Águas Claras é a cidade mais rentável do DF

21 de agosto, 2014

aguas claras

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), referente ao mês de julho, constatou que Águas Claras continua se destacando como a cidade com a maior rentabilidade para apartamentos de um, dois e três dormitórios. As variações foram de 0,42%, 0,40% e 0,37%, respectivamente. Na modalidade quitinete, o Guará apresentou a maior rentabilidade, de 0,46%.

Em relação aos imóveis comerciais, Águas Claras também se destacou com 0,57% de rentabilidade nas lojas e 0,58% nas salas comercias. O Setor de Indústria também obteve uma grande valorização se comparado com o mês de junho na modalidade de lojas com um aumento de 0,18%.

A amostra analisada para comercialização representou 93% de imóveis residenciais e 7% de imóveis comerciais. Os números mais expressivos para os residenciais foram de apartamentos de 2 e 3 quartos somando 43,9%. As salas comerciais corresponderam a 4,4%.

Os maiores valores medianos de m2 foram verificados em Brasília, acima de 10 mil reais para apartamentos de 4 dormitórios. Em contrapartida, Sobradinho apresentou os menores valores medianos de m2 chegando a apenas R$ 4.258 para apartamentos de 3 dormitórios.

Em relação aos imóveis comerciais, Brasília se destaca pela grande valorização da região, uma loja na Asa Sul não sai por menos de 970 mil reais, aproximadamente.

Os imóveis residenciais destinados à locação totalizaram 68,5% da amostra, enquanto que os imóveis comerciais representam 31,5%. Neste quesito, Brasília supera as demais regiões administrativas. A mediana do aluguel de uma casa de 4 dormitórios no Lago Sul, bairro nobre da capital, chega a 11 mil reais, em contrapartida no Lago Norte, para o mesmo tipo de imóvel, a locação é de aproximadamente 7 mil reais.

Para os imóveis comerciais, observou-se a valorização das lojas em Taguatinga que fecharam o mês de julho com um aluguel no valor de 3 mil reais. Já, as salas comerciais em Águas Claras, para locação, superaram os 1.500 reais.

Economia ,

Um trem urbano para o Entorno

21 de agosto, 2014

Arruda trem

Arruda anuncia disposição para transformar linha Brasília-Luziânia em ramal do metrô

Durante visita à comunidade do conjunto Lúcio Costa, no Guará, na manhã desta quinta-feira, 21, o candidato ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, acolheu a ideia de usar a linha férrea que liga a Rodoferroviária à Luziânia para fazer correr sobre ela uma linha do metrô.

“Vocês estão vendo essa linha de trem aqui?”, apontou. “Eu quero fazer aqui um trem urbano, nessa linha que já existe. De tal maneira que os moradores do Entorno, de Luziânia, Valparaíso, Cidade Ocidental, Novo Gama e também os de Gama e Santa Maria possam utilizar essa linha de trem para chegar até a Rodoferroviária e dali, de VLT, até o centro de Brasília”, disse.

A obra defendida por Arruda tem execução simplificada pelo fato de a ferrovia já existir. Para realizá-la, precisam ser feitas algumas adaptações. Atualmente, as linhas do trem correm paralelamente numa distância de um metro — a chamada bitola métrica. O metrô de Brasília, no entanto, usa a bitola irlandesa, de 1,6m de distância. De resto, já está tudo lá.

O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) é uma das principais obras do plano de governo. Ele terá duas linhas. Uma saindo do Aeroporto, cortando toda a Asa Sul até o fim da Asa Norte pela W3. A outra saindo da Esplanada dos Ministérios pelo Eixo Monumental até chegar à Rodoferroviária.

Lá, na rodoferroviária, o trem urbano se integra ao VLT e distribui o fluxo de pessoas entre as cidades do Entorno Sul e toda a área central de Brasília.

Política , ,

Pitiman: Trilhos vão que ligará Brasília-Luziânia

21 de agosto, 2014

Foto Rafael Monteiro

Foto Rafael Monteiro

Na sabatina promovida pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF), na manhã desta quinta-feira (21), durante o 5º Fórum da Indústria da Construção Civil, o candidato ao governo do Distrito Federal, Luiz Pitiman (PSDB), apresentou a proposta da construção dos trilhos e funcionamento de trens entre Brasília e Luziânia.

Pitiman argumentou que a iniciativa tem por objetivo retomar o crescimento do DF. “Em um ano e meio teremos o trem Brasília-Luziânia pronto. Primeiro em ritmo lento e no final do meu mandato em ritmo de veículo leve sobre trilhos. Já temos o mais caro que é a desapropriação da terra. São 40 m² de área, que corta o DF e chega a Luziânia. Com isso, podemos resgatar o desenvolvimento”, detalhou.

Os temas discutidos na sabatina foram: desenvolvimento produtivo; geração de emprego e renda; administração pública e burocracia; empresas públicas; segurança jurídica; serviço público; mobilidade urbana; convênios e projetos; parceria público-privado; e obras públicas.

O presidente do sindicato, Júlio César Peres, agradeceu a presença do Pitiman no evento e externou a satisfação em promover o encontro. “É um momento de muita importância para a categoria em receber os candidatos, pois é quando podemos conhecer suas propostas para a construção civil”.

Em sua apresentação inicial, Pitiman destacou a gestão de políticas públicas, as vocações das cidades e o papel do setor produtivo para a construção da democracia. “Juntos com vocês faremos a verdadeira transformação que o DF precisa. O caminho é ser objetivo, prático e claro”, afirmou. O tucano abordou também a meritocracia, com plano de metas e reconhecimento, objetivando a qualidade da gestão e do serviço público.

Questionado sobre as propostas trazidas e o curto tempo de quatro anos para realizá-los, Pitiman foi enfático ao justificar que o que falta é comando. “O que disse aqui é que vou cuidar das pessoas, cuidar da cidade, mudar o modelo de gestão. O governo existe para isso. Todas as propostas que tenho trazido são possíveis sim, desde que o governador se mexa, saia da cadeira e vá para a rua trazer resultados para o povo. Esse é o compromisso que faço”. Além do presidente do Sinduscon-DF, compôs a mesa de debate o 1º vice-presidente do sindicato, Luiz Carlos Botelho, o presidente da ADEMI-DF, Paulo Roberto Muniz, o presidente da Asbraco, Luiz Afonso Assad, o presidente do Seconci-DF, Higino Souza, e o presidente do Clube de Engenharia de Brasília, João Carlos Pimenta.

Política , ,

Drama sem fim: saúde na pauta política

21 de agosto, 2014

Coletivo Politico

O debate eleitoral tem como tema obrigatório a saúde pública. É um setor que tem problemas graves. A população que necessita de atendimento médico sabe bem o que se passa nos hospitais regionais e postos de saúde. É um drama sem fim. Entra governo e sai governo e o problema não diminui. Diariamente somos chocados como notícias de vidas perdidas por incompetência das autoridades. Na madrugada de hoje morreu um bebê que esperou 4 dias por leito de UTI na rede pública do DF. A criança sofreu 7 paradas cardíacas à espera de vaga e mais 3 em UTI. Em outro caso um vídeo exibido pela TV Globo mostra enfermeiras arrastando um homem desmaiado no Hospital do Gama, com corte na testa. A Secretaria de Saúde disse apenas que vai tentar identificar profissionais. O registro foi feito por acompanhante de outro paciente.

 ***

Apenas três meses de vida

O bebê de três meses que morreu na madrugada aguardava por um leito na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da rede pública do Distrito Federal. Segundo a família, a criança conseguiu ser transferida somente na noite de ontem, após quatro dias de espera.

 ***

Dez paradas cardíacas

Enquanto aguardava por um leito de UTI, o bebê sofreu sete paradas cardíacas e, após a transferência, mais três, segundo a família da criança. O bebê deu entrada no Hospital de Planaltina com pneumonia na noite de sábado (16).

 ***

Sem vagas disponíveis

Apesar de uma ordem da Justiça para internação da criança na UTI, a Secretaria de Saúde informou que não haviam vagas disponíveis. No fim da tarde, a família foi informada de que havia um leito no Hospital de Taguatinga, mas a criança só foi transferida às 22h.

 ***

Paciente arrastado

No outro caso, a Secretaria de Saúde tenta identificar as enfermeiras flagradas arrastando um homem que desmaiou, caiu no chão e cortou a testa enquanto aguardava atendimento na emergência do Hospital Regional do Gama. O caso aconteceu em 13 de agosto.

 ***

Socorro recusado

O vídeo foi feito por Daniela da Costa. A mulher afirma que pediu ajuda a um médico, que teria se recusado a ajudar alegando já estar com outro paciente. Questionado pela Globo sobre o caso, o governador Agnelo Queiroz, que é médico, disse que não sabia do caso.

 ***

Na televisão, promessas e ilusão

Enquanto fatos como esses acontecem, os candidatos ao governo do Distrito Federal debatem o tema na campanha eleitoral. Para o governo, a Saúde vai mudar bem. Para os adversários, muitas promessas. Ao povo, o descaso e vidas perdidas pela incompetência.

Política , ,

Oposição quer apurar transferência de bens de Graça

21 de agosto, 2014

 Graca Foster

Parlamentares de oposição defenderam nesta quarta-feira, durante audiência da CPI mista da Petrobras no Congresso, a investigação de supostas operações de transferência de bens da atual presidente da estatal, Maria das Graças Foster, e do ex-diretor da Área Internacional da companhia, Néstor Cerveró. Reportagem publicada hoje no site de O Globo mostra que, após estourar o escândalo sobre a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), eles teriam transferido a parentes imóveis que eram de sua propriedade.

A reportagem, baseada em documentos obtidos em cartórios no Rio de Janeiro, aponta que Graça Foster e Cerveró teriam transferido apartamentos em áreas valorizadas no Estado. As operações teriam ocorrido antes da decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de bloquear, no dia 23 de julho, os bens de dez gestores da Petrobras para ressarcir os US$ 792 milhões com a compra da refinaria de Pasadena. Por conta da decisão do TCU, Cerveró está com os bens bloqueados. O tribunal decidiria hoje sobre o bloqueio dos bens de Graça Foster, mas a sessão foi adiada.

O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), foi quem leu a reportagem sobre a transferência de bens dos dois durante o depoimento do gerente jurídico internacional da estatal, Carlos Cesar Borromeu de Andrade. Bueno disse que a questão é “grave” e exigiu uma investigação por parte da CPI mista. A intervenção, entretanto, gerou um bate-boca entre ele e a deputada do PT Iriny Lopes (PT). “Não quero de novo que esta CPI seja palanque eleitoral. Não vamos aceitar palanque eleitoral”, afirmou Iriny Lopes. “O povo brasileiro é que não aceita roubalheira. Está comprovado nos cartórios do Rio de Janeiro”, rebateu Rubens Bueno.

O líder do PPS comparou esse fato com a proteção feita por petistas a condenados no processo do mensalão. “O senhor me respeite. O senhor está exagerando nas palavras”, afirmou Iriny. “Quem fala o que não sabe, fala da própria ignorância”, reagiu Bueno. O presidente em exercício da CPI mista, senador Gim Argello (PTB-DF), tentou acalmar os ânimos dos dois parlamentares, tocando a campainha para tentar encerrar a discussão entre eles. Em seguida, Gim sugeriu a Bueno que se apresentasse um requerimento para pedir aos cartórios fluminenses os registros de eventuais transferências recentes de patrimônio de Graça e Cerveró. O líder do PPS anunciou que vai apresentar esse pedido, que deve ser votado pela comissão apenas daqui a duas semanas, na semana de esforço concentrado de votações do Congresso durante o período eleitoral. (Ricardo Brito, Estadão)

Economia, Política ,

Voto distrital, voto em lista e…, as placas!

21 de agosto, 2014

Cesar maia

1. Curiosa e pragmaticamente, já temos um sistema eleitoral de voto Distrital Misto no Brasil. Quem duvidar acompanhe este raciocínio. No voto Distrital Misto o eleitor vota duas vezes para deputado federal: uma em seu Distrito e outra na Lista de Partidos. Bem, no Brasil se vota uma vez só. Como o Brasil é uma Federação, cada Estado é como se fosse um “país eleitoral”.

2. Nos países que têm voto em lista, apesar de haver a nominata registrada de candidatos-deputados, na prática quem faz campanha é o cabeça da lista, que é o mais conhecido e que atrai mais votos. Ele é que aparece como puxador de votos para a lista.

3. Agora, ande pelas ruas em todos os municípios e bairros. Você verá duas coisas. Primeiro que em cada bairro ou região –digamos, distrito eleitoral- aparecem placas com certos nomes de candidatos a deputado federal concentrados ali. Se você vai para outro bairro/município, as placas com nomes que viu em uma região desaparecem e aparecem outras placas com outros nomes de deputados federais nessa outra região.

4. Mas há também candidatos cujas placas aparecem no Estado todo, ou pelo menos em vários municípios. Esses são os puxadores de legenda de seus partidos. Funcionam como líderes das listas, como num sistema de voto em lista. Estes procuram ser nomes gerais. Fazem campanha como candidatos majoritários.

5. Há também um terceiro tipo de puxadores de lista que, por serem deputados federais de opinião pública, também estão no Estado todo, mas pouco utilizam as placas. Estão em auditórios especiais, nas redes sociais, em debates promovidos por suas próprias bases e por mala direta em eleitorado cativo. Em geral são candidatos ideológicos –pela direita e pela esquerda- e religiosos.

6. A estes tipos de puxadores de lista, acrescentem-se aqueles que concentram os comerciais de seus partidos na TV. É como se a TV fosse as suas placas eletrônicas.

7. Enfim, aqueles que acham muito complicado adotar o voto Distrital Misto, basta contratar uma empresa e fazer este levantamento acima. Verá que os desenhos dos distritos estão praticamente prontos faltando apenas recortes finais. Dir-se-ia: siga as placas eleitorais e terá o desenho do sistema distrital-misto quase pronto.

Política ,

Celina critica tratamento de auditores com taxistas

21 de agosto, 2014

celina

A deputada Celina Leão (PDT) ocupou a tribuna da Câmara Legislativa para criticar a atuação de uma subsecretaria criada na Secretaria de Transportes para cuidar dos taxistas. Segundo a distrital, a categoria tem reclamado da forma como estão sendo feitas as abordagens e do tratamento “grosseiro”. Ela pediu que a pasta analise a forma como os auditores estão tratando os taxistas.

“A categoria merece o nosso respeito são, em sua maioria, homens de meia idade. São pequenas coisas que fazem a diferença na vida das pessoas, educação cabe em qualquer lugar”, considerou Celina.

A deputada também criticou o governo do DF por ter reajustado as corridas de táxi em 10%, ao mesmo tempo em que aumentou o valor das multas dos taxistas em 100%. “É uma incoerência, vamos apresentar um projeto de Decreto Legislativo para sustar os efeitos deste reajuste nas multas”, ressaltou.

A parlamentar, também observou que tem que haver concorrência para os cursos obrigatórios ao taxista. “Os cursos são ministrados apenas pelo SEST/SENAT, estamos propondo uma legislação para que as auto-escolas também possam ministrar o curso, ampliando as possibilidades de horário para os taxistas”, anunciou a deputada.

Política ,

Pitiman propõe interbairros entre Águas Claras e o Plano

21 de agosto, 2014
Luiz Pitiman

Luiz Pitiman

O candidato ao governo do Distrito Federal (PSDB), Luiz Pitiman, foi recebido na noite desta quarta-feira (20), por moradores de Águas Claras para a sabatina da Associação de Moradores e Amigos de Águas Claras (AMAAC), realizada no colégio La Salle. O tucano apresentou a proposta de construir uma avenida de ligação entre a cidade e o centro de Brasília.

Sobre os problemas de trânsito na cidade, Pitiman apresentou o compromisso de iniciar a construção da Avenida Parque Águas Claras, uma pista interbairros da cidade até o Plano Piloto. “Já são 200 mil moradores e o número de automóveis cresceu junto. A interbairros é fundamental para a mobilidade da cidade”, completou.

Na presença de mais de 50 pessoas, o tucano respondeu ainda temas sobre: Transporte Público; Mobilidade e Acessibilidade; Segurança; Saúde; Educação; Habitação; Transparência e Administração; Equipamentos Públicos; e Modelo de gestão das Regiões Administrativas.

Com relação a infraestrutura de Águas Claras, o tucano falou sobre a construção e reforma de calçadas e praças. Para a segurança, Pitiman apresentou proposta de implantação da polícia comunitária e de uma delegacia. O candidato discutiu também um novo plano de carreira para as polícias militar e civil, além de políticas públicas para a saúde com criação de posto de saúde e retorno do programa saúde em casa.

Política ,

Agenda de Arruda – 21 de agosto

21 de agosto, 2014

arruda

9h às 10h30 Reuniões com lideranças comunitárias

11h Caminhadas pelo DF

Locais a definir

12h30 às 15h Reuniões com lideranças comunitárias

16h Caminhadas pelo DF

Locais a definir

19h Inauguração Comitê Laerte Bessa

Local: Areal

19h30 às 21h Reuniões com lideranças comunitárias

Política ,

Agenda de Toninho do PSOL – 21 de agosto

21 de agosto, 2014

Toninho Psol

7h30 Panfletagem na Faculdade de Direito UNB

9h30 Panfletagem ICC da UNB

11h30 Panfletagem no Bandejão da UNB

15h Panfletagem 306/307 Norte

17h30 Panfletagem ICC da UNB

 

Política

Ex-advogada da campanha do PT vai julgar Arruda

20 de agosto, 2014
Luciana Lossio foi advogada particular de Dilma antes de ser nomeada por Dilma para o TSE

Luciana Lossio foi advogada particular de Dilma antes de ser nomeada por Dilma para o TSE

 

TSE recebe recurso do ex-governador contra indeferimento de sua candidatura ao governo do DF

Chegou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta quarta-feira (20), recurso do candidato ao governo do Distrito Federal pelo Partido da República (PR), José Roberto Arruda, contra decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) que barrou a candidatura do político.

A relatora do processo no TSE é a ministra Luciana Lóssio, que já foi advogada de campanhas do PT, como a da presidente Dilma Rousseff.

No dia 12 de agosto, a Corte Regional acatou o pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e outros, que entenderam que o ex-governador não poderia concorrer às eleições de outubro por ter sido condenado em segunda instância por crime de improbidade administrativa. Os desembargadores enquadraram Arruda na Lei da Ficha Limpa (LC nº 135/2010) por considerar que o candidato não tem os direitos políticos plenos e não atendeu aos requisitos de elegibilidade previstos.

A defesa de Arruda interpôs o recurso contra a decisão dois dias após o julgamento pelo TRE-DF. O processo seguiu tramitação naquela Corte e, após isso, o presidente remeteu os autos ao TSE. A condição é prevista no art. 277 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965): “Interposto recurso ordinário contra decisão do Tribunal Regional, o presidente poderá, na própria petição, mandar abrir vista ao recorrido para que, no mesmo prazo, ofereça as suas razões. Juntadas as razões do recorrido, serão os autos remetidos ao Tribunal Superior”.

Política , , ,

Pitiman participa de evento com corretores de imóveis

20 de agosto, 2014
Luiz Pitiman Foto Rafael Monteiro

Luiz Pitiman Foto Rafael Monteiro

O candidato ao governo do Distrito Federal, Luiz Pitiman (PSDB), compôs a mesa da Solenidade de entrega de Carteiras aos novos corretores de imóveis, do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do DF – 8ª Região – CRECI, ontem 19), em Brasília. O tucano propôs diretoria da entidade na Terracap.

Na oportunidade, Pitiman afirmou que a Terracap não tem cumprido com o papel da empresa, e disse que, se eleito, vai propor a participação direta da sociedade civil. “A Terracap não tem cumprido com seu papel como a companhia imobiliária de Brasília. Eu sou corretor também e me sinto a vontade para me comprometer com vocês e criar na empresa uma diretoria com o CRECI e de entidades da classe, para o progresso e retomada do desenvolvimento do DF”.

No evento, mais de 60 novos corretores receberam a carteira do CRECI. Participaram com o candidato ao GDF, o presidente do CRECI/DF, Hermes Alcântara, o diretor-secretário José Sena, o candidato a deputado federal Izalci Lucas, o candidato a deputado distrital Rodrigo Barreto, o representante do SECOV-DF, Mauro Castro, e o convidado especial, corretor Alberto da Silva Costa.

Política ,

Rollemberg passará 24 horas em Brazlândia

20 de agosto, 2014

 Rodrigo Rollemberg

Rodrigo Rollemberg visitará Brazlândia na quinta-feira (21) e passará 24 horas na cidade, em diversas atividades. Fará caminhadas, visitas e estará na roda de conversa com moradores.

A visita começa às 8h de quinta-feira. Às 19h, na Arena da Orla do Espelho D’Água Veredinha, Rollemberg participa da roda de conversa, para ouvir as pessoas, divulgar e discutir suas propostas de governo. As rodas de conversa com Rollemberg serão realizadas em diversas cidades.

Rollemberg vai dormir na casa de um amigo na cidade e na manhã do dia seguinte fará visitas e caminhadas em Brazlândia.

Quinta-feira (21/8)

9h – Caminhada pela Feira Permanente da Vila São José

13h30 – Caminhada pelo comércio de Brazlândia

17h – Encontro com produtores de morango da região

Local: Assentamento Betinho

19h – Roda de conversa

Local: Arena da Orla do Espelho D’Água Veredinha, ao lado da Avenida Principal

Sexta-feira (22/8)

6h – Conversas no Terminal Rodoviário Veredas

8h30 – Caminhada pelo Setor de Oficinas de Brazlândia

9h15 – Visita à Obra Social Santa Isabel

Local: Quadra 5 lotes 3 e 4 – Setor Tradicional

18h – Entrevista ao DFTV 2ª edição, na TV Globo

Política , ,

CNT/MDA divulga nova rodada de pesquisa

20 de agosto, 2014

 eleições 2014

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) informa que de nesta quinta-feira (21) até domingo (24) realiza o trabalho de campo para a 120ª Pesquisa CNT/MDA. A previsão é que a divulgação ocorra na quarta-feira da próxima semana, dia 27.

Nesta nova edição da pesquisa, constará o nome de Marina Silva como candidata do PSB à Presidência da República. Ela será incluída na pesquisa eleitoral em substituição ao candidato Eduardo Campos, vítima de um acidente aéreo neste mês. A 120ª Pesquisa CNT/MDA está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-00400/2014.

Para informação da imprensa, estamos publicando hoje em nosso site (www.cnt.org.br) o relatório com os resultados da 119ª Pesquisa CNT/MDA, realizada entre 8 e 12 de agosto. O trabalho de campo foi encerrado um dia antes do falecimento de Eduardo Campos, que ainda consta nessa pesquisa. Além dos cenários eleitorais, há também informações sobre segurança pública, emprego, renda mensal, aborto, maconha e discriminação.

Política ,

Alvará em 30 dias a partir de janeiro

20 de agosto, 2014
Arruda. Foto Roberto Rodrigues

Arruda. Foto Roberto Rodrigues

 

Arruda anuncia novo prazo para GDF processar pedidos de licenças e autorizações

O candidato ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, afirmou na tarde desta quarta-feira, 20, que estabelecerá em 30 dias o prazo para que sejam processados pedidos de alvarás e licenças pelo poder público, a partir de janeiro do próximo ano.

“O que ouvi aqui de vocês é estarrecedor”, disse o candidato, durante almoço promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) — associação das empresas com faturamento anual maior do que R$ 200 milhões —, no Centro de Convenções Internacional. Lá, o empresariado estabelecido em Brasília deu vários depoimentos sobre a saga que enfrentam para conseguir regularizar empreendimentos e negócios no DF, tudo por causa da demora do GDF em emitir alvarás e licenças.

“É um governo que não dá alvará de construção, de funcionamento, que cobra propina pra ligar a luz, pra dar habite-se. É um estado de desanimo”, analisou.

Para resolver o problema, Arruda reafirmou que extinguirá a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) no primeiro dia de governo. “Fui eu mesmo que a criei com o objetivo de centralizar a fiscalização. Mas ela virou um monstro, usado politicamente, que só dificulta a atividade econômica.”

Arruda transferirá os poderes hoje concentrados na Agefis de volta para as administrações regionais. Lá, os administradores não mais serão indicados dos deputados distritais. “Nomearei somente técnicos escolhidos diretamente pelo governador e eles terão que, obrigatoriamente, serem moradores das cidades que administrarão”, explicou.

Além disso, o candidato realizará concurso público para aumentar o quadro de engenheiros e arquitetos nas administrações regionais. Desta forma, elas poderão se enquadrar no prazo de 30 dias para processar os pedidos de alvarás, licenças e habite-se. Atualmente, há casos em que empreendimentos esperam há mais de seis meses por um alvará de funcionamento. Se estiver em fase de projeto, na atual gestão do GDF, não leva menos de dois anos para conseguir se regularizar.

“O Estado tem que ser eficiente e desburocratizado. Tem que responder as demandas do setor produtivo e do setor econômico pra que o empresário sinta segurança em investir e gerar mais emprego”, disse Arruda.

O coordenador do Lide em Brasília, Paulo Octávio, afirmou que “Arruda passou a toda a sensação de incentivo que a livre iniciativa precisa. Ele sabe que o Estado não dá conta de fazer tudo e vai agraciar o setor com a desburocratização necessária”, definiu.

Política , ,

Por dentro do debate na Band

20 de agosto, 2014

Coletivo Politico

O primeiro debate na televisão entre os candidatos ao Governo do Distrito Federal (GDF), promovido pela TV Bandeirantes, refletiu bem o que mostram as pesquisas de opinião pública. O ex-governador José Roberto Arruda (PR) é disparado superior aos outros candidatos quando o assunto é debate. Consegue se comunicar com clareza e apresentar propostas sem rodeios. Também se sai bem do tiroteio dos adversários, principalmente quando o assunto é a Lei da Ficha Limpa e a Caixa de Pandora. De cara, deu uma resposta ao candidato Toninho do PSol que encerrou o assunto. Na verdade, todos criticam Arruda, mas entram em pânico quando tem que falar diretamente com o ex-governador. Agnelo (PT) gagueja, Pitiman (PSDB) e Rodrigo Rollemberg (PSB) se enrolam e Toninho parece aquela tia velha do interior que a gente só vê de quatro em quatro anos, mas que sempre conta a mesma história.

 ***

Agnelo x Rollemberg

As pesquisas mostram o empate técnico entre o governador Agnelo Queiroz e o senador Rodrigo Rollemberg. Talvez por isso Agnelo deva ter deixado Arruda mais sossegado em determinados momentos do debate, centrando fogo no candidato do PSB.

 ***

Segundo turno

Hoje, Rollemberg é o principal candidato que ameaça Agnelo e que pode deixar o petista fora do segundo turno. O governador também atacou o candidato Luiz Pitiman, que vem crescendo e ameaça entrar na disputa com Agnelo.

  ***

Agnelo x Pitiman

O deputado Luiz Pitiman pode ser tornar uma ameaça real para Agnelo. A tendência é que em breve Rollemberg assuma o segundo lugar. Assim, o petista teria Pitiman mais próximo e os dois disputariam quem fica em terceiro lugar.

  ***

Arruda e Pitiman

Durante um dos blocos do debate na Band, Arruda e Pitiman fizeram uma dobradinha, um perguntado ao outro. A ideia era transformar a oportunidade numa discussão de propostas, fugindo das críticas dos adversários.

  ***

Pitiman secretário

Se Arruda for eleito, ela anunciou com antecedência o seu primeiro secretário. Será o deputado federal Luiz Pitiman que pode assumir a pasta de Obras. O convite foi feito ao vivo durante o debate na Band. Pitiman não deu uma resposta, apenas sorriu.

  ***

Boneco de posto

Agnelo precisa se preparar melhor para os debates. O governador treme, não consegue falar sem gaguejar e tem dificuldade de completar um raciocínio. Agnelo aparenta que está com medo. E tem que parar de se mexer como um boneco de posto.

Política ,

Vendas do comércio brasiliense registram queda em julho

20 de agosto, 2014

 

As vendas do comércio brasiliense registraram queda de -1,20% em julho de 2014 na comparação com junho. Já no setor de serviços houve uma leve alta de 1,83%. No acumulado dos últimos 12 meses (jul/13 x jul/14), comércio e serviços registraram queda de 6,66%. É o que mostra a Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio.

O segmento de Floricultura teve a queda mais significativa no comércio, de -11,01%. Em serviços, apenas o segmento de Autoescola teve aumento nas vendas (23,52%). “Os juros mais caros, a alta na inflação e o endividamento do brasiliense provocaram a queda nas vendas. Além disso, a realização da Copa do Mundo no Brasil, que foi até o dia 13 de julho, desviou a atenção dos consumidores”, explica o presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana.

Apesar dos números, ele ressalta que a Copa do Mundo foi positiva para a imagem da cidade. Adelmir aponta também que muitos brasilienses aproveitaram o evento para promoverem confraternizações em suas residências. Outros gastaram os recursos sobressalentes com ingressos e brindes relativos ao mundial de futebol.

Na análise por ramo de atuação, apresentaram queda nas vendas do comércio em julho, na comparação com junho, os segmentos de: Floriculturas (-11,01%); Livraria e Papelaria (-3,51%); Bares, Restaurantes e Lanchonetes (-2,78%); Mercado e Mercearia (-2,56%); Material de Construção (-2,09%); Móveis e Decorações (-1,56%); Vestuário (-1,24%); Farmácia e Perfumaria (-0,85%). Já os segmentos que apresentou alta foram: Informática (6,22%); Óticas (3,71%); Calçados (2,85%); Lojas de Utilidades Domésticas (2,57%); Autopeças e Acessórios (1,39%) e Tecidos (0,76%).

No setor de serviços, houve queda em: Pet Shop (-2,09%); Agência de Viagem (-0,61%) e Salão de Beleza (0,08%). O único segmento que apresentou alta foi o de Autoescola (23,52%). É necessário ressaltar, contudo, que o Instituto Fecomércio pesquisa apenas esses quatro segmentos de serviços.

Quanto ao pessoal empregado, o comércio teve alta de 0,76% no contingente em comparação com junho. O setor de serviços também registrou aumento nas vagas, de 3,10%. Entre as formas de pagamento, o cartão de crédito foi o mais utilizado. No comércio, a modalidade respondeu por 44,30% das vendas. No setor de serviços, foi responsável por 45,76% das compras.

A Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do DF é realizada mensalmente pelo Instituto Fecomércio e tem o apoio do Sebrae. Foram consultadas 700 empresas, sendo 595 do comércio e 105 de serviços. A coleta de dados foi realizada entre os dias 5 e 10 de agosto de 2014.

Economia ,

Arruda é ouvido pelo TRF sobre Caixa de Pandora

19 de agosto, 2014

 Pandora capa

Candidato do PR, que aguarda recurso do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quanto ao registro de sua candidatura, foi ouvido ontem pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF) junto com Durval Barbosa, Deborah Guerner, Cláudia Marques e Roberto Cortopassi Júnior, todos envolvidos na operação Caixa de Pandora. Intimado, o ex-vice-governador do DF, Paulo Octávio, não foi encontrado

Brasília 247 – Foram ouvidas nesta segunda-feira (18), no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF), cinco testemunhas envolvidas na Operação Caixa de Pandora, deflagrada em 2009 pela Polícia Federal. Por cerca de três horas, prestaram depoimento José Roberto Arruda (PR), que disputa as eleições para o governo do Distrito Federal, Durval Barbosa, Deborah Guerner, Cláudia Marques e Roberto Cortopassi Júnior. Também foram realizadas acareações entre as testemunhas. Intimado, o ex-vice-governador do DF, Paulo Octávio, não foi encontrado.

De acordo com a desembargadora relatora, Mônica Sifuentes, as testemunhas foram ouvidas para o esclarecimento de eventuais contradições existentes nos depoimentos prestados por elas acerca da possível prática do crime de extorsão em face do ex-governador do DF, José Roberto Arruda. A nova tomada de depoimentos foi requerida pelo Ministério Público Federal (MPF), por Cláudia Marques, Durval Barbosa, e pelo casal Deborah e Jorge Guerner.

A Operação Caixa de Pandora revelou o caso que ficou conhecido como mensalão do DEM, quando o ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, divulgou vídeos em que políticos de Brasília, incluindo Arruda, apareciam recebendo propina. De acordo com as investigações, o esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia e servia para corromper deputados da base aliada. Em um dos vídeos, Arruda aparece recebendo maços de dinheiro.

O envolvimento no mensalão do DEM culminou na condenação de Arruda em segunda instância, o que levou o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a negar, por 5 votos a 2, o registro de sua candidatura ao governo do DF nestas eleições. Considerado inelegível com base na Lei da Ficha Limpa, o político ingressou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na última sexta-feira (15).

Enquanto aguarda o resultado, o candidato do PR, líder nas pesquisas de intenção de votos, toca sua campanha diz estar otimista, acreditando, inclusive, em vitória no primeiro turno.

Política ,

Missa em memória de Campos reúne políticos

19 de agosto, 2014

 

Foto Marcello Casal Jr./Agencia Brasil

Foto Marcello Casal Jr./Agencia Brasil

Políticos de vários partidos e autoridades participaram hoje (18), na Catedral de Brasília, da missa de sétimo dia em memória do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, vítima de acidente aéreo em Santos (SP), na última quarta-feira (13). A candidata Marina Silva, que deve ser oficializada amanhã (20) como sucessora de Campos na chapa, chegou acompanhada do marido, da filha e do líder do PSB no Senado, Rodrigo Rollemberg (DF), candidato ao Palácio do Buriti.

A presidenta Dilma Rousseff, que está em viagem oficial a Rondônia, foi representada pelo vice-presidente, Michel Temer, e pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. Também participaram da cerimônia os parlamentares das bancadas do PSB na Câmara e no Senado, assessores da coligação Unidos pelo Brasil, liderada pelo PSB, além de ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), do qual a mãe de Campos, Ana Arraes, faz parte.

A missa foi concelebrada pelo Arcebispo de Brasília, dom Sergio da Rocha, e os bispos auxiliares dom Leonardo Steiner e dom Marcony Vinicius Ferreira e lotou a Catedral Metropolitana de Brasília.

Durante a homilia, dom Sérgio da Rocha lembrou de Eduardo Campos como um homem que valorizou a família e que, mesmo na vida pública, manteve as convicções ligadas à fé. “Ele valorizou a família de modo muito concreto, por meio de seu testemunho pessoal, e, por ser vocacionado para a vida política, ele alargou seu afeto, fazendo do povo brasileiro sua grande família”, destacou.

Após a homenagem, a expectativa é que no fim da tarde de hoje, lideranças do PSB se reúnam para acertar os últimos detalhes da reunião da Executiva do partido, marcada para amanhã. No encontro desta quarta-feira deve ser oficializado o nome de Marina como candidata da sigla e apresentado o indicado a vice-presidente.

Um dos coordenadores da campanha presidencial do PSB, Mauricio Rands, disse que a morte de Campos e a substituição do candidato não vão alterar as bases do programa de governo apresentado pela Coligação Unidos pelo Brasil. Rands é um dos principais interlocutores do PSB com a Rede Sustentabilidade, fundado por Marina, e que aguarda registro do Tribunal Superior Eleitoral. Para se candidatar, a ex-senadora teve que se filiar ao PSB.

Segundo Rands, Marina deve apresentar, nos próximos dias, uma carta confirmando os compromissos firmados entre ela e Campos na formação da aliança.

A família de Eduardo Campos participa hoje, às 20h, de uma missa na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, na zona norte do Recife. (Luana Lourenço e Karine Melo – Repórteres da Agência Brasil Edição: Talita Cavalcante)

Política , , ,

Um desastre chamado Dilma!

19 de agosto, 2014

 129_180-Dilma e Bonner 

Por Ricardo Noblat - William Bonner empurrou a presidente Dilma Rousseff para o canto do ringue. E ficou batendo nela até cansar. Até resolver lhe dar algum refresco, quando ofereceu um minuto e meio além dos 15 previstos para que ela fizesse suas considerações finais.

Como Dilma, atarantada, não conseguiu respeitar o tempo que lhe coube, Bonner e Patrícia Poeta decretaram o fim da terceira entrevista do Jornal Nacional com candidatos a presidente. As duas primeiras foram com Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

De longe, a entrevista com Dilma foi um desastre. Para ela. Não chamou Bonner e Patrícia de “meus queridos”, como costuma fazer quando se irrita com jornalistas que a acossam com perguntas incômodas. Mas chegou perto.

Passou arrogância. Exibiu uma de suas características marcantes – a de não juntar coisa com coisa, deixando raciocínios pelo meio. Foi interrompida mais de uma vez porque não conseguia parar de falar, e fugia de respostas diretas a perguntas.

Perguntaram-lhe sobre corrupção. Dilma respondeu o de sempre: nenhum governo combateu mais a corrupção do que o dela. Bonner perguntou o que ela achava de o PT tratar como heróis os condenados pelo mensalão. Foi o pior momento de Dilma (terá sido mesmo o pior?).

Dilma escondeu-se na resposta de que como presidente da República não poderia comentar decisões da Justiça. Ora, a resposta nada teve a ver com a pergunta. E Bonner insistiu com a pergunta. E Dilma, nervosa, valeu-se outra vez da mesma resposta. Pegou mal. Muito mal.

Quando foi provocada a examinar o estado geral da economia, perdeu-se falando de “índices antecedentes”. Provocada a dizer algo sobre o estado geral da saúde, limitou-se a defender o programa “Mais Médicos”.

Seguramente, nem em público, muito menos em particular, Dilma se viu confrontada de modo tão direto, seco e sem cerimônia como foi por Bonner e Patrícia. Jamais. Quem ousaria? Surpreendida, por pouco não se descontrolou.

Política , , , , ,

Erros no governo de Agnelo favorecem Rollemberg

19 de agosto, 2014

 agnelo rollemberg 

Por: Donny Silva – Entre os políticos mais experientes no DF ouvidos pelo Blog, existe o consenso de que o governador Agnelo Queiroz (PT) perderá a reeleição para Rodrigo Rollemberg (PSB). As reclamações contra o governador são muitas, principalmente entre os aliados, que demonstram insatisfação e fazem campanha sem citar o nome de Agnelo nas reuniões e em materiais.

Aliados apontam a falta de cumprimento de promessas e compromissos e fornecedores reclamam da falta de diálogo e atrasos no pagamento de faturas do GDF. Também falta alguém monitorar a Novacap, o DER e o DETRAN, que diariamente atrapalham ainda mais o caótico trânsito nas vias do Distrito Federal.

E ainda tem alguns secretários de Estado que só aparecem em solenidades, deixando para outros, o peso da responsabilidade de levar o governo do Novo Caminho até o fim. Sem falar em administrares regionais que estão tirando votos de Agnelo.

Mas a maior reclamação mesmo é de que o governador Agnelo Queiroz não está ouvindo ninguém, e que acredita apenas no que dizem alguns poucos ‘aspones’ de plantão. E o tempo passa e as eleições se aproximam.

Com a comoção em torno da morte de Eduardo Campos, o Brasil reencontrou Marina Silva, que é muito bem avaliada no DF e consequentemente poderá turbinar a candidatura do senador Rodrigo Rollemberg ao governo do DF, que possui a menor rejeição por parte do eleitorado brasiliense.

O jogo político de fato começou. Façam suas apostas.

Política , ,

Agenda do candidato Rodrigo Rollemberg de 3ª feira

19 de agosto, 2014

 Rodrigo Rollemberg

8h às 12h – Participa de reuniões internas com a coordenação da campanha

12h15 – Missa de sétimo dia de falecimento de Eduardo Campos

Local: Catedral de Brasília

22h – Debate dos candidatos ao GDF na TV Bandeirantes

Política ,

Começa a campanha pela TV e pelo rádio! o que muda?

19 de agosto, 2014

 Cesar maia

1. Desde uns 10 anos atrás, os programas eleitorais de TV e Rádio já não produzem a emoção que produziam durante muitos anos anteriores. Isso não quer dizer que não sejam importantes. Certamente são. É pela TV e Rádio que o eleitor entra para valer na eleição.

2. Nesse sentido, as pesquisas de opinião só começam a sinalizar tendências após o terceiro dia, para presidente, para governador e para senador, ou seja, uma semana depois do horário eleitoral ser iniciado.

3. Se os programas e comerciais eleitorais já não produzem a emoção que produziam, por outro lado cumprem uma função vital: informar ao eleitor quem são os candidatos, que cargos disputam e o que pretendem. Isso exige domínio de técnicas de publicidade, para que a informação seja memorizada. Aí entram imagens, comunicação visual, legitimações, expressões dos candidatos, etc.

4. Os programas e comerciais eleitorais podem produzir inversões de opinião. Por exemplo, um candidato melhorar sua imagem. Numa campanha em dois turnos –para presidente e governador- isto é fundamental, pois a rejeição no primeiro turno não elimina ninguém, mas no segundo inviabiliza o candidato. Por isso, este terá o primeiro turno na TV e Rádio para inverter parte da opinião pública e se tornar competitivo no segundo turno.

5. Há dois tipos de mistificação no horário eleitoral. Um deles é a demagogia eletrônica, ou populismo eletrônico, quando o candidato usa a tecnologia, especialmente na TV (marketing político), para iludir o eleitor com promessas falsas. Esse é um caminho de alto risco se uma vez eleito.

6. O outro tipo é a recriação virtual do governo numa situação de reeleição. Ou seja, um governo medíocre, que através da TV mostra o que não fez, ou que pretendia fazer como tendo feito, ou destaca casos específicos como se fossem a generalidade.

7. O tempo de TV é muito importante nesses dois tipos citados de populismo eletrônico. Mas é fundamental no caso da reconstrução virtual dos governos. Por isso, a pressão dos candidatos à reeleição –com pouco o que mostrar- para conseguir aglomerar apoios e conquistar um grande tempo de TV.

8. A partir desta terça se poderá avaliar que tipo de comunicação farão os candidatos majoritários pela TV e em setembro –através das pesquisas eleitorais- o que conseguiram, ao informar ou tentar iludir o eleitor.

* * *

Datafolha – 14-15/08: Aécio x Marina!

1. Sudeste Aécio 24% Marina 22%. Sul: 19% x 18%. Nordeste: 12% x 20%. Centro-Oeste 27% x 25%. Norte 16% x 16%.

2. Entre os homens: Aécio 24% x Marina 20%. Entre as Mulheres Aécio 16% x Marina 22%.

3. De 16 a 24 anos: Aécio 18% x Marina 28%. Mais de 60 anos: Aécio 23% x Marina 14%.

4. Renda até 2 salários mínimos: Aécio 14%, Marina 18%. Renda de mais de 10 salários mínimos: Aécio 38% x Marina 27%.

5. Em cidades de até 50 mil habitantes: Aécio 19% x Marina 17%. Em cidades de mais de 500 mil habitantes: Aécio 20% x Marina 24%.

6. Católicos: Aécio 21% x Marina 19%. Evangélicos Neopentecostais: Aécio 15% x Marina 24%.

Política ,

“É urgente ter mais ônibus”

19 de agosto, 2014

arruda

Arruda avisa que prioridade no transporte coletivo é aumentar tamanho da frota, reduzida pela atual gestão

O candidato ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, afirmou, durante caminhada na Rodoviária do Plano Piloto, na tarde desta segunda-feira, 18, que a primeira providência na área de transporte coletivo será aumentar o número de ônibus rondando nas cidades.

“Hoje, tem aproximadamente 900 ônibus a menos. É claro que o tamanho reduzido da frota não consegue atender a demanda, é preciso corrigir isso. Mas vai levar um tempo para consertar os muitos erros cometidos pela atual gestão”, disse.

Para Arruda, quando realizou a licitação dos ônibus, o GDF dissimulou a redução da frota, feita deliberadamente para tornar as linhas mais lucrativas — as empresas mantêm menos ônibus nas ruas e eles andam mais cheios. “Só que o povo percebe, o povo não é bobo. Aqui na rodoviária o que mais tem é gente reclamando que os ônibus demoram a passar, que só andam cheios”, contou, em conversa com uma usuária do sistema que o abordou para reclamar.

Em seu plano de governo, Arruda informa que o ônibus terá preferência sobre o automóvel. Daí a necessidade de implantar um sistema de transporte público de qualidade, em que os coletivos cumpram a grade horária estabelecida pelo poder público com “absoluta precisão”.

A diretriz de transporte coletivo sobre o individual prevê a extensão da linha do metrô até a Asa Norte, a construção das linhas 1 (Aeroporto ao fim da Asa Norte) e 2 (antiga Rodoferroviária à Esplanada dos Ministérios) do VLT e sua integração com o novo metrô, que ligará Sol Nascente, Ceilândia Norte, Taguatinga Norte, Vicente Pires, Estrutural, área do Jóquei, Cidade do Automóvel à Rodoferroviária.

Além disso, serão construídos quatro novos eixos de metrobus — ônibus especiais operando em sistema de metrô. Eles ligarão 1) Ceilândia à Rodoviária; 2) Planaltina e Sobradinho à Rodoviária; 3) Samambaia Sul, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Núcleo Bandeirante, chegando à EPIA e dali até à Rodoviária; 4) São Sebastião, Mangueiral, Jardim Botânico, Paranoá e Itapoã à Rodoviária.

O eixo entre Santa Maria/Gama e Rodoviária, projetado no primeiro governo Arruda, foi construído com erros pela atual gestão e vem causando muitos transtornos à população daquelas cidades.

Política , ,

ELEIÇÕES 2014 Foi dada a largada

19 de agosto, 2014

 

Dilma Roussef - Foto: André Coelho / Agência O Globo

Dilma Roussef – Foto: André Coelho / Agência O Globo

 

Por Merval Pereira, O Globo – A presidente Dilma dormiu um dia com a possibilidade de vencer a eleição no primeiro turno, ou sendo a favorita para o segundo, e acordou ontem com o segundo turno praticamente selado e a possibilidade de perdê-lo para Marina Silva, que não estava no páreo e se transformou do dia para a noite na favorita da eleição presidencial.

Será preciso, no entanto, depurar essas intenções de votos no tempo para saber o quanto de emoção elas contêm, e o que restará ao final.

A menos que estejamos diante de um fenômeno eleitoral que será movido pela comoção até a boca de urna, não é plausível que a votação de 2010 seja o piso de Marina, e que daqui para frente ela só faça crescer na preferência popular.

É verdade que ela já chegou a 27% em uma pesquisa anterior, mas não ter alcançado patamar semelhante diante da exposição a que foi submetida nos últimos dias pode significar que tenha alcançado seu limite.

O ex-governador Eduardo Campos não era uma figura nacional, e o fato de sua trágica e prematura morte tê-lo transformado em tal não resiste a 45 dias de uma campanha eleitoral acirrada como a que veremos a partir de hoje.

Por enquanto, Marina reconquistou seus eleitores tradicionais: basicamente os jovens, que saíram às ruas em 2013 e estão desiludidos com os políticos tradicionais, e os moradores das grandes e médias cidades. Ou a classe média “iluminista” e a garotada das redes sociais, numa definição sucinta usada na última eleição.

Mesmo sendo uma política experiente, com dois mandatos de senadora e atuação no Ministério de Lula, consegue manter uma postura que a afasta da imagem do político tradicional, além de se identificar com um terceiro grupo eleitoral, os evangélicos, de fundamental importância para sua votação como apontado na pesquisa sobre religiões realizada pela equipe do professor Cesar Romero Jacob da PUC do Rio de Janeiro.

Mas, a partir do documento que o PSB vai apresentar a ela, começarão também as dificuldades para Marina. Ela, que não tomou o avião fatídico para não se encontrar em Santos com Márcio França, o candidato a vice de Alckmin, como fará agora campanha em São Paulo?

Como serão suas relações com os representantes do agronegócio e do que chama de “velha política” que estavam fechados com Campos e com os quais agora ela terá que conviver?

O fato de, num primeiro momento, Marina não ter tirado votos nem de Dilma nem de Aécio mostra que seus adversários estão consolidados em suas posições, e, no entanto, o crescimento de todos os três candidatos vai depender dos votos que conseguirão tirar dos concorrentes.

Marina pode ganhar mais votos de Dilma do que de Aécio no primeiro turno; Aécio pode tirar votos de Marina nesses setores que a estão apoiando hoje sem grandes convergências, que existiam com Eduardo Campos. E Dilma pode recuperar votos que perdeu em setores importantes da classe média se conseguir manter a percepção de melhora de seu governo, que superou o índice mínimo de 35% de ótimo e bom, passando de 32% para 37%.

Tudo indica que a melhoria está ligada à percepção menos pessimista sobre a economia do país, pois a inflação de alimentos deu uma trégua, embora continue próxima do teto da meta na medição anual. O problema de Dilma é que a economia dá sinais de que piorará nos próximos meses, havendo forte possibilidade de o 2º turno ser em meio a uma recessão.

O candidato do PSDB, Aécio Neves, respirou aliviado com o resultado da pesquisa Datafolha, pois não perdeu seus votos, embora tenha ganhado uma adversária mais competitiva. Ele pretende basear sua propaganda no rádio e televisão na experiência de gestor, para contrastar com a inexperiência de Marina Silva no comando de governos.

O fato de que Marina trouxe para dentro do cenário eleitoral um contingente de eleitores que se recusavam a votar (redução dos votos nulos, e em branco e abstenção) é festejado pelo PSDB, que considera possível atraí-los a partir de um maior conhecimento de seu candidato, que hoje é o mais desconhecido dos três.

Política , ,

O alto custo da burocracia

18 de agosto, 2014

 logo_artigos 

Por Julio Cesar Peres, presidente do Sinduscon-DF

Pesquisa realizada pela Booz & Company, por iniciativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e do Movimento Brasil Competitivo (MBC), chegou a uma conclusão impressionante: a de que a burocracia pode aumentar em até 12% o custo do imóvel no Brasil.

Esse percentual representa, segundo a pesquisa, cerca de R$ 18 bilhões por ano, se considerarmos os financiamentos com recursos do FGTS e da caderneta de poupança, com base na média de unidades novas entregues anualmente. O custo absurdo onera toda a cadeia produtiva do setor e é pago pela sociedade brasileira.

A burocracia aumenta, também, o prazo de entrega da casa própria. No caso dos imóveis financiados pelo FGTS, que levam até cinco anos para serem entregues, estima-se que pelo menos dois anos são tomados por dificuldades nos trâmites. São atrasos na aprovação dos projetos pelos governos, falta de padronização dos cartórios e falta de clareza na avaliação de licenças ambientais.

Como resultado do estudo, o setor da construção propõe a redução dos custos burocráticos por meio de melhores práticas de análise e aprovação de projetos imobiliários — entre elas, a informatização dos processos, a antecipação dos financiamentos e a padronização das legislações federais, estaduais e municipais. Tais medidas reduziriam pela metade, de 60 para 32 meses, o prazo médio de entrega dos imóveis ao consumidor.

A demora na aprovação de projetos e na retirada de habite-se é fator de preocupação, também, para os empresários da Construção Civil do DF. Levantamento da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-DF) mostra que existem hoje, sob análise do GDF e das administrações regionais, cerca de 190 projetos de obras, num total de 4 milhões de metros quadrados de áreas a serem construídas. Quando saírem do papel, esses projetos podem gerar cerca de R$ 2,3 bilhões em impostos, além de 50 mil empregos diretos e 200 mil indiretos.

São situações que nos levam a um estado de dúvida e letargia. Vale a pena investir em projetos imobiliários de porte, sem a certeza de poder entregá-los, dentro de um prazo predeterminado, ao consumidor final? Parece justo arcar com multas contratuais por atrasos que não foram causados pelo construtor ou incorporador?

Por tudo isso, o tema burocracia tem sido colocado, de forma recorrente, em nossos encontros com o governador Agnelo Queiroz e seus principais assessores. Sensível às reivindicações do setor, o governador criou a Diretoria de Análise e Aprovação de Projetos (Diaap), órgão ligado à Casa Civil do GDF, que já contribui para minimizar o problema.

Em seminário que realizamos no auditório do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), com o apoio da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e do Correio Braziliense, tivemos a oportunidade de discutir mais a fundo “o custo da burocracia no imóvel”. Na oportunidade, surgiram propostas para que o modelo da Diaap, hoje reforçada pelo trabalho da Força-Tarefa para Análise de Projetos de Edificação (Ftape), seja aperfeiçoado.

Mas o ideal seria fortalecer os quadros técnicos das administrações regionais com profissionais qualificados e bem remunerados, em condições de decidir, com rapidez e eficiência, sobre os projetos de construção e habite-se em cada cidade do DF. Esse reforço é necessário para que possamos empreender com mais segurança. Precisamos voltar à Brasília de anos atrás, em que os empresários da Construção Civil conseguiam comprar o terreno, construir o imóvel e comercializá-lo em 24 meses.

Sabemos que ainda há muito que fazer para que possamos chegar a esse modelo, mas devemos fixar uma meta e procurar atingi-la. Outras capitais já realizam experiências pontuais de desburocratização na análise de projetos imobiliários. Caso do Rio de Janeiro, por exemplo, para acelerar as obras de preparação para a Copa do Mundo e as Olimpíadas; e de Curitiba, que já aprova projetos em apenas dois meses, segundo os parâmetros de construção.

Aqui no DF, devemos levar em conta que a Diretoria de Análise e Aprovação de Projeto (Diaap) tem caráter provisório, ou seja, veio para atender a uma situação de emergência, e suas atividades se encerram em 31 de dezembro. A partir de janeiro de 2015, e até que o governo eleito tenha tempo para reestruturar os quadros técnicos das administrações regionais, sugerimos que a aprovação dos projetos de construção se concentre na Coordenadoria das Cidades, órgão ligado à Secretaria de Estado da Casa Civil. (Artigo publicado no Correio Braziliense desta segunda-feira, 18 de agosto)

Artigos , ,

Agenda do candidato Rodrigo Rollemberg de 2ª feira

18 de agosto, 2014

 

 Rodrigo Rollemberg

12h – Reunião com a coordenação da campanha

16h – Entrega do plano de governo ao reitor do Uniceub

17h – Conversas na Rodoviária do Plano Piloto

Ponto de encontro: Pastelaria Viçosa, na plataforma A

20h – Gravação do programa Pampa e Cerrado, da TV Brasília

 

Política ,

Filippelli destaca resultados do Morar Bem

18 de agosto, 2014

Filippelli

Em eventos em Planaltina e no Paranoá, companheiro de Agnelo Queiroz à reeleição fala do programa habitacional do GDF e ressalta a necessidade de continuar as mudanças promovidas no Distrito Federal

Dar continuidade aos projetos de governo foi a mensagem que o candidato à reeleição como vice- governador na Coligação Respeito por Brasília, Tadeu Filippelli, fez questão de destacar nos dois eventos que participou neste domingo (17). Filippelli também comemorou os bons resultados obtidos pelo programa habitacional Morar Bem, que já entregou 10 mil moradias com água, luz, esgoto e escritura.

No Paranoá, segundo compromisso do dia, o companheiro de coligação de Agnelo Queiroz participou de confraternização de cooperados que já receberam seus imóveis no DF. “É interessante notar que no governo anterior não conseguiu entregar uma única unidade dentro do programa Minha Casa, Minha Vida. E agora já entregamos 12 mil casas. São 44 mil pessoas abrigadas e já temos 100 mil convocados e 60 mil moradias em construção. Essa é a diferença de compromisso e realização de um governo para outro”.

Com o início da veiculação dos programas eleitorais a partir desta terça-feira (19), Filippelli ressaltou a importância do espaço para mostrar a história do governo. “Com o programa, com o conteúdo que nós temos, será perfeitamente possível mostrar a diferença do nosso governo para os outros. Costumo dizer que se tivesse uma palavra para representar o nosso governo seria mudança. Brasília precisa continuar mudando. Brasília precisa continuar nesse novo caminho que nós propomos”, finalizou.

Na hora do almoço, Filippelli esteve no tradicional Costelão da Loja Maçônica Sete de Setembro, em Planaltina. O candidato foi recebido de braços abertos pela comunidade que há 12 anos realiza esse evento. “Esse encontro já é tradicional na história do Distrito Federal. Podemos desfrutar momentos de alegria e confraternização com os irmãos maçônicos”, declarou Filippelli.

Política , , ,

O que mostra e não mostra a pesquisa Datafolha!

18 de agosto, 2014

 Cesar maia 

1. A Pesquisa Datafolha divulgada pela Folha de S. Paulo (18) trouxe três resultados que contrariaram as expectativas de muitos. Marina com 21% não é uma delas, pois pesquisas anteriores com seu nome já mostravam esse patamar para ela, com redução dos que não marcavam nenhum deles. Os outros dois resultados sim: por um lado a estabilidade de Dilma, com seus 36%, e de Aécio com seus 20%. E um terceiro: a melhoria da avaliação de Dilma e seu governo.

2. A expectativa que se tinha era que, além da redução dos que não marcavam nenhum deles, Dilma cairia um pouco, assim como Aécio. A melhoria da avaliação de Dilma –sem nenhuma razão clara- é algo que as expectativas não projetavam. Mas sua entrada afirma que teremos segundo turno.

3. Os resultados da Pesquisa Datafolha deste fim de semana foram: Intenção de voto. Dilma 36%, Marina Silva 21% e Aécio Neves 20%. Outros 6%. Nenhum deles 17%, Segundo turno: Marina 47% e Dilma 43%. / Dilma 47% e Aécio 39%. Avaliação Dilma: Ótimo+Bom 38%. Ruim+Péssimo 23%.

4. Sabe-se que sempre que um fato forte impacta a opinião pública, como o foi o trágico desaparecimento de Eduardo Campos, as curvas de tendência de formação de opinião pública são interrompidas. Nesse sentido, se pode explicar a sustentação de Dilma e Aécio no mesmo patamar.

5. O que ainda requer uma análise mais cuidadosa é a melhoria acentuada da avaliação de Dilma, o que –contraditoriamente- aumenta a sua intenção de voto no segundo turno contra Aécio e diminui contra Marina. Afinal, as notícias –pelo menos as econômicas- nesta semana, foram ruins.

6. Provavelmente o impacto emocional pode ter provocado nas pessoas uma reação de solidariedade e proximidade com aqueles que governam. Isso já se viu em outras situações, mas em geral diretamente com quem sofreu a tragédia. Getúlio Vargas é um exemplo: a avaliação de seu governo cresceu muito após o seu suicídio, o que foi fundamental para a eleição de JK.

7. Nos próximos dias esse quadro tenderá a ser sedimentado e, em seguida, os números de Dilma –intenção de voto e avaliação- deverão retornar ao patamar anterior. O tempo de TV de Marina e a muito menor capilaridade de sua coligação podem transformar estes 21% num teto.

8. Mas, para isto, as comunicações de Dilma e Aécio deverão ter a sutileza –e o risco- de realizar campanhas sem incluir Marina em suas críticas. E Marina terá que se descolar da tragédia sob pena de produzir uma sensação de demagogia. Vide JK, mesmo com Jango como vice.

* * *

Mulheres mais reativas às eleições no Estado do Rio! GPP: 2 mil eleitores 09-10/08!

Instituto GPP –2 mil eleitores entre 09-10/08: Não Voto: Branco+Nulo+Não Sabe+Não respondeu.

Presidente: entre os Homens 25,7%, e entre as Mulheres 35,6%.

Governador: entre os Homens 24,7% e entre as Mulheres 31%.

Senador: entre os Homens 24,3% e entre as Mulheres 37,4%.

Política , ,

FAPDF anuncia bolsas para estudantes da UnB

18 de agosto, 2014

 

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) assinou um convênio com a Universidade de Brasília (UnB) para concessão de bolsas de iniciação científica, mestrado e doutorado. O investimento é de quase R$ 4 milhões e, ao todo, 272 pessoas devem ser beneficiadas até outubro. O objetivo é ampliar o programa de inserção de estudantes de graduação em atividades de pesquisa e a acessibilidade aos programas de pós graduação.

O diretor-presidente da FAPDF, pesquisador Michelangelo Trigueiro, comemora a assinatura do convênio e garante que vai cumprir com êxito a missão institucional da Fundação. “O ponto forte da FAPDF é exatamente ser uma agência de fomento. Tenho um olhar de alguém que vive a pesquisa e sabe o que é a demanda da comunidade acadêmica”, reforça Trigueiro.

O projeto de apoio ao Programa de Iniciação Científica e Tecnológica da UnB atenderá à demanda não coberta pelas cotas de bolsas disponíveis na UnB. No total, as 127 propostas não atendidas no edital interno 2014-2015 na Universidade de Brasília serão beneficiadas pela FAPDF. O programa pretende estimular a melhoria do ensino de graduação por meio da atuação dos alunos de Iniciação Científica como agentes multiplicadores a fim de incentivar a integração entre o ensino e a pesquisa. A previsão é que as bolsas sejam distribuídas até o final de agosto.

Já o projeto de apoio ao Programa Institucional de Concessão de Bolsas de Mestrado da UnB concederá 85 bolsas. A FAPDF apoiará a formação de recursos humanos nas seguintes áreas do conhecimento: ciências da vida, ciências exatas, humanidade, artes e tecnologias.

Outro projeto que visa suprir a demanda de 60 solicitações é o de apoio ao Programa Institucional de Concessão de Bolsas de Doutorado da UnB. Assim como no programa de mestrado, a FAPDF apoiará a formação de recursos humanos para doutorado nos programas e projetos relacionas às áreas de ciências da vida, ciências exatas, humanidade, artes e tecnologias. As bolsas de mestrado e doutorado serão distribuídas até o final de setembro.

De acordo com Jaime Santana, decano de Pesquisa e Pós Graduação da Universidade de Brasília, a disponibilização das bolsas reforça o papel fundamental da fundação que é fomentar a pesquisa em ciência, tecnologia e inovação (CT&I) no Distrito Federal. “Uma das atividades mais importantes das FAPs é a concessão de bolsas para a pesquisa. As bolsas que a FAPDF irá ofertar à UnB é de extrema importância porque vai possibilitar que os alunos permaneçam em tempo integral na universidade”, atestou.

O decano ainda ressaltou que a dedicação à pesquisa com o incentivo de bolsas de estudo resulta em pesquisas mais rápidas e eficientes. “Os alunos trabalham em projetos de interesse da universidade e da sociedade”, destacou Santana.

Fomento – A Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) fomenta pesquisas na área de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) que visam o desenvolvimento da região. “A vocação do DF é o conhecimento. É uma vocação para fortalecer a pesquisa, a ciência, a tecnologia e a inovação”, garante o presidente da Fundação. (Fonte Agência de Noticias FAPDF)

Cidade , ,