Senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) celebra o 70º aniversário da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)

Novo governador foi diplomado na quarta, junto com parlamentares eleitos. Durante discurso de despedida do Senado, outros parlamentares citaram crise de gestão na capital.

Do G1 DF – O governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, fez nesta quinta-feira (18) seu discurso de despedida do Senado Federal, onde teria mandato por mais quatro anos. O novo chefe do Executivo foi diplomado na noite de quarta (17) e assume o cargo de gestão no dia 1º de janeiro de 2015. Durante o discurso, Rollemberg pediu “sabedoria” para enfrentar os problemas da capital federal.

“Poderia ser cômodo para mim continuar por mais quatro anos no Senado Federal. Mas, como pessoa apaixonada pelo Distrito Federal, como pessoa que reconhece a generosidade do DF, que jamais teria em qualquer outro lugar do Brasil as oportunidades que tive no DF, me sentiria omisso ou covarde diante dos cenários que apresentavam no DF se não me apresentasse como candidato a governador”, afirmou.

Ao longo do último discurso em plenário, o governador diplomado recebeu elogios de senadores como Cristovam Buarque (PDT-DF) e Eduardo Braga (PMDB-AM). Mesmo parlamentares petistas como Jorge Viana (AC) e Eduardo Suplicy (SP), correligionários de Agnelo Queiroz, desejaram sorte no mandato à frente do Palácio do Buriti.

Senadores que fazem oposição ao PT na esfera federal aproveitaram o momento para tecer críticas à gestão do partido na capital. “Eu quero desejar-lhe boa sorte. Os desafios que vossa excelência enfrentará no comando da nossa capital são enormes, muito grandes [...] Nós percebemos as deficiências que a nossa situação urbana está vivendo hoje, na área da saúde, da educação”, afirmou a senadora Ana Amélia (PP-RS), que citou problemas de mobilidade urbana no Setor Noroeste, onde mora.

“Nós estamos em terra arrasada, mas vossa excelência é ‘um fênix’. Vamos ressugir. O povo do DF saberá ajudá-lo e entender as dificuldades intrínsecas de suceder um governo que não soube administrar, que não soube coordenar o processo, não soube cuidar do DF”, disse o senador Antônio Aureliano (PSDB-MG).

TRAJETÓRIA

Como pontos altos de sua passagem pela Casa, Rollemberg citou a tramitação do Código Florestal quando foi presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA), a autoria e a relatoria da Lei Geral de Concursos Públicos e do Marco Civil do Terceiro Setor.

O ex-senador também disse ter contribuído, nos últimos quatro anos, com a defesa da ex-ministra Marina Silva na tentativa de fundação do partido Rede Sustentabilidade e na formação da aliança posterior com Eduardo Campos, já no PSB, quando a Justiça Eleitoral barrou a construção da nova legenda.

“Sonho com uma cidade em que as mães tenham creches perto de casa para deixar seus filhos, tenham escolas em tempo itegral de boa qualidade. Sonho com uma cidade de paz, de tranquilidade, em que as pessoas gastem menos tempo de casa para o trabalho, em que as pessoas sejam atendidas com atenção e dignidade nos hospitais e nos centros de saúde, uma cidade democrática, com atividades de esporte, de cultura e de lazer para toda a população, e tenho a convicção absoluta de que isso é possível”, disse Rollemberg.

DIPLOMAÇÃO

O governador eleito do DF foi diplomado no cargo em cerimônia do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na quarta-feira (17), junto com o vice-governador, Renato Santana, o senador eleito Reguffe (PDT) com seus dois suplentes, os oito deputados federais e 23 dos 24 deputados distritais. O deputado reeleito Israel Batista (PDT) não compareceu à diplomação por problemas de saúde.

Leave a Reply