Archive for the ‘Cidade’ Category

image

Entre janeiro e outubro deste ano, as polícias efetuaram 19.667 detenções, contra 19.627 no mesmo período do ano passado

A cada hora, três criminosos são retirados das ruas do Distrito Federal pelas forças de segurança. O policiamento ostensivo executado pela Polícia Militar e as operações desencadeadas pela Polícia Civil resultaram em 19.667 prisões ocorridas nos primeiros dez meses deste ano. A média diária é de 82 detenções. No mesmo período do ano passado, foram feitas 19.627 procedimentos, segundo levantamento feito pela Secretaria de Segurança.

Resultado da ostensividade policial nas ruas das cidades do DF, as prisões em flagrante somaram 12.146, média de 50 por dia, ou ainda duas a cada hora. “Esse número de duas prisões em flagrante a cada hora é sinal de que as polícias estão trabalhando. Cada uma das forças está fazendo o seu trabalho retirando criminosos das ruas. Se boa parte desses autores não permanece presa é uma outra história”, afirmou o secretário de segurança, coronel Paulo Roberto Oliveira.

O trabalho de investigação conduzido pelas delegacias do DF foi responsável pelo cumprimento de 2.847 prisões preventivas e outras 3.245 condenatórias. As prisões temporárias somaram 302. “É importante dizer que existe um esforço muito grande das quatro forças de segurança em manter a paz e a tranquilidade no DF”, ressaltou o secretário.

Ainda foram cumpridos um total de 1.127 mandados de busca e apreensão relacionados a adolescentes em conflito com a lei envolvidos em atos infracionais análogos a crimes graves, como homicídios, latrocínios, tráfico de drogas e roubos à mão armada.

dftrans

Auditoria aponta desvio de R$ 30 milhões na bilhetagem automática. Esquema envolveria a autarquia, empresas fantasmas e concessionárias.

Do G1 DF – O DFTrans identificou 280 cartões de vale-transporte com CPFs de pessoas que já morreram que continuam sendo utilizados. A descoberta faz parte da investigação que apura o suposto desvio de R$ 30 milhões do sistema de bilhetagem automática. Segundo a denúncia, o esquema envolve empresas fantasmas, concessionárias do transporte público e a própria autarquia. As irregularidades teriam ocorrido entre 2008 e 2014. O diretor do órgão, Jair Tedeschi, diz que já foram adotadas providências.

“Pelo menos na nota da auditoria, fala em cerca de 280 registros de pessoas que já estavam mortas há dois anos e [os cartões] ainda estavam em uso. Hoje estão todos bloqueados, mas nós tivemos esta situação realmente”, afirmou o gestor. “Há indícios da mesma forma que nós tínhamos empresas que utilizavam vale-transporte com o CNPJ falso.”

Quatro validadores, que fazem a leitura dos documentos, cartões e uma máquina de crédito e débito estão na sede do DFTrans para que técnicos da autarquia ajudem a polícia a desvendar como a fraude ocorria. Os itens foram apreendidos no dia 8, durante uma operação da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Administração Pública. Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em duas empresas que prestam serviço de transporte rural para o órgão.

Os computadores recolhidos nos escritórios dessas organizações estão sendo periciados no Instituto de Criminalística. A corporação abriu cinco inquéritos para apurar as denúncias.

A apuração começou em maio deste ano e terminou no fim de agosto. O relatório tem 50 páginas e traz uma possível fraude nos cartões de vale-transporte, que são distribuídos pelas empresas para os funcionários que usam coletivos. O esquema envolveria o DFTrans, empresas de ônibus e quatro empresas fantasmas. Uma delas foi criada com o nome e endereço de um departamento da própria autarquia – a Assessoria Jurídica Legislativa.

De acordo com os auditores, as empresas fantasmas fechavam contrato com o DFTrans, mas não pagavam o valor das passagens para o órgão, como é determinado por lei. Ainda assim, a autarquia liberava os créditos para os cartões que deveriam ser usados por funcionários dessas empresas fantasmas.

A investigação apontou que os cartões foram usados milhares de vezes de forma irregular, não sendo usados por passageiros nos ônibus do sistema de transporte público. Quando o crédito dos cartões terminava, o DFTrans repassava o valor equivalente às concessionárias que participavam da fraude. O dinheiro, então, segundo a auditoria, era dividido entre os envolvidos no esquema.

O relatório apontou ainda que os cartões dos usuários eram abastecidos com valores altos e usados várias vezes, acima do limite permitido em lei e em curtos espaços de tempo. Um único documento chegou a fazer mais de mil viagens por dia. Em 2 de março, foram 1.045 transações, no valor de R$ 3.135. Em 26 de março, o cartão foi usado outras 1.041 vezes e gastou R$ 3.123. No dia 12 de agosto, 1.024 vezes, com ônus de R$ 2.355,20.

Ainda de acordo com o relatório, outro cartão foi usado 35 vezes em 88 segundos. Os auditores constataram ainda ausência de relatórios mensais de atividades e de medição para comprovar os serviços prestados.

onibus

Com paralisação de ônibus em Santa Maria, passageiros recorrem a transporte pirata na região. (Foto: Grazielle Raiane/G1)

Cootarde e Alternativa também paralisaram as atividades nesta terça (11). DFTrans diz que deve R$ 800 mil para cada cooperativa

Do G1 DF – Com a adesão de motoristas e cobradores das empresas Cootarde e Alternativa, que também relatam atraso no pagamento dos salários, a greve de rodoviários completou seis dias nesta terça-feira (11), atingindo pelo menos 11 regiões do Distrito Federal.

O ato amplia a paralisação iniciada por trabalhadores da Pioneira na última quinta-feira (6), contra o atraso de salário e tíquete-alimentação.

O diretor do DFTrans, Jair Tedeschi, informou nesta terça que deve R$ 800 mil para cada uma das cooperativas e ainda R$ 12 milhões à Pioneira. O órgão afirma que nesta segunda repassou R$ 3 milhões à viação e que teria pago também à Cootarde o valor de R$ 73 mil. A previsão dada pelo DFTrans é de que a situação seja resolvida ainda nesta terça.

No entanto, segundo o órgão, ainda não há previsão para que as dívidas sejam quitadas. “Estamos aguardando novos repasses. Precisamos de orçamento e financeiro para quitar as dívidas”, afirmou Tedeschi.

A Pioneira, no entanto, não havia confirmado o repasse até a noite desta segunda. O G1 não conseguiu contato com a empresa até a publicação desta reportagem.

Por telefone, o Sindicato dos Rodoviários do DF informou ao G1 nesta terça, por telefone, que o pagamento de parte da dívida, no entanto, não garante que os rodoviários voltarão imediatamente ao trabalho. Segundo eles, os motoristas e cobradores também reclamam que não recebem o benefício do plano de saúde adequadamente.

Prejudicados - Com a greve, moradores das regiões de Gama, Santa Maria, São Sebastião, Itapoã, Paranoá, Lago Sul, Jardim Botânico, Candangolância, Park Way e, agora, Samambaia e Brazlândia também, enfrentaram dificuldades para chegar ao trabalho nesta manhã. Entre os afetados pela paralisação da Pioneira são 200 mil moradores.

Os 50 ônibus da Cootarde que deixaram de circular atendem cerca de 20 mil pessoas nas regiões de Santa Maria, Gama, Samambaia e W3 da Asa Sul. Já a cooperativa Alternativa, que atende em Brazlândia, está em greve desde segunda e são cerca de 40 ônibus parados.

Com a Cootarde aderindo à paralisação, os moradores de Santa Maria acabam usando o transporte pirata como opção para trabalhar e estudar. Fernanda Rodrigues trabalha em uma padaria da Asa Sul e reclama do preço do transporte pirata.

“Cinco reais para ir e cinco pra voltar. Quem aguenta isso?”, disse. Segundo a passageira, no início da manhã, os piratas cobravam ainda R$ 3 reais, mas por volta das 8h, passaram a cobrar até R$ 5.

Em São Sebastião, passageiros também continuam prejudicados com a greve da Pioneira. Rosemeire Souza, trabalha em uma lotérica e disse que está chegando atrasada no trabalho desde quinta, quando começou a paralisação. Ela disse que tem gastado o preço normal para ir trabalhar, mas que o transporte pirata não para aonde ela quer.

“Só passa rodoviária [do Plano Piloto], aí de vez em quando alguém desce fazendo Gilberto Salomão [comércio que fica no Lago Sul] e eu vou. Infelizmente é o que temos para hoje”, disse.

garis

Valor Ambiental e Sustentare dizem que não receberam do GDF. SLU informou que está dentro do prazo contratual para pagamento

Garis em greve reunidos em frente à sede da Administração de Samambaia (Foto: Isabella Formiga/G1)

Isabella Formiga, do G1 DF – Garis de duas empresas que fazem a coleta de lixo no Distrito Federal entraram em greve na manhã desta segunda-feira (10) em protesto contra o atraso no pagamento dos salários. A Sustentare atende 17 regiões do DF e tem 2.074 funcionários. A Valor Ambiental atua em sete regiões, com 2.692 trabalhadores. Segundo o Sindicato de Limpeza Urbana (Sindilurb), 70% dos garis paralisaram as atividades.

A Sustentare informou que não pagou o salário dos funcionários porque o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) não fez o repasse para a terceirizada previsto para a sexta-feira (7). A expectativa é que o valor seja depositado até esta terça (11). A Valor Ambiental alega ter créditos de R$ 27,4 milhões a receber do GDF.

O SLU informou que está dentro do prazo contratual para pagamento. “A questão da greve é tratada diretamente pelas terceirizadas (Valor Ambiental e Sustentare) com os servidores. As empresas já tomaram medidas, inclusive obtendo liminar que exige que 60% dos trabalhadores cumpram suas tarefas”, informou por meio de nota.

O órgão informou ainda que “as empresas têm obrigações contratuais com o SLU, sob pena de notificação e multa, caso deixem de efetuar o serviço”. “Estamos junto às empresas cobrando uma atitude perante essa greve, que foi informada oficialmente à diretoria do SLU na manhã de hoje”, diz ainda a nota.

Apesar do atraso no pagamento dos funcionários, a Sustentare diz que os trabalhadores descumprem decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que determinou que 60% do efetivo permaneça em serviço. Segundo a empresa, apenas 30% dos trabalhadores estão nas ruas. A multa em caso de descumprimento da decisão é de R$ 50 mil por dia.

O Sindilurb disse que não foi notificado da liminar e que discute com o departamento jurídico da organização e com a Central Única dos Trabalhadores (CUT) a possibilidade de recorrer da decisão. “A Sustentare nos passou a cópia da decisão, mas não fomos notificados”, disse o diretor Clodoaldo da Silva.

A Valor Ambiental informou que parte dos funcionários da empresa recebeu os salários integralmente na sexta. Os demais receberam 33% do salário nesta segunda. A previsão é que o restante seja liberado até esta terça.

A empresa alega ter ainda a receber 10% do valor por serviços prestados em julho e 95% pela coleta de agosto. Os serviços referentes ao mês de setembro devem ser pagos no dia 15 de novembro, segundo a empresa.

Em setembro, a categoria também paralisou as atividades por conta da falta de pagamento de salário, tíquete-alimentação e vale transporte. À época, os trabalhadores afirmaram que os atrasos eram frequentes.

Trabalhadores – Enquanto a situação não é resolvida, parte dos garis que não trabalharam passaram parte da manhã em frente às usinas e garagens das duas empresas. Na usina do SLU na L4 Sul, um grupo afirmou que apenas 10% dos caminhões saíram da garagem.

Em Samambaia, mais de cem trabalhadores se reuniram em frente à Diretoria de Limpeza do SLU para aguardar a resolução do problema. Na usina de lixo do P Sul, em Ceilândia, trabalhadores bloquearam a entrada e saída de caminhões e chegaram a queimar pneus.

“A empresa disse que amanhã vai depositar metade do pagamento. Mas não voltaremos, só quando depositarem tudo”, disse o gari João Donizete. “O dono do aluguel não quer deixar eu pagar metade, a comida para eu comer também não dá só para pagar metade”, afirmou outro funcionário, Alexandre Cardoso.

Na garagem da empresa Valor Ambiental no Gama, nenhum caminhão saiu para levar os garis do asseio ou da coleta para as ruas. “Desde sexta-feira eles fazem só enrolar a gente. Disseram que ia sair um pouco hoje e um pouco amanhã. Mas não saiu foi nada”, disse a funcionária Eliane da Cruz. “Mas só vamos voltar depois que entrar todo o dinheiro.”

Os funcionários dizem que recebem R$ 926 de salário e que á a primeira vez que a Valor Ambiental atrasa o pagamento.

A gari Francisca Alves, funcionária da Valor Ambiental, diz que ela e o marido, empregado da Sustentare, aderiram à greve, mas afirma que está disposta a retornar ao serviço. “Não me importo de receber pela metade. Não tenho TV, não tenho luz. Eles querem receber integral, mas eu não me importo. Minha filha tem uma neném e sou eu quem ajudo”, disse.

“Está tudo atrasado, aluguel, contas, juros das contas que a empresa nao vai pagar”, diz a gari Maria do Rosário. “Também não recebemos vale transporte ou tíquete-alimentação.”

Nas ruas das regiões afetadas, moradores reclamam do acúmulo de lixo. A dona de casa Deusa dos Santos, de Santa Maria, diz que se viu obrigada a jogar o lixo na calçada por causa do mau-cheiro. “A gente fica na expectativa que passe [o caminhão de coleta]. Aí a gente fica com o lixo juntando em casa, mas fica muito ruim, junta mosca varejeira, bicho”, disse.

dftrans

Investigação durou três meses e analisou fraude no vale-transporte. Esquema envolveria a autarquia, empresas fantasmas e concessionárias.

Do G1 DF – Uma auditoria feita pela Controladoria Geral do governo do Distrito Federal aponta indícios de desvio de R$ 30 milhões do sistema de bilhetagem automática do DFTrans. Segundo a denúncia, o esquema envolve empresas fantasmas, concessionárias do transporte público e a própria autarquia. As irregularidades teriam ocorrido entre 2008 e 2014. O diretor do órgão, Jair Tedeschi, diz que já foram adotadas providências.

“O sistema permite que você tenha filtros em que você identifique o que está acontecendo e travas”, explicou Tedeschi. “Dá erro lá, cancela, tira do sistema o cartão ou a empresa que está agindo de forma irregular. O que foi percebido foi levado para as autoridades da área de polícia para que se iniciasse a investigação.”

A apuração começou em maio deste ano e terminou no fim de agosto. O relatório tem 50 páginas e traz uma possível fraude nos cartões de vale-transporte, que são distribuídos pelas empresas para os funcionários que usam coletivos. O esquema envolveria o DFTrans, empresas de ônibus e quatro empresas fantasmas. Uma delas foi criada com o nome e endereço de um departamento da própria autarquia – a Assessoria Jurídica Legislativa.

De acordo com os auditores, as empresas fantasmas fechavam contrato com o DFTrans, mas não pagavam o valor das passagens para o órgão, como é determinado por lei. Ainda assim, a autarquia liberava os créditos para os cartões que deveriam ser usados por funcionários dessas empresas fantasmas.

A investigação apontou que os cartões foram usados milhares de vezes de forma irregular, não sendo usados por passageiros nos ônibus do sistema de transporte público. Quando o crédito dos cartões terminava, o DFTrans repassava o valor equivalente às concessionárias que participavam da fraude. O dinheiro, então, segundo a auditoria, era dividido entre os envolvidos no esquema.

O relatório apontou ainda que os cartões dos usuários eram abastecidos com valores altos e usados várias vezes, acima do limite permitido em lei e em curtos espaços de tempo. Um único documento chegou a fazer mais de mil viagens por dia. Em 2 de março, foram 1.045 transações, no valor de R$ 3.135. Em 26 de março, o cartão foi usado outras 1.041 vezes e gastou R$ 3.123. No dia 12 de agosto, 1.024 vezes, com ônus de R$ 2.355,20.

Ainda de acordo com o relatório, outro cartão foi usado 35 vezes em 88 segundos. Os auditores constataram ainda ausência de relatórios mensais de atividades e de medição para comprovar os serviços prestados.

O diretor do DFTrans, que assumiu o cargo em maio, disse que já afastou funcionários suspeitos de envolvimento na fraude. O caso também é investigado pela Polícia Civil.

Emergência da pediatria do Hmib fica vazia por falta de médicos (Foto: Natália Godoy/G1)

Emergência da pediatria do Hmib fica vazia por falta de médicos (Foto: Natália Godoy/G1)

Saúde prometeu 12 médicos, mas mandou apenas dois, dizem pediatras. GDF diz que enviou quatro profissionais e prevê reunião para esta segunda.

Do G1 DF – Pediatras do Hospital Materno Infantil de Brasíliax (Hmib) paralisaram as atividades nesta segunda-feira (3) por falta de pessoal. A equipe disponibilizou apenas um médico no quadro de profissionais e somente para casos mais graves.

Segundo uma médica que preferiu não se identificar, eles decidiram não trabalhar porque a Secretaria de Saúde havia prometido enviar um reforço de 12 pediatras para atuar na emergência, mas mandou apenas dois.

A dona de casa Ana Santos levou a filha de 9 anos, que está com alergia pelo corpo, ao centro médico, e foi informada de que deveria procurar outro hospital. “Moro na Candagolândia, já fui no posto de lá e na UPA de Santa Maria, mas não tem pediatra. Eu já rodei e não tem. Achei que aqui ía achar, é complicado.”

Assim como ela, vários pais que chegam à emergência são aconselhados pela portaria da unidade a procurar o Hospital Regional da Asa Norte ou o Hospital de Base.

Na semana passada o Sindicato dos Médicos se reuniu com o GDF, a diretoria do Hmib, o Ministério Público e o Conselho Regional de Medicina, na tentativa de impedir uma paralisação no hospital. O Sindimedico confirmou que ficou acertado o acréscimo de 12 profissionais no quadro. Segundo o órgão, o hospital carece hoje de 24 médicos.

O G1 procurou a diretoria do Hmib, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem.

Em nota, a Secretaria de Saúde informou que o hospital está recebendo um reforço de quatro profissionais para ajudar a atender a demanda. A pasta afirmou que na tarde desta segunda “uma reunião será realizada pelas equipes de pediatria da secretaria para encontrar uma solução para o caso”.

Segundo a secretaria, para esta semana está prevista a divulgação do resultado do concurso público que prevê a contratação de 76 pediatras com vagas imediatas e 110 para cadastro reserva.

agnelo indy tony kanaan

Foto: Dênio Simões / GDF

Recebido pelo governador Agnelo Queiroz no Palácio do Buriti, o piloto garantiu que vencerá a prova no DF em março de 2015

Por Ádamo Araujo - A Fórmula Indy abre a temporada 2015 em Brasília no dia 8 de março. Sem perder tempo, Tony Kanaan, um dos pilotos brasileiros na categoria, esteve no Distrito Federal na manhã desta segunda-feira (3). Acompanhado do diretor-geral da Band Brasília, Flávio Lara Resende, o atleta veio para iniciar a divulgação da prova. O baiano foi recebido pelo governador Agnelo Queiroz, e pela presidente da Terracap, Maruska Lima.

Preparando-se para sua quarta corrida no Autódromo Internacional Nelson Piquet (já competiu duas vezes no DF pela Fórmula Ford na década de 90 e pela Stock Car, no ano passado), Kanaan espera ter em Brasília um evento ainda melhor se comparado a Rio de Janeiro e São Paulo, que receberam a categoria em anos anteriores.

“Têm muitos pilotos e torcedores norte-americanos perguntando sobre Brasília e eu só tenho coisas boas a dizer. Para mim é ótimo começar a temporada correndo no meu país. Só posso prometer a vitória para retribuir minha gratidão. Assim que eu vencer, vou me encontrar com o governador Agnelo para dar meu capacete de presente a ele”, garantiu o piloto, campeão da Indy em 1994. Após a visita ao Palácio do Buriti, Tony esteve no autódromo para gravar imagens de divulgação da Brasília Indy 300.

Para o governador Agnelo Queiroz, o evento vai além da corrida do dia 8 de março. “São pelo menos 15 dias que irão movimentar todos os setores da economia do Distrito Federal. A rede hoteleira, os restaurantes, rede de transportes e vários outros segmentos absorverão direta e indiretamente esse incremento econômico”, destacou.

REFORMAS – A Terracap estabeleceu um cronograma de atividades para garantir que o Autódromo Internacional Nelson Piquet esteja em consonância com o exigido pela organização da Fórmula Indy.

Nestes próximos dois meses, a empresa pretende finalizar o processo licitatório e a contratação dos responsáveis pelas obras, que devem começar em janeiro e seguir até dias antes da abertura da temporada.

“Nesta primeira etapa, a nossa ideia é basicamente cuidar do revestimento novo da pista e adequar as condições de segurança. Duas curvas serão antecipadas e o pit-lane será rebaixado para seguir as normas estabelecidas pela organização da prova e exigida pelo sindicato dos pilotos”, descreveu a presidente da Terracap.

Maruska Lima relembra que será adaptada uma arquibancada móvel com a previsão de abrigar cerca de 80 mil espectadores. “É importante frisar que existirão outras etapas nessa reforma. Os próximos passos serão as reformas dos boxes, paddock, centro médico e as arquibancadas fixas. O prazo para a finalização de todo esse processo é de dois anos”, enumerou.

Vale lembrar que o Cine Drive-in não será retirado e a última prova disputada antes das obras será em 6 de dezembro, quando a cidade recebe as 6 Horas de Kart de Brasília.

BRASÍLIA PARA O MUNDO – Mais de um bilhão de pessoas se mobilizam para acompanhar as disputas da Fórmula Indy, uma vez que a prova é transmitida em tempo real para cerca de 200 países.

Responsável pela veiculação da prova para o Brasil, a Band acredita que essa será uma grande oportunidade de sedimentar a imagem de uma cidade agradável e bonita que Brasília passou durante a Copa do Mundo.

“Estamos levando não apenas Brasília, mas o Brasil para o mundo. Vamos mostrar que se trata de um bom lugar para turismo, negócios, investimentos e cheio de possibilidades”, argumentou o diretor-geral da Band Brasília, Flávio Lara Resende.

Visualizando as possibilidades a longo prazo, Agnelo acredita que Brasília precisa continuar com a política de visibilidade internacional criada a partir da Copa das Confederações, no ano passado, e consolidada durante a Copa do Mundo.

“É mais uma arena que chamará a atenção de todo o mundo para nossa cidade. São, pelo menos, cinco anos de contrato com a Fórmula Indy. Para 2016, a expectativa é que tenhamos, também, a Moto Velocidade, e não pode parar por aí”, finalizou o governador. (da Agência Brasília)

medico

O Ministério Público Federal no Distrito Federal requer à União que apresente planos de trabalho e relatórios de execução do termo de cooperação e que o pagamento dos médicos cubanos seja feito diretamente pelo governo brasileiro

O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) questiona a legalidade do 3º Ajuste ao 80º Termo de Cooperação firmado entre o governo brasileiro e a Organização Panamericana de Saúde (OPAS), que permitiu a vinda de profissionais cubanos ao país, dentro do Programa Mais Médicos. Na manifestação, emitida em ação civil pública e ação popular que tramitam na Justiça Federal, o MPF/DF afirma que, além de apresentar ilegalidades, o acordo ainda coloca os cofres públicos sob risco de prejuízos incalculáveis, pois o destino efetivo dos recursos empregados no projeto e repassados à OPAS é desconhecido.

Em sua manifestação, o MPF/DF pede que o juiz modifique o atual método de repasse das bolsas aos médicos intercambistas cubanos, feito por meio da OPAS, de forma que a União pague diretamente o salário desses profissionais. O pedido decorre do fato de que o próprio governo brasileiro afirma desconhecer o destino efetivo dos recursos financeiros repassados à OPAS a título de remuneração dos médicos cubanos do Programa. O Ministério Público destaca, ainda, que cerca de R$ 510 milhões foram gastos com o programa Mais Médicos para a vinda dos médicos de Cuba somente em 2013, mas não se sabe como exatamente esse montante foi aplicado.

O MPF/DF ressalta que, no ajuste ao termo de cooperação, não estão discriminadas as obrigações administrativas, financeiras, contábeis e orçamentárias da Organização Panamericana de Saúde e do governo brasileiro. Além disso, embora o governo afirme que são repassados mensalmente, à OPAS, R$ 10 mil para custear a bolsa de cada médico intercambista cubano, foi possível verificar, a partir de acesso a contrato celebrado por um desses profissionais  com o Governo de Cuba, que apenas mil dólares são efetivamente pagos a cada profissional (valor equivalente a cerca de R$2.5 mil).

De acordo com a procuradora da República Luciana Loureiro Oliveira, que assina a manifestação, a falta de conhecimento preciso da União sobre as remunerações exatas praticadas pela OPAS e pelo governo cubano aos médicos intercambistas desse país revela claro descontrole sobre o que efetivamente tem sido feito com o dinheiro brasileiro. “Entendemos que a viabilização da vinda de tais profissionais cubanos, nos termos em que pactuados com a OPAS, se mostra francamente ilegal e arrisca o erário a prejuízos até então incalculáveis, exatamente por não se conhecer o destino efetivo dos recursos públicos brasileiros empregados no citado acordo.” No entanto, ela reconhece a importância da motivação e das finalidades do Programa Mais Médicos para o Brasil, além das inegáveis contribuições que os médicos da ilha de Cuba podem trazer para o desenvolvimento e o aprimoramento das ações do Sistema Único de Saúde.

Além dessas omissões, algumas já reconhecidas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), o MPF/DF aponta que os termos vagos e genéricos do plano de trabalho e a falta de transparência nas ações da OPAS na prestação de contas de suas atividades causam a nulidade do ajuste. Segundo a procuradora da República, a parceria também afronta o Código Global de Prática para Recrutamento Internacional de Profissionais da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), que determina que tal recrutamento seja conduzido segundo os princípios da transparência, equidade e promoção da sustentabilidade dos sistemas de saúde.

Nas ações em andamento na Justiça Federal, quando questionada sobre os termos firmados entre a OPAS e o governo cubano e entre este e seus cidadãos, a União informou ter solicitado tais documentos e que a organização teria se recusado a fornecê-los, alegando proteção por cláusula de confidencialidade.

Atendimento será realizado de forma improvisada no corredor do Hospital do Gama e população fica sem especialidades e vulnerável à contaminações

Em funcionamento desde 2007 por meio de um convênio entre a Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (Faciplac) e o Governo do Distrito Federal (GDF),  a Policlínica II, do Gama, fechará suas portas a partir de amanhã, 1º de novembro de 2014, por uma decisão da Secretaria de Saúde do DF. E pior: os mais de 20 mil atendimentos realizados pela Policlínica serão feitos de forma provisória, no corredor do Hospital Regional do Gama, também por determinação do governo.

A circular, emitida pela Secretaria de Saúde do DF para os servidores da Policlínica do Gama diz que o espaço onde hoje funciona a unidade de saúde será entregue de volta à Faciplac. Em outubro de 2013, a presidente da Comissão de Saúde da Câmara Legislativa do DF, deputada Liliane Roriz, visitou a unidade e alertou o GDF sobre a importância do atendimento realizado pela Policlínica do Gama para a população. Naquela ocasião, os responsáveis pela unidade de saúde já temiam pelo fechamento da Policlínica, já que o governo havia retirado os pediatras do local para cobrir a carência de profissionais em hospitais da rede pública.

Um ano depois, o medo da população do DF e Entorno, que eram atendidas na Policlínica do Gama se concretiza e a unidade será fechada. Com um agravante: os atendimentos serão realizados no meio do corredor no Hospital do Gama, que também é carente de profissionais e recursos para atender a demanda.

A Policlínica do Gama foi construída pela Faciplac, que atualmente financia também obras no hospital (ala de residência médica). A instituição mantém convênio com o GDF para que os estudantes frequentem o Hospital Geral do Gama, uma policlínica e cerca de 20 centros de atenção básica. Os alunos acompanham também as atividades do programa Saúde da Família, em um povoado agrícola do Distrito Federal.

A população que depende da Policlínica tem acesso gratuito a várias especialidades médicas como ortopedia, dermatologia, neuropediatria, audiometria, otorrinolaringologista entre outras, além da unidade ser equipada com aparelhos hospitalares importantes com Raio X, cabine de audiometria, imitanciometria e ecografia.

Todos os equipamentos médicos estão sendo levados para dois corredores 7 e 8 do Hospital do Gama de forma improvisada. O local não possui estrutura adequada, a fiação está exposta, os azulejos quebrados e os banheiros não estão adequados para uso. Além disso, o paciente estará exposto a todo tipo de contaminação ao ser atendido no meio de um corredor.

Segundo o documento emitido pela Secretaria de Saúde, os serviços prestados pela a Policlínica II do Gama devem ser realizados em caráter temporário, até que a secretaria defina um novo espaço para a ocupação da Policlínica – promessa feita pelo ex-secretário Rafael Barbosa desde o ano passado.

mane

A partir deste sábado (1º) moradores do DF e turistas poderão participar de visitas guiadas dentro da arena brasiliense. Os tours serão realizados entre 10h e 16h

O programa de visitação ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha foi ampliado. Turistas e moradores do Distrito Federal poderão conhecer a arena a partir deste sábado, 1º de novembro, durante visitas guiadas. Sempre aos sábados, entre 10h e 16h, serão promovidos tours com grupos de, no máximo, 50 pessoas – o que garantirá a segurança e o conforto dos visitantes.

A partir das 9h30, terá o início a distribuição de 200 ingressos para as visitas da manhã. Às 13h, começa a entrega de mais 200 tíquetes para os tours da tarde. A distribuição respeitará a ordem de chegada dos interessados, e também o atendimento ao público preferencial – cada idoso, gestante e pessoas com deficiência terá direito a ingressar no estádio com um acompanhante. À medida que se formarem grupos de 50 pessoas, terá início a visita de cada grupo.

Ponto de concentração – O acesso de pessoas com mobilidade reduzida, cadeirantes e idosos está garantido: a arena conta com elevadores e rampas. O ponto de concentração dos grupos será no portão externo S, voltado para o Ginásio Nilson Nelson: há parada de ônibus e estacionamento próximos a essa entrada.

A abertura do estádio para o público em geral aos sábados é uma nova iniciativa. Mas desde abril de 2011, antes mesmo da inauguração, o Mané oferece visitas agendadas. Já passaram pela arena alunos dos ensinos Básico, Fundamental e Médio; estudantes de Graduação em arquitetura e engenharia, além de moradores das Regiões Administrativas do DF que participaram do programa GDF Junto de Você. Oportunidades que levaram mais de 15 mil pessoas a conhecerem a arena.

Turismo cidadão – Assim como as visitas agendadas, os tours semanais de sábado serão gratuitos. Não haverá cobrança de ingresso, como ocorre em outras arenas do país, mas o Governo do Distrito Federal convida os visitantes a participarem da campanha de doação de livros infantis.

“Além de ampliar o acesso ao Mané Garrincha, esse é um projeto social que contribuirá com a formação de nossas crianças. Estamos, de uma só vez, incentivando o turismo cidadão e a educação em nossas cidades”, destaca o secretário de Justiça e Cidadania do DF, Claudio Monteiro.

Ele explica que os livros arrecadados serão entregues a creches da região, em uma parceria entre as secretarias de Turismo e Projetos Especiais e de Justiça e Cidadania. A prioridade será distribuir as doações para creches localizadas nas cidades com menor renda do Distrito Federal.

Bastidores – O passeio de sábado pelo Mané será atrativo até para quem já participou de jogos e eventos realizados dentro da arena. Isso porque, além das arquibancadas, os visitantes terão acesso à lateral do gramado e banco de reserva, túnel por onde os times entram em campo e a vestiários das equipes: áreas normalmente restritas aos craques do futebol e comissões técnicas.

Palco de sete jogos da Copa do Mundo de 2014, de partidas dos campeonatos Brasileiro e Candango, e amistosos com as seleções Brasileira e Olímpica de futebol. O Mané Garrincha foi ainda o primeiro estádio a receber uma partida de futebol de salão – jogo que registrou o maior público da modalidade: 56.578 mil pessoas, em 7 de setembro, na vitória do Brasil sobre a Argentina por 4×1. A arena também recebeu grandes shows, como as apresentações da cantora Beyoncé e dos veteranos do Aerosmith. Em 23 de novembro, será palco do primeiro show do ex-Beatle Paul McCartney em Brasília.

Para o secretário de Turismo e Projetos Especiais, Luís Otávio Neves, a ampliação do programa de visitação ao estádio vai beneficiar tanto os turistas quanto os moradores da cidade. “O Mané Garrincha se tornou um dos monumentos mais atraentes da capital. Estamos ampliando o compromisso de garantir a democratização do espaço”, afirma.

PARTICIPE:

Visitação ao Estádio Mané Garrincha

Quando: todos os sábados, entre 10h e 16h.

Ingressos: São gratuitos, mas os participantes são convidados a doar um livro infantil – as doações serão destinadas a creches do DF.

A retirada dos ingressos para as visitas pela manhã começa às 9h30. Para a tarde, os ingressos podem ser retirados a partir das 13h. Serão oferecidos 400 tíquetes (200 para cada turno).

Acesso: A entrada se dará pelo portão externo S, voltado para o Ginásio Nilson Nelson. Os interessados serão encaminhados à bilheteria do portão interno 5, onde haverá a distribuição dos tíquetes gratuitos para as visitas guiadas.

Tours: Com intervalos médios de 45 minutos, grupos de 50 pessoas terão acesso ao estádio por vez. Serão respeitados a ordem de chegada e o atendimento ao público preferencial, sendo que cada preferencial poderá estar com um acompanhante.

Visitas agendadas: As instituições interessadas devem encaminhar a solicitação para o e-mail estadio.visitas@gmail.com. Os pedidos serão atendidos de acordo com a disponibilidade do estádio.

morar

Número de contemplados pelo programa passa de 129 mil

Mais 1,8 mil famílias foram habilitadas pelo Programa Minha Casa Minha Vida/Morar Bem, conforme publicado no suplemento do Diário Oficial do Distrito Federal dessa quarta-feira (29). Com isso, os novos contemplados estão de acordo com a política habitacional do DF e mais próximos de receber a sonhada moradia. Agora, já são mais de 129 mil habilitados.

Da nova lista, 1.286 famílias são da Relação de Inscrição Individual (RII), e 596 são da Relação de Inscrição por Entidade, ou seja, com indicação de cooperativas habitacionais, totalizando 1.882 beneficiados, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Sedhab).

Para a pessoa ser habilitada, é preciso obedecer aos critérios da Lei 3.877/2006. Entre os requisitos estão: morar no DF pelo menos nos últimos cinco anos, nunca ter tido imóvel no DF, ter renda mensal de até R$ 8.688 e ser maior de 18 anos. “Nem todas as pessoas inscritas no Programa, quase 376 mil famílias, estão de acordo com a política habitacional do DF e aptas a receber a moradia de interesse social”, destacou a secretária de Habitação, Jane Diehl.

O próximo passo do programa é encaminhar as famílias habilitadas, que comprovaram os dados fornecidos no momento da inscrição, ao banco – Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil – para a assinatura do contrato de financiamento da moradia. Vale lembrar que a verificação de restrições financeiras referentes ao CPF é realizada pelo banco.

CEB

Licitação para iluminação pública em 2001 teria sido direcionada. Quatro réus foram inocentados no mesmo julgamento; cabe recurso.

Do G1 DF – A 5ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal condenou por improbidade administrativa o ex-superintendente da Companhia Energética de Brasília (CEB) José Gabriel Filho e o ex-diretor de operações da empresa Citéluz, César Augusto Ribeiro Teixeira. Cabe recurso.

Em contestação apresentada ao tribunal, os seis acusados argumentaram contra a ocorrência de qualquer ato de improbidade. Quatro réus do processo foram inocentados no julgamento. O G1 não conseguiu contato com a defesa dos acusados.

A ação civil pública foi aberta pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) em 2007, relativa a uma licitação de 2001. Segundo o processo, a Citéluz foi beneficiada na concorrência para executar um projeto de iluminação pública.

No entendimento do juiz substituto Mário Henrique Silveira de Almeida, autor da sentença, Filho e Teixeira fizeram um acordo para burlar a licitação. Com isso, a empresa citada recebeu pontuação alta nos critérios técnicos e teve acesso privilegiado a um software descrito como essencial ao projeto.

“Percebe-se que o ajuste estabelecido entre o quinto e o sexto réu logrou corromper o processo licitatório. Retirou o caráter concorrencial da licitação”, diz a sentença.

Os dois ex-gestores foram condenados ao pagamento de multa e à suspensão dos direitos políticos por três anos, além da proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios, incentivos fiscais ou de crédito pelo mesmo período.

A entrega da premiação do 11º Prêmio Engenho de Comunicação – O Dia em que o Jornalista Vira Notícia, com a revelação dos vencedores em dez categorias do Jornalismo, irá acontecer no dia 19 de novembro, na Embaixada de Portugal, em Brasília. Finalistas e vencedores foram escolhidos por uma comissão julgadora comporta por notáveis, representantes da sociedade civil: ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro José Múcio Monteiro, do Tribunal de Contas da União (TCU), presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, presidente da Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR), Alexandre Camanho, e o prof. dr. Alexandre Kieling, diretor da Universidade Católica de Brasília.

Empresa genuinamente brasiliense fundada em 2002, a HPlus é a administradora hoteleira oficial do 11º Prêmio Engenho de Comunicação – O Dia em que o Jornalista Vira Notícia. Sob a direção da empresária Ana Paula Faure, a HPlus conta com dez empreendimentos em operação, 1500 apartamentos em diária, 5 mil condominiais, dois novos hotéis recentemente inaugurados – o Athos Bulcão Hplus Executive e o Cullinan Hplus Premium, ambos no Setor Hoteleiro Norte – e mais dois novos hotéis a serem abertos até o final do ano: o Fusion Hplus Express + e o Vision Hplus Express +, até o final deste ano.

“Assim como o Prêmio Engenho, a HPlus é genuinamente brasiliense e valoriza, com sua competente atuação nacional, a Capital do país. É uma honra contarmos com essa parceira. Teremos hotéis de alto nível, padrão internacional e localização privilegiada para receber os convidados do Prêmio Engenho e o artista que fará o show de encerramento, na noite de premiação”, comenta a jornalista Kátia Cubel, presidente do Prêmio Engenho de Comunicação.

Parceiros do Prêmio Engenho

O 11º Prêmio Engenho de Comunicação – O Dia Em Que O Jornalista Vira Notícia conta com o patrocínio das seguintes organizações: Bancorbrás, BRB, Embraer, SweetCake, Via Engenharia e Petrobrás.

Apoios Institucionais: Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF),  Fecomércio-DF,  OAB – Conselho Federa, Embaixada de Portugal, Sistema Cofeci-Creci.

Apoios: IDP – Instituto Brasiliense de Direito Público, Casapark, Vintage Vinhos, Gráfica Ipiranga, Digitrack Mobile Solutions.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Mais de 14 mil pessoas já quitaram seus débitos com descontos nos juros por meio do Programa de Recuperação de Créditos (Recred)

Mais de 14 mil pessoas já negociaram suas dívidas com a Caesb por meio do Programa de Recuperação de Créditos (Recred) no valor total de R$ 33 milhões. Os outros 54 mil devedores, que possuem o montante de R$ 322 milhões de contas vencidas incluindo dívidas do setor público, têm até o dia 31 de dezembro deste ano para entrarem em contato com a empresa.

Para aderir ao programa, é necessário se dirigir às Gerências de Atendimento ao Público da Caesb (escritórios regionais) ou aos postos do Na Hora, até a data estabelecida, portando originais e cópias de identificação pessoal, de comprovação de propriedade ou posse do imóvel, e a procuração, no caso de representante legal.

Além da vantagem de obter descontos nos juros, ao negociar suas dívidas o cliente deixa de sofrer risco de ter o fornecimento de água cortado, fica livre de responder à ação na Justiça e de ter seu nome negativado no Serasa ou outros órgãos de proteção ao crédito. As pessoas interessadas podem buscar mais informações por meio do Escritório On-line (na homepage do site da Caesb) ou pela Central 115.

Os descontos concedidos pela empresa estão apresentados na tabela abaixo:

Forma de Pagamento Descontos nos Juros

À Vista                           99%

Até 12 meses                 90%

Até 18 meses                 80%

Até 24 meses                70%

Até 36 meses                60%

Com equipamentos de alta tecnologia, CGI garantirá maior eficiência de serviços públicos

O Decreto nº 35.939, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de sexta-feira (24), regulamenta o Centro de Gestão Integrada do DF (CGI/DF). O CGI foi criado para garantir mais eficiência dos serviços públicos e respostas rápidas a quaisquer incidentes, a partir da cooperação e integração entre os órgãos do governo e do suporte de tecnologia.

O decreto publicado nesta sexta-feira organiza a estrutura do Centro, que será instalado em um prédio atrás do Detran-DF, onde já funciona o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), da SSP/DF. A reforma do local será iniciada em novembro, e as obras devem ser concluídas no início de 2015.

O ambiente contará com representantes de todas as áreas do governo para que as ações sejam monitoradas com mais propriedade e, quando necessário, os problemas sejam resolvidos rapidamente. “O local terá alta tecnologia implantada, com informações estratégicas que auxiliarão o funcionamento das regiões e a gestão de crises, seja qual for a área”, explicou o secretário-chefe da Casa Civil do DF, Swedenberger Barbosa.

Para facilitar a integração, garantir o cumprimento de metas do governo e servir de apoio para tomada de decisão, o CGI fará a integração de diversos sistemas de órgãos do GDF. Em caso de incidentes, o centro também estará preparado para respostas rápidas e eficientes – por exemplo, em um acidente de trânsito em que o veículo derrube um poste e o fornecimento de energia seja interrompido.

A implantação do CGI/DF está sendo acompanhada e coordenada pela Casa Civil do DF e pelas secretarias de Governo (Segov), de Segurança Pública (SSP), de Planejamento (Seplan) e de Publicidade Institucional e Comunicação Social do DF. O funcionamento do CGI, no entanto, terá atuação de representantes de diversos outros órgãos do GDF no espaço físico do Centro.

INEDITISMO – A contratação do CGI/DF foi realizada pela Secretaria de Governo e é um projeto de parceria público-privada (PPP). O projeto é inédito no Brasil, uma vez que outras estruturas no País não concentram tantas ações em um mesmo espaço, e, geralmente, são voltadas exclusivamente para a segurança pública ou para a mobilidade urbana.

Foto Glaucya Braga

Foto Glaucya Braga

Decreto foi assinado nesta quarta-feira (22)

O Distrito Federal abrigará o mais novo museu para retratar a trajetória da cultura negra no Brasil. O Museu Nacional da Memória Afrodescendente será construído na QL 24 nas margens do Lago Paranoá.

O terreno foi cedido pelo Governo do Distrito Federal à União, cujo decreto de transferência da área foi assinado nesta quarta-feira (22) pelo governador Agnelo Queiroz, pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, e pela presidente da Terracap, Maruska Lima de Sousa Holanda. Participaram do cerimonial de transferência do terreno representantes dos movimentos da cultura negra e o secretário da Casa Civil, Swedenberger Barbosa.

Para o governador Agnelo Queiroz, Brasília terá mais um atrativo para os turistas que desejam explorar a capital. “Esse museu tem tudo a ver com a nossa cidade, que carrega em seu DNA essa miscigenação dos povos e de culturas. Será resgatada a memória afrodescendente no Brasil, contada a partir dessa instalação, que também agrega valor à cidade e estimula o turismo”, disse.

O museu será um espaço moderno e um Centro de Referência da Cultura Negra. Lá, o visitante poderá conhecer e pesquisar sobre a trajetória dos povos afrodescendentes no Brasil. “Espero que possamos ter um novo centro turístico, até pela beleza da arquitetura, que é o ápice de Brasília. O Brasil abrigou mais da metade dos negros escravos que fugiram da África. Esse povo deve ser homenageado e lembrado pela sua importância”, afirmou a ministra da Cultura, Marta Suplicy.

IMPORTÂNCIA – Segundo a ministra, esse será um museu interativo, onde as pessoas poderão fazer pesquisas e saber o papel da África no Brasil. “Todos nós, brasileiros, temos uma identidade negra seja pela música, dança ou pela comida tipicamente afrodescendente. Isso não é suficientemente exposto para todos e com o museu vamos resgatar essa história, mostrando que nosso país tem muito da mão negra”.

Estão sendo coletadas experiências em museus de todo o mundo a fim de encontrar a melhor forma de contar a história do negro no país.

CONCURSO – O projeto de implantação do museu será realizado a partir da contratação do Instituto de Arquitetos do Brasil – DF para a realização de um concurso internacional destinado à escolha do projeto de arquitetura, bem como o acompanhamento da respectiva construção.

O concurso internacional será feito após a consolidação de todos os papéis de cessão do terreno e valores a serem investidos. A Fundação Cultural Palmares será a administradora da instituição.

Para o período chuvoso do Distrito Federal, entre os meses de outubro e abril, está prevista a manifestação de fenômeno meteorológico de natureza grave. As características desse fenômeno são chuvas intensas, isoladas e de curta duração, associadas a ventos fortes de rajada com velocidade de até 90 Km/h, à tarde e no início da noite.

O impacto das chuvas tem ocasionado severos danos e perdas aos equipamentos públicos e privados e, não menos diverso, à integridade e ao patrimônio da comunidade. Por conta disso, a Defesa civil do Distrito Federal orienta a população a terem os seguintes cuidados:

Antes das chuvas

-     Providencie a poda ou corte de árvores próximas a residências, com risco de queda. (Procure o Departamento de Parques e Jardins da Novacap ou a Administração Regional);

-     Conserte as falhas no telhado. Troque as telhas quebradas, reforce os pinos de fixação ou as madeiras;

-     Isole a fiação elétrica;

-     Não acumule lixo nem entulhos nas ruas. Com a chuva, os mesmos vão parar nos bueiros ou bocas-de-lobo causando entupimentos.

Durante as chuvas

-     Se o nível da água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro. Se estiver ao ar livre, procure um abrigo seguro, longe de árvores. Elas atraem raios e seus galhos podem cair.

Logo depois das chuvas

-     Cuidado com a água que for beber. Veja se não foi contaminada pela inundação. Isso traz sérios riscos à sua saúde.

-     Não use equipamentos elétricos que tenham sido molhados, pois há risco de choque elétrico e curto circuito.

No trânsito

- Dirigir sob chuva forte requer dos motoristas cuidados adicionais e uma atenção maior.

- Procure um local alto e espere o nível de água baixar;

- Não pare o carro próximo a árvores ou postes. Há risco de não resistirem ao vento e cairem sobre o carro. Os fios dos postes podem ainda arrebentar, provocando acidentes com choques;

- Não ande ao lado de caminhões e ônibus. A marola provocada por eles pode inundar o seu carro;

- Ao atravessar poças, mantenha aceleração contínua, em primeira marcha;

- Diminua a velocidade e procure aumentar a distância do veículo da frente;

- Não passe com seu veículo em vias em que não é possível visualizar parte do meio fio;

- Sintonize o rádio do carro nas emissoras que estejam orientando os motoristas.

CUIDADO: Poças d’água podem ocultar buracos.

Chuvas acompanhadas de raios.

Se estiver em casa

- Use somente telefone sem fio;

- Fique distante de tomadas, canos, janelas e portas metálicas;

Se estiver na rua

- Evite segurar objetos metálicos longos como varas de pescas e tripés;

- Pipas ou aeromodelos com fio devem ser evitados;

- Evite andar a cavalo;

- Saia da água em piscinas, córregos, rios e lagos.

Outras recomendações para evitar acidentes com raios

- Evite lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios, tais como:

- Celeiros.

- Tendas ou barracos;

- Tratores, motocicletas ou bicicletas;

- Campos de futebol;

- Quadras de tênis;

- Estacionamentos;

- Alto de morros ou topos de prédios;

- Cerca de arames, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos;

NUNCA SE ABRIGUE DEBAIXO DE ÁRVORES

Seja rápido na iminência de inundações, alagamentos, desabamentos e soterramentos:

- Abandone sua residência nos casos de maior gravidade (havendo muita infiltração, algum barulho estranho, rachaduras nas paredes, etc.);

- É preferível perder bens à vida;

- Saia de casa, caso more às margens de córregos ou próximo a encostas;

- Procure manter a calma acima de tudo;

- Providencie a evacuação do local e retirada das pessoas que ainda estejam correndo risco;

- Providencie socorro às vitimas através dos bombeiros;

- Transmita alarme aos vizinhos em caso de súbita elevação das águas;

- Há riscos sérios nas correntezas de vias, córregos e rios porque são violentas e carregam objetos cortantes e perfurantes, além do risco de se carregado por ela;

- Coloque etiquetas ou identifique os móveis de alguma forma caso tenha que ser transportado para um abrigo;

- Ensine sua família a proteger-se. Converse sobre estes conselhos.

Ligue em primeiro lugar para os bombeiros (Telefone 193).

O encontro é voltado aos trabalhadores da Atenção Básica de Saúde

Profissionais de saúde se reúnem, de hoje (20) até sexta-feira (24), para discutir e debater com gestores os indicadores maternos e infantis durante a Terceira Semana Distrital de Saúde da Criança. O encontro acontece das 9h às 18h, no auditório da Legião da Boa Vontade (LBV), localizado na SGAS 915 Sul.

O evento tem o objetivo de treinar os profissionais de saúde buscando o aprimoramento da qualidade da assistência infantil e capacitar os profissionais quanto a promoção e incentivo ao aleitamento materno, na triagem do recém-nascido além de discutir o enfrentamento dos problemas prevalentes na infância como doenças respiratórias, obesidade e promoção da saúde bucal.

Segundo o chefe do Núcleo de Saúde da Criança da Secretaria do Distrito Federal, Claudio Lima Júnior, médicos de família, nutricionistas, cirurgiões dentistas, pediatras, enfermeiros que atuam na Atenção Básica de Saúde vão debater questões como mudanças de praticas, reorganização dos serviços e divulgação dos protocolos das linhas de cuidados.

Durante a Semana – dentro da programação – haverá seminário de vigilância do óbito infantil e materno; fórum de discussão da Iniciativa Hospital Amigo da Criança. Nesta terça-feira (21), às 19h,  haverá bate-papo com a comunidade por meio do mediador professor da Unicamp, pediatra e escritor, José Martins Filho.

Policia_Civil

Em assembleia geral extraordinária, a categoria votou pela paralisação para pressionar o poder executivo

A partir das 8h da terça-feira (21), os policiais civis do Distrito Federal vão parar por 48 horas. A decisão veio durante assembleia geral extraordinária realizada última quarta-feira (15). A categoria reivindica o reconhecimento em lei do nível superior para os cargos da PCDF.

O governador Agnelo Queiroz encaminhou a mensagem 251/2014 – GDF ao poder executivo. O documento sugere que a presidência elabore um projeto de lei, que entraria na pauta do Congresso Nacional em regime de urgência, para garantir o reconhecimento do nível superior para a carreira da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), em especial os cargos de agente de polícia, escrivão, papiloscopista e agente penitenciário.

Há 18 anos, a categoria busca a conquista e “mesmo com a exigência do diploma de nível superior para entrar na Polícia Civil, os cargos e as carreiras não são reconhecidos como tal, pois falta a regulamentação”, explica o presidente do Sinpol-DF, Rodrigo Franco.

Outra demanda é a ampliação do atual quadro de profissionais. Atualmente, o DF enfrenta um déficit em todos os cargos da Polícia Civil. O governo federal, pela lei 12.803/2013, autorizou a criação de vagas. Contudo, o último concurso público realizado em 2013 não as contempla. Dos 1.122 aprovados, 500, que já fizeram o curso de formação, ainda aguardam a nomeação.

A próxima assembleia está marcada para a terça-feira (21) a partir das 14h30 em frente ao Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG), na Esplanada dos Ministérios. Caso as demandas não sejam atendidas, o presidente reforça que “a mobilização poderá ser maior e a paralisação poderá ser estendida”, finalizou.

Estado de alerta em relação à umidade do ar

A Defesa Civil do Distrito Federal declara, para conhecimento público, “estado de alerta” em relação à umidade do ar. A umidade há cinco dias consecutivos está entre 12% e 20%.

Recomendamos a suspensão das atividades nas instituições onde for percebido qualquer sinal de agravo à saúde, como tosse, falta de ar e mal-estar. A decisão de liberar estudantes e trabalhadores, no entanto, fica a cargo dos estabelecimentos.

Recomendamos, ainda, a suspensão da atividade física para crianças, além da ingestão de bastante água e pouca exposição ao sol.

Sede da Terracap

Área de 220 mil m² constituirá a Reserva Indígena Kariri-Xocó do Bananal-DF; Estatal ainda construirá unidades habitacionais com a infraestrutura, um centro de convivência e ocas

A Terracap firmou um acordo com representantes de 16 famílias Kariri-Xocó e Tuxá, que atualmente ocupam uma área no Noroeste, para constituir a futura Reserva Indígena Kariri-Xocó do Bananal-DF. O Termo de Compromisso, assinado com a Fundação Nacional do Índio (Funai), põe fim a demandas jurídicas existentes com indígenas.

Uma área de 22,08 hectares, aproximadamente 220 mil m², (correspondente a quase 20 campos de futebol) de propriedade da Terracap, localizada entre o viveiro de mudas da Novacap e o Parque Nacional de Brasília, será doada pela estatal à União e destinada à posse permanente e usufruto dos Kariri-Xocó.

Além de doar a área que abrigará a nova reserva indígena, em dezenove meses a Terracap deverá ter elaborado todos os projetos das edificações que servirão aos índios. Também deve construir, até abril de 2016, dezesseis unidades habitacionais com a infraestrutura de sistema de distribuição de energia, abastecimento de água, captação de esgoto, cercamento do perímetro, além de benfeitorias como um centro de convivência e ocas.

O compromisso também inclui projetos de reflorestamento e remoção das árvores produtivas, frutíferas e de espécies de valor simbólico e uso para artesanato que estão na área atualmente ocupada pelos índios para a área da nova reserva indígena.

O documento que define o compromisso foi assinado pela presidente da Terracap, Maruska Lima, o diretor técnico da Terracap, Jorge Francisconi, a presidente da Funai, Maria Augusta Assirati e o cacique Kariri-Xocó, Ivanice Tanoné.

Cumprido o acordado, as partes se obrigam a desistir dos processos judiciais. As famílias desocuparão a área no Noroeste e seguirão à nova reserva.

Os cerca de 1,5 mil litros coletados mensalmente são insuficientes para suprir a demanda

Para atender todo o Distrito Federal e Região Metropolitana, os 12 bancos de Leite da Secretaria de Saúde do DF precisam dobrar a quantidade de doações. Mensalmente, são coletados cerca de 1,5 mil litros, que atendem 900 crianças, mas a demanda ainda é superior à oferta.

“O DF tem alguns diferenciais em relação aos demais estados. Além de atendermos às cidades do entorno, nós suprimos as necessidades de todas as crianças que estão nas UTIs neonatais da nossa rede, independentemente de serem prematuras ou não. Isso não acontece em lugar algum do País e, por isso, precisamos dobrar nossa arrecadação”, explicou a coordenadora do Banco de Leite do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), Miriam Santos.

No mês de julho, foram doados cerca de 1,8 mil litros, o que ampliou para 1.123 o número de crianças atendidas. “Nossa preocupação aumenta neste final de ano. Muitas mães doadoras saem de férias e viajam. Nossos estoques baixam bastante e a gente começa o ano quase que no vermelho”, lamentou Miriam, salientando que o leite, após pasteurizado, tem seis meses de duração, mas a necessidade é tão grande no DF, que muitos estoques zeram em 10 dias.

Parceria com bombeiros – Para as mães interessadas em doar, a Secretaria de Saúde tem parceria com o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF). Ao ligar no Disque 160, opção 4, a doadora faz um breve cadastro e, dias depois, uma equipe de bombeiros vai ao domicílio levar o material e agendar o retorno para buscar os frascos com leite.

Tal parceria conferiu à Corporação, em 1998, o título de “Corpo de Bombeiros Amigo da Criança”, premiação concedida pelo Unicef, tornando-se a única instituição não hospitalar a receber essa comenda.

O CBMDF realiza a coleta para 12 bancos de leite e conta com 24 militares e 10 viaturas para realizar o serviço. Além de buscar as doações, os militares atendem emergências demandadas pelos bancos de leite; orientam as doadoras sobre os procedimentos de higienização, ordenha manual e congelamento do leite humano; instruem quanto à prevenção de doenças mamárias; sensibilizam as mães sobre a importância do aleitamento materno; e orientam sobre a nutrição dos seus filhos.

“O programa de aleitamento materno da secretaria em parceria com o CBMDF contribui de forma essencial com o compromisso da redução da mortalidade infantil e tomando como parâmetro a missão dos bombeiros de salvar vidas”, disse o coordenador-geral dos Programas Sociais da corporação, coronel Ferrari Júnior.

O Distrito Federal conta com 15 bancos de leite humano, sendo 12 públicos (Forças Armadas, Asa Norte, Asa Sul, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Planaltina, Paranoá, Sobradinho, Santa Maria, Taguatinga, no Hospital Universitário de Brasília) e três privados. Existem três postos de coleta, sendo dois públicos (São Sebastião e Samambaia) e um privado.

Prazo termina em 31 de dezembro, e quem não atualizar os dados terá seu benefício bloqueado

Cerca de dois milhões de beneficiários do INSS ainda não formalizaram a prova de vida, também chamada fé de vida. O prazo inicial para a renovação da senha e a comprovação de vida nas instituições bancárias era 28 de fevereiro de 2014, porém, foi prorrogado até 31 de dezembro deste ano.

Conforme informações da Dra. Simony Prado, advogada da ANSP – Associação Nacional da Seguridade e Previdência, o recadastramento é obrigatório, e feito por meio da renovação da senha utilizada para recebimento do benefício. Contudo, apesar de ser um procedimento simples, a não realização causa a cessação do benefício e caso isso ocorra, o segurado deverá se submeter a todos os procedimentos para requerimento de um novo benefício.

Ainda de acordo com a Dra. Simony, para realizar este recadastramento o segurado não precisa comparecer na Agência da Previdência Social. “A prova de vida deverá ser formalizada na Agência do seu banco pagador, onde habitualmente recebe seu benefício, por meio da renovação de sua senha. Para isso, basta estar munido de documento de identificação com foto e de fé pública (Carteira de identidade, Carteira de trabalho, CNH, entre outros)” explica.

O recadastramento para prova de vida é muito importante para o segurado, uma vez que garantirá o recebimento de seu benefício, além disso, é uma arma importante contra fraudes. Contribui com a diminuição do contingente de crimes de fraude previdenciária, como recebimento por parente de benefício de segurado já falecido.

A ANSP oferece para seus associados à orientação e consultoria previdenciária pessoal. Além de profissionais especializados e altamente qualificados, sempre atentos aos interesses dos segurados. Mais informações através do site: www.anspbeneficios.org.br

Sindicato diz que não foi notificado; multa só é aplicada após comunicado. GDF e categoria participam de audiência no tribunal na tarde desta quinta.

Motoristas e cobradores da Viação São José decidiram ignorar a decisão do Tribunal Regional do Trabalho e mantiveram todos os ônibus parados nesta quinta-feira (9), quando a paralisação completa quatro dias. Eles dizem que ainda não foram notificados de que 50% da categoria deveria retomar o serviço, sob pena de multa de R$ 50 mil. Por telefone, o Sindicato dos Rodoviários disse que aguarda o resultado da audiência de dissídio de greve, marcada para as 14h30.

A paralisação começou na tarde de segunda. O grupo pede o parcelamento do desconto do Imposto de Renda, INSS e taxa sindical, além do pagamento de horas extras. Com isso, 576 veículos tenham deixado de rodar, afetando 100 mil passageiros de Taguatinga, Ceilândia – duas das regiões mais populosas do DF – e Brazlândia.

Ônibus incendiado na garagem da Viação São José (Foto: Isabella Formiga/G1)

Ônibus incendiado na garagem da Viação São José (Foto: Isabella Formiga/G1)

O TRT informou que a multa só passa a ser aplicada depois que o sindicato é notificado por um oficial de Justiça, e que, como a decisão do tribunal foi tomada na noite desta quarta, é possível que a categoria não tenha sido informada a tempo.

“Temos uma proposta na mão do presidente do sindicato e vamos colocar em votação na assembleia”, disse o diretor de imprensa do sindicato, João Jesus de Oliveira. “A greve continua pelo menos até 14h30, vamos sentar com os trabalhadores e passar a proposta.”

Um dos 2,2 mil rodoviários que aderiram à greve, o motorista Josué Rodrigues disse que não voltou au ao trabalho porque não recebeu nenhuma orientação do sindicato. “Não foi nada resolvido. Não entregaram nada para a gente e o sindicato não nos informou.”

Ele conta que esperava receber pelo menos R$ 1,3 mil de salário, mas que apenas R$ 500 foram depositados na conta. “Além do desconto dos impostos, o pagamento veio sem as horas extras devidas. Descontaram tudo de uma vez, multa, pensão alimentícia, FGTS, INSS. O salário veio uma mixaria. Não foi comunicado nada para nós, se nã já teríamos pagado as contas com o adiantamento [depositado no dia 20 do último mês]. O trabalho do motorista já é uma profissão ingrata, somos xingados, zuados, e ainda não recebemos nossas horas extras?”, questionou.

O auxiliar de cinegrafista José Barreto, que vive na Expansão do Setor O, em Ceilândia, diz que precisa pegar um microônibus para ir até a estação do metrô e depois chegar ao Plano Piloto.

“Geralmente pego o ônibus da São José direto da própria Expansão, às 5h20, ao lado da minha casa, e ele me deixa na rodoviária”, afirma. “O metrô e o microônibus só funcionam a partir de 6h, então nem adianta chegar mais cedo. Tenho que pagar duas passagens ainda, porque o microonibus que tem integração está sempre cheio e só sai de hora em hora.”

Incêndio - Dois ônibus da Viação São José foram incendiados na madrugada desta quarta-feira dentro da garagem da empresa no Recanto das Emas. A empresa informou que registrou ocorrência na Polícia Civil e que os veículos, pertencentes à frota nova, custaram mais de R$ 300 mil cada um. Três viaturas do Corpo de Bombeiros estiveram no local para controlar as chamas.

Equipes da Polícia Militar também estiveram no local. Foi encontrado um buraco no muro da garagem, mas não é possível afirmar se ele teria sido feito para possibilitar o crime. Nesta quinta, o buraco ainda não havia sido tampado, mas vigilantes foram alocados para trabalhar nas garagens da empresa.

Na terça, o diretor do DFTrans, Jair Tedeschi, disse ao G1 que cerca de 40 veículos das empresas Marechal, Piracicabana, Cootarde e Riacho Grande foram colocados em circulação para suprir a demanda. (Isabella Formiga, do G1 DF)

morar

Lista com mais 3035 inscritos foi divulgada no Diário Oficial do Distrito Federal desta quinta-feira

Mais 3035 inscritos no Minha Casa, Minha Vida/ Morar Bem foram habilitados, nesta quinta-feira (9), e estão  de acordo com a política habitacional do DF. Com o novo número, já são 124.929 famílias mais próximas de realizar o sonho da moradia própria por meio do programa.

Da nova lista, divulgada hoje no DODF, 828 famílias são da Relação de Inscrição Individual (RII) e 2.207 da Relação de Inscrição por Entidade (RIE), ou seja, com indicação de cooperativas.

Para a pessoa ser habilitada, é preciso obedecer aos critérios da lei 3.877/2006. Entre os requisitos estão: morar no DF pelo menos nos últimos cinco anos, nunca ter tido imóvel no DF, ter renda mensal de até R$ 8.688,00 e ser maior de 18 anos.

O próximo passo do Programa é encaminhar as famílias habilitadas, que comprovaram os dados fornecidos no momento da inscrição, ao banco – Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil -, para a assinatura do contrato de financiamento da moradia. Vale lembrar que a verificação de restrições financeiras referentes ao CPF é realizada pelo banco.

A Cara de Brasília Pelo Sorriso de Suas Crianças

No mês de outubro, ensaio fotográfico online exibe 31 imagens que retratam o sentimento mais belo e puro dos pequenos brasilienses

O sorriso é a principal característica de uma criança. Durante o mês de outubro, a exposição fotográfica online “A cara de Brasília pelo sorriso de suas crianças”, do fotógrafo brasiliense Rener Oliveira, mostrará a alegria que estampa os rostinhos daqueles que um dia serão o futuro da capital federal.

“Em meu trabalho como fotógrafo de famílias, percebo que todas as crianças que passam diante das minhas lentes têm um ponto em comum e bem característico: o sorriso. Não importa se o dia está quente ou frio, se aquela é uma semana de estudos ou de férias, se acabou de sair de um resfriado ou está com plena saúde. Sempre é possível ver um sorriso tímido, leve, espontâneo ou uma gostosa gargalhada”, observa o fotógrafo Rener Oliveira. Para o projeto, ele percorreu várias cidades do DF, em busca não só de rostinhos infantis sorridentes, mas das histórias que eles escondem ou revelam.

O resultado desse trabalho pode ser conferido pelo público durante todo o mês de outubro. A mostra reúne 31 fotografias que retratam o sentimento mais belo e puro dos pequenos. Com uma imagem postada, a cada dia, no site www.caradebrasilia.com.br e na fanpage www.fb.com/renerfotografia, o projeto ressalta que a felicidade na fase inicial da vida não depende de fatores externos. Ao contrário, faz parte da essência da infância.

A exposição retrata histórias comuns e extraordinárias de crianças com todo o tempo para estudar e brincar e também daquelas que desde muito cedo acompanham os pais ao trabalho, que dá sustento à família; de meninos e meninas com plena saúde ou que, ainda pequenos, enfrentam uma batalha pela vida; de filhos únicos ou com vários irmãos; que vivem com os pais biológicos ou encontraram uma nova família.

Espaço receberá investimento de RS 3,2 milhões, e obra deve durar 12 meses

A reforma e a restauração do Museu de Arte de Brasília (MAB), fechado há quase uma década, começaram nesta semana. A obra faz parte da política de recuperação de espaços culturais, que já entregou o Catetinho, o Panteão da Pátria, o Cine Brasília, a Casa do Cantador e a Concha Acústica.

A ordem de serviço para a reforma do espaço – de R$ 3,2 milhões – foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal neste mês. A previsão é que as obras terminem em outubro de 2015.

A área, de pouco mais de cinco mil metros quadrados, é dividida em três pavimentos. A obra prevê que sejam feitos os restauros de pisos, paredes e esquadrias, cobertura, pinturas e acabamentos, instalações em geral e acessibilidade.

TRANSFORMAÇÃO – O maior destaque da obra será transformar o pavimento que hoje é o subsolo em térreo, que será a reserva técnica do museu. Também estão previstas as instalações de corrimãos, guarda-corpo metálico, piso antiderrapante, porta de emergência, banheiros adaptados e recuperação do alambrado e da grama. Também haverá criação de espaço gourmet no térreo.

Outras mudanças previstas estão no projeto para adequar o MAB às regras internacionais do Conselho Internacional de Museus (Icom) e criar condições para que ele possa funcionar como tal.

HISTÓRICO- O prédio foi erguido em 1960, com projeto dos técnicos da Novacap, seguindo padrões de arquitetura moderna, por sua volumetria e predominância de vãos livres. Ele abrigou inicialmente o Clube das Forças Armadas e, posteriormente, o Casarão do Samba.

O museu foi criado em 1985 e está subordinado à Secretaria de Cultura do DF. Seu acervo foi formado com peças que existiam dispersas pelas instalações da Secretaria, provenientes de salões e doações, desde a década de 1950, entre gravuras, pinturas, esculturas, fotografias, desenhos, objetos e instalações.

Foto Brito (2)

Ponto turístico passou por reforma e já embeleza a área central do Plano Piloto

Após um ano e meio desligada para serviços de reparo no mecanismo dos bicos injetores, conjunto de motobombas, quadros e iluminação, as duas fontes da Praça do Buriti voltaram a funcionar. De acordo com a Novacap, o investimento aplicado foi de R$ 260 mil, e o contrato da obra garante a manutenção mensal por um ano.

“A praça reúne os três poderes do governo local, ganhando em simbolismo e atraindo maior número de transeuntes e também de turistas”, destacou o presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Nilson Martorelli.

As fontes estão próximo a uma estação do Bike Brasília, e os interessados em conhecer, tirar fotos e acompanhar o balé das águas podem visitar o local em horários específicos. O funcionamento é diário, e o espetáculo acontece das 8h às 10h, das 12h às 15h e das 18h às 20h.

Além das fontes, as obras aconteceram também no calçamento da praça e de várias áreas ao longo do Eixo Monumental, com a revitalização de cerca de 10 mil m² de calçadas.

hog-santa-pizza

Participantes do Harley Owners Group (HOG) são entregadores da Santa Pizza por um dia e doam valores de gorjeta e taxa de entrega para a Abrace

Donos de motos Harley-Davidson irão se tornar entregadores de pizza por uma noite no próximo sábado, dia 4 de outubro, em uma ação social diferente, a Pizza do Bem. Os motociclistas apaixonados por Harley Davidson farão entregas em domicilio por meio de uma parceria com a Santa Pizza. O valor da taxa de entrega e as gorjetas será doado integralmente para a Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace). Empresas parceiras que também participam do projeto se comprometem a doar o mesmo valor arrecadado, aumentando a contribuição.

Participantes do Harley Owners Group (HOG), invadiram as ruas de Brasília e fizeram entregas beneficentes em prol da Abrace, em abril deste ano. A ação deu tão certo que os motociclistas se reuniram novamente para dar continuidade ao trabalho.

O diretor do HOG, Magno Trindade, conta que a ação teve uma repercussão muito maior do que o esperado “conseguimos apresentar o vídeo para diversos HOG no Brasil e até para o CEO mundial da Harley, que ficou extremamente emocionado. A ação deve se tornar parte do calendário dos HOG no País”, explica Magno.

Ele acrescenta que o HOG acredita que para a ação social fazer sentido é necessário participar efetivamente da arrecadação dos recursos. O grupo, que é formado por funcionários públicos, médicos e empresários de Brasília, aliou a paixão por motos com o desejo de fazer diferente. As mulheres motociclistas, do grupo Ladies of Harley (LOH), também participam do projeto.

“Além dos motociclistas doarem seu tempo, a ação é uma forma de incentivo para que os moradores do DF também se solidarizem com a causa”, comenta a proprietária da Santa Pizza, Fernanda Neiva.

Na primeira edição, a Abrace recebeu cerca de R$ 9 mil. Agora, o objetivo é conseguir arrecadar R$ 20 mil.

Para participar, moradores da Asa Sul, Asa Norte, Lago Sul, Lago Norte, Sudoeste, Octogonal e Noroeste devem pedir pizza na Santa Pizza, no dia 4 de outubro, das 18h às 22h. A taxa de entrega será alterada no dia da arrecadação para R$ 15,00 (doada integralmente à Abrace). Pedidos pelos fones 3244-1415, 3264-5816 e 8345-7300.

Serviço

Ação Social Brasília Harley-Davidson/HOG/Santa Pizza

Data: 4 de outubro, sábado.

Horário: das 18h às 22h.

Taxa de entrega especial: R$ 15,00. Gorjetas também serão doadas integralmente.

Pedidos pelo fone: 3244-1415 / 3264-5816 / 8345-7300

Excepcionalmente neste dia, a Santa Pizza só aceita pagamentos em cheque ou dinheiro.

pm

Curso de Formação de Praças (CFP) começa em novembro

O Distrito Federal acaba de ganhar mais 718 policiais militares. Eles foram aprovados em concurso público para ingressarem no Curso de Formação de Praças, que terá início em novembro e duração de seis meses. Eles foram recebidos em solenidade realizada nesta quarta-feira (1º).

Ao todo, serão 1,4 mil horas/aula, com diversas disciplinas com questões sociais, resoluções de conflitos e ações educacionais. Após aprovados, eles serão distribuídos pelos grupamentos do DF.

“Hoje vocês ingressam em uma nova etapa em suas vidas. Nessa caminhada vocês suportarão uma gama de informações distribuídas em várias disciplinas. Após essa primeira caminhada, terão início as lutas diárias com os irmãos mais experientes”, destacou o comandante-geral da PMDF, Anderson Carlos de Castro Moura.

Ele destacou, durante a apresentação dos aprovados, que os 718 policiais farão parte da “revolução que está sendo feita para recuperar a capacidade operacional da PMDF”. Nos últimos três anos e meio, mais de 3,6 mil policiais foram contratados pelo GDF por meio de concurso público.

“Os esforços do GDF em contratar novos policiais já começa a dar resultados na redução da criminalidade no DF. Somente neste ano, a PM conduziu detidas para as delegacias mais de 17 mil pessoas, cerca de 3,5 mil autuações em flagrantes, quase 2 mil menores autuados e 1,3 mil armas apreendidas”, frisou Anderson Moura.

INVESTIMENTOS – Os investimentos em segurança vão além da contratação de policiais. Segundo o Coronel Leão, chefe da Casa Militar do DF, já foram investidos R$ 250 milhões em equipamentos.

“Um dos maiores investimentos é a política de valorização, tanto na área de Humanas quanto de Logística, como a compra de três helicópteros, de veículos blindados, aquisição de equipamentos de proteção individual, entre outros”, enumerou Anderson Moura, comandante-geral da PMDF. Ele destaca, no campo de Humanas, o empenho do governo em acabar com as desigualdades salariais que existiam entre os órgãos de segurança pública do DF.