CCJ aprova projeto que inverte fases de licitações públicas

22 de abril, 2014

Comissão aprovou projetos de distritais e do GDF. Foto: Silvio Abdon/CLDF

Comissão aprovou projetos de distritais e do GDF. Foto: Silvio Abdon/CLDF

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa aprovou, em reunião ordinária na manhã desta terça-feira (22), a admissibilidade do projeto de lei nº 1.638/2013, do Executivo, que inverte as fases dos procedimentos de licitação no DF, determinando que a análise financeira das propostas seja feita antes da homologação dos documentos apresentados pelos concorrentes. A proposta já havia sido debatida em audiência pública da CCJ na semana passada e recebeu emendas do governo e da deputada Eliana Pedrosa (PPS). Na votação de hoje, foram quatro votos favoráveis e nenhum contrário. O PL segue para apreciação em plenário.

Os deputados da comissão também aprovaram o projeto de lei nº 1.515/2013, do deputado Chico Vigilante (PT), que altera o artigo 1º da Lei nº 4.761/2012. O objetivo é garantir às mulheres que se submetem a cirurgias para tratamento de câncer de mama o direito, na mesma época, a cirurgias de reconstituição mamária. A proposição recebeu emenda do relator na CCJ, deputado Chico Leite (PT).

Os estudantes da rede pública que apresentam necessidades especiais poderão passar a ter preferência no atendimento. É o que prevê o projeto de lei nº 1.578/2013, do deputado Joe Valle (PDT), também aprovado por unanimidade na CCJ. O relator da matéria na comissão, deputado Robério Negreiros (PMDB), enfatizou o “grande alcance social” da proposta. Em seu relatório, o distrital acatou, ainda, emendas apresentadas na Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Casa.

De iniciativa da deputada Arlete Sampaio (PT), o PL nº 1.361/2013, que institui a Política Pública de Consumo Consciente e Responsável, também foi aprovado hoje. A proposição tem como um dos objetivos a prevenção de danos ao meio ambiente, em todas as fases do consumo de produtos, incluindo produção, extração e descarte.

Alterações de áreas – A CCJ aprovou ainda, por unanimidade, o projeto de lei complementar nº 86/2014, do GDF, que modifica o parcelamento do Lote 2 da Quadra 805, no Cruzeiro, a fim de garantir a instalação de equipamentos de lazer para a comunidade. Além disso, a comissão aprovou o projeto de lei complementar nº 87/2014, do GDF, que altera a destinação de área antes ocupada pelo Corpo de Bombeiros, em Planaltina, para abrigar uma unidade de saúde (UPA). A proposta foi defendida na CCJ pelo deputado Aylton Gomes (PR).

Política

GDF aplicou R$ 7 bi em áreas prioritárias em 2013

22 de abril, 2014

Investimentos em Saúde, Segurança e Educação visam melhorar os serviços públicos e a qualidade de vida da população

O GDF aplicou mais de 60% dos impostos arrecadados em 2013 em Saúde, Segurança Pública e Educação. Ao todo, foram destinados R$ 7,6 bilhões para essas três áreas, de um total de R$ 11,9 bilhões de receita tributária. O dado mostra uma política de valorização constante das áreas consideradas prioritárias pelo governo.

“Nossa meta é continuar a investir nesses setores e aumentar a qualidade de vida da nossa população. Por isso, nossas políticas públicas visam ao desenvolvimento local e à melhoria constante dos serviços públicos”, afirmou o secretário de Planejamento e Orçamento, Paulo Antenor de Oliveira.

Além das áreas prioritárias, em 2013, o governo promoveu grandes aplicações nas unidades destinadas ao atendimento de demandas sociais. Nesse segmento, as secretarias de Criança, da Mulher e de Desenvolvimento Social e Transferência da Renda receberam, juntas, R$ 614,3 milhões.

Entre as três áreas essenciais, a Educação foi a mais beneficiada com recursos provenientes do Tesouro Distrital, recebendo, ao todo, R$ 3,8 bilhões. Esses valores foram utilizados para pagamento de professores e demais profissionais da área; investimentos para aquisição de equipamentos; construção, reforma e manutenção das instalações educacionais.

Em 2013 foram aplicados R$ 118,4 milhões em investimentos para aquisições e construções realizadas pelo governo na área educacional. O valor é o maior aplicado nos últimos sete anos.

Já a Saúde foi contemplada com R$ 3,2 bilhões. Os recursos foram utilizados em especial na contratação de novos servidores, pagamentos de melhorias salariais, aquisição de medicamentos, manutenção, conservação e limpeza das unidades hospitalares e no funcionamento do setor com um todo.

Em investimentos foram aplicados R$ 119,6 milhões, valor destinado à construção e reforma de unidades de saúde, assim como para a aquisição de equipamentos destinados ao funcionamento das novas unidades.

Para a área de Segurança Pública, mesmo sendo a área custeada em sua maior parte com recursos do Fundo Constitucional, o GDF aportou mais R$ 643,4 milhões. A suplementação extra foi financiada com a arrecadação de receita proveniente dos impostos locais. Desse total, R$ 38,3 milhões foram destinados à modernização das instalações da área de Segurança.

MOBILIDADE URBANA – Outro setor de grande destaque orçamentário, em 2013, foi Mobilidade Urbana. Considerando-se apenas a categoria “investimento”, o Expresso DF Sul, que liga Santa Maria e Gama à região Central de Brasília, foi a obra que mais recebeu valores provenientes dos impostos. No total, foi contemplado com R$ 616,9 milhões de recursos proveniente do Tesouro.

Além dele, o GDF aplicou R$ 152,3 milhões em obras de recuperação de vias e mais R$ 62,8 milhões em urbanização.

De acordo com Paulo Antenor de Oliveira, a tendência é que a Mobilidade Urbana continue a receber fortes investimentos em 2014 e nos próximos anos. Já consta da proposta orçamentária deste ano R$ 227,7 milhões para as obras do Expresso DF Norte, que vai ligar Planaltina e Sobradinho à região Central de Brasília, e mais R$ 8,2 milhões para a conclusão do Expresso DF Sul.

“O investimento em transporte público de qualidade é uma necessidade das grandes cidades e, Brasília, como capital do País, tem de oferecer um serviço moderno e eficiente, proporcionando mais conforto e qualidade à população”, opinou o secretário.

Economia

Atleta apoiado pelo Compete Brasília brilha no exterior

22 de abril, 2014

 1

De Ceilândia para o mundo. O atleta de apenas 09 anos, Enzo Gabriel Cavalcante brilhou nos tatames internacionais e conquistou a medalha de ouro e o título de campeão no Mundial de Jiu-Jitsu realizado na última semana em Abu Dhabi.

“Nós confiamos em nossos atletas e estamos trabalhando no sentido de reforçar os apoios e benefícios para diversas modalidades. O programa Compete Brasília da Secretaria de Esporte está contribuindo para o desenvolvimento do esporte na capital. Atletas e paratletas estão levando o nome de Brasília para o cenário esportivo nacional e internacional”, afirmou o secretário de Esporte, Célio René.

Semanalmente, atletas e comissões técnicas de diversas modalidades vêm até a Secretaria de Esporte buscar as passagens aéreas ou terrestres para representar Brasília em competições nacionais e no exterior.

“Estou muito feliz e realizado. Sem o apoio do Programa Compete Brasília não teria conseguido ir até o campeonato e conquistado essa vitória”, disse o atleta, Enzo Gabriel Cavalcante.

Como participar - Os atletas e paratletas interessados no benefício do Compete Brasília devem ser residentes e domiciliados no Distrito Federal por no mínimo dois anos e estar em situação regular com a Federação Esportiva de sua modalidade.

O atleta deve solicitar por escrito o pedido com 20 dias de antecedência da viagem. No formulário, disponível no site da Secretaria de Esporte, é preciso informar os dados da competição a qual pretende participar e anexar o currículo.

Esportes

Wasny promove debate sobre o CAIC do Paranoá

22 de abril, 2014

Com o objetivo de discutir sobre os problemas estruturais e a reforma do CAIC Santa Paulina, no Paranoá, o deputado Wasny de Roure promove na próxima sexta-feira (25), uma Audiência Pública no local, às 10h.

A escola fundada ha 22 anos nunca passou por uma reforma geral e tem sido objeto de sucessivas matérias na imprensa.

O problema se agravou com a interdição da caixa d’água há 5 anos. Recentemente parte do teto sofreu um desabamento, tem problemas de infiltração na cobertura, interrupção da reforma elétrica iniciada em 2013 e a precariedade nas instalações hidráulicas, entre outros.

Participe desse importante debate e ajude a buscarmos as soluções para os problemas que afligem professores, estudantes e toda comunidade da região.

Política , ,

Os desafios de Brasília

22 de abril, 2014

 logo_artigos

Por Joe Valle

Ao completar 54 anos, Brasília continua na busca de soluções para os problemas enfrentados pelas grandes metrópoles. Temos uma cidade muita nova, moderna, cheia de vida e que desperta a atenção do mundo pela sua arquitetura singular.

A cidade cresceu e hoje somos 2,7 milhões de habitantes. Sempre acolhedora, ela precisa avançar em determinadas questões para dar mais qualidade de vida à população. Uma delas é aliar crescimento econômico à sustentabilidade ambiental e à inclusão social, inclusive além de suas fronteiras, envolvendo as cidades vizinhas, de uma riqueza imensa, tanto de mão de obra, quanto cultural.

Brasília tem o maior PIB do país e uma população que mais consome água e que mais gera resíduos no país; repensar o consumo desenfreado e, principalmente, vencer as desigualdades que ainda acontecem na capital, entre seus diversos padrões de consumo. O Distrito Federal precisa investir cada vez mais, e com urgência, em suas crianças e jovens, oferecendo escolas de qualidade, com infraestrutura, professores bem remunerados e estudantes felizes.

Há o desafio do trânsito a cada dia mais caótico, com suas vias congestionadas. Porém, existe discussão acumulada, tanto no GDF quanto na UnB, capaz de provocar a discussão com a população um plano de mobilidade urbana sustentável.

Em 10 anos, nossa frota de veículos cresceu cinco vezes mais que a população e a média é de um carro para cada dois brasilienses. Com tantos veículos nas ruas, sair em determinados horários tem sido um transtorno para motoristas, passageiros, pedestres e ciclistas.

A regularização de terras no DF também necessita de respostas. Há grande potencial de produção de alimentos e os agricultores não podem continuar inseguros juridicamente. Importantes ações para acelerar o processo de regularização já foram feitas como, por exemplo, a criação de uma diretoria específica, no âmbito da Terracap, para tratar da regularização. Mas é preciso mais agilidade para este desafio.

A violência que afeta de forma geral o país também assusta a capital do país, uma cidade sonhada por Dom Bosco para “jorrar pão e mel” precisa encontrar um jeito de viver em paz, com justiça social e fraternidade e exportá-lo para outras cidades.

Chegamos num momento em que é preciso refletir sobre o grande esforço dos candangos para a construção da capital do país e sobre o grande esforço atual necessário para encontrar respostas para os novos desafios à nossa frente.

* Joe Valle é produtor rural, engenheiro florestal e deputado distrital pelo PDT.

Artigos

Paralamas encerra noite do Aniversário de Brasília

22 de abril, 2014
Foto: Dênio Simões/GDF

Foto: Dênio Simões/GDF

Evento reuniu cerca de 40 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios

Por João Pedro Gebrim – O aniversário dos 54 anos de Brasília foi comemorado nesta segunda-feira (21) com uma série de eventos artísticos e culturais. A banda Paralamas do Sucesso foi a responsável por encerrar a festa, com a participação de cerca de 40 mil pessoas.

O grupo, que nasceu no fim dos anos 70 e é famoso por ter construído parte de sua história em Brasília, subiu ao palco sem atrasos e cantou clássicos como “Meu Erro” e “Aonde quer que eu vá”.

A festa de aniversário da cidade, que no domingo levou ao palco principal o cantor Thiaguinho e a dupla Humberto e Ronaldo, foi marcada também pela presença de inúmeras atrações locais. “O cidadão brasiliense se sentiu homenageado por contemplar seus próprios artistas, um grande engajamento da comunidade artística da cidade”, disse Dorival Brandão, subsecretário de Políticas e Promoções Culturais e coordenador-geral do Aniversário de Brasília.

Ao todo, foram cerca de 140 contratações artísticas da cidade, com aproximadamente mil integrantes de diversos grupos.

ESTATÍSTICAS - O evento contou com uma área edificada de 100 mil metros quadrados, e uma equipe de 600 profissionais que trabalharam na produção cultural da festa. Foram mais de 5 mil trabalhadores do governo em equipes de Segurança Pública, Cultura e outros setores.

BIENAL - A II Bienal Brasil do Livro e da Leitura, que também fez parte das comemorações, reuniu uma média de 25 mil pessoas por dia. A Bienal, um dos maiores eventos literários do país, aconteceu do dia 11 de abril até ontem, quando vários livros estavam sendo vendidos a um preço simbólico de R$ 1.

Foram 10 dias dedicados a seminários, debates, palestras, lançamentos e mostra de cinema. O uruguaio Eduardo Galeano, autor de obras antológicas como As veias abertas da América Latina e a trilogia Memória do Fogo, foi o homenageado internacional do evento e reuniu uma multidão de leitores.

Ariano Suassuna, autor de O Auto da Compadecida e A Pedra do Reino, recebeu as honras como homenageado nacional. O brasileiro foi aplaudido de pé durante o evento e arrancou gargalhadas do público, que se impressionou com as palavras e sabedoria de Suassuna. (Agência Brasília)

Cidade

Brasília é o campeão da Copa Verde no Mané Garrincha

22 de abril, 2014
Foto: Dênio Simões/GDF

Foto: Dênio Simões/GDF

Com a vitória, time da capital do país garante vaga na Copa Sul-Americana de 2015

Por João Pedro Gebrim – A partida final da Copa Verde foi disputada nesta segunda-feira (21) no Estádio Nacional Mané Garrincha entre os times Brasília e Paysandu. Depois de um primeiro e segundo tempos com gols, mas com um empate técnico pela contagem de pontos, os times disputaram a vaga na Copa Sul-Americana em 2015 nos pênaltis. Deu Brasília.

O técnico em computação Jairo Mota, 42 anos, torceu animado pelo time da cidade e ficou satisfeito com o resultado. “Agora teremos mais partidas internacionais no Mané Garrincha”, destacou.

Outro torcedor que ficou satisfeito com o resultado foi Josué Nilo do Nascimento, que foi jogador do time de Sobradinho. “Estou aqui hoje prestigiando porque o time de Brasília merece a vitória especialmente no aniversário da cidade e no melhor estádio do país”, comentou.

“Fazer uma final entre Brasília e Paysandu, no aniversário da cidade, é um grande presente além de ser uma demonstração do potencial de Brasília”, destacou o governador Agnelo Queiroz, que acompanhou a partida.

Ainda de acordo com o chefe do Executivo local, a colocação de ingressos a R$ 1 real contribuiu com o grande público na arena. “Muita gente está aproveitando o feriado para conhecer o estádio. Ver um público desse aqui, no aniversário da cidade, com o time de Brasília em campo, antes da Copa do Mundo e disputando uma final nacional, é um sonho, uma maravilha”, enfatizou. (Agência Brasília)

Esportes

População elogia reforço no policiamento durante festa

22 de abril, 2014

Mais de 700 policiais militares monitoram a capital nesta segunda-feira (21)

Por Vaneska Freire – O policiamento da área central de Brasília foi reforçado para os eventos de aniversário dos 54 anos da cidade. Cerca de 700 policiais militares garantiram a segurança dos participantes nas comemorações, segundo informações do Comando da Polícia Militar do DF.

“A segurança é visível. Tem polícia por todo lado e está muito tranquilo andar com as crianças”, destacou Dulce Kelly, 31 anos, que levou a mãe, a irmã e os filhos para aproveitarem a programação na Esplanada dos Ministérios.

Segundo o comandante da operação, major André Luiz, cerca de 300 mil pessoas circularam pelas áreas de festividades até agora. “A descentralização dos eventos facilitou o policiamento, pois isso divide o público em grupos menores”, ressaltou à Agência Brasília.

“Vi muitos policiais, o que me deixou tranquilo. Estou me sentindo seguro aqui”, afirmou Antônio dos Santos, 40 anos, ao caminhar próximo à Catedral. (Agência Brasília)

Cidade

Projeto que restringe cães em parques será vetado

22 de abril, 2014

c202cea0c2c3f4fe8e4357a6180470ed_XS

Anúncio foi feito pelo governador Agnelo Queiroz nesta segunda-feira (21) e diz respeito à proposta aprovada na semana passada pela Câmara Legislativa

O projeto de lei que restringe a presença de cachorros em parques públicos, conhecida popularmente como “Lei dos Pets”, aprovado na semana passada pela Câmara Legislativa, será vetado pelo governador Agnelo Queiroz. A decisão foi anunciada aos jornalistas nesta segunda-feira (21) na saída da missa na Catedral.

“Vou vetar porque temos toda uma política voltada ao pet, uma política fortíssima com relação ao tratamento dos animais, como o hospital veterinário. Podemos fazer isso de forma organizada e civilizada”, frisou o chefe do Executivo local.

Na última quarta-feira (16), os distritais aprovaram, em primeiro e segundo turnos, o projeto de lei, de autoria do Legislativo, que prevê uma série de restrições para quem quer passear com os cães pela cidade. Segundo a proposta, os cachorros só podem ser conduzidos por maiores de 18 anos e, quando estiverem em parques, devem ficar em locais isolados e cercados, com coleiras e focinheiras. (Agência Brasília)

Cidade

Mané Garrincha atinge novo recorde com Flamengo

22 de abril, 2014

4c67396fa55be6f848c0cec1beb6ed24_XS

Campeão carioca agitou arena brasiliense no domingo (20) e levou mais de 19 mil torcedores à arena

A torcida flamenguista do Distrito Federal provou mais uma vez por que a capital ganhou o título de “segunda casa dos rubro-negros”. Mais de 19 mil torcedores, a grande maioria flamenguistas, estiveram no Mané Garrincha nesse domingo (20). A maior torcida do DF vibrou e empurrou o time carioca que, no entanto, ficou no empate em 0 x 0 com o Goiás.

O jogo marcou um novo recorde para o estádio. Desde a inauguração, há 11 meses, cerca de 686 mil pessoas estiveram na arena.

O número ultrapassou o dobro do público total do antigo Mané Garrincha, que recebeu cerca de 340 mil pessoas em 36 anos de funcionamento. Antes mesmo dos sete jogos que Brasília sediará na Copa do Mundo, os dados já comprovam o sucesso da arena.

O supervisor Gilmar Silva, 35 anos, foi ao estádio pela oitava vez. “Só perdi um jogo até agora. Desta vez, a emoção é especial porque vim bem acompanhado”, comentou. Gilmar foi um dos ganhadores da promoção “Brasileirão 2014 no Mané”, e trouxe o filho Gustavo Pedro, 17 anos. “Fiquei sabendo da promoção pelo Facebook do Copa DF”, contou o universitário.

LAR, DOCE LAR – A escolha de Brasília para ser a segunda casa do Mengão tem um motivo claro. Dados de uma pesquisa da Companhia de Desenvolvimento do Planalto (Codeplan) revelam que 52,14% dos moradores do Distrito Federal são flamenguistas.

“Mais uma vez, os torcedores do Flamengo no DF deram um show nas arquibancadas. Ficamos felizes em receber o público, e em registrar mais uma marca histórica para o Mané Garrincha”, declarou o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

Nos nove jogos realizados no Mané com a presença do Flamengo, foram mais de 340 mil torcedores. Ou seja: mais da metade do público que já compareceu ao Estádio Nacional de Brasília até o momento.

A roraimense Daiane Silva, 33 anos, nunca tinha entrado em um estádio de futebol. Ela veio ao Mané com o filho Caíque, 8 anos, que faz tratamento contra câncer em Brasília desde outubro. “Sou flamenguista e fã do Everton. Estou muito alegre em ver um jogo assim, de pertinho”, contou Caíque.

O garoto fez parte de um grupo de 13 crianças da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace), entidade que presta assistência a crianças em tratamento de câncer no Distrito Federal, em uma parceria com a Secretaria Extraordinária da Copa, do Governo do Distrito Federal.

As forças de Segurança dentro e nos arredores do estádio Mané Garrincha não registraram incidentes graves, desde o acesso até a saída dos torcedores. Segundo a polícia, 11 pessoas tentaram pular as catracas de acesso à arena, mas foram contidas e encaminhadas para a 5ª delegacia.

Durante o jogo, um torcedor atirou uma garrafa plástica no campo. O objeto não acertou nenhum jogador e foi recolhido pelo juiz. Pessoas que estavam na torcida do Flamengo condenaram o ato e indicaram aos policiais o autor da agressão, que foi encaminhado à mesma delegacia.

Nesta segunda-feira (21), o Mané Garrincha será palco da final da Copa Verde. O Brasília Futebol Clube precisa de uma vitória para levar o título sobre o Paysandu e garantir uma classificação inédita para a Copa Sul-Americana de 2015.

Esportes ,

Brasília faz 54 anos com show dos Paralamas

21 de abril, 2014

PARALAMAS DO SUCESSO MUSICAS FAMOSAS

Festa deste ano custou R$ 12,6 milhões, incluindo valor da II Bienal do Livro. Também estão previstos shows de forró, axé, sertanejo e música gospel.

Do G1 DF - A capital do país completa 54 anos nesta segunda-feira (21) com uma programação especial. Estão previstos shows das bandas Paralamas do Sucesso e Nação Zumbi na Esplanada dos Ministérios e apresentação dos artistas Damares e Thales Roberto para o público gospel, em um pouco ao lado do Ginásio Nilson Nelson. Todas as atrações são gratuitas.

No palco “Brasília Capital de Todos os Ritmos”, montado ao lado da Biblioteca Nacional, haverá shows de forró, axé e sertanejo. A expectativa da organização é de que 50 mil pessoas participem das celebrações nesta segunda.

A partir das 10h, será aberta a arena infantil, ao lado do Museu Nacional da República. Já a missa em comemoração ao aniversário da cidade idealizada por Juscelino Kubitschek e projetada por Lúcio Costa ocorre às 8h, na Catedral Metropolitana de Brasília.

A festa deste ano custou R$ 12,6 milhões para o GDF, incluindo a contratação de 132 artistas e a realização da “II Bienal do Livro e da Leitura”. As comemorações começaram no dia 11 e seguem até o dia 26.

Transporte – Os trens do Metrô e os ônibus vão circular em horários diferenciados durante a festa de aniversário de Brasília. Nesta segunda (21), o embarque e desembarque nos trens poderão ser feitos até meia-noite. Já na Estação Central os serviços estarão disponíveis até 1 h.

Também houve reforço das linhas de ônibus que saem da Rodoviária do Plano Piloto. O corujão terá coletivos deixando o terminal a cada 1 h.

Cidade ,

O que Brasília tinha de errado, que era preciso mudar?

21 de abril, 2014

logo_artigos

A lista é enorme, mas contém alguns casos gritantes

Por Agnelo Queiroz

Brasília tinha, por exemplo, um péssimo serviço de transporte público. Poucas empresas dominavam o sistema. Os donos enriqueciam com o dinheiro que deviam utilizar para a compra de novos veículos. E mandavam para as ruas ônibus com até 25 anos de uso, que quebravam no caminho, amarravam o trânsito e deixavam o passageiro plantado no ponto, esperando. …

Fizemos o que nenhum governo tinha feito. Enfrentamos essa gente com uma nova licitação. Tiramos esses senhores de cena e colocamos novas empresas, com outra mentalidade e a disposição de prestar um serviço de qualidade e respeito ao passageiro.

Como o grupo Amaral e a Viplan, de Wagner Canhedo, se recusavam a acatar a nova ordem, mandei fazer a intervenção nessas empresas.

A mudança no transporte coletivo continuou com a substituição de todos os ônibus da frota, absolutamente todos, por ônibus zero. Já há mais de dois mil rodando nas nossas cidades. E até junho, vamos trocar toda a frota.

Estamos diminuindo o número de linhas, racionalizando o sistema e fazendo a integração, que — essa sim— vai acabar com os atrasos que ainda existem.

Já começamos os trabalhos para levar o metrô até a Asa Norte. E pusemos para funcionar o Expresso DF-Sul, que liga o Gama e Santa Maria ao Plano Piloto e faz em 40 minutos uma viagem que na hora do pico dura até uma hora e meia.

Ah, sim: os ônibus novos estão trafegando sobre uma pista também nova, que parece um tapete: nós estamos, com o Asfalto Novo, trocando inteiramente o asfalto de todas as ruas de todas as nossas cidades, coisa que nunca foi feita no DF. Vamos chegar a 6 mil quilômetros de asfalto novo.

Brasília tinha de errado, também, o sistema de saúde, principalmente no atendimento e nas emergências. E era preciso mudar.

Quando assumi, fui surpreendido com o estado da saúde. Sabia que ia encontrar um quadro grave, gravíssimo. Mas encontrei uma realidade pior ainda, dramática. Chovia em salas de parto, tinha unidade de saúde infestada de piolho e faltava de tudo.

Não consegui acabar com os problemas rapidamente, como sonhei fazer. Mas me foi possível tomar medidas importantes para começar a mudança nessa área sensível, cujos problemas os meus antecessores no governo não conseguiram resolver. Pelo contrário, permitiram que se agravassem. E deixaram para mim de herança.

Pouca gente sabe disso, mas, em três anos de governo, nós dobramos o número de leitos de UTIs. Eram 206, agora são 437.

Nós contratamos mais 14.800 profissionais da área, sendo 1.550 médicos. Compramos equipamentos, como 30 tomógrafos e 11 mamógrafos.

Dobramos o número de agentes de saúde, construímos 9 Clínicas da Família, que têm tudo que os hospitais têm, e 5 Upas — as Unidades de Pronto Atendimento, que funcionam como pronto-socorros.

Em parceria com a sociedade civil, pusemos para funcionar o Hospital da Criança, que já é referência nacional em qualidade de atendimento. Criamos as Carretas da Mulher que levam a saúde até onde as pessoas estão e hoje estão sendo copiadas em vários estados. E criamos também a Carreta da Visão, que faz exames e cirurgias de catarata para gente que estava condenada a sofrer a vida inteira, porque nunca iria poder pagar um exame e uma operação.

As Upas, as Clínicas da Família e as Carretas da Mulher conseguiram, juntas, retirar quase 300 mil pessoas das filas dos hospitais, no ano passado. Aos poucos, mas sistemática e consistentemente, estamos mudando a saúde de Brasília.

Havia outras mudanças, mais que importantes, fundamentais, para fazer em Brasília. Era preciso jogar luz sobre o trabalho e as contas do governo, deixar tudo às claras, mostrar o que estava sendo feito, quanto custava, como e a quem era pago. Tínhamos acabado de sair da pior crise política que Brasília já viveu, que derrubou e levou à prisão um governador, o primeiro na história do país, com dezenas de processos sob a acusação de se apropriar do dinheiro público. E o Distrito Federal estava sob ameaça de intervenção.

Logo no início do nosso governo, fizemos o Portal da Transparência e colocamos na internet toda a vida financeira do GDF, para conhecimento e fiscalização da comunidade. Acessível 24 horas por dia, 365 dias por ano.

O trabalho de evitar a intervenção, consertar os desacertos e corrigir os problemas do governo atrasou nosso cronograma de realizações por cerca de um ano e meio. Atrasou, mas não impediu.

Outra mudança que fizemos foi na forma de tratar e respeitar o dinheiro do povo, diante de obras iniciadas pelo governo anterior e paralisadas. Aliás, a praxe em vários pontos do Brasil era abandonar as obras em andamento do último governante, largar para lá, e só fazer as próprias obras. Mudamos isso. Quando assumi, Brasília tinha 157 obras paradas. Por irregularidades, falta de pagamento, de licença ambiental. Mandei tocar e acabar todas as obras, entre elas, a EPTG e a Torre de TV Digital. As duas últimas, que estavam paradas, nós retomamos e já estamos caminhando concluindo: o viaduto no final da W3 Sul e o Centro Olímpico de Planaltina. Fiz isso porque, nas obras começadas e paralisadas, estava enterrado o dinheiro dos impostos que o trabalhador paga, dinheiro que ele batalha para ganhar.

Nós mudamos também o jeito de proteger, de amparar e ajudar as mulheres, que cada vez mais sustentam sozinhas a casa e a família.

Fizemos sete creches e vamos fazer muitas outras ainda este ano. Elas dão tranquilidade às mães que trabalham e não têm onde deixar os filhos. Na creche, a criança está livre dos perigos da rua, toma banho, brinca, é alimentada e educada. Meninos e meninas saem de lá direto para o primeiro ano do ensino fundamental.

Na educação, uma das mudanças que fizemos foi no Ensino Integral. Brazlândia, por exemplo, tem hoje todas as suas escolas funcionando em tempo integral. 40 mil alunos ficam dois turnos na escola, almoçam, têm aulas de reforço, de arte e de esporte.

Os Centros Olímpicos e a Fábrica Social são a parte mais visível do lado social da mudança. Tínhamos 3 centros olímpicos, fizemos mais oito, levando esporte e lazer para as comunidades mais carentes. A Fábrica Social ensina uma profissão a gente que vivia do lixo da estrutural e hoje ganha ajuda de custo, auxílio-alimentação e ainda recebe pelo que produz: bandeiras, uniformes, redes e bolas de futebol. Algumas mulheres da Fábrica Social me disseram que irão devolver os cartões do Bolsa Família que recebem do governo federal, porque já não necessitam deles. Foi comovente ouvir de uma delas: vamos devolver, porque tem gente que precisa mais do que nós.

Brasília ainda tem muita coisa que precisa mudar? Sim, precisa melhorar muito a saúde, precisa melhorar o trânsito e continuar a melhora do transporte público, como, por exemplo, a extensão dos Expressos DF para Sobradinho e Planaltina e para a Ceilândia e Taguatinga. O que me deixa confiante num futuro cada vez melhor para nossas cidades é saber que a mudança já começou, que a profunda transformação de que Brasília precisa vem ganhando uma dinâmica própria e irreversível que, dificilmente, alguém será capaz de interromper. O presente que posso dar a Brasília neste aniversário é um só: continuar a mudança.

* Agnelo Queiroz é governador do Distrito Federal

Artigos

Brasília é destaque no Goal to Brasil em Paris

21 de abril, 2014

Condição de hub aéreo na região central do Brasil impulsiona turismo na capital. Clube do Choro é atração para os franceses

Foi de Brasília a apresentação musical escolhida para representar a cultura brasileira em evento de promoção turística do país na França. O grupo brasiliense Choro Livre foi destaque no evento Goal to Brasil – Encontros Brasileiros, promovido pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Mas Brasília não foi presença no encontro apenas pela música. A condição da capital como nova porta de entrada da França no Centro-Oeste brasileiro, após o lançamento do voo Brasília-Paris, pautou diferentes debates do encontro, cuja programação reuniu jornalistas franceses e 30 operadores de turismo locais e brasileiros, em Paris.

A importância do roteiro cívico, das obras de Oscar Niemeyer e do ecoturismo em lugares como a Chapada dos Veadeiros, associada à localização privilegiada de Brasília, no centro do país, foi destacada terça-feira (15), em coletiva à imprensa francesa. “Brasília se tornou um grande hub aéreo com três voos semanais que permitirão aos franceses conhecer mais nossa região central, sobretudo o segmento de ecoturismo e aventura. De lá surgem novos destinos como Chapada dos Guimarães, Pantanal e Região Amazônica”, ressaltou o diretor de Produtos e Destinos da Embratur, Marco Lomanto.

Mané Garrincha - O evento lembrou o sucesso do novo estádio Mané Garrincha em 2013, e a capacidade de Brasília de receber novo fluxo de turistas com qualidade e conforto. Os jornalistas foram informados que o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek teve inaugurada sua obra de ampliação e aumentará de 16,5 milhões para 21 milhões sua capacidade de passageiros por ano. Ao longo da Copa, 2.172 voos extras também serão lançados para atender os torcedores das sete partidas do Mundial que serão realizadas na cidade.

Aproximação cultural – Para Reco do Bandolim, integrante do grupo Choro Livre, a aproximação de Brasília com Paris por meio de três voos semanais também trará benefícios culturais. “Vejo isso com muito otimismo, como um grande avanço e como uma possibilidade de aproximação concreta”, apostou Reco, que encantou os franceses ao som de Brasileirinho e outros clássicos do nosso choro.

“Estamos convidando o mundo a conhecer Brasília, essa capital tão bela, moderna, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade”, reforçou Marco Lomanto, da Embratur.

Hotéis - Sobre a acomodação, a ótima localização da rede hoteleira da cidade mereceu destaque. Brasília oferece hoje 23 mil leitos apenas na zona central, onde se localiza o Estádio Nacional Mané Garrincha. Nesse setor, alguns dos hotéis estão a apenas a 600m da arena. Os mais distantes encontram-se a apenas 2km, o que quer dizer que nossos visitantes terão a comodidade de ir a pé ao estádio, se assim desejarem.

Ampliação da rede - Outros 4,2 mil novos leitos serão entregues este ano, metade deles antes da Copa do Mundo. “Além de 14 novos hotéis, criamos o programa Cama e Café, no qual as pessoas podem dormir na casa dos habitantes locais e ter uma experiência com nossos cidadãos”, explicou a subsecretária de Fomento a Eventos Estratégicos da Secretaria de Turismo do Distrito Federal, Flávia Malkine. “Para a Copa do Mundo também estará aberto um eco camping. Com essas acomodações, teremos outros 2.700 novos leitos”, concluiu.

Sensacional – Até 11 de maio, os franceses poderão conhecer ainda mais sobre o nosso país ao visitar a exposição Brasil Sensacional, promovida pela Embratur no tradicional parque Jardin D’Acclimatation, em Paris. Música, danças, gastronomia, arquitetura, artesanato e esporte brasileiros estarão em destaque.

Cidade, Esportes

Onda vermelha invade Brasília

21 de abril, 2014

Torcedores do Colorado do DF prometem uma tarde inesquecível no Mané Garrincha na disputa pelo título da Copa Verde e de vaga inédita para a Sul-Americana

O Brasília é um dos principais times do Distrito Federal e o clube profissional mais antigo da cidade. Disputou a 1ª Divisão do Campeonato Brasileiro sete vezes e conquistou oito vezes o título do Candangão. Agora que o time disputa sua decisão mais importante, valendo vaga para uma competição internacional, uma onda vermelha invade Brasília. São os torcedores do time colorado que prometem agitar o Mané Garrincha nesta segunda-feira (21/4).

Como parte das comemorações do aniversário de 54 anos da cidade, o Brasília enfrenta o Paysandu (PA) às 17h, na arena brasiliense, na final da Copa Verde. Se conquistar a taça, a equipe ganha ainda uma vaga inédita para o DF na Sul-Americana de 2015. Entre aqueles que já garantiram o seu ingresso para a partida está o analista de sistemas Allison Roberto, de 31 anos.

Morador do Guará, sempre acompanhou os jogos do time colorado. “Vamos fazer bonito no Mané Garrincha”, aposta o torcedor. Allison não estará sozinho. Vai levar toda a família, inclusive o pai Francisco Sousa, de 62 anos, que o incentivou a amar e honrar a camisa do clube. “Meu pai foi o grande responsável por isso. Mais que ver um jogo do Brasília é poder viver esses momentos que irão ficar para o resto da vida. Ainda mais o Colorado conquistando o título no palco que irá receber a Seleção Brasileira na Copa”, ressalta emocionado.

Entusiasmo – O assistente social Danilo Simão, de 30 anos, morador de Taguatinga, também faz parte da legião de admiradores do time da capital. Ele diz que o clube do DF representa um futebol de qualidade. E destaca a importância do Mané Garrincha para o esporte: “A partida está sendo um presente para todos os brasilienses. Um espetáculo e uma grande festa. É claro que vamos ver o Brasília garantir mais um título”.

Outro torcedor que apoia e incentiva o time do DF é o técnico de informática Rafael Vargas, de 31 anos. Natural de Porto Alegre (RS), o morador de Águas Claras adotou a equipe e a cidade como suas paixões. “Estou aqui desde 2002, e quando vi a equipe do Brasília jogar foi amor à primeira vista. Adotei o time no meu coração. São essas coisas que não se explicam”, declara Rafael.

Ele conta que não deixa de acompanhar nenhum jogo do Brasília e que já fez loucuras para ver o time de pertinho. “Já fui a outros estados, em caravana, apoiar o clube. Ganhando ou perdendo estive lá. Mas no aniversário da cidade vou gritar gol para todo o estádio ouvir e dizer que somos campeões”, afirma.

A partir de R$ 1 – Para estimular ainda mais a participação dos torcedores, a diretoria do Brasília colocou ingressos a venda a partir de R$ 1. O clube está mobilizando toda a cidade, com a venda de bilhetes em diversos bares. “É um momento extraordinário para o futebol do Distrito Federal. Esperamos um resultado positivo para a equipe, e que a torcida compareça em peso e participe da festa”, reforça o presidente do Brasília FC, Luiz Carlos Alcoforado.

Quem ainda não garantiu o seu ingresso pode, também, participar da promoção “Torça por Brasília”, no Portal Brasília na Copa. Os leitores serão presentados com cinco pares de entradas. Para participar basta clicar aqui.

Confira os preços e pontos de venda:

Preços:

- Arquibancada superior: R$ 1 (Sócio-Torcedor e Torcedor do Futuro)

- Arquibancada inferior: R$ 1 (Sócio-Torcedor e Torcedor do Futuro) / R$ 10 (meia-entrada) / R$ 20 (inteira)

- Área VIP (Hospitality): R$ 30 (meia-entrada) / R$ 60 (inteira)

Pontos de venda:

- Sede do Brasília Futebol Clube (Setor Comercial Norte, Quadra 1, Bloco F, Sala 1017 – Edifício America Office Tower)

- Pirma Artigos Esportivos (SRS 513, Bloco C, Loja 62 – Asa Sul)

- Bilheteria móvel na frente do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha – apenas no dia do jogo.

Sem Categoria

Mané Garrincha atinge novo recorde com Flamengo

21 de abril, 2014

Campeão carioca agitou arena brasiliense. Partida selou nova marca histórica do Estádio Nacional, que receberá sete jogos da Copa do Mundo da FIFA(TM)

É indiscutível. A torcida flamenguista do Distrito Federal provou mais uma vez porque a capital ganhou o título de “segunda casa dos rubro-negros”. Mais de 19 mil torcedores, a grande maioria flamenguista, estiveram no Mané Garrincha. A maior torcida do DF vibrou e empurrou o time carioca que, no entanto, ficou no empate em 0 x 0 com o Goiás.

O jogo marcou um novo recorde para o Estádio Nacional de Brasília. Desde a inauguração, há 11 meses, cerca de 686 mil pessoas estiveram na arena.

O número ultrapassou o dobro do público total do antigo Mané Garrincha, que recebeu cerca de 340 mil pessoas em 36 anos de funcionamento. Antes mesmo dos sete jogos que Brasília sediará na Copa do Mundo da FIFA(TM), os dados comprovam o sucesso da arena.

O supervisor Gilmar Silva, 35 anos, compareceu à arena neste domingo pela oitava vez. “Só perdi um jogo até agora. Dessa vez, a emoção é especial porque vim bem acompanhado”, comenta. Gilmar foi um dos ganhadores da promoção “Brasileirão 2014 no Mané”, e trouxe o filho Gustavo Pedro, 17 anos. “Fiquei sabendo da promoção pelo Facebook do Copa DF”, conta o universitário.

Lar, doce lar – A escolha de Brasília para ser a segunda casa do Mengão tem um motivo claro. Dados de uma pesquisa da Companhia de Desenvolvimento do Planalto (Codeplan) revelam que 52,14% dos moradores do Distrito Federal são flamenguistas.

“Mais uma vez, os torcedores do Flamengo no DF deram um show nas arquibancadas. Ficamos felizes em receber o público, e em registrar mais uma marca história para o Mané Garrincha”, declarou o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

Nos nove jogos realizados no Mané com a presença do Flamengo, foram mais de 340 mil torcedores. Ou seja: mais da metade do público que já compareceu ao Estádio Nacional de Brasília até o momento.

Abrace - A roraimense Daiane Silva, 33 anos, nunca tinha entrado em um estádio de futebol. Ela veio ao Mané com o filho Caíque, 8 anos, que faz tratamento contra um câncer em Brasília desde outubro. “Sou flamenguista e fã do Everton. Estou muito alegre em ver um jogo assim, de pertinho”, conta Caíque.

O garoto fez parte de um grupo de 13 crianças da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace), entidade que presta assistência a crianças em tratamento de câncer no Distrito Federal, numa parceria com a Secretaria Extraordinária da Copa, do Governo do Distrito Federal.

Amor dividido - Fernando Peixoto, 39 anos, levou o outro par de ingressos da promoção, realizada pelo Portal Brasília na Copa. Torcedor do Goiás, o contador trouxe a esposa Cleomara, 40, flamenguista roxa. “Fiz a frase porque queria trazê-la. Estamos torcendo para times diferentes, mas acho que não vai dar problema em casa”, divertiu-se.

O esmeraldino Luiz Gomes Moura, 66 anos, veio pela primeira vez ao Mané Garrincha. “Já estou na melhor idade, e não esperava viver tanta coisa boa a essa altura. Estar num estádio tão lindo, ver a Copa no meu país, é uma emoção histórica”, declarou.

Tranquilidade - As forças de segurança dentro e nos arredores do estádio Mané Garrincha não registraram incidentes graves, desde o acesso até a saída dos torcedores. 11 pessoas tentaram pular as catracas de acesso à arena, mas foram contidas e encaminhadas para a 5ª Delegacia de Polícia.

Durante o jogo, um torcedor atirou uma garrafa plástica no campo. O objeto não acertou nenhum jogador, e foi recolhido pelo juiz. Pessoas que estavam na torcida do Flamengo condenaram o ato e indicaram aos policiais o autor da agressão, que foi encaminhado à mesma delegacia.

Agenda cheia - E vem mais emoção por aí. Nesta segunda-feira (21), o Mané Garrincha será palco da final da Copa Verde. O Brasília Futebol Clube precisa de uma vitória para levar o título sobre o Paysandu e garantir uma classificação inédita para a Copa Sul-Americana de 2015.

E daqui a menos de dois meses, o maior espetáculo da Terra chega ao Brasil. O Estádio Nacional de Brasília receberá sete partidas da Copa do Mundo da FIFA(TM) – o máximo para uma cidade-sede -, incluindo o jogo da Seleção Brasileira contra Camarões, no dia 23 de junho, e a disputa de terceiro lugar, no dia 12 de julho.

Esportes ,

Mané Garrincha homenageia Luciano do Valle

20 de abril, 2014

Torcedores, jogadores e equipes técnicas se comoveram ao lembrar de um dos maiores locutores esportivos do país, que faleceu nesse fim de semana

Os mais de 19 mil torcedores presentes à partida entre Flamengo e Goiás no Mané Garrincha fizeram uma homenagem no domingo (20/04) ao locutor Luciano do Valle, que morreu no sábado (19) aos 66 anos. O público aplaudiu de pé um dos maiores nomes do jornalismo esportivo do país. O momento de emoção envolveu a todos os presentes na arena brasiliense.

m dezembro passado, Luciano do Valle narrou as partidas do Torneio Internacional de Futebol Feminino realizado na arena brasiliense. O narrador levou à torcida, que assistia em casa pela TV, a energia dos jogos que garantiram à Seleção Brasileira a conquista do tetracampeonato.

Na ocasião, o locutor elogiou a arena. “Tudo é muito bonito aqui. Esse estádio tem uma imponência de tirar o folego. É confortável, o gramado é bom e o espaço tem um ótimo acesso. Está no centro da capital do país”, disse Luciano.

Durante a coletiva concedida ao fim do jogo de domingo (20/04), o técnico do Flamengo, Jayme de Almeida, se emocionou ao lembrar do companheiro de longa jornada. “Luciano do Valle foi um dos grandes ícones que contribuiu para o desenvolvimento do esporte brasileiro, seja narrando vôlei, natação ou futebol. O país deve muito a esse cara”, reconheceu Jayme, com a voz embargada.

Esportes

Parque da Cidade faz festa no Aniversário

19 de abril, 2014

Programação para todas as idades terá como destaque a entrega dos diplomas do “Mérito Cidadão Candango” nesta segunda-feira

A Administração de Brasília elaborou uma série de eventos para comemorar os 54 anos de Brasília no Parque da Cidade nesta segunda-feira (21). O destaque da programação é a entrega dos diplomas do “Mérito Cidadão Candango” a pessoas e entidades que ajudaram e ajudam a fazer a história da capital federal.

Também serão realizadas diversas atividades voltadas às crianças, desde shows até brincadeiras e distribuição de pipoca e algodão doce.

A festa começa a partir das 9h com apresentação do cantor Geraldo Carvalho, com voz violão. Em seguida, às 9h30, haverá a cerimônia do “Mérito Cidadão Candango”. Às 11h30, será a vez do aulão de Zumba e, a seguir, a apresentação da banda Kibloco. Para fechar, o público terá aula de Kangoo Jump.

Para completar a programação para todas as idades, tendas receberão shows de maculelê, capoeira e exposição de artesanato.

Cidade

OPINIÃO Mais amor por Brasília, por favor

18 de abril, 2014

opiniao

Por Ricardo Callado -  Brasília merece ser bem cuidada. Ser respeitada. Brasília é a nossa casa. Quando falamos em casa, logo imaginamos o lugar onde moramos com a nossa família. Mas a cidade em que vivemos também é nossa casa, e por isso temos a obrigação de cuidar dela.

Ao completar 54 anos, a capital dos brasileiros passa por problemas. E nossos representantes não conseguem resolve-los, seja por negligência ou incompetência. Ou por ambos. Buracos, insegurança, trânsito caótico e serviços públicos que deixam a desejar fazem parte do dia-a-dia do brasiliense.

A Brasília que queremos e merecemos não é essa. Ela já existiu. Mas precisa passar por constante transformação. Como qualquer outra cidade que cresce. O patrimônio cultural e o tombamento precisam ser respeitados. Mas sem engessamento.

Não pode paralisar a capital como se fosse uma múmia. Nós precisamos de metrô, mais ciclovias, passagens de pedestres, duplicação de vias. Mais escolas e hospitais. De áreas residenciais e comerciais legalizadas e sem especulação.

Precisamos ainda de políticos que sejam comprometidos com a cidade. Brasília não é mais a mesma de 50 anos. Isso é a coisa mais natural. A cidade cresceu. Esse não é o problema. O que pega é a falta de ação dos governantes que não conseguiram preparar Brasília ao seu crescimento.

A culpa também é nossa. É o povo que escolhe seus representantes. Não adianta xingar governador, vice, senadores e deputados enquanto continuamos colocando sempre os mesmos lá. Ou trocando uns pelo outros, que no final sempre acaba no mais do mesmo.

Também não temos culpa pelos políticos que os outros estados mandam para cá. Lá eles também não sabem votar. Não é um exclusividade do brasiliense. Aí quando acontece um mal feito no Congresso Nacional ou no Palácio do Planalto a culpa é de Brasília. É injusto, mas é real.

Brasília é talvez a melhor cidade brasileira para se morar. Tem um povo honesto e trabalhador que enfrenta congestionamentos todos os dias para ganhar o pão. Corrupto tem em todo canto.

O que precisa são as coisas simples. Cuidar das ruas, das praças, do povo. Planejar as cidades. Brasília quer um prefeito. Alguem que ame a cidade, que cuide. Não vejo dificuldades em tampar buracos, por exemplo. Entretanto, o que mais se vê são buracos. Um privilégio espalhado do Lago Sul ao Sol Nascente. Unindo as classes sociais nas críticas.

Devemos fazer a nossa parte com cidadãos. Não apenas nas escolhas dos políticos. Também cuidando de nossa cidade com exemplos de cidadania, como manter a cidade limpa. Certas atitudes deixam o dia a dia mais leve. Aplique o amor em doses diárias, compartilhe respeito, solidariedade, generosidade, gestos de gentileza, carinho, sorria. O céu de Brasília é nosso. O desgaste político também é nosso. Não adianta ter um céu lindo, enquanto aqui em baixo tudo vai mal. Precisamos aprender a votar. E fazer a nossa parte. Por amor a Brasília, por favor.

Artigos

Centro de Gestão Integrada vai modernizar a gestão do DF

17 de abril, 2014

logo_artigos

Por Gustavo Ponce de Leon

Na terça-feira, dia 8 de abril de 2014, o Governo do Distrito Federal apresentou seu projeto de integração dos dados públicos, com a criação do Centro de Gestão Integrada (CGI).

A implantação do CGI é complexa: envolve a construção de espaço físico para o monitoramento da cidade, a inteligência para o cruzamento de dados, a implantação de redes e softwares de acompanhamento e a integração dos sistemas já em uso nos diferentes órgãos e empresas do DF.

Brasília não é somente a capital administrativa, mas também uma cidade pulsante, com vida própria e uma das maiores metrópoles do País. O crescimento que tivemos nesse meio século de vida não foi acompanhado por planos e ações de desenvolvimento que nos preparassem adequadamente para problemas de trânsito, de queda de energia elétrica, de abastecimento de água e de saneamento que nos atingem e que são tão comuns a outros grandes centros urbanos.

Nossa rodoviária, por exemplo, é um pólo em que passam diariamente cerca de 700 mil pessoas, mas seu processo de gestão e sistemas de suporte são praticamente os mesmos da época da inauguração da cidade.

Recuperar esse tempo perdido exigia a estruturação de um projeto que garantisse fortes investimentos para uma rápida modernização dos mecanismos de monitoramento e gestão do DF, com foco nas demandas de segurança pública, com inteligência, cruzamento de dados e informações precisas para as tomadas de decisões de governo.

Por isso, optamos pela constituição do CGI por meio de uma Parceria Público-Privada, na qual uma Sociedade de Propósito Específico (parceiro privado) assumirá a responsabilidade pela implantação e manutenção dos espaços físicos, equipamentos e sistemas pelo prazo de 15 anos, com atualização tecnológica permanente. Diferentemente das contratações por licitações comuns, a constituição de Parceria Público-Privada permite agilizar investimentos, por permitir a diluição da contraprestação pelo prazo do contrato, aplicar soluções globais e integradas e manter a atualização dos equipamentos.

Nessa parceria, todas as informações acerca da cidade e dos cidadãos permanecerão sob o domínio do Poder Público e a operação dos sistemas, realizada pelo conjunto dos servidores públicos, assim como os sistemas, licenças e equipamentos, passarão à propriedade do Estado.

Isso significa que, apesar da estrutura física ser de responsabilidade do parceiro privado, a inteligência e o conhecimento do processo manter-se-ão sob domínio estatal, como recomendam as boas práticas de Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação.

Com o pleno funcionamento do CGI, serão integrados e interligados diversos sistemas atualmente em operação. Essa integração ocorrerá, por exemplo, entre câmeras de vídeo-monitoramento instaladas nas ruas, tablets a serem colocados nas viaturas de polícia, bombeiros e ambulâncias e sistemas como os de educação, saúde e segurança, permitindo diagnosticar problemas de forma imediata e acionar com agilidade a prestação do serviço necessário, tais como alterar o trânsito, enviar socorro, mobilizar equipes de saúde ou identificar pessoas. O DF passará a estar inserido no rol das cidades inteligentes.

Da mesma forma, o cidadão poderá ter acesso a serviços que permitirão acompanhar a execução de obras públicas, prestação de serviços e fiscalização imediata do governo. Em breve, qualquer cidadão poderá verificar quais são as obras realizadas pelo governo, quando ficarão prontas e quanto já foi pago ao executor.

Ao longo de 15 anos, o valor deste contrato, que abrange a construção e manutenção das instalações, o uso de todos os equipamentos e softwares necessários à gestão, com sua atualização tecnológica, é de R$ 777 milhões.

Na mesma semana em que anunciamos a formalização do contrato do CGI, foi noticiada a formalização da denúncia da Operação Caixa de Pandora (Mensalão do DEM), pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. Cerca de 35 pessoas estão envolvidas, em sua maioria por desvios em contratos na área de informática. O MPDFT requereu o ressarcimento aos cofres públicos do valor aproximado de R$ 740 milhões.

Definir quem são os culpados e fazê-los responder por tamanho desvio é uma atribuição do Poder Judiciário. Mas garantir que tais desvios não se repitam e aplicar corretamente o dinheiro público, de forma a garantir serviços mais eficientes, com base em investimentos de longo prazo, é obrigação de todos nós e compromisso desta gestão.

A implantação do CGI, que investirá em 15 anos um valor semelhante ao desviado por gestão anterior em apenas 3 anos, demonstra que podemos enfrentar os graves problemas decorrentes do crescimento do DF, garantindo a informatização, a atualização e a integração dos dados das suas Secretarias de forma inovadora.

Essa inovação demonstra o rumo deste Governo. Da mesma forma que enfrentou o cartel do transporte público, veio para mudar as estruturas antes existentes e demonstrar compromisso com o futuro do DF e com a qualidade dos serviços — e não com o atendimento de interesses de alguns indivíduos.

Os resultados ainda não são todos visíveis, mas a diferença fica clara. Os mesmos valores, antes desviados para enriquecimento ilícito em três anos, agora estão sendo aplicados em 15 anos de modernização e atendimento ao cidadão.

Há os que governam para o futuro e os que se mantém cobiçosos pelos desvios ocorridos no passado. Esse projeto, que permite ao Distrito Federal voltar a ser exemplo do compromisso do País com a modernidade, e não mais da vergonha com o descaso com o dinheiro público, mostra que estamos no primeiro grupo.

* Gustavo Ponce de Leon é secretário de Estado de Governo do Distrito Federal

Artigos

Ingressos para a final da Copa Verde a partir de R$ 1

17 de abril, 2014

47dfc222dd5e0fecbcee61bc772c3cec_XS

No jogo marcado para segunda-feira (21), Brasília disputará título e classificação inédita para Copa Sul-Americana 2015

Começou ontem (16) a venda dos bilhetes para a final da Copa Verde, marcada para a próxima segunda-feira (21), no Estádio Mané Garrincha. No dia de decisão, o Brasília disputará o título e a classificação inédita de um time do DF para a Copa Sul-Americana 2015. Para incentivar a participação da torcida, os ingressos custam a partir de R$ 1.

O jogo contra o Paysandu (PA) está marcado para as 17h, e faz parte das comemorações do aniversário de 54 anos da capital federal. A equipe colorada espera casa cheia, e conta com a força dos torcedores brasilienses para reverter o resultado negativo de 2 x 1 na primeira partida, disputada na semana passada.

Para o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro, o jogo tem grande importância para o futebol brasiliense, já que poderá colocar os times do Distrito Federal em um patamar internacional. “O Mané Garrincha está de portas abertas para quem vai torcer pelo sucesso do nosso futebol”, afirmou.

O Brasília é o segundo maior campeão do Distrito Federal e o clube mais antigo da capital. Fundado em 1975, o alvirrubro tem no currículo sete participações no Campeonato Brasileiro e oito títulos do Candangão.

“É um momento extraordinário para o futebol do Distrito Federal, que tem uma chance real de garantir espaço no futebol sul-americano. Esperamos um resultado positivo para a equipe, e que a torcida compareça em peso e participe da festa”, destacou o presidente do Brasília FC, Luiz Carlos Alcoforado.

SERVIÇO:

Jogo: Brasília x Paysandu – Final da Copa Verde 2014

Data: segunda-feira (21), às 17h

Local: Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha

Preços:

- Arquibancada superior: R$ 1 (Sócio-Torcedor e Torcedor do Futuro)

- Arquibancada inferior: R$ 1 (Sócio-Torcedor e Torcedor do Futuro) / R$ 10 (meia-entrada) / R$ 20 (inteira)

- Área VIP (Hospitality): R$ 30 (meia-entrada) / R$ 60 (inteira)

Pontos de venda

- Sede do Brasília Futebol Clube (Setor Comercial Norte, Quadra 1, Bloco F, Sala 1017 – Edifício America Office Tower)

- Pirma Artigos Esportivos (SRS 513, Bloco C, Loja 62 – Asa Sul)

- Loja do Correspondente Bancário do BRB na Rodoviária do Plano Piloto (só nos dias 16 e 17)

- Bilheteria móvel em frente ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha – apenas no dia do jogo

Esportes

Distritais mantêm vetos do governador a dois projetos

17 de abril, 2014
Foto: Carlos Gandra/CLDF

Foto: Carlos Gandra/CLDF

Por Luis Claudio Alves – A Câmara Legislativa do Distrito Federal apreciou dois itens da pauta de votações da sessão ordinária desta quarta-feira (16). Os deputados distritais analisaram e mantiveram um veto parcial e um veto total do governador Agnelo Queiroz a projetos de lei.

O veto total se refere ao projeto de lei nº 1.050/2012, do deputado Benedito Domingos (PP), sobre a implantação de placas indicativas com inscrição em três idiomas, em terminais rodoviários e metroviários, transportes públicos, monumentos históricos, parques, atrações turísticas e aeroportos do Distrito Federal. O governador alegou que o assunto é de competência do Executivo. A proposta agora será arquivada.

O outro item analisado nesta quarta-feira foi um veto parcial ao artigo 2º do projeto de lei nº 289/2011, da ex-deputada Luzia de Paula (PEN), sobre o oferecimento de cursos de prevenção ao uso do crack e outras drogas para professores da rede pública de ensino. A parte vetada criava benefícios para os professores que participassem dos cursos. O governo alegou, novamente, que o tema é de competência exclusiva do Executivo.

Política

Deputados defendem votação da Luos

17 de abril, 2014
O presidente Wasny de Roure anunciou discussão do projeto na quarta-feira (23). Foto: Carlos Gandra/CLDF

O presidente Wasny de Roure anunciou discussão do projeto na quarta-feira (23). Foto: Carlos Gandra/CLDF

Por Éder Wen – A situação do projeto da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) será discutida na próxima quarta-feira (23). É o que prometeu o presidente da Câmara Legislativa, Wasny de Roure (PT), durante a sessão ordinária desta quarta-feira (16). “Os líderes de blocos e partidos concordaram em se reunir para que seja retomada a discussão sobre o projeto. O Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do DF (Conplan) já manifestou que a Luos não depende do PPCUB para ser votada”, afirmou.

O deputado Rôney Nemer (PMDB), porém, fez uma ressalva. “Não é porque o Conplan concorda que o projeto pode ser votado que nós vamos votar. A Luos contém planilhas equivocadas e outros problemas. Temos que checar o projeto cuidadosamente, vendo cidade por cidade, antes da votação”, defendeu.

Wellington Luiz (PMDB), por sua vez, pediu celeridade na apreciação da proposta. “A Câmara fez várias audiências públicas nas cidades para debater a Luos, e isso gerou grande expectativa nas comunidades. Como é que vamos às cidades, debatemos com a população e não votamos?”, questionou. Chico Vigilante (PT) concordou: “Está na hora de votarmos a Luos. Há cidades inteiras na ilegalidade, como Riacho Fundo II, que não pode nem receber uma agência do BRB por causa da situação irregular”.

Outros assuntos – A deputada Arlete Sampaio (PT) criticou a capa da última edição da revista Veja Brasília. “Como um ex-senador cassado e com condenação sai na capa sorrindo e falando de suas riquezas, enquanto Genoíno e José Dirceu são massacrados pela mídia?”, provocou. Alírio Neto (PEN) criticou a forma como a legislação tributária brasileira privilegia o Estado em detrimento do contribuinte. Já Evandro Garla (PRB) pediu a instalação de novas delegacias da mulher no DF, apontando que as queixas de violência doméstica aumentaram além da capacidade de atendimento atual. (Coordenadoria de Comunicação Social)

Política , ,

Sheherazade: Ao censurar Rachel, SBT sai como perdedor

17 de abril, 2014

censura

Após polêmicas, SBT vetou comentários pessoais de Rachel Sheherazade

Tão indesejável quanto a censura é a autocensura. O SBT acaba de amarrar uma mordaça no único nome que se destacava em seu pálido telejornalismo. Rachel Sheherazade não poderá mais emitir suas opiniões no SBT Brasil. Oficialmente, a decisão se estende a todos os âncoras da emissora. “Essa medida tem como objetivo preservar nossos apresentadores”, diz a nota oficial enviada à imprensa.

Na prática, a autocensura foi a maneira encontrada para manter a jornalista no ar e, ao mesmo tempo, acalmar as várias fontes que pediram sua cabeça. De partidos políticos a anunciantes governamentais, de anônimos nas redes sociais a humorista famoso. O politicamente correto venceu. O SBT e a liberdade de expressão foram os grandes derrotados.

Acusada de incitar a violência ao apoiar a atitude de pessoas que amarraram em um poste um adolescente suspeito de roubo, a apresentadora verbalizou o pensamento de milhões de pessoas. Porém vivemos numa extrema correção política. Assumir uma opinião polêmica pode render açoitamento moral. Foi o que aconteceu. Com histórico de pensamentos considerados conservadores e até reacionários, a apresentadora se ofereceu mais uma vez como alvo — e não faltaram mãos para chicoteá-la.

A tendência mundial é abandonar o telejornalismo “chapa branca” e aumentar o espaço do telejornalismo opinativo, que convide o telespectador a se posicionar. Na era da interatividade, o público não pode ser encaixado numa posição passiva. Precisa ser instigado, incomodado, estimulado a refletir sobre os assuntos do dia a dia. Quando os jornalistas dizem exclusivamente aquilo que a maioria do público quer ler, ouvir ou ver, o jornalismo perde uma de suas funções básicas: propor o contraditório para que a questão seja debatida.

O direito de pensar diferente é uma das garantias da democracia. Se o pensamento está certo ou errado, se é criminoso ou não, discute-se em sociedade — e, se for o caso, recorre-se aos meios legais para punir eventuais excessos. Reprimir opiniões antes mesmo de serem emitidas não é a atitude mais produtiva de uma sociedade que se pretende civilizada e desenvolvida.

É óbvio que todo veículo de comunicação tem seus interesses comerciais, sua ideologia e, em muitos casos, até objetivos políticos. Porém a liberdade de expressão de seus jornalistas deveria sobrepor tudo isso. Ao abafar a voz de sua apresentadora, o SBT abre um precedente perigoso, e deixa de oferecer uma opinião alternativa ao telespectador. Por acaso, os 200 milhões de brasileiros pensam sempre da mesma maneira?

Rachel Sheherazade é, desde ontem, apenas mais uma leitora de teleprompter, o aparelho acoplado à câmera no qual se lê as notícias. Caso queira se posicionar diante de um acontecimento relevante, terá que recorrer à mímica facial. Ou será que ela será obrigada também a fazer cara de paisagem? (Portal Terra)

Política

Projeto da DPDF beneficia menores infratores no DF

17 de abril, 2014

Desenvolver habilidades de menores infratores a partir do seu ingresso no mercado de trabalho. Esse é o objetivo do projeto Jovens em Harmonia com a vida lançado em fevereiro de 2013 pela Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF). O programa beneficia jovens que cumprem medidas socioeducativas no DF a partir da oferta de estágio nos Departamentos e Núcleos do órgão.

Encaminhados à DPDF pela Secretaria de Estado da Criança do Distrito Federal, os menores, que cuidam-se de adolescentes em situação de cumprimento de medida socioeducativa de liberdade assistida (LA) e de prestação de serviços à comunidade (PSC), são submetidos a processo seletivo, administrado pelo Departamento de Atividade Psicossocial (DAP-DPDF) em conjunto com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Além de analisar os conhecimentos gerais dos candidatos, a seleção também leva em consideração a frequência do adolescente na escola em que estuda.

P.J., 17, morador do Riacho Fundo II, é um dos mais de 60 jovens aprovados no último processo seletivo. Estagiário do Departamento de Atividade Psicossocial da DPDF, ele ressalta a importância que o projeto assumiu na sua vida desde o seu ingresso no programa, em novembro passado. “Antes de entrar no estágio o meu psicológico estava bastante abalado. Hoje faço estágio na área administrativa do DAP, onde já penso em seguir carreira na área médica”, diz.

Ingrid Quintão é coordenadora do DAP, área responsável pela gerenciamento do projeto. Segundo ela, desde a criação do programa 116 jovens já foram beneficiados. E ela destaca: “nós abrimos a casa [Defensoria Pública] para ressocializar esses meninos, iniciativa que, hoje em dia, é muito difícil de se ver em outras organizações. Fazemos isso por acreditar que, ao reintegrar esses jovens, estamos colaborando para uma sociedade melhor”.

O projeto Jovens em Harmonia com a Vida também conta com o apoio do Núcleo de Assistência Jurídica de Medidas Socioeducativas da DPDF e com a parceria da Secretária de Estado da Criança e do Adolescente do Distrito Federal. Os estagiários do programa cumprem jornada diária de quatro horas, de segunda a sexta-feira.

Cidade

Nova área de embarque do Aeroporto JK é inaugurada

17 de abril, 2014
Foto:Dênio Simões/GDF

Foto:Dênio Simões/GDF

Píer Sul tem 10 novas pontes de embarque e mais de 20 mil metros quadrados

A primeira parte da ampliação do Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek foi inaugurada, nesta quinta-feira (16), pela presidente Dilma Rousseff, acompanhada pelo governador Agnelo Queiroz. O Píer Sul ocupa área de 20 mil metros quadrados e tem 10 novas pontes de embarque. A obra foi concluída com mais de um mês de antecedência.

“A nova estrutura honra o nome de um dos grandes presidentes da democracia do país. O Brasil vem passando por uma grande revolução dos serviços, e viajar de avião passou a fazer parte do cotidiano de milhares de brasileiros. A movimentação de passageiros saltou de 33 milhões para 113 milhões”, declarou Dilma Rousseff.

“Hoje é um dia muito especial para Brasília. A cidade está completando 54 anos e ganhou um aeroporto a sua altura. A ampliação e modernização deste aeroporto permite o crescimento econômico e humano do DF”, ressaltou o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.

De acordo com o presidente do conselho da Inframérica, José Antunes Sobrinho, o serviço foi feito em pouco tempo, apenas 16 meses, mas com alta qualidade. “Implantamos os sistemas de bagagens mais modernos do mundo. E fizemos tudo isso sem interromper as operações, ou seja, com 16 milhões de passageiros circulando pelo aeroporto”, afirmou.

Para chegar ao Píer Sul, o passageiro utilizará o novo conector de acesso, com esteiras rolantes, que tornam o percurso mais rápido e confortável. O setor será exclusivo para aviação doméstica, ou seja, entre estados brasileiros.

A espera pelo voo promete ser agradável, com uma construção ampla e moderna que conta com restaurantes, dois mezaninos com vista panorâmica para o pátio de aeronaves, ambiente totalmente climatizado, iluminação e acústica adaptadas e projeto paisagístico que se integra ao ambiente.

A segunda etapa, o Píer Norte, está em sua fase final de construção e deve ser entregue até maio. O espaço terá oito pontes de embarque, em uma área de 15 mil m², e será conectado ao terminal central. O Píer Norte e o Sul vão dobrar a capacidade do aeroporto, que passará de 13 para 29 pontes de embarque.

O governador anunciou, ainda, que o acesso ao local será concluído em breve. “Vamos inaugurar, no dia 30, as obras do balão do aeroporto, que facilitarão o acesso dos passageiros. Além disso, nos próximos dias, será inaugurada a maior obra de mobilidade da capital, o Expresso DF Sul”, garantiu.

A ampliação do aeroporto terá, ao todo, um investimento de R$ 1,2 bilhão até agosto deste ano, pela Inframérica – concessionária que administra o local. Com a expansão, a capacidade do aeroporto aumentará de 16 para 21 milhões de passageiros.

AEROPORTO JK – O aeroporto de Brasília atende cerca de 16,6 milhões de passageiros por ano, entre embarque e desembarque. O aeroporto é o 4º maior do país em movimentação de passageiros, ficando atrás, apenas, de Guarulhos, Congonhas e Galeão.

Cidade, Política , ,

Sedhab anuncia 1.024 habilitados à moradia própria

16 de abril, 2014

morar

Mais de 92 mil famílias já foram beneficiadas pelo programa Minha Casa, Minha Vida/Morar Bem

O GDF, por meio da Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) e da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab), habilitou mais 1.024 famílias pelo Programa Minha Casa, Minha Vida/Morar Bem. O anúncio foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta terça-feira (15).

Com a nova lista, já são 92,1 mil famílias que comprovaram os dados do cadastro e estão de acordo com a política habitacional do DF. Conforme a secretária de Habitação, Jane Diehl, trata-se de um importante passo na conquista da casa própria.

“É uma etapa avançada do programa. Após a habilitação, os dados dessas famílias serão encaminhados ao banco, para a assinatura do contrato de financiamento”, explicou Diehl.

Da nova relação, 780 famílias são da Relação de Inscrição Individual (RII) e 244 da Relação de Inscrições por Entidade (RIE), com indicação de cooperativas. Desse montante, 238 morarão em prédios construídos por empresas, quatro em apartamentos erguidos por cooperativas habitacionais e dois foram indicados para o Projeto H4, em Samambaia.

Para participar do Minha Casa, Minha Vida/Morar Bem é preciso estar inscrito no Novo Cadastro da Habitação — uma das ferramentas do Programa Morar Bem. Ao todo foram 375.960 candidatos inscritos, sendo 323.015 na RII e 52.945 na RIE.

Sem Categoria ,

BRASÍLIA, 54 ANOS Programação especial no Planetário

16 de abril, 2014

Nas comemorações, o espaço astronômico inicia os preparativos para sua participação na OBA. Neste ano, o planetário irá aplicar provas para os alunos interessados

amoA capital federal festejará o seu 54º aniversário e o Planetário de Brasília vai proporcionar um dia repleto de atividades especiais para a população. A atração também estará de portas abertas no feriado da Sexta-feira Santa (18 de abril).

No feriado de 21 de abril, o centro astronômico irá oferecer sessões comentadas na cúpula de projeção. O tema das apresentações será o céu de Brasília. Nestas, também será possível ver imagens diferenciadas do espaço e fazer perguntas diretamente para a equipe do planetário. Atendendo aos pedidos dos visitantes, o filme Origens da Vida voltará para a grade de exibição

Observação do Sol - Caso as condições do tempo sejam favoráveis, os visitantes poderão observar o Sol com equipamentos especiais e o acompanhamento de membros do Clube de Astronomia de Brasília (CAsB).

A Agência Espacial Brasileira (AEB) irá disponibilizar, novamente, a réplica da roupa de astronauta. A princípio, peça, que fez grande sucesso entre crianças e adultos na reabertura do centro de Astronomia no final de 2013, ficará em exibição até o final de maio deste ano. O público também poderá ver a exposição Universo Incrível, parceria entre o Planetário de Brasília e o Observatório Europeu do Sul (ESO).

Prova da OBA – Pela primeira vez, o Planetário de Brasília irá aplicar as provas da XVII Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e da VIII MOBFOG (Mostra Brasileira de Foguetes) no dia 16 de maio. Para esclarecer a população e os interessados (crianças e adolescentes), a equipe responsável pela atividade estará presente, ao longo de todo o dia.

A OBA é organizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a AEB. Trata-se de um evento aberto à participação de escolas públicas ou privadas, urbanas ou rurais, sem exigência de número mínimo ou máximo de alunos. O Planetário de Brasília se coloca na missão de apoio e fomento desta iniciativa e aplicará a prova para todas as crianças e adolescentes que querem participar, mas não estão estudando em escolas já participantes.

A consultora técnico-científica Patrícia Amaral estará presente para conversar sobre o tema e esclarecer todas as dúvidas. Ao longo deste ano, o centro astronômico irá promover outras atividades neste projeto. A partir do dia 21, os interessados poderão se inscrever para a prova da OBA no Planetário de Brasília e solicitar informações pelo e-mail oba.planetario@gmail.com.

Sexta-feira Santa – Em 18 de abril, todos os horários de sessões agendadas sem marcação serão transformados em sessões abertas para atender ao público. Com isso, o planetário vai disponibilizar sete sessões abertas neste feriado.

Lembrando que o Planetário de Brasília vai funcionar normalmente neste final de semana, com os horários das sessões disponíveis no site do planetário.

Cidade

Wasny vai ao MTE por registro de sindicato

16 de abril, 2014

O deputado Wasny de Roure (PT), acompanhado pelo professor Anchieta Coimbra, teve uma audiência nesta quarta-feira (16) com o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) , Manoel Messias. Eles foram tratar da publicação do registro do Sindicato de Mantenedores das Escolas Particulares do DF e Entorno (SINDMEC). Diante da comprovação da existência de conflito de interesse sobre o tema, o representante do SINDMEC, professor Anchieta anunciou que vai entrar com um recurso pedindo um novo prazo para fazer as devidas alterações para oficializar o registro. A audiência foi intermediada pelo deputado Wasny de Roure que tem um histórico de vida sindical. A deputada federal Érica Kokay (PT) também participou do encontro.

Política

Deputados do G5 comemoram perspectiva de crescimento

16 de abril, 2014
Olair Francisco anunciou adesão de mais dois partidos. Foto: Carlos Gandra/CLDF

Olair Francisco anunciou adesão de mais dois partidos. Foto: Carlos Gandra/CLDF

Por Zínia Araripe – A perspectiva de crescimento do G5 – grupo de partidos que reivindicam uma vaga na chapa majoritária governista que concorrerá às próximas eleições no DF – foi festejada no plenário da Câmara Legislativa, nesta terça-feira (15), pelos três deputados distritais que integram a aliança. O G5 é composto pelos seguintes partidos: PEN, PTC, PTdoB, PHS e PRP.

O deputado Olair Francisco (PTdoB) foi o primeiro a levantar o assunto na tribuna, informando que mais dois partidos sem representação parlamentar se somaram ao grupo, que terá direito a dois minutos de TV no programa eleitoral gratuito.

Alírio Neto (PEN) informou ainda que, às 11h de amanhã, representantes do G5 vão se reunir com outros cinco partidos “que têm um pensamento semelhante ao nosso”. “Os cinco podem vir a ser sete, oito, nove ou dez”, comemorou.

A aliança pode representar 600 mil votos, aparteou Agaciel Maia (PTC), lembrando que “300 mil votos decidem uma eleição no DF”. (Coordenadoria de Comunicação Social)

Política

Lei Orgânica será adequada à Constituição Federal

16 de abril, 2014

Por Denise Caputo – A Comissão Especial para Análise das Propostas de Emenda à Lei Orgânica se reuniu nesta quarta-feira (16), em caráter extraordinário, para deliberar sobre quatro proposições – uma delas incluída extrapauta. Com a presença de cinco parlamentares, foi aprovada a PELO nº 26/2011, que altera a redação do inciso X do art. 100 da Lei Orgânica, de forma a adequar o regramento à Constituição Federal. Aprovada na forma do substitutivo apresentado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a matéria está pronta para ser apreciada pelo plenário da Casa.

A proposta, de autoria da deputada Celina Leão (PDT) e outros, disciplina a atuação do governo com relação à organização e ao funcionamento da Administração do Distrito Federal, proibindo a criação e extinção de órgãos públicos por meio de decreto – esse tipo de medida deve seguir o processo legislativo ordinário – e, ao mesmo tempo, permitindo ao governador extinguir funções ou cargos públicos, quando vagos, por meio de decreto – isto é, sem necessidade de submeter a medida ao Legislativo.

Outra proposta votada na reunião de hoje foi a PELO nº 07/2007, do ex-deputado distrital Reguffe e outros. A proposição trata da concessão de títulos de cidadão honorário e benemérito, e teve o mérito rejeitado pela comissão.

As outras duas propostas que estavam na pauta não puderam ser apreciadas por conta de pedidos de vista feitos por parlamentares. A presidenta da comissão, deputada Arlete Sampaio (PT), pediu empenho por parte dos colegas para que as matérias possam ser discutidas já na próxima semana. (Coordenadoria de Comunicação Social)

Política