Mudança para o Senado não possui estudo técnico que comprove economia de gasto para a Casa

O Sindical (Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas do Distrito Federal) endureceu esta terça-feira (18) seu posicionamento contra a extinção da Gráfica da CLDF (Câmara Legislativa do Distrito Federal).

A entidade distribuiu uma carta aberta aos deputados distritais, onde explica que a medida é feita sem estudo técnico que aponte a economia de gastos para a Casa. No documento, o Sindical defende a abertura de negociação para rever o convênio que estabelece que a produção gráfica da CLDF seja feita pelo Senado.

“Não há qualquer estudo que comprove que o parque gráfico do Senado tenha condições de produzir o material da Câmara Legislativa a um custo menor”, afirma o presidente do Sindical, Adriano Campos.

A extinção da gráfica da CLDF foi acompanhada do Projeto de Lei 1831/2014, apresentado pela Mesa Diretora da Casa. Na prática, o texto acaba com as categorias relacionadas às atividades gráficas da Câmara e realoca seus servidores em outros departamentos.

A medida tem como pano de fundo a terceirização da gráfica – um dos objetivos da atual administração da CLDF –, que não poderia ser feita enquanto houvesse servidores em atividade no local.

Leave a Reply