feira a quinta-feira, das 19h às 0h. A cada semana, a pizzaria homenageia um país produtor da bebida, com quatro rótulos (uma taça de cada) para degustação harmonizada com entrada (focaccia) e uma pizza média de qualquer sabor, a R$ 182,00 (duas pessoas) ou R$ 82,00 (individual). “É a oportunidade ideal para conhecer novos rótulos de diferentes preços”, recomenda o sommelier Elington.

Para esta semana, o país escolhido é a Tunísia, com os Chateau Monarde (Cabernet Sauvignon/Merlot), Carthage Pinot Noir, espumante Chateau Monarde (Chardonnay/Chenin Blanc) e Carthage Syrah. Na semana que vem será possível degustar rótulos da Austrália.

Dolce Far Niente

Avenida das Castanheiras, 1060 – Águas Claras. (61) 3254-2263

No almoço, de sexta-feira a domingo, das 11h às 15h. No jantar, de terça a domingo, das 18h às 0h.

chico

“Esse é um governo que não tinha rosto”

A derrota do primeiro turno na disputa ao governo foi a maior da história do PT em Brasília?

Foi. Em 1990, tivemos uma derrota numérica, mas ganhamos politicamente. Em 1998, perdemos, mas saímos fortalecidos. Em 2002, estávamos com a derrota na mão, mas fomos roubados. Na disputa de 2006, ressurgimos das cinzas, apesar de não elegermos Arlete (Sampaio), reafirmamos o PT na cidade. Agora tivemos uma derrota numérica e política. O momento é de avaliar o que aconteceu.

»»»

Alguma ideia do que provocou essa derrota?

Perdemos o governo em primeiro de janeiro e de 2011. Esse é um governo que não tinha rosto. Cada secretaria e administração era uma ilha e o titular trabalhava para si mesmo e não em nome do governador.

»»»

Ocorreu por causa da aliança com o PMDB, num projeto de administração compartilhada?

Não. Dentro do próprio PT todo mundo trabalhava para si, com raras exceções, como o administrador de Ceilândia. Cada gestor agia assim: o que era bom ficava para ele e o que não prestava caía no colo Agnelo. O governo não conseguiu mostrar o caos que recebeu.

»»»

Adotar a neutralidade no segundo turno é vingança?

Nós não nos sentimos representados por nenhum dos dois candidatos no segundo turno e ainda com o agravante de Rollemberg ter optado pela turma do FHC. Fomos humilhados pelo Fernando Henrique. Essa turma não gosta de Brasília e vamos sofrer.

»»»

Houve traições na campanha de Agnelo?

Teve. Desde o começo e em larga escala. No meio da campanha eu disse ao Agnelo: “Estão fazendo contigo o mesmo que fizeram com a Maria de Lourdes (Abadia)”.

»»»

Fizeram campanha para os adversários?

Muito. Tanto para Rodrigo quanto para Frejat. Sentiram que não tinha chance de vitória e mudaram de lado. Tem gente que acha que qualquer governo serve para eles.

»»»

Como vai ser a campanha da Dilma em Brasília depois da derrota no primeiro turno?

Para nós, agora ficou muito bom. Brasília foi a cidade que mais sofreu no governo de FHC. Vamos mostrar os avanços de Dilma e os atrasos do passado.

»»»

Por que a militância do PT não foi para as ruas?

Essa foi a eleição mais atípica e insossa de todas. Mas agora a água bateu no gogó. A militância vai para as ruas. A presidenta Dilma terá mais votos no segundo turno. As pessoas se sentem mais ameaçadas. Já sabem o que está em jogo.

»»»

Em quem o senhor vai votar na disputa ao governo?

Vou votar 13 de novo.

»»»

Qual a sua expectativa para a próxima administração?

Haverá muitas dificuldades. O governo do Agnelo foi o governo da bondade. E o próximo será da maldade. Nenhum dos dois candidatos vai conseguir cumprir os acordos que Agnelo fez.

»»»

Por quê? São acordos impossíveis de cumprir?

Agnelo fez uma opção pelo social.

Fonte: Coluna Eixo capital, Correio Braziliense. Por Ana Matia Campos e Helena Mader)

Aecio-Neves-Dilma-Rousseff2

Por Rodrigo Vilela, do Diário do Poder – Pesquisa realizada pelo instituto Veritá e divulgada nesta quinta-feira (9) confirma tendência de alta do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) na disputa pela Presidência da República. Nos dados de hoje, o tucano abre nove pontos percentuais de vantagem sobre a candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff.

Na pesquisa estimulada, quando o nome dos candidatos é apresentado ao entrevistado, 54,8% dos eleitores declararam voto em Aécio Neves. Dilma Rousseff teve 45,2% dos votos válidos.

Na pesquisa espontânea, quando nenhum nome é apresentado, Aécio Neves também venceria a petista por 42% a 36,1%. Não sabe/Não respondeu somam 17,4% e brancos/nulos são 4,5%.

O instituto ouviu 5.165 eleitores de todo o país e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01067/2014.

Reguffe em discurso na Câmara dos Deputados (Foto: Leonardo Prado/Câmara dos Deputados)

Reguffe em discurso na Câmara dos Deputados (Foto: Leonardo Prado/Câmara dos Deputados)

Resultado foi confirmado quando 81% das urnas estavam apuradas. Ele tinha 58%; candidato é o mais novo senador eleito pelo DF

Do G1 DF – O candidato Reguffe (PDT) foi eleito senador pelo Distrito Federal. O resultado foi confirmado quando 81% das urnas estavam apuradas. No momento, ele tinha 665.222 votos, o equivalente a 58,01% do total de votos válidos.

Às 19h30, 99% dos votos já haviam sido apurados. Reguffe tinha 821.715 votos (57,71%). Em seguida apareciam Gim Argello (PTB), com 267.858 votos (18,85%), e Magela (PT), com 268.459 votos (18,81%).

José Antônio Machado Reguffe nasceu no Rio de Janeiro em 1972. Formado em jornalismo pelo Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) e em economia pela Universidade de Brasília (UnB), ele é o mais jovem representante do DF no Senado Federal, com 42 anos.

Ele iniciou a vida política em 2005, quando se filiou ao PDT. No ano seguinte, foi eleito deputado distrital. Em 2010, Reguffe se elegeu deputado federal. Na ocasião, teve 266.465 votos, o equivalente a 18,96% do total de votos no DF, tornando-se o candidato com maior percentual de votos em uma unidade federativa no país.

Na Câmara, Reguffe abriu mão dos 14º e 15º salários, destinado aos parlamentares. Também não quis receber 80% da verba de gabinete a que tem direito. Em vez de 25 assessores parlamentares, ele pediu à Diretoria-Geral da Casa para trabalhar com apenas 9 assistentes.

1

agnelo

Inicialmente serão aplicados R$ 50 milhões, referentes à primeira parcela do empréstimo concedido pelo BID

Investir no setor privado do DF para estimular a geração de emprego e renda foi um dos compromissos firmados pelo candidato à reeleição, Agnelo Queiroz, em visita a duas empresas da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) de Águas Claras, na manhã desta quarta-feira (24). O atual governador também ressaltou, na ocasião, o empréstimo de R$ 500 milhões que fez com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a modernização e melhoria da infraestrutura desses setores.

“Nosso grande objetivo é gerar emprego e renda e discutir com os representantes das próprias áreas como fazer isso. São investimentos como o que vamos fazer nas ADEs, por meio desse empréstimo com o BID, que torna o setor competitivo e movimenta a economia. Já assinei a primeira etapa, no valor de R$ 50 milhões. Na medida em que se vai cumprindo os compromissos firmados, vamos alcançando mais recursos. E nosso projeto é criar novas áreas e trazer mais oportunidades para o setor”, afirmou Agnelo.

O atual governador disse ainda que a regularização das cidades e a aprovação do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) e da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) são ações fundamentais para o desenvolvimento econômico do DF. Agnelo explicou que essas propostas- que vão definir normas para construções, delimitando onde pode haver novas obras- irão agilizar a emissão dos alvarás de funcionamento e construção e dará regularidade aos serviços.

A melhoria do transporte e da segurança nessas áreas também foram questões abordadas por Agnelo. “Nesse novo projeto de transporte está previsto que, depois da substituição da frota, faremos o ajuste das linhas, a principal demanda desses setores. Em relação à segurança, contratamos 1056 policiais militares, convoquei mais 700 agora e 130 civis. Estamos melhorando também o asfalto e iluminação para dar mais tranquilidade aos trabalhadores dessas regiões.”

O presidente da empresa Japan Security, Perceu Iuata Costa, afirmou que esse governo trouxe muitos benefícios para o empresariado. “Em relação ao governo federal, a linha de financiamento, por meio do BNDES, foi uma grande ajuda para os empresários para a compra de produtos nacionais. Em relação ao governo local, as linhas de ônibus melhoraram muito para o transporte de nossos funcionários”, avaliou.

Já o presidente da empresa Garra Atacadista, Adauto Lúcio de Mesquita, disse que a visita de Agnelo ao seu empreendimento representa o carinho que o governo tem pelo setor atacadista. “Nós só temos que agradecer ao senhor, que sempre olhou pelos empresários do DF com muita atenção.”

3

frejat prp

Partido retira suporte político ao atual governador e migra para coligação União e Força

O Partido Republicano Progressista (PRP) anunciou na tarde desta quarta-feira, 17, apoio ao candidato ao Governo do Distrito Federal, Jofran Frejat.

“Vamos apoiar porque sabemos que Brasília não pode mais ficar nas mãos tirânicas da contramão do desenvolvimento, nós conhecemos o trabalho realizado por Arruda e conhecemos o trabalho realizado por Jofran Frejat. Temos que unir forças”, bradou o presidente do PRP, Adalberto Monteiro, candidato a deputado federal pela coligação Respeito por Brasília.

“Eu sou um companheiro de trabalho e certamente não esqueceremos quem se aliou a nós. Nesse time de candidatos, nem todos vão ganhar, infelizmente, pois são muitos pra poucas vagas, mas se há uma coisa que é certa, é que iremos governar juntos”, agradeceu Frejat.

Presente à reunião, o ex-governador José Roberto Arruda comemorou o apoio do PRP à coligação União e Força e se disse orgulhoso do nome que o substituiu na cabeça de chapa. “Eu conheço o Frejat há 40 anos. É um homem íntegro, que conhece Brasília como ninguém e que conhece muito de gestão púbica”, disse.

“Nós sofremos uma injustiça com a retirada de Arruda. Fizeram o mesmo com Joaquim Roriz. Agora o que temos é mostrar nosso trabalho e ganhar o governo”, desabafou Frejat.

“Nós vamos trabalhar nossos candidatos na proporcional, mas na majoritária, não temos dúvida que vamos fazer Jofran Frejat governador do Distrito Federal”, disse Adalberto Monteiro, que é tio de Cláudio Monteiro, secretário de Turismo do GDF e um dos mais próximos auxiliares do atual governador.

Para Frejat, é uma tendência que novos partidos se agreguem à campanha. “Aqui estão pessoas que representam o Distrito Federal em vários segmentos, formadores de opinião e homens que vivem com dedicação à vida pública. Esse apoio é fundamental para a retomada da nossa cidadania e, sobretudo, para que no dia 05 de outubro possamos, junto ao povo do Distrito Federal, comemorar a vitória”, declarou.

“O programa de governo foi feito a quatro mãos, as minhas e as de José Roberto Arruda. Já fomos referência em saúde, durante os 16 anos que eu geri esta pasta. O modelo de saúde que eu implantei em Brasília foi referência em todo o Brasil, assim como aconteceu com o modelo de educação implantado no DF na gestão de Arruda.”

Frejat também destacou a importância das obras de infraestrutura e mobilidade urbana que Arruda coordenou na cidade. “Não há quem não reconheça o legado que este homem deixou, vejo esse reconhecimento nas classes mais baixas, nas classes mais altas e por onde estamos passando.”

 Rollemberg Marina

14h45 – Caminhada pela comercial de Santa Maria

Ponto de encontro: Quadra 202, perto do Hospital de Santa Maria

17h30 – Embarque na estação do Metrô da Rodoviária do Plano Piloto com destino a Águas Claras

17h50 – Caminhada em Águas Claras até o comitê

18h – Inauguração do comitê da coligação Somos todos Brasilia em Águas Claras

Local: Av. Jequitibá, no. 485, perto do colégio CEAV

21h15 – Visita à 33a Ronda Crioula, em comemoração à Semana Farroupilha

Local: PAD/DF, na BR 251, Km 4

 

 roriz cristovao

Coluna Eixo Capital – Os ex-governadores Joaquim Roriz (PRTB) e Cristovam Buarque (PDT) protagonizaram os mais célebres embates políticos da história da capital federal. Duas décadas depois, os dois caciques continuam a se enfrentar na Justiça. No mês passado, o senador pedetista entrou com recurso contra a extinção de uma ação em pedia indenização ao rival. Em 1999, durante um discurso no Paranoá, Roriz responsabilizou Cristovam pela morte de moradores da Estrutural em um confronto com a polícia.

O senador entrou com ação de reparação por danos morais e venceu. A apresentação de sucessivos recursos atrasou a conclusão do processo. Cristovam cobrava o pagamento da indenização fixada em R$ 80 mil, mas foi surpreendido por uma decisão da Justiça que extinguiu o processo por falta de recursos nas contas de Roriz e pela ausência de bens para penhora.

Indenização

Cristovam Buarque também cobra na Justiça o pagamento de indenização em outro processo. Em 1999, advogados do hoje senador entraram com ação contra Roriz, que acusou o rival de ter um diploma falsificado de economista. Cristovam contratou até o famoso perito Ricardo Molina para emitir um laudo atestando a veracidade de seu diploma universitário. A Justiça fixou o pagamento de R$ 170 mil, mas o caso se arrasta até hoje. O pedetista recorreu ao TJDF contra a cassação da sentença e tenta agora retomar o caso.

marina-e-marconi-perillo-300x234

A vertiginosa queda de Aécio Neves nas pesquisas obrigará o tucanato a correr o país para conter debandadas. A mais recente está em curso em Goiás.

O PHS, que apoia Marconi Perillo para o governo e Marina Silva ao Palácio do Planalto, oficializará o movimento “MariMar”.

Lembrando: Marconi Perillo é correligionário de Aécio. Marina pede votos para Vanderlan Cardoso, nome do PSB na disputa estadual.

Mas a turma do PHS não quer saber de nada disso: um comitê para divulgar a dobradinha Marina-Marconi deverá ser lançado em Goiânia na semana que vem.

A cúpula tucana adoraria que Marconi Perillo tivesse uma reação enérgica em favor da candidatura do candidato do partido. Não foi o caso…

Aécio está sabendo do problema e deve aterrissar para cumprir agendas em Goiânia na semana que vem. (Por Lauro Jardim)

Vista noturna do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Vista noturna do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Equipes passaram para a Secretaria de Turismo, que mudou de nome. Gestões do Mané Garrincha e da Fábrica Social também foram transferidas.

Do G1 DF – Decreto publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira (1º) traz a extinção da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), 50 dias após o fim do evento esportivo. Todos os cerca de 200 cargos da pasta foram transferidos para a Secretaria de Turismo, que passa a se chamar Secretaria de Turismo e Projetos Especiais.

Além dos 33 cargos internos da Secopa, o número inclui os funcionários da Fábrica Social, programa de capacitação do Governo do DF que era administrado pela pasta.

A extinção da secretaria não gera mudanças orçamentárias para o Distrito Federal, já que toda a estrutura administrativa foi remanejada. A Coordenadoria de Comunicação para a Copa, por exemplo, foi transformada em Coordenadoria de Comunicação para Grandes Eventos.

“Ficam remanejadas as Unidades Administrativas, os Cargos de Natureza Especial e Em Comissão, mantendo os atuais ocupantes”, descreve o decreto publicado nesta segunda e assinado pelo governador Agnelo Queiroz.

A Secretaria de Turismo e Projetos Especiais será comandada por Cláudio Monteiro, ex-chefe da Secopa. Luís Otávio Neves, que comandava o órgão de turismo, vai para o cargo de secretário-adjunto.

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e o projeto Fábrica Social também foram transferidos. “Estamos unindo dois quadros importantes do governo. É a consolidação de um projeto de sucesso”, afirmou o governador do DF, Agnelo Queiroz.

A Secretaria Extraordinária da Copa foi criada em 3 de setembro de 2012 para gerenciar o estádio Mané Garrincha e a organização da Copa das Confederações e da Copa do Mundo.

Pitiman

O candidato ao governo do Distrito Federal, Luiz Pitiman (PSDB), participou do primeiro debate da CBN na manhã desta segunda-feira (25). Pitiman respondeu perguntas sobre saúde, mobilidade urbana e transporte, habitação, educação e gestão pública.

Questionado sobre a proposta da construção da estrada Brasília-Porto Seguro, Pitiman explicou o projeto e demonstrou sua viabilidade. “Esse projeto já existe desde 1998 com Luís Eduardo Magalhães. Faremos um entendimento com a União e os estados dessa grande região metropolitana para a construção total da estrada, que vai trazer desenvolvimento econômico e geração de renda e emprego”, argumentou.

Nas áreas de saúde, segurança e educação, a prioridade do candidato é implantar a meritocracia para a qualidade do serviço público. “Se houver resultados, todos os servidores serão reconhecidos, isso é meritocracia. E por isso precisamos de governabilidade. Vamos restabelecer o diálogo com todas as categorias e implantar um novo modelo de gestão pública que leve qualidade de vida para a população”, completou.

Pitiman esteve no programa Balanço Geral da TV Record e finaliza o dia na sabatina da TV UOL, SBT e Folha de São Paulo, ao vivo pela internet.

GDF está com os cofres cheios

GDF está com os cofres cheios

Fazenda atingiu crescimento de 17% na arrecadação do ISS e prevê chegar a R$ 1,4 bilhão até o final do ano. Como novas tecnologias, 94% dos serviços do órgão já são oferecidos via internet e fiscalização é capaz de monitorar produtos que transitam no DF sem que auditores fiscais precisem parar aleatoriamente os caminhões

Brasília 247 – A arrecadação do Distrito Federal no primeiro semestre de 2014 cresceu 13,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Entre os fatores apontados para a melhora do desempenho estão a mudança de posicionamento da Secretaria de Fazenda (SEF/DF) no recolhimento de recursos, novas estratégias de fiscalização e o uso de novas tecnologias, como por exemplo, o uso da internet no atendimento ao contribuinte.

O Imposto Sobre Serviços (ISS) obteve o melhor desempenho na atual política de cobrança e arrecadação, com crescimento de 17% de janeiro a agosto deste ano frente ao mesmo período de 2013. A expectativa é fechar o ano em R$ 1,4 bilhão.

“Nos últimos anos, a Fazenda/DF adotou uma nova postura, ao buscar estreitar as relações com o contribuinte, estimulando o pagamento voluntário dos débitos. Para isso, foram necessárias a adaptação da legislação e investimentos de peso em tecnologia da informação. É promover a Justiça Fiscal, dando oportunidades aos que desejam regularizar sua situação com o Fisco e combater a sonegação”, destacou o subsecretário de Receita do DF, Wilson de Paula.

Segundo o subsecretário, a mudança cultural dentro da própria secretaria ajudou a rever as estratégias de cobrança, inovar em medidas de fiscalização e buscar ferramentas tecnológicas que possibilitam alcançar os objetivos traçados. Em tecnologia da informação (TI), o montante investido nos últimos anos supera R$ 33 milhões.

Atendimento à população

Outro ponto destacado foi o atendimento ao contribuinte, que também vem recebendo melhorias contínuas. Atualmente, 94% dos serviços oferecidos pela SEF/DF podem ser resolvidos pela internet. Entre as últimas novidades estão a disponibilidade da negociação de débitos pelo Parcelamento On-line, a emissão via portal de guia para pagamento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) e a implementação de programas de recuperação de créditos tributários.

As agências da Receita também foram reformadas quase na totalidade, são oferecidos serviços no Na Hora Cidadão e convênio com o correspondente bancário do Banco de Brasília, BRB Conveniência, expandiu o atendimento da secretaria em todo o DF.

Tecnologia no monitoramento

O DF foi a primeira unidade da Federação a implementar o Centro de Monitoramento de Mercadorias em Trânsito (Cment), que funciona há cerca de dois meses, e permite que caminhões e carretas que transitam pelo DF sejam fiscalizados eletronicamente através de monitores e de informações contidas em notas fiscais eletrônicas. A partir dos dados coletados, a fiscalização atua com maior precisão e rigor quando detectada possível sonegação fiscal. Segundo Wilson de Paula, o serviço conta com tecnologia capaz de monitorar o produto desde o estado de origem até quando ou para quem foi vendido no DF, otimizando a ação dos auditores fiscais, que não precisam mais parar aleatoriamente caminhões para a conferência dos documentos fiscais com as cargas declaradas.

Cobrança mais assertiva favorece arrecadação

A SES/DF informa que nomes inscritos na dívida ativa serão cobrados na Justiça, e quem não pagar terá o nome enviado aos serviços de restrição de crédito. Atualmente, a cobrança está sendo feita apenas aos contribuintes pessoa jurídica. Neste ano, mais de R$ 650 milhões foram ajuizados e até o final dele cerca de R$ 1 bilhão deve ser protestado. Também foram enviadas notificações aos contribuintes que não quitaram o Imposto sobre propriedade de veículos automotores (IPVA) 2014, o que resultou no recolhimento de R$ 30 milhões. Cobranças semelhantes foram enviadas neste mês aos devedores inscritos na dívida ativa e outras parecidas devem ser enviadas com a cobrança do Imposto predial territorial urbano (IPTU).

 

cine

A sociedade brasiliense iniciou um movimento, inclusive com abaixo-assinado no site change.org, exigindo a aprovação do Projeto de Lei nº 1.608/2013, de autoria da ex-deputada Luzia de Paula, que propõe a declaração de Patrimônio Cultural do Distrito Federal para o Cine Drive-in de Brasília. Em um memorando encaminhado na segunda-feira pela Ouvidoria da Câmara Legislativa a todos os deputados distritais, consta o recebimento de diversos e-mails reivindicando urgência na aprovação da proposta.

O cinema fica no Autódromo Nelson Piquet, foi edificado no início dos anos setenta e funciona até hoje ininterruptamente, sendo o último em atividade no Brasil. Além de ser de fácil acessibilidade, o Cine Drive-In possui área asfaltada capaz de acomodar aproximadamente 500 automóveis e conta com torre de som destinada a transmissão de áudio dos filmes em Frequência Modulada (FM), exclusivamente liberada pela Anatel.

“Acredito que pela sua história, longevidade e qualidade técnica não resta dúvida sobre a necessidade de declarar o Cine Drive-In Brasília patrimônio cultural, como forma inclusive de preservá-lo para as futuras gerações”, afirma Luzia de Paula.

 

Arruda psul1

Em visita a Ceilândia, Arruda dialoga com moradores sobre planos para mobilidade urbana

Como aumentar o conforto de quem precisa se deslocar do bairro P Sul para trabalhar no Plano Piloto? Como reduzir a criminalidade ligada ao consumo de crack nas redondezas? Essas foram as questões mais ouvidas pelo candidato ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, durante caminhada iniciada na manhã desta terça-feira, 5, e que entrou tarde adentro pelas ruas da QNP e da Expansão do Setor O, em Ceilândia.

“Eu vou trazer o metrô até o fim da Ceilândia”, respondeu Arruda, sobre a primeira questão. “Vocês lembram que quando eu assumi o governo, em 2007, o metrô só ia até a Praça do Relógio, em Taguatinga. Quem trouxe até o centro de Ceilândia fomos nós. E agora vamos trazer até o final do Setor O e fazer um ramal para o Sol Nascente”, garantiu.

No que diz respeito ao combate às drogas, sobretudo ao crack, Arruda falou que trata-se de uma questão que só pode ser resolvida com uma série de políticas públicas em várias áreas diferentes. “A primeira coisa é uma ação de inteligência policial contra o tráfico. Depois, o tratamento dos dependentes e de suas famílias. Por último, a criação de um ambiente de desenvolvimento que desencoraje o consumo de drogas pelos jovens”, analisou.

“O programa esporte à meia-noite tirou centenas de jovens das ruas, da criminalidade e das drogas. São os dados que comprovam.” Ele também quer investir pesado na construção das Vilas Olímpicas para estímulo à prática de esportes.

“Infelizmente, um dos piores desastres da atual gestão foi a paralisia que ela impôs à atividade econômica. Em primeiro lugar pela preguiça, pela lentidão, em segundo lugar por ser o governo de uma obra só, que é o estádio superfaturado”, disparou.

Quanto à violência que ainda assola os moradores de boa parte de Ceilândia, Arruda considera que sua redução passa pelo relacionamento do governo com a Polícia Militar. “O combate à violência começa pela valorização dos policiais, por um comando firme, retomada dos postos policiais e policiamento ostensivo nas ruas.”

5

2

4

6

 

Chico Vigilante

Chico Vigilante

O deputado Chico Vigilante (PT) defendeu na tribuna da Câmara Legislativa do Distrito Federal na tarde desta quinta-feira (22) a adoção de medidas urgentes para melhorar o sistema de transporte público coletivo no Brasil. O distrital disse que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) precisa ter coragem de encarar o problema e apresentar soluções.

Vigilante destacou as medidas adotadas pelo governador Agnelo Queiroz para tratar da questão em Brasília, como a aprovação de um Plano Diretor de Transporte e a troca da frota de ônibus.

O deputado considera alarmante a situação do transporte público no Entorno do DF. Para ele, os moradores daquela região são vítimas do descaso dos empresários de ônibus e têm de conviver diariamente com “verdadeiras latas velhas, piores até do que carroças”.

O distrital sugeriu a criação de um piso nacional para os trabalhadores em transporte público coletivo. Segundo ele, a definição de um salário mínimo compatível ajudaria a resolver os conflitos verificados em várias cidades brasileiras. (Luís Cláudio Alves – Coordenadoria de Comunicação Social)

 

Ayres Britto

Ayres Britto

A Câmara Legislativa do Distrito Federal concede, na noite desta terça-feira (20) às 19h, o título de Cidadão Honorário de Brasília ao ministro Ayres Britto, proposto pela deputada Celina Leão (PDT). A homenagem será realizada no plenário da Casa.

Ayres Britto nasceu na cidade de Propriá, no Estado de Sergipe, militou na advocacia desde 1967, sendo doutor em Direito Constitucional. Foi nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal em junho de 2003, cargo que ocupou até novembro de 2012 em virtude de sua aposentadoria compulsória ao completar 70 anos. Por sua seriedade e determinação foi eleito pelos seus pares para exercer a presidência STF para o biênio 2012-2014.

“Conceder este título ao ministro Ayres Brito é uma justa homenagem, por sua valiosa doação em seus julgamentos decisivos no STF e sua inegável contribuição para a sociedade brasileira no exercício de sua carreira jurídica e na função de lecionar nas mais diversas universidades e distintos graus de formação”, observa a deputada Celina Leão.

Várias autoridades confirmaram presença para a cerimônia de homenagem, dentre eles o vice-presidente da república Michel Temer.

 

Fiscais estiveram em Taguatinga, Lago Norte e Candangolândia

O Comitê de Combate ao Uso Irregular do Solo do Distrito Federal removeu, nesta quinta-feira (15), 11 edificações que haviam sido erguidas em áreas públicas da Candangolândia, Taguatinga e Lago Norte. Nenhuma delas havia sido autorizada.

As ações mobilizaram aproximadamente 110 servidores de sete órgãos, que foram coordenados pela Secretaria da Ordem Pública e Social (Seops) e pela Agência de Fiscalização.

Entre os locais onde houve remoção de obras ilegais está o Assentamento 26 de Setembro, em Taguatinga, setor que deveria ser preservado como área rural, mas tem sido alvo constante de tentativas de parcelamento.

Pelo menos seis pontos foram alvo de erradicação de construções. Entre eles, duas áreas na avenida principal, duas na Rua 5, uma na Rua 2 Chácara 8 e outra na Chácara 69 da Rua 4. Entre as obras ilegais retiradas havia quatro estruturas que seriam usadas para a construção de edificações, um alicerce, 400 metros de cercas, duas fossas, duas cisternas, uma caixa d’água e duas ligações clandestinas de energia.

“São todas construções recentes, erguidas nas últimas semanas. Nosso trabalho consiste em conter a expansão do setor até que seja decidido o que será feito com as edificações irregulares mais antigas, datadas de quase dez anos”, contou o subsecretário de Defesa do Solo e da Água, da Seops, Nonato Cavalcante.

Outra equipe passou pelo Núcleo Rural Córrego do Palha, no Lago Norte, onde encontrou uma construção ilegal erguida às margens da DF-005. A obra foi erradicada.

CANDANGOLÂNDIA – Os órgãos do governo passaram, ainda, por uma área conhecida como Chácara Arcan, próximo ao Clube dos Escoteiros, na Candangolândia. Lá foram derrubadas quatro edificações e dois galinheiros que ocupavam área pública.

A ação foi encerrada por volta de meio-dia, com a retirada de uma edificação na Chácara 3.

LICENÇA – O Código de Edificações do Distrito Federal (Lei nº 2.105/98) determina que toda construção deve ser previamente autorizada pelo governo. Essa licença é emitida pelas administrações regionais, que levam em conta a destinação da área prevista no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT).

As construções ilegais podem ser removidas mediante notificação com prazo de 30 dias. Se a obra estiver em área pública, cabe a retirada imediata, sem a necessidade de notificação.

A penalização para quem invade área pública está prevista na Lei Agrária (Lei nº 4.947/65), com pena de até três anos, além de multa. Para quem parcela, vende e anuncia terrenos em área pública, a pena pode chegar a cinco anos de prisão, de acordo com a Lei nº 6.766/79.

 

Dezesseis painéis de fotos dos jornalistas Renato Alves e Iano Andrade estarão exposta de 19 de maio a 8 de junho na Praça Central. As imagens retratam flagrantes do Mundial de 2013, na África do Sul

Brasília já sente a chegada da Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho. Estádio Nacional nos últimos ajustes, comércios se preparando, torcedores ansiosos. O Pátio Brasil também entrou no clima e preparou uma exposição fotográfica do último Mundial, na África do Sul. As imagens dos jornalistas Renato Alves e Iano Andrade ficarão expostas na Praça Central, de 19 de maio a 8 de junho. A entrada é franca.

Ao todo, são 16 painéis. Renato Alves e Iano Andrade estiveram no continente africano, mas com focos diferentes. Renato Alves buscou o lado B do evento, tais como costumes, política, economia, atrativos turísticos do país. Já o repórter-fotográfico Iano Andrade, que durante a Copa manteve uma base em Joanesburgo, acompanhou a Seleção Brasileira, antes e durante a Copa, incluindo os preparativos em treinamentos e amistosos.

Renato Alves, 39 anos, é repórter especial do Correio Braziliense, articulista do jornal, colunista do Aqui-DF (jornal dos Diários Associados), colaborador da Revista Encontro (revista semanal do Correio Braziliense), vencedor dos prêmios Esso e Embratel de jornalismo. Participou das coberturas da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul; do terremoto no Haiti; do Programa Antártico (Proantar) brasileiro, na Antártida; dos maiores acidentes aéreos do país nos últimos 10 anos; do Caso Pedrinho.

Iano Andrade, 40 anos, é repórter-fotográfico do Correio Braziliense, finalista dos prêmios Esso, CNT, AMB e Embratel de jornalismo. Participou das coberturas da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul; da cobertura da Copa das Confederações de 2012; da tomada do Complexo do Alemão (RJ); da morte do arquiteto Oscar Niemeyer; da Máfia dos Sanguessugas.

Serviço

MOSTRA FOROGRÁFICA “AQUECIMENTO”, com fotos de Renato Alves e Iano Andrade

Dia: 19 de maio a 8 de junho

Local: Pátio Brasil – Praça Central

Horário: segunda-feira a sábado, 10h às 22h; domingos e feriados, das 12h às 20h

Entrada Franca

Informações: (61) 2107-7400