Roney Nemer

Roney Nemer

“Vou apresentar projetos e emendas que contribuam de forma efetiva para a qualidade de vida das famílias”, Roney Nemer

Por Tatiane Alves, do Jornal da Comunidade

Mineiro de Viçosa, o arquiteto urbanista Roney Nemer (PMDB) assumiu dois mandatos como deputado distrital. Além de parlamentar, assumiu administrações regionais de Samambaia e Recanto das Emas. Nemer também foi secretário de Obras, realizou centenas de ações em infraestrutura por todo o Distrito Federal, de grande, médio e pequeno porte. Como distrital, apresentou centenas de emendas ao orçamento destinando recursos para melhorias na saúde, educação, transportes, segurança, obras, cultura, lazer e para geração de novos postos de trabalho. De acordo com ele, sempre atuou em defesa da qualidade de vida para as famílias.

Em 2015 assumirá mandato como deputado federal. Quanto a isso, ele diz que é um mundo novo e que quer tomar conhecimento do funcionamento de cada setor, das propostas que já estão em tramitação e que tratam de temas ligados à família, à revisão do código penal e contra o aborto. Nemer enfatiza que a capital tem um transporte público que o morador do DF não merece, mas que as medidas tomadas já apresentam reflexos.

Na saúde, o parlamentar acredita que precise de um choque de gestão. Na educação, aponta a infraestrutura oferecida aos alunos e professores como solução. Recentemente, Nemer foi condenado por unanimidade pela 3ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) por improbidade administrativa. A defesa alega que não existem provas para a sua condenação.

O senhor foi condenado por improbidade administrativa por recebimento de valor mensal em troca de apoio político ao ex-governador Arruda. Como anda esse processo e o que tem a dizer em sua defesa?

Sempre caminhei pelo lado bom da política. Jamais recebi qualquer pagamento em troca de apoio ou nada do tipo. Tudo isso foi ratificado pelo delator da chamada Caixa de Pandora, Durval Barbosa. Em depoimento na Segunda Vara de Fazenda Pública do TJDFT, Durval disse em alto e bom som e perante um juiz que jamais me entregou dinheiro ou tomou conhecimento de que alguém tivesse feito. Disse que me conhecia como homem sério, honesto e religioso. Não posso ser responsabilizado por uma conversa de terceiros em que meu nome tenha sido citado. Tenho certeza de que minha inocência será provada. Nunca dei abertura para que isso acontecesse. Como disse antes, sempre andei do lado bom da política.

Qual momento marcou sua vida pública?

A eleição para deputado federal. Diante de inúmeras dificuldades, saber que um número tão expressivo de cidadãos confia no trabalho desenvolvido por mim e pela minha equipe é extremamente gratificante. É a certeza de que vale a pena lutar por um Distrito Federal mais justo.

Deputados têm sempre um projeto que chamam de carro-chefe. Qual é o seu e  por quê?

Atuo sempre em defesa da qualidade de vida para as famílias. Todos os nossos projetos têm esse objetivo. Sou o autor da lei das ciclovias, que tem repercutido muito ultimamente. A bicicleta é um excelente meio de transporte. Não polui, é barata, melhora o condicionamento físico e representa um carro a menos nesse trânsito caótico das grandes cidades. Mas não é só isso. Também sou autor do projeto que obrigará a realização do teste do coraçãozinho em todas as crianças nascidas no Distrito Federal. Apresentei também o projeto de lei que prevê auxílio gratuito de arquitetos e engenheiros em obras e construções realizadas por famílias que se encaixem nos critérios dos programas do governo. Este último foi vetado pelo Executivo, mas lutaremos pela derrubada do veto no plenário do CLDF.

Quais serão suas prioridades em seus primeiros dias de mandato?

Quero aprender. A Câmara Federal é um mundo novo e quero tomar conhecimento do funcionamento de cada setor. Quero tomar conhecimento das propostas que já estão em tramitação e que tratam de temas ligados à família, à revisão do Código Penal, contra o aborto. Tenho muito a aprender na Câmara Federal. Vou apresentar projetos e emendas que contribuam de forma efetiva para a qualidade de vida das famílias.

O que fazer para organizar setores como educação, saúde e transporte público?

Acredito que ainda não temos o transporte que o morador do DF merece, mas as medidas tomadas já apresentam reflexos. A renovação de grande parte da frota e a entrada de novas empresas no transporte coletivo já resultaram em ganhos para a sociedade. Acredito que a saúde necessita de um choque de gestão. A sociedade necessita de uma saúde pública que atenda suas necessidades. Quanto a educação, acredito que a maior necessidade esteja na infraestrutura oferecida aos alunos e professores.

Como o senhor vê questões como a legalização da maconha e a maioridade penal?

Sou contra a legalização da maconha, contra a legalização do aborto e a favor de uma consulta popular quanto a redução da maioridade penal. Na minha opinião não deve mais existir idade penal. Fez com consciência tem que pagar, independentemente da idade do infrator.

O que espera do governo Rollemberg, considerando que há uma rombo de mais de R$ 4 bilhões no GDF?

É uma situação complicada. Um momento muito ruim. Espero que consigamos garantir um início de governo com os serviços públicos básicos em funcionamento. Espero que ele empenhe todos os esforços necessários para construir um DF melhor.

Leave a Reply