Agnelo selfie

Cerca de 8 milhões de fotos foram enviadas pelo celular durante os jogos da Copa do Mundo no Estádio Nacional de Brasília. A média foi de 16,7 imagens por torcedor

Teve festival de futebol dentro de campo, e de cliques nas arquibancadas. Os torcedores que foram ao Estádio Nacional de Brasília não perderam tempo e eternizaram os momentos vividos na arena. Nas sete partidas do Mundial realizadas no Mané, o público enviou 8 milhões de fotos pelo celular.

Entre os torcedores conectados estava a empresária Marcella Pinho, 25 anos. Brasiliense, ela foi a dois jogos no estádio: Argentina x Bélgica e Brasil x Holanda. “Tirava fotos desde a entrada até lá dentro, com meus familiares e da partida também. Cheguei a tirar 25 fotos em uma única partida”, conta Marcella, que compartilhou as fotos nas redes sociais em tempo real.

O volume recorde de imagens foi enviado na disputa entre Brasil e Camarões, em 23 de junho: ao todo, foram 1,6 milhão de fotos transmitidas. Ana Luiza Egito, 32, viu de perto a goleada verde e amarela, e tirou pelo menos 10 fotos naquele dia. “Registrei o antes, o durante e o depois dos jogos. Até queria tirar foto com os turistas, mas a bateria do meu celular acabou”, relembrou a estudante.

Tráfego – Em números de fotos, os torcedores que estiveram no Mané Garrincha perdem apenas para o Maracanã, de onde foram enviadas 10,5 milhões de fotos. Palco do jogo final da Copa, a arena do Rio de Janeiro alcançou uma média de 35 imagens por torcedor na partida em que a Alemanha derrotou a Argentina na prorrogação e conquistou o título. Para medir o tráfego total de ligações e de comunicações de dados, segundo o SindiTelebrasil, foi considerado um período de sete horas, começando três horas antes da partida e se encerrando duas horas após o jogo.

“A Copa é um momento único, emocionante. Não imaginávamos tanto turista e um espetáculo tão maravilhoso, então queríamos registrar o momento e mostrar que estávamos participando”, explica Marcella. O uso de hashtags – palavras-chave utilizadas para agrupar e compartilhar temas nas redes sociais – também era comum para a empresária: “Pessoas de todo o mundo buscavam essas marcações e aí curtiam a minha foto”.

Considerando o público total do estádio nos jogos, de 478.218 pessoas, cada usuário enviou, em média, 16,7 imagens. As informações foram divulgadas pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil).

“Copa das selfies” – Durante as 64 partidas do Mundial no Brasil, que foi apelidado pela imprensa de “Copa da​s selfies”, foram feitas 4,5 milhões de ligações telefônicas e enviadas 48,5 milhões de fotos. “A selfie é uma febre pela facilidade de fazer o autorretrato e postar instantaneamente, usando a tecnologia do celular. É comum em qualquer evento, mas na Copa foi especial, por se tratar do meu primeiro Mundial, no meu país”, afirmou Ana Luiza.

O jornalista Bruno Dantas, 24, foi ao Mané Garrincha com a família no último jogo do Brasil no Mundial, contra a Holanda (12/07). Ele já tinha ido a um show no local, mas nunca a uma partida de futebol. “Eu entrei no estádio na hora que estavam tocando o Hino Nacional, foi muito emocionante ver a quantidade de torcedores cantando juntos”, disse.

Patriotismo – Os brasileiros demonstraram seu amor pelo país. O casal Rachel Bardawill, empresária, 30, e Bruno Sigmaringa Seixas, 34, administrador, também foi à arena na disputa do terceiro lugar do mundial. Eles aproveitaram para celebrar o patriotismo e o amor nas redes sociais: “Fizemos vários selfies, o cenário era lindo e estávamos felizes em participar de um momento histórico para nosso país”, disse Rachel.

Leave a Reply