opiniao

Por Ricardo Callado

Tem um ditado que diz se a pessoa cometeu um erro e está tranquila é porque já encontrou alguém para colocar a culpa. Coisa de covarde. De quem tem desvio de caráter. No início da noite de domingo saberemos quais serão os dois candidatos ao Governo do Distrito Federal que irão disputar o segundo turno.

Quem ficar fora da reta final, terá direito ao choro e a vela. Ao clima de velório. E de buscar culpados. Listar os erros cometidos durante a campanha e no período pré-eleitoral. Uma autorreflexão será bem vinda. Se a consciência doer, é claro!

Uma campanha se faz com aliados, um discurso inteligência, lealdade e franqueza para levar sua mensagem ao povo. Arrogância, prepotência, covardia e retaliação nunca foram sinônimos de uma campanha vitoriosa. Pelo contrário, leva ladeira abaixo.

Dos três principais candidatos, pode se afirmar que o senador Rodrigo Rollemberg (PSB) é o favorito a vencer no primeiro e no segundo turnos. As pesquisas mostram isso de forma clara. A campanha do socialista se destacou pela apresentação de propostas, evitando as baixarias.

O ex-deputado Jofran Frejat (PR) disputa com o governador e candidato à reeleição Agnelo Queiroz (PT) a vaga no segundo turno. Frejat está melhor posicionado e vem numa linha ascendente nas pesquisas. É o favorito para disputar com Rollemberg.

Frejat entrou na disputa há menos de um mês. Tem o trabalho reconhecido quando secretário de Saúde. E, principalmente, o apoio dos ex-governadores José Roberto Arruda (PR) e Joaquim Roriz (PRTB). Mesmo com pouco tempo de campanha, conseguiu em apenas uma semana ultrapassar Agnelo e se posicionar bem na corrida eleitoral.

Agnelo não sai do lugar há três meses. Oscila sempre na margem de erro. A rejeição a sua candidatura o impede de ganhar mais pontos na intenção de voto. E, para piorar, os programas de TV no horário eleitoral mostraram uma empáfia que teve efeito contrário. O povo não engoliu a seco uma Brasília maravilha que não existe. Ou existe apenas na TV.

Se as intenções de voto não crescem, de forma oposta aumenta o número de eleitores que declaram não votar no governador de jeito nenhum. Chegou-se a incrível marca de 51% do eleitores que rejeitam Agnelo. O marketing da autossuficiência não deu certo. Não souberem apresentar o governo de forma sincera. Criou-se uma fantasia. E só Agnelo não viu o erro de seus assessores.

A militância pode fazer a diferença e levar Agnelo ao segundo turno. Se isso vier a acontecer, o governador deve mudar radicalmente a apresentação de sua campanha. Corrigir os erros, para semear algo que seja produtivo e construtivo. E pedir humildade a sua campanha.

O segundo turno é outra disputa. Leva vantagem quem melhor se posicionar no primeiro turno. Também quem fizer o melhor marketing político-eleitoral. Há casos de viradas históricas. Basta ter competência.

Os velhos e surrados marqueteiros não entendem que o povo cansou de pancadaria gratuita e da baixaria na propaganda eleitoral. Se ficar só nisso, teremos um apagão de marketing. O povo quer propostas, plano de governo, sinceridade nas palavras do candidato.

Nesta reta final, Rollemberg deve consolidar as propostas e se esquivar dos ataques. Jofran vai a luta, principalmente nos assentamentos para aumentar a distância de Agnelo e se aproximar de Rollemberg. E Agnelo vai provocar a militância para dar o sangue e o colocar no segundo turno. E, se chegar lá, deve rever a sua campanha. Se perder, alguém vai levar a culpa.

2 Responses to “Das propostas ao apagão de marketing”

  • oliveira disse:

    Com estes auxiliares tá difícil,basta ver o CMT geral do CBMDF,enquanto o Governador fala em retirar pessoal da área administrativa para melhorar o atendimento da população,este Coronel Hamilton faz justamente o contrario ,tira dos quarteis operacionais bombeiros que recebem 13.000 mil reais, para colocar na área administrativa, onde um auxiliar faz o serviço por 1.500 reais. Basta ver nos últimos 30 boletins da corporação a quantidade de bombeiros que foram transferidos compulsoriamente para áreas administrativas, já o TCDF vai querer saber disto,como um órgão operacional tem 70% do seu pessoal na área administrativa? Assim o agnelo num aguenta, fogo cruzado é fogo!

  • É proibida a comercialização de bebidas alcoólicas das 0h às 18h do dia da votação (5/10). Equipes do Detran farão blitz pela cidade e autuarão os infratores de acordo com a legislação especifica.

Leave a Reply